Este blog, criado em janeiro de 2007, é dedicado à minha filha Flavia e sua luta pela vida. Flavia vive em coma vigil desde que, em 06 de janeiro de 1998, aos 10 anos de idade, teve seus cabelos sugados pelo sistema de sucção da piscina do prédio onde morávamos em Moema - São Paulo. O objetivo deste blog é alertar para o perigo existente nos ralos de piscinas e ser um meio de luta constante e incansável por uma Lei Federal a fim de tornar mais seguras as piscinas do Brasil.

FLAVIA NA REVISTA ÉPOCA DESTE SÁBADO

- 21 de novembro de 2009
Odele e Flavia - "SAUDADES DE SUA VOZ"

A Revista Época deste sábado, traz uma reportagem comigo e Flavia. A matéria é da repórter Eliane Brum e as fotos, de Marcelo Min. ( Fotogarrafa)
"
Quando Odele sonha com a filha, Flavia tem 10 anos. A menina de cabelos longos, encaracolados nas pontas, fala sem pausas. Gosta de partilhar seu dia, contar as aventuras na escola, tagarelar sobre o futuro precocemente dividido entre uma carreira de administradora e outra de modelo. Abraça e beija muito. Dança, canta e toca teclado. Sua voz povoa o sono da mãe. Quando Odele acorda, porém, o silêncio continua lá.

Deitada na cama do quarto ao lado, Flavia tem os olhos abertos. Não pode mais falar e, embora possa ver, Odele não sabe se vê. A menina calou-se aos 10 anos, quando seu cabelo foi sugado pelo ralo da piscina do edifício onde vivia, em São Paulo. Em dezembro, no mesmo dia do aniversário da mãe, fará 22. Há quase 12 anos, Odele só ouve a voz da filha em sonhos. Agora é a mãe que parece se afogar ao despertar submersa na ausência da filha. “Ela tinha voz de sino”, diz. É dessa voz de sino que Odele sente mais saudade.

Assim se inicia cada dia. E cada dia em que Flavia não acorda é uma perda para Odele. Quem vai imaginar que a voz da filha, que às vezes perturba com sua premência, será um dia a maior saudade da mãe? Que aquelas histórias de criança, contadas quando falta tempo à mãe, seriam pagas com metade de uma vida ou uma vida inteira, se a mãe soubesse que poderia perdê-las?
É uma existência de subtrações e de delicadezas, a dessas duas mulheres. Só faz sentido porque Odele conseguiu fazer da história de dor também uma narrativa de amor.

.... Meses depois, Odele começou a buscar as causas no fundo da piscina. Dividia seu dia entre os cuidados com a filha no hospital e..."

A matéria completa pode ser lida neste link da Revista Época: SAUDADES DE SUA VOZ.
O meu muito obrigada à repórter Eliane Brum pela realização desta reportagem. Obrigada também ao fotógrafo Marcelo Min.

Agradeço também ao editor do site da Revista Época e ao pessoal do Globo.com pela abertura desta matéria no site. Desta forma, nossos leitores de Portugal, de outros países e de localidades onde a Revista não chega, podem ler a matéria completa on line.

Nota: Na hora de agradecer a tantas pessoas que me apoiam na divulgação da história de Flavia, quando me dou conta, estou sempre devendo agradecimentos. É o caso desta matéria.: Eliane Brum, repórter especial da Revista Época,  tomou conhecimento do blog de Flavia, graças à sensibilidade do blogueiro acreano -  nem sempre bem compreendido em sua própria terra - ALTINO MACHADO, que há tempos conhece a história de Flavia. Neste link,  vocês verão uma mensagem  de Eliane para Altino,  agradecendo a ele pela sugestão  da pauta. A Altino Machado, os meus mais sinceros agradecimentos e minhas desculpas por não ter colocado aqui antes esta nota. MUITO OBRIGADA ALTINO!

Meu nome não é Odete, como algumas pessoas escrevem nos comentários, é Odele, com L e não com T.
Obrigada.

412 comentários

  1. A tua perda foi e é pesada...

    Mas o teu exemplo é grande exemplo...

    E fala sério, pode me chamar de menino também.

    Fique com Deus, menina Odele e menina Flavia.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  2. Olá minha querida Odele ...

    já li tudo ...
    Eliane foi fantástica ...
    seu modo de escrever é divino ...
    acabei, com lágrimas rolando pela minha face ...

    muitos beijinhos para ti e Flávia

    isabel

    ResponderExcluir
  3. Que matéria fantástica, querida!! E quanta sensibilidade tem essa repórter! Apesar da dor, é mais uma janela que se abre. Beijinhos para as duas mocinhas!

    ResponderExcluir
  4. Li toda a matéria no link da revista. Tive que me levantar para acalmar a cachoeira dos meus olhos e pensar no que te poderia deixar aqui. Como fazer perante esta reportagem onde é descrita o teu percurso e o que tens referido neste blogue?
    Sorri feliz pelo "som do sino, pelo cantar do galo, pelos trabalhos enviados com carinho e sabor a português" no teu mural, mural que criaste com carinho que que te liga através deste mundo de cabos entre os vários continentes e por todos que "sem pós de perli-pim-pim e discursos ou ataques fanáticos e aparvalhados" estão em torno de Flavia, estão de mãos dadas contigo e dizendo sempre: anda mulher/mãe vem até junto de todos que te querem bem e que fazem do NADA o MUITO que precisas.

    Odele meu doce, nunca deixes de ser quem és e como sempre cuida bem da tua/nossa menina.

    Deixo-te o meu maior abraço do lado de cá do oceano, bem como a todos que te apoiam, mas sem nenosprezar ninguém realço o Mestre Peciscas pela sua inovação em termos de gravações que desconhecia e é nesta simplicidade de todos e para todos, que todos damos e devemos continuar a dar as mãos com a sinceridade e verticalidade.

    Eu te amo muito viu? ***

    ResponderExcluir
  5. Odele ...

    esqueci de dizer ... a foto que ilustra este post é simplesmente MARAVILHOSA ...

    beijinhos
    isabel

    ResponderExcluir
  6. Minhas queridas Odele e Flavia, é um artigo cheio de sensibilidade, encantadora maneira de escrever!!!

    Abracitos enormes e beijinhos!!!

    ResponderExcluir
  7. Uma reportagem sublime.
    Muitos beijos para vocês.

    ResponderExcluir
  8. Odele,há muito não deixo recado em seu blog, mas eu estou sempre por aqui lendo quietinha. Hoje, no entanto, eu precisei me manifestar aqui. A jornalista foi extremamente feliz ao escrever sobre Flávia; usou a sensibilidade necessária ao caso. Precisamos todos espalhar a história de Flávia por aí para que outras crianças não sejam, como ela, vítimas da irresponsabilidade de condomínios ou de quem quer que seja.

    ResponderExcluir
  9. Oi Odele, oi Flávia,

    como vc mesma disse, nao há muito o que dizer... li a reportagem e fiquei pensando o que poderia escrever pra senhora e pra sua mocinha tao linda. O pouco e o insignificante que posso disser-lhe é que fico muito feliz que nao se deixa mais enganar pelos "milagres" da ciência e nem muito menos das religioes, que trata a sua mocinha com uma delicadeza, um amor, um zelo... incomensuráveis... e que diante de uma dor igualmente incomensurável encontra forças e leveza para se manter viva e ao lado de sua menina-moça. Infelizmente, nao sabemos pq certas coisas nos acontece... ou se é que há um "porque", entretanto cara e linda senhora... continue "incomodando", continue essa mae que a senhora é... tenho certeza que no mundo próprio de sua filha a senhora está lá e ela sabe que pode contar com a senhora.

    Saiba que nao só em Portugal ou os países ali citados na reportagem a senhora encontrou "ouvidos" e tb coração para a sua dor, mais tb na Alemanha... e de cá mando o seu recado para meus sobrinhos, priminhos... pode ter certeza que a senhora "incomoda" e conntinuará a "incomodar" ainda mais.

    Um enooooooorme beijo na senhora e na sua mocinha linda. O Spock, nosso cachorrinho, manda lambidas tb especialmente para Flávia e Michele.

    ResponderExcluir
  10. Odele,
    Aprendi com a vida que ninguém é capaz de sentir a dor do outro e que nenhuma delas, por menor ou maior que seja aos olhos dos outros, deve ser desprezada.
    Considero uma bênção a tristeza que sinto ao ver a dor do outro. No entanto, a minha falta de coragem em agir me deprimem. Quando estiver mais calma, verei o vídeo e vou compartilhá-lo para que a justiça dos homens seja feita.
    Que o Pai Eterno abençõe você e Flávia. Abrace-a bem forte por mim. Tenha certeza de que vocês já estão nas minhas orações.
    Fátima

    ResponderExcluir
  11. Olá Odele

    Já conhecia a vossa história, aqui do blogue, mas o texto da Eliane Brum está excelente.
    Emocionou-me, e em especial aquela frase:
    "Ao contrário de todas as mães do mundo, ela tem medo de morrer antes da filha",
    levou-me às lágrimas.
    Tenho 3 filhos, a mais velha é idade da Flávia. Não imagino o que é sentir isso.
    Admiro sua coragem, sua resistência, sua força.
    Um beijo grande de Portugal.
    Manuela

    ResponderExcluir
  12. Odele, a reportagem de Eliane Brum foi ótima, muito sensível e profissional. Emocionante! Ficamos sabendo mais coisas sobre a Flávia e tua luta.

    Que Deus te conserve assim. Tu sabes que vocês tem o nosso carinho incondicional.

    Bjim pra ti e pra Flavinha.

    ResponderExcluir
  13. Eu li a reportagem na revista época, fiquei emocionada!! Sua coragem é um exemplo Odele...

    ResponderExcluir
  14. Sem palavras...!
    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  15. Queridas,

    Não conhecia a história de vocês.
    Acabei de ler aqui na Época, e precisei parar assim que terminei, para entrar no blog, e simplesmente falar que vocês são VENCEDORAS.

    Parabéns por ser esta mãe maravilhosa e sensacional !!!!!

    Bjs.

    ResponderExcluir
  16. D. Odele, boa tarde.

    Antes de tudo, um afago nos cabelos de sua filha! :)

    Conheci a estória de Flávia em 2007 e sou uma leitora "muda" do seu blog. Mas só nos comentários, pq já na época divulgava seu link e hoje, visitando o blog do Altino, encontrei o link para a reportagem em Época.
    Espero que a estória (de suas vidas e lutas diárias) chegue ao conhecimento de um número imenso de pessoas e, que desta forma, por alguma força maior, ou pela força dos homens, os culpados sejam responsabilizados pela lei, ou que se sintam moralmente culpados, seja pelo olhar de desaprovação do consumidor ou pela queda em suas vendas!!! De alguma forma, Deus há de reparar esse erro!! :)

    Da minha parte, divulguei no meu blog o link do seu e o da reportagem na revista. Também espero ajudar de alguma forma assim. Nos meus pensamentos, há sempre um instante pra vcs, pra agradecer por nossas vidas e por seu grande empenho e amor por Flávia! Um grande beijo, um abraço forte e carinhoso às duas!!

    ResponderExcluir
  17. Odele,a reportagem,assim como tudo aqui me fez chorar..quando ela fala de quando vc sonha com a Flávia,e em seus sonhos ela tem 10 aninhos,e tudo permanece exatamente como era,dói saber que é apenas sonho..que quando vc acorda,a realidade é a mesma,e ela já não tem mais a mesma voz,doce e calmante.. imagino sua dor por tudo o que ela foi e não mais é,e por tudo o que poderia ter sido e jamais será.. há Odele,e isso só me faz admirar ainda mais vc ! Siga minha querida,ao lado de sua pequena guerreira que espalha em nós o exemplo de luta e garra,mamãe guerreira,nosso exemplo,tú és inspiração para muitas outras mães.. sua luta não será em vão,
    minha admiração e carinho,hoje,e sempre minha querida !

    Um super beijo,pra vc e pra Flávia..

    ResponderExcluir
  18. Olá minha boa e queria amiga Odele... masis uma vez obrigado pela tua amizade e hoje já me fizeste ficar emocionado com o que a revista publicou uma grande reportagem sobre a história da Flavia e que bem conheço, senti o teu carinho na forma como vieste comunicar que se falou das minhas fotos na reportagem, uma honra, um sentimento que não sei explicar o que senti, não por falar de mim, menos importante, mas por saber q elas continuam a existir ali unto da Flavia e me faz sentir um pouco de mim ai perto de vós, perto da doce Flavia... por isso o meu obrigado fico sensibilizado e por isso coloquei hoje um post meu blog a falar disso mesmo...
    Eu não sou grande coisa na escrita :-) por isso vê se está tudo bem... se falhou alguma informação... diz q é para fazer a alteração pode ser :-)
    Também voltei a colocar as 3 fotos q estão ai junto de vós...

    Coloquei também na minha página do Facebook.

    Obrigado Odele por mais um carinho vindo desse lado... e a promessa que te fiz mantem-se... um dia que possa ir ai... e desejo isso mto mas infelimente monetáriamente ainda não consigo realizar essa promessa mas um dia vou ai sim... quero mto conhecer-te a ti e à minha doce Flavia... por isso não está esquecido nunca ok

    Deixo uma enorme bjoca de boa noite em ti e na minha Flavia.
    Nuno de Sousa

    ResponderExcluir
  19. Vou aqui reproduzir o comentário que há pouco deixei no site da Época, pedindo, desde já desculpa por me ter "domiciliado" em S. Paulo, eu português do Porto. Mas é que lá não aceitavam o comentário se não mencionasse o Estado de residência:

    "O privilégio de estar presente
    Depois de ler esta admirável e insuperável reportagem, pouco poderei dizer. A Eliane, com a sua enorme dimensão humana e sensibilidade, que transporta para as palavras de que conhece todos os segredos, já disse tudo. Até porque deu, sobretudo, voz a essa mulher espantosa que é a Odele. Esta mãe poderia ser carinhosa, desvelada, ternurenta com a sua filha. Já seria exemplar e bastante.Mas ele é isso tudo e muito mais. É inteligente, lúcida, digna, tenaz e perseverante. E consegue fazer do drama que a atingiu uma chama que alimenta uma luta que poderemos chamar de serviço público. Que o sacrifício absurdo da Flavia possa afinal, não ser, de algum modo, totalmente inútii (se é que alguma vez um sacrifíicio pode ter utilidade), é, também, uma missão a que a Odele se comprometeu. Que haja leis que regulem a segurança nas piscinas, que os responsáveis acordem para a necessidade de dotar estes espaços de dispositivos que previnam acidentes devastadores, é algo pelo qual a Odele luta, para lá da sua presença insubstituível jundo da Flavia. E eu, que apareço aí na reportagem como o amigo, de longe, que fala com a "Princesa Adormecida" , como se estivesse ao lado dela, conversando sobre as coisas triviais da existêncai, não sou mais do que um privilegiado. Poder estar presente, poder contribuir com o meu afecto para que aquela casa tenha, de vez em quando, o ecoar de uma voz familiar, é algo que eu só tenho de agradecer. Sou eu, afinal, quem recebe mais do que aquilo que dá."

    Só quero acrescentar mais o que se segue.
    A Eliane Brum, que conheço, pela mão da Odele, há pouco tempo,é uma extraordinárias jornalista. Estou a ler uma colectânea de crónicas/reportagens, que puublicou , em 1999, num jornal de Porto Alegre. Devo dizer que estas histórias, de gente comum que, pela pena da Eliane é elevada à condição de ser importante, me deixam esmagado de admiração.
    Acho que nunca li prosa jornalística tão densa, tão inteligente, tão sensível, tão verdadeiramente humana como esta. A Eliane usa cada palavra como se ela fosse definitiva e única.Pelo menos, eu, agarrado desde o primeiro momento,pelo desenrolar dquelas histórias de espaço medido (como são sempre as histórias que vêm nos jornais) sinto que naquilo que ela escreve, nada está a mais e nada falta, para criar no leitor a emoção certa, a solidariedade verdadeira.
    A Eliane Brum é pois, uma jornalista que que deveria ser um exemplo e uma referências para muitos outros que andam por aí a usufruir do privilégio de escreverem para públicos mais ou menos vastos e que nem sempre têm as qualidades profissionais, culturaism humanas e deontológicas para exemcerem uma profissão de tanta responsabilidade como esta.
    Conhecer a Eliane (mais uma coisa que devo a este espaço e à Odele), foi um acontecimento que acrescentou valor à minha vida.
    Quem ler com a devida atenção esta brilhante reportagem sobre a Flavia, a Odele e tudo o que as rodeiam, comprovará que as minhas palavras não pecam por´um mínimo exagero.
    E digo mais: depois desta reportagem, dificilmente se voltará a escrever sobre Flavia, Odele, o seu dia-a-a dia, o seu passado, o seu futuro, algo que seja, ao mesmo tempo, tão profundo, tão belo e tão comovente. Em certo sentido, esta é a reportagem definitiva.

    ResponderExcluir
  20. "Um Homem não chora"; "Boys don´t cry", mas eu hoje chorei sim, aliás chorei como da primeira vez que tive contacto com vocês e conhecimento da vossa história, a reportagem está magnífica, como fiz questão de o dizer à Eliane, e levou-me ás Lágrimas, não por pena, mas por sentimento de impotência e de frustração, por não conseguir ajudar-vos mais. Para mim, que não entendo certas e determinadas acções da Justiça, a que levou à impunidade o Fabricante do ralo de piscina, e a 1ª e 2ª instância que te co-responsabilizaram também pelo acidente, são actos de puro terrorismo de uma Justiça cega, mouca e inerte. Espero que continues com essa força, que continues a dar-nos a voz de Flávia aqui, para todo o mundo ouvir, que é preciso consciencializar para os perigos dos ralos sobre-dimensionados.

    A vocês, deixo o meu carinho e a minha admiração, e como Deus é Grande vai deixar-te cuidar de Flávia até ao fim.

    Um grande Beijo para vocês minhas queridas amigas.

    ResponderExcluir
  21. Já lá fui e li a matéria toda. Com os olhos nublados e um nó na garganta. Sabe que sempre que posso venho aqui e já o faço há muito. Tenho tomado contacto consigo e com a Flávinha ao longo deste tempo. Eu nem sei onde vai buscar força e coragem para tanto.
    Um abraço amiga, e que Deus lhe dê forças para continuar.

    ResponderExcluir
  22. Dona Odele,

    Meu nome é Alessandra e hoje pela primeira vez vi o seu blog, pois quando fui postar um comentário para minha amiga Nadja, ela havia feito um post para chamar nossa atenção para o caso da Flávia. Fiquei chocada, não posso negar. Senti um aperto no peito e me questionei sobre minha vida e como ando reclamando de tudo a minha volta. Continue seguindo seu coração como sempre, pois sei que Flávia sente tudo o que a senhora faz por ela. Enviei um e-mail para meus contatos com o link do blog e com o link da reportagem. Postarei também no meu blog.
    Obrigada por ser esse exemplo de mãe e de lutadora. A senhora e a Flávia me ensinaram muitas coisas hoje. Um abraço, um não, dois, um para a senhora e outro para a Flávia.

    ResponderExcluir
  23. Odele, bom dia.

    Me chamo Marianna, moro no Rio e acabei de ler a matéria sobre tua vida e a de Flávia.

    Eu escrevo blogs há tempos, e sim: a palavra tem o dom de ajudar.

    Estou emocionada e certa de que o seu amor de mãe é justo, é bonito e é válido. Aqui dentro, sinto que Flávia sabe do que acontece ao redor... Acho que ela sente a senhora, sabe?

    Deixo aqui toda a admiração do mundo.
    Um beijo carinhoso e um abraço apertado.

    Voltarei mais vezes.
    Fiquem com Deus.

    ResponderExcluir
  24. Odele,

    Estou aqui com o peito apertado, tb tenho filhos. Entre todos os defeitos da raça humana o "julgar" é um dos piores. Siga sempre seu coração, uma mãe sempre sabe o que fazer de melhor.Receba aqui todo o respeito e o carinho de uma mãe que a admira.

    ResponderExcluir
  25. Querida Odele,
    sou professor de jovens com a idade da tua linda filha. Estou muito emocionado! Sou de São José dos Campos. As lágrimas me lavam o rosto.
    O texto da época é muito sensível e de um teor literário irrepreensível.
    Você é um exemplo de mãe, de companheirismo e do AGAPE, o amor que Deus tem para com seus filhos.
    Bjão
    André Faria

    ResponderExcluir
  26. Odele, encantada em te conhecer...
    Sou fã da jornalista Eliane Brumm e sempre que alguma reportagem ou texto dela cai em minhas mãos, páro para ler, mais do que com os olhos, com a alma. Esse amor imensurável por sua Flavia pode não ter o poder de tirá-la desse coma, mas tem sim o poder de sustentar a ambas nesse abismo da dor. Amor incondicional, silencioso, habitado em cada detalhe do seu cuidado, do seu carinho, do seu sonho. AMOR.
    Tenho certeza, Odele, pela fé e pela minha própria experiência como psicóloga hospitalar, que a Flavia sente e sabe do seu amor e corresponde a ele, numa dimensão apenas diferente da nossa.
    Com carinho
    Carla

    ResponderExcluir
  27. Acabei de ler a reportagem e me emocionei com a sua luta para dar uma vida digna à sua filha.
    Sabe, acredito sim que ela percebe tudo o que acontece a sua volta, o seu carinho, o cuidado dos que estão por perto ajudando...
    Continue firme, sei que é difícil, mas vc nao está sozinha, Deus está contigo, tenha certeza!

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  28. Odele, eu queria um dia ter o prazer de te conhecer e te dar um abraço. Te desejo força , saúde e muita paz. Li a reportagem , e me emocionei com a tua historia e ada tua menina. Em relaçao aos comentarios desagradaveis que algumas pessoas fazem, nao dê importancia. É mais fácil ignorar. Essas pessoas estao doentes.
    Fica com Deus e continua firme cuidando da Flavia , e nao perca nunca a esperança. Tenha fé em Deus. se cuida
    Alba Barcelona

    ResponderExcluir
  29. Oi Odele,

    Vc é simplismente incrível. Que Deus continue dando força a vcs duas. um grande e apertado abraço

    ResponderExcluir
  30. olá Odele, meu nome é Flávia e tenho 22 anos, fiquei mto comovida com a historia d vcs ao longo desses anos e gostaria de parabenizá-la por ser essa mulher tão forte que aparenta ser...

    ResponderExcluir
  31. Douglas Ferreira22 novembro, 2009

    Odele

    tenhu 20 anos e li toda a sua reportagem
    chego a me emocionar com seu caso e luta d vida.
    Seu amor incondicional deveria ser exemplo no mundo em q vivemos hj, a partir d agora sou mais uma pessoa q torce por sua vitoria.
    Douglas.

    ResponderExcluir
  32. Fiquei muito emocionada ao ler a reportagem da Época.
    Um grande beijo pra vc e pra Flavia.

    ResponderExcluir
  33. Olá. Por coincidência - embora eu acredite que nada nesse mundo é coincidência -, eu tirei a manhã do domingo pra ler notícias e encontrei a sua história como manchete no site da Globo. Me surpreendi.É emocionante a forma como você cuida de sua filha; é lindo o amor que você tem por ela. Acho extremamente absurdo alguém vir a um blog como esse, ler sobre o seu amor e ter coragem de defender eutanásia. Sua filha vive sim! Por mais que ela não possa se expressar como nós, tenho certeza que ela vive e sente o que você faz por ela; e nesse mundo só dela, tenho certeza que ela está feliz.

    Parabéns pela sua força!

    ResponderExcluir
  34. Odele.... você é uma mulher muito forte... viver tudo isso dia após dia deve ser terrível... Dói saber que nada podemos fazer para trazê-la de volta. Só posso desejar que você tenha saúde para continuar cuidando dessa menina.
    um beijo grande
    Sônia/Campinas

    ResponderExcluir
  35. ODELE!continue sempre firme! és um exemplo para todos nós. fiquem com Deus e um chero carinhoso para sua Fafá!
    []´s

    ResponderExcluir
  36. Que Deus lhe der força para prosseguir nesse caminho de luta e perseverança, pois no final a vitória virá.

    Perseverança é a palavra certa, ou melhor, o sentimento correto e sadio para termos em momentos difíceis que parece não ter fim, mas tem, e o fim é a vitória.

    Persevere. Tenha perseverança e fé.

    ResponderExcluir
  37. Oi Odele, não sei medir o tamanho da sua dor, pq acho q só quem passa é q sabe. Só posso dizer q t admiro pelo ser humano q é, e q vc é a MÃE,no real sentido da palavra.
    O q aconteceu a Michele, a amiga q seria pra sempre? Ela é presente na vida da Flávia? Estou lendo seu blog aos poucos.
    Fique com Deus!!!

    ResponderExcluir
  38. Oi Odele,

    Fiquei sabendo através da reportagem da época. Difícil saber o que escrever, mas o que eu pude ver é que se tratam de dois anjos, você Odele e sua filha Flavia. Você com este amor incondicional e ela por ser uma guerreira e lutar todos os dias de sua vida. Você pode ter certeza de que vocês ainda terão dias muito felizes uma ao lado da outra, seja nessa vida ou seja na próxima.
    Fiquei completamente sensibilizado.
    Te dou todo o apoio deste mundo para você a para a sua família, e deixa um beijo no coração de Flavia.

    Desculpe não saber o que dizer, mas precisava deixar uma mensagem de apoio à vocês, me senti na obrigação de tentar ajudar, mesmo que apenas com palavras.

    Um forte abraço a todos vocês e um beijo no coração desse anjinho.

    ResponderExcluir
  39. Parabéns pela sua força.

    forte abraço
    Leandro

    ResponderExcluir
  40. Querida Odele,li sua entrevista na revista Época e me tocou lá no fundo do coração,pois também sou mãe.Só quero dizer que vc sim é uma verdadeira MÃE,pois vejo por aí muitas mulheres maltratando seus filhos saudaveis,e vendo o cuidado que tem com sua filha,digo que és iluminada.Desejo de coração que um dia possa ouvir novamente a voz de sua filha.Muitos beijos,tchau.

    ResponderExcluir
  41. Olá ja havia lido sobre este caso algums vezes e ate ja conhecia este espaço mas depois acabou caindo no esquecimento.Para minha surpresa hoje estava esta materia na globom.com o que me traz a mais uma visita.
    Quero te parabenizar pois no mundo em que vivemos é gratificante ver uma mae que se dedica com tanta intensidade a um filho.
    Que Deus te abençoe e continue te fortificando nesta caminhada, pois só Ele pode ouvir as tuas preces mais secretas.
    Deus te abençoe.

    ResponderExcluir
  42. Olá Flavia e Odele!! Li a matéria sobre vcs na Revista Época....Que lindo o amor...que triste sua dor...Odele és mulher guereira e de luta! Flávia desejo que justiça seja feita.... Parabéns pela mãe que tens! (Odele por favor leia p/a Flavia) Bjus e obrigado


    *Tomei a liberdade e postei no Twitter ó end. da matéria

    ResponderExcluir
  43. Oi, Odele!!

    Li a matéria da revista Época. e emocionei com o teu exemplo, com tua dedicação, com tua força, com o teu amor.

    Quando eu tiver meus filhos, quero ser uma MÃE como você.

    Te admiro muito!

    Taty

    ResponderExcluir
  44. Mariela Balducci22 novembro, 2009

    Parabéns pelo amor e dedicação, e que você tenha cada dia mais forças para seguir em frente !!

    ResponderExcluir
  45. Nossa, só Deus pra saber os reais motivos que certas coisas acontecem em nossas vida. Acho que ele só dá a cruz para quem pode carrega-la. Vc foi abençoada por ter a sua filha perto de você mesmo com tanta dor, vc tem a presença dela. Sua força , seu amor são passadas pra ela você pode ter certeza! Que Deus abençoe vcs duas sempre! Uma história linda de amor de mãe!

    ResponderExcluir
  46. Não tenho palavras... Só peço a Deus que te dê sempre coragem e amor!
    Tomara que milagres existam, voces duas merecem!

    ResponderExcluir
  47. "...só Deus pra saber os reais motivos que certas coisas acontecem em nossas vidas..."
    Felizmente MEU DEUS nunca queria ia querer este aconteciemnto. Este terrível aconteciemento foi meramente culpa e desejo do HOMEM incompetente e irresponsável que construiu uma piscina que coloca a vida de pessoas em risco!
    Odele...tô aqui ainda emocionada! Amo-as!

    ResponderExcluir
  48. Mãe,

    acredite. Sempre! Como todos que lemos a reportagem e acompanhamos o blog torcemos e acreditamos. Um dia hás de acordar ouvindo o som de sinos do riso de tua filha e te cegarás perante o radiante sorriso com que serás brindada. Acredite! Eu acredito, nós acreditamos.

    ResponderExcluir
  49. Odele, parabens pela sua força de continuar seguindo. fiquei realmente emocionada.

    ResponderExcluir
  50. Vc é uma mãe maravilhosa,entendo vc em tudo...Lute mesmo por sua linda filhaaa,tenho certeza q ela aonde estiver seu pensamento sabe o amor incrível q vc tem por ela, e q nao desistiu dela, e tenho fé de um dia a Flavia acordar,despertar do coma e te dar mtas alegriasssssssssss...Continue assim Odele vc é uma ótima mãe!
    Bjs pra ti e pra Flavinha!

    ResponderExcluir
  51. Odele,
    Há 12 anos perdi minha prima de 5 anos afogada na piscina de um hotel em Goias, não foi o ralo, foi uma convulsão, os monitores que brincavam com as crianças não viram a Isabella convulsionar, ela morreu no hospital. Era filha unica, minha tia já não podia mais ter filhos. No prédio onde moro tem uma piscina funda para as crianças (1m e meio), ensinei as crianças a nadar(mais de 12 ao todo), tenho tanto medo que alguma outra mãe passe pelo que minha tia passou, de perder seus filhos, que até hoje não deixo as crianças sozinhas na piscina.
    Conheci sua historia pelo site da revista Epoca e deixo aqui minha FORÇA para que voce possa continuar sua luta pelo bem da Flávia.
    Abraçs

    ResponderExcluir
  52. Odele, estava lendo as noticias do globo e acabei descobrindo o seu blog, esse caso me emocionou muito, e você esta de parabens por alertar a população sobre os perigos dos ralos de piscina, eu me lembro bem quando criança estava nadando numa piscina e senti ligeiramente meus cabelos serem sugados, e sempre tive medo de me aproximar do ralo, mas não sabia que seria tão perigoso assim, ao ponto de matar ou levar ao coma. Tenha muita força e coragem e confie em Deus pois eu creio que quando chegar a hora certa a Flavia vai acordar.
    Eu moro na França, quando eu for à Lourdes farei uma oração para a sua filha, ja que muitos milagres foram atendidos por la. Enquanto isso, tenha força e coragem e nunca perca a fé.

    ResponderExcluir
  53. OLA...SO ESTOU PASSANDO PARA DESEJAR UM OTIMO DOMINGO....
    GRANDE BEIJO DE UMA PESSOA QUE TE ADMIRA MTO...

    ResponderExcluir
  54. Estimulação
    Oi Odete! Você é uma guerreira, como devemos ser todas nós. Você convive com essa realidade que jamais imagina-se para alguém. Mas a vida tem seus ciclos e cabe a nós vencê-los. Flávia está infelizmente vencendo o ciclo dela junto com você, que acompanha a cada hora, a cada dia.Seja forte o suficiente para continura e Deus está lhe dando essa força e coragem para não desanimar. Trabalho com pessoas com necessidades especiais no meu ateliê, com a modelagem com argila. Sou artista plástica e tornei-me especialista em Neuropsicologia para entender as mudanças dos alunos quanto à capacidade do cérebro humano em processar certas funções. Não a cura de lesões no cérebro, mas, a reorganização cerebral de forma a processar outros comandos alternativos para as funções danificadas. Se ela responde aos ruídos, se ela dá algum sinal de reflexo, você pode estimular "as mãos dela", com os impulsos motores que vão provocar desencadeamento do trabalho cerebral, seja ele mínimo, mas com o tempo, na repetição dessa estomulação todos os dias, várias vezes ao dia pode trazer o benefícios de manter o cérebro trabalhando de alguma forma e assim ativando áreas como audição, fala, memória, visão etc, etc. Com a sua dedicação com a Flávia, brinque com ela todos os dias. Faça duas bolas de argila e coloque uma bola em cada mão e ajude apertando as bolas dentro de cada mão da Flávia, simultaneamente. Aperte fazendo-a apertar. Várias vêzes ao dia, qualquer pessoa pode fazer, sempre e vá observando o que acontece a cada dia pacientemente, sem desistir. Não desista nunca.
    Me dê notícias, que Deus lhe proteja.

    ResponderExcluir
  55. Odele, li a reportagem que conta um pouco da sua história de vida junto à Flávia. A única coisa que posso te dizer é que seus sonhos são, sim, reais. Acredite nisso. Quando voa contigo nos sonhos, sua filha está te agradecendo por tudo que tem feito por ela enquanto sua alma está aprisionada em um corpo inerte. É o teu amor que dá asas a ela, tenha certeza. Força para você e um abraço de coração nela.

    P.S.: Sou jornalista e também tenho que parabenizar a repórter pela sensibilidade e sutileza que conseguiu ter ao escrever o texto. Em nenhum momento percebemos uma tentativa sequer de explorar a dor alheia. Parabéns a Eliane.

    ResponderExcluir
  56. Estou sensibilizada com sua dor e assim acredito que o amor que você dedica a sua filha é o mais importante. Mantê-la bem e cuidar sempre é sua maior demonstração de amor e ternura.
    Odele, você e Flávia estarão sempre em minhas orações.
    Envio os mais preciosos e belos pensamentos.
    Beijos

    ResponderExcluir
  57. Odele, estou emocionado com sua história. Acabo de ler na época e vim direto para seu Blog. te desejo o melhor do mundo!

    ResponderExcluir
  58. Oi Odele, soube do seu blog através da entrevista... não vejo palavras q descrevam o quão grande tu és, vc acredita no amor isso é o mais importante de tdo, pq isso é para poucos, acredite!

    Que Deus esteja sempre c vcs!
    Bjsss

    ResponderExcluir
  59. Odele, somente hj, infelizmente, conheci sua história. Digo infelizmente, pq se antes soubesse, antes teria me emocionado, antes teria revisto uma posição sobre a vida, e sobre o qt as vezes, a loucura do dia a dia nos faz esquecer de pequenos gestos. Hj de manhã, briguei com meu filho, minha vida, Gil, de 7 anos, por ele gritar pela casa... e agora me pergunto se aguentaria nunca mais poder ouvir sua voz. Seu exemplo nos comove e nos faz tornar mães mais mães. Somos hj, mães ausentes, na maioria das vezes, por este mundo louco, que tanto nos cobra e tão pouco nos dá. Vc hj, me ensinou a ser mãe. Obrigada!

    ResponderExcluir
  60. Odele,
    acabei de ler na Globo.com a materia "Saudades de sua voz" e fiquei extramamente sensibilizada. Vim para o blog e ainda vou ter que ir aos poucos me apropriando de tudo que está contido nele, mas já sou seguidora e vou acompanhar toda a história de Flávia.
    Que exemplo de vida você nos dá. Sou mãe, mas não tenho como dimensionas sua dor. Só quem passa por uma situação dessa poderia, mas posso entender a sua luta por justiça e para dar uma vida com qualidade e dignidade para Flávia que já foi roubada da sua alegria de viver, da saúde e de tantas outras coisas que qualquer pessoa possa ter.
    Fiquei me perguntando como está seu filho em todo esse processo. Acredito que a partir do que aconteceu os cuidados e atenção se voltaram muito pra Flávia o que é natural.
    Sou uma estranha pra você, mas lendo algumas coisas no blog, já me sinto participando das suas vidas, entende?
    Fica com Deus.
    Sandla

    ResponderExcluir
  61. Mãe, é vc é mãe de todos, de todos que tem sonhos esperança e fé, saiba que sua filha com certeza sabe o que vc faz por ela e é agradecida por tudo, parabénssss Mãe.

    ResponderExcluir
  62. Odele...
    Parabéns por essa tua grande luta diária, a flávia é um anjo que Deus colocou em sua vida, ela é linda.
    Vi sua reportagem através do site da Globo.com fiquei chocada, porque até então desconhecia esse perigo e nunca tinha ouvido falar nesses tipos de acidentes, e acabei sabendo que são frequentes e que a justiça demora ou até mesmo nunca vem.
    Muita força pra você e pra Flávia fiquem com Deus.

    Bruna.

    ResponderExcluir
  63. Primeiramente você Odele e uma lutadora, uma mãe que todos iram admira-la pela sua força de vontade de alcança o seu sonho, nuca desista disso.
    Quando li a matéria no sait da revista Época logo di início senti uma coisa forte, um dor no meu peito difícil de descreve, com isso as lagrimas começaram a cair descontrolamente de meu rosto, sei q o que você sentiu não se pode calcular, mas o que posso dizer é que com essa forma de você compartilha sua situação e bom, pois passa pra todos que nada e perfeito na vida e que temos que continua em frent lutando pelo nosso objetivo. Meus parabéns Odele você e uma pessoa especial, e tenho orgulho de saber que ainda existem pessoas como você. Irei continua agora acompanhando suas descrições. Abraço em você e em sua filha.

    ResponderExcluir
  64. Olá, queridas!!
    Não conhecia o blog de vcs. Mas acebei de ler a matéria da Época e, agora, serei mais uma a acompanhar essa história de vida. Odele, fiquei com vontade de te dizer que sei perfeitamente o que vc quer dizer quando fala sobre as sugestões das pessoas quanto aos possíveis milagres, etc. Tenho uma irmã que teve paralisia cerebral e não anda. Pormuitos anos meus pais andaram por diversos tipos de igrejas, médiuns, cartomantes, e tudo mais que prometia alguma melhora e, assim como aconteceu com vc, todos SEMPRE garantem essa melhora. Acredito que algumas pessoas já possam ter sido agraciadas com esses milagres, mas não foi o nosso caso. Meus pais cansaram, minha irmã cansou. Até hoje, às vezes, somos parados na rua por alguém que vem, acredito que com as melhores das intenções, falarm de uma igreja x, de um método y.. Nós agradecemos, mas não queremos. E as pessoas não se conformam. Não importa. Só nós, que vivemos nessa realidade, sabemos o que passa em nossa casa, e o tamanho do nosso amor.
    Outra coisa, mande um beijo par a Mazé. Sou testemunha do quanto é difícil encontrar uma pessoa que cuide de outra pessoa como se fosse de sua família. Sofremos muito com isso na minha casa. São os pequenos detalhes que as pessoas nem pensam, como escovar bem os dentes, limpar as partes íntimas..
    Bom, é isso. Força para as duas! Nunca é demias desejar.
    Grande beijo também.

    ResponderExcluir
  65. Thomas Duffles22 novembro, 2009

    Oi meninas.

    Eu não conhecia a história de vocês e vi na Época e fiquei realmente emocionado com tamanho AMOR e FORÇA DE VONTADE!

    Só de você se demonstrar uma GRANDE mãe, com certeza a Flávia é MUITO feliz e eu acredito, como você, que ela sinta o seu amor.
    Estou torcendo muito por vocês.
    A Flávia é linda!

    Tudo dará certo, não sei o que é o certo mas tudo acabará bem!
    ACREDITE!

    Beijos.
    Thomas Duffles, 19 anos.
    São Paulo, SP, Brasil.

    ResponderExcluir
  66. Odele, Deus te abençoe !!!
    Flávia apesar do coma é abençoada por ter vc como mãe.

    ResponderExcluir
  67. Olá Odele, li a matéria da Época com a minha filha Hanna que tem 7 anos, ficamos emocionada com seu exemplo de amor, garra e determinação. Muitos beijos para vc e para a Flávia.....

    ResponderExcluir
  68. Cara Odele, estou em prantos após ler a reportagem de Época.
    Também sou mãe e sei que o amor nos dá forças inimagináveis quando se trata de cuidar de nossos filhos...
    Uma vez li uma frase, não me lembro bem onde, mas que me marcou muito, e diz mais ou menos isso: se Deus te mandou um filho especial para cuidar, era porque ele precisava de uma mãe especial; não poderia ser qualquer uma.
    Querida Odele, tenha certeza de que tens anjos ao teu redor te ajudando a cuidar de sua filha. Tenha certeza de que ela sabe de teu amor. Ela sabe. Deus também sabe. Acredite que realmente é ela que vem te agradecer em seus sonhos por tanto carinho, zelo e dedicação.
    Tu és iluminada. Teu nome não é Odele, é Amor.
    Que Deus te abençoe ainda mais e te dê forças para atravessar essa estrada, te guiando sempre.
    É difícil para nós entendermos Seus desígnios, mas Ele sabe o que faz. Confia e segue.
    Com o amor de quem nem te conhece, mas te admira profundamente...

    ResponderExcluir
  69. Li a matéria. As conheci. Prazer em conhecê-las.
    Sei, ainda que com uma sensação impotente, não poder ajudá-las, mas se você souber, ainda que seja algo muito simples, como fazê-lo, diga-me e eu farei!
    Chorei, chorei pelas palavras apertarem meu coração e por notar que sua filha tem a idade de minha irmã e tvz, se fosse com ela, não sei que vida eu fosse levar.
    Te adimiro. Adimiro sua força e perseverança. Sua coragem. Sua esperança.
    Sei que nesse momento sou só mais uma, mais uma leitora, mais uma sensibilizada, mais uma que chora, mais uma que te adimira, mas espero em pouco, ser uma a mais que faz parte de um conforto em sua vida.
    Beijos pra você e pra Flavinha..

    . Rafaella

    ResponderExcluir
  70. Oi Odele. Meu nome é Bruna, tenho 24 e sou mãe de um meninão de 5 anos...(quase quase 6). Fui mãe muito cedo, engravidei aos 17 e o Pedro nasceu qndo eu tinha 18 anos. Não casei com o pai do meu filho e morava com os meus pais até setembro desse ano, quando casei com o homem da minha vida. Estou te dizendo isso porque eu sei o que é um filho para uma mãe. Eu poderia escrever milhares de coisas aqui, te dizer o quanto sinto muito, etc. Mas não vou fazer nada disso, sabe pq?! Porque desde o momento que abri a caixa de comentários falei para mim mesma que iria somente agradecer a senhora. A história de amor que li aqui me fez abrir os olhos e enxergar o que de fato importa: a vida. A gente de um modo geral...não dá valor às coisas que deveríamos dar. A vida passa e pouca gente consegue de fato...viver.

    Graças à história de vocês, vou amar mais meu filho, meu marido, minha família. Eu espero ser pro meu filho o que a senhora é com certeza para a Flávia: incondicionalmente, mãe.

    Um beijo muito carinhoso,

    Bru.

    ResponderExcluir
  71. Boa tarde amiga!
    Que lindo seu amor por sua filhinha!
    Eu fui prufundamente tocada por sua postagem.
    Eu tambem tive uma esperiencia com uma irmã em como por 1 mes e 14 dias.
    Foi muito triste,mas nunca vou poder comparar com sua esperiencia em estar passando por anos com sua filha.
    Minha adimiração por voce foi enorme em saber que esta tendo sua filha a seu lado e ter todo este amor por alguem que esta clinicamente fora deste mundo. Mas eu tenho certesa que ela te sente e e te ama da mesma forma em que voce ha ama. Ela pode te ouvir sim, pode te sentir, e tem mais ela sabe doque esta ocorrendo ao redor de sua vida objeta.Continue cuidando dando amor e tudo em algum dia voce vai ter a recompensa, voces ainda vão dar muitas risadas juntas tenha certesa disso querida Odele.
    Bjs de sua mais nova amiga.. Leninha Andrade.

    ResponderExcluir
  72. Olá Odele,

    Li a materia sobre vcs na internet e me lembrei de um caso em que o pai acordou a filha do coma fazendo perguntas sobre um assunto que a filha gostava.

    http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2009/11/091103_meninacomaml.shtml

    Se o link acima não funcionar, procure no google por: pai acorda filha coma matemática

    Eu também acredito que a pessoa possa ser estimulada dessa forma e consiga voltar a ser consciente. Desejo muito muito muito que sua filha volte ao normal.

    Parabéns por sua luta!

    ResponderExcluir
  73. Olá, acabei de ler a reportagem inteira na revista Época e resolvi vir até aqui manifestar minha admiração por você. Que amor mais lindo! Que me emocionou ao ponto de não conseguir terminar a leitura sem estar os olhos marejados. Queria também dizer que Deus sabe o que faz, que nada é por acaso, que ele não está punindo você com essa situação. Nós nem sempre descobrimos o propósito Dele, mas acredite, sempre há um. Agradeça sempre a saúde que Ele dá à você todos os dias, para que possas exercer seu mais lindo papel. Agradeça a vida dela, por ela ainda estar aqui, mesmo que não esteja rindo ou correndo pela casa. Tenho certeza que ela sente e agradece cada prova de carinho diário. Por mais difícil que seja, agradeça. O poder da gratidão é muito maior do que imaginamos. Toda sorte do mundo pra você. Beijos pra vc e pra Flavia!

    ResponderExcluir
  74. Que Deus abençoe vocês.

    ResponderExcluir
  75. Olá Odele e Flávia!

    Meu nome é Aline, tenho 26 anos e moro na cidade de Sobra, interior do Ceará.

    Odele sua história é triste,mas realmente não tenho como lhe achar uma "coitadinha", você é sim uma fortaleza de amor. Estarei agora lhe seguindo pelo blog, espero dividir-mos os nossos momentos dolorosos e alegres.Você está sendo pra mim um exemplo de mãe e a Flávia de filha, pois esse tempo todo esteve da maneira dela lhe fazendo companhia e lha afagando com o calor do corpo.

    Beijos nas duas!

    Aline Frota

    ResponderExcluir
  76. Odele,
    É impressionante como passamos a admirar e sentir um enorme carinho por alguém que acabamos de "conhecer"... Li sobre vc e Flávia agora na Globo.com e, emocionada, parei pra pensar em tudo o que vc diz, sobre o amor de mãe, suas reflexões e sua dor... Muita coisa já devem ter lhe dito e ainda vão dizer, e não tenho a pretensão de trazer nenhuma grande novidade, mas sinto que na minha fé, há uma razão para tudo isso, mesmo que não conheçamos no momento. Sempre que tudo parecer sem sentido, acredite que Deus está no controle, e que nada acontece sem que haja um aprendizado e um crescimento. Comigo aconteceu algo também traumático: minha mãe faleceu num acidente de carro em que eu dirigia e por muito tempo me culpei por não ter visto o outro carro, por não ter tido mais atenção, por não ter ido no lugar dela... mas de uma coisa hoje tenho certeza: ela vive. E em outra dimensão nos encontraremos.
    Flávia pode até não sentir fisicamente todos os seus cuidados, mas enquanto espírito imortal ela vê, ouve, sente tudo e ama vc cada vez mais! Tenha a certeza de que vcs estiveram e estarão sempre juntas nesta e em outras vidas e ainda terão todo o tempo do mundo para entender o porquê de tudo isso.
    Com amor,
    Simone

    ResponderExcluir
  77. Odele, realmente sua historia é muito impressionante. Toca o coração de qualquer ser humano com o minimo de sentimento.

    Sua luta é mais impressionante ainda, realmente voce usar essa historia para conscientizar para que outras historias semelhantes nao ocorram é prova mais que suficiente da grande pessoa que vc é.

    Muitas vibrações Positivas, muita paz, e muito amor pra vc.

    ResponderExcluir
  78. olá!!uma historia simplesmente emocionante e que nos ensina muitas liçoes de vida,,entre elas,o amor que vc tem por sua filha nesse estado!!
    è Odete,,fica aqui meu apoio,,e carinho pela super mae que vce é!!
    Um beijo e um abraço no teu coraçao e de sua filha1!
    Cleber!!sempre virei aqui,,sempre!!

    ResponderExcluir
  79. Olá Odele,
    Li a materia na revista epoca e vieram-me as lagrimas aos olhos.. foi como se consequisse sentir essa dor na pele. Lamento tanto, todo esse sofrimento, mas sei que a fé e a preseverança nunca a abandonará e um dia ouvirá de novo a voz da princesa flavia.
    Beijinhos com um grande abraço, daqui da Escócia, pela admiração que sinto do seu grandioso amor de Mãe.
    Ana

    ResponderExcluir
  80. bem estou postando uma materia que achei interresante e que gostaria que vc lê-se http://www.terra.com.br/istoe/1939/medicina/1939_volta_vida.htm

    ResponderExcluir
  81. Oi Odele,
    Me chamo jane, sou da bahia, não conhecia a historia da Flávia...acabei de ler a entrevista na revista, e é inevitável não se emocionar com sua luta, sua garra, desejo-te muita saúde, vida longa, para que vc possa continuar cuidando de sua filha querida, da uma super beijo nela por mim...se quiser me conhecer melhor tenho orkut, digite jane e charles cidade(salvador)
    bjsssssss

    ResponderExcluir
  82. Odele, esqueci de escrever q moro na Suíça.
    Eu coloquei duas passagens bíblicas p vc ler acima, em anônimo.
    Um forte abraço.

    ResponderExcluir
  83. Odele, vc é a natureza pura, que engloba o ar, a água, o fogo e a terra, sem esquecer o incompreensível que é a grande dúvida de todos nós humanos: qual a razão de viver?
    Consigo sentir suas emoções à flor de minha pele, não pq eu tenha passado algo parecido, simplesmente porque sou uma grande observadora social e emocional. Não sei como te dizer, mas, o que vc vive ao lado de sua filha, também passa pela minha curta e breve vida.
    Não precisa carregar toda essa dor sozinha. Estamos aqui Odele. Apenas em moradas mas, nas mesmas condições, diferentes,no equilíbrio entre o céu e a terra.
    Um forte abraço de uma irmã que se alegra pelas pessoas e tb se entristesse por elas.

    ResponderExcluir
  84. Oi Odele

    Nossa que história heim minha amiga ? Realmente é uma luta diária né e ainda por cima tendo que aguentar tanta injustiça, como pode isso ? Onde vamos parar com tudo isso né ?
    Odele sem dúvidas vc é uma criatura de luz, é admirável a forma com que vc cuida da Flávia e pode ter certeza que ela é muito grata por tudo isso, há quem diga que ela nao sente nada mas vc que é mãe e que esta com ela sempre sabe dos sentimentos dela. É uma história de luta que poucas pessoas tem peito pra encarar, não sei de onde vc tira tantas forças, acho que é desse amor de mãe mesmo, só uma mãe em seu maior amor pra fazer tudo isso, minha admiração por vc cresce a cada estrofe lida ... Continue assim que tenho certeza que vc sabe que tudo isso nao é em vão.
    Grande abraço pra vc e minha admiração por essa força.
    Philipe Amaral !!!

    ResponderExcluir
  85. Olá Odele, não conhecia a história da Flávia, até ler hj no site da globo. A sua força, determinação e amor me impressionaram muito, que bom que a Flávia tem vc como mãe e pode receber todos os dias esse carinho imenso que vc dedica a ela, tenho certeza que ela pode te ouvir, ver e sentir todo o seu amor. Muita força na sua luta diária e por favor dê um beijinho na Flávia por mim.
    Denise

    ResponderExcluir
  86. Olá, Odele. Após ler a reportagem da Revista Época, passei algumas horas lendo o seu blog. Se por um lado estou extremamente triste e comovida pelo acidente e a situação da Flávia, por outro fico feliz e igualmente comovida por sentir seu amor incondicional, sua força e sua garra em toda essa história. Imagino que o caminho mais fácil seria praticar a eutanásia, mas acredito em Deus e nos propósitos dEle. Acredito que não temos o direito de tirar a vida de ninguém e que, se fosse pra ela morrer, ela não teria sobrevivido ao acidente. Por isso admiro a sua força e o seu amor!

    Sei que não há palavras que eu possa dizer para diminuir a sua dor. Sei que não posso nem imaginar a intensidade da sua dor e todo o sofrimento pelo qual você e a Flávia passaram e ainda passam. Mas acredito que você está fazendo a coisa certa! Não só em cuidar da sua filha com tanto amor e dedicação, mas por lutar pelos direitos de vocês e por tentar a todo custo alertar o máximo de pessoas possível para que acidentes como o da Flávia não ocorram mais. Posso lhe dizer que hoje você alcançou mais uma pessoa, pois eu nunca havia ouvido a respeito dos perigos do ralo da piscina. E eu cresci nadando em piscinas de clubes, e sempre gostei de nadar próximo ao fundo, logo posso ter corrido perigo inúmeras vezes sem ter a mínima idéia disso. Por isso vou ajudá-la na luta para alertar mais pessoas! Comentarei sobre isso com todos os meus amigos, divulgarei por e-mails e de todas as formas que eu puder!!!

    Que Deus continue lhe abençoando, Odele! Que Ele renove suas forças a cada dia! E que essa esperança que você sente, mesmo que diminua a cada dia, nunca morra! Eu não sei se a Flávia algum dia irá acordar, mas orarei muito para que isso aconteça! Também não posso afirmar que ela lhe escuta e que entende tudo o que você faz por ela, mas eu realmente acredito que sim! Acredito que nada do que você faz é em vão! Continue nessa árdua batalha, acreditando que vale a pena e que a Flávia tem uma vida melhor porque recebe e sente todo o seu amor e o seu cuidado!

    Que Deus esteja todos os dias com vocês!

    Um forte abraço, cheio de carinho e força pra você! E dê um beijo em Flávia por mim! A partir de hoje, vocês estarão em meus pensamentos e minhas orações.

    ResponderExcluir
  87. Cara Odele, sinto ter ficado distante dessa sua batalha de quase doze anos, mas ao ler hoje a reportagem na Revista Época reavivei na memória todo o seu drama do início de 1998. Constatei a quantidade de absurdos durante a sua luta e percebo o seu desdobramento ao buscar justiça e, ao mesmo tempo, manter sua filha Flavia saudável (dentro de todas as possibilidades disponíveis nesse caso específico) e levar as suas vidas com dignidade. Lágrimas não me faltaram ao longo de toda leitura, e como mãe sinto que sua força é especial. Não se iluda com o tempo e as dificuldades para negar que você pode mais por ser mãe, a mãe da Flavia. Você fez, faz e fará sempre a diferença. Fique com a minha admiração, com o meu respeito e com minha solidariedade. Que Deus continue lhe abençoando. Beijos para essa dupla imbatível!!

    ResponderExcluir
  88. Boa tarde!
    Nossa estou paralisada com tanta demonstração de amor!
    Posto p/ agradecer!
    Pq a vida da flávia mudou meus pensamentos a respeito de amar. E vc Odele, me constrange segundo apos segundo, pq sua dor se transformou em amor incondicional.. foi o que eu recebi ao ler a materia.
    Obrigada!
    E ja oro agradecendo por vc como pessoa querida que é em minha vida. Obrigada! Espero que um dia eu lhe conheça pessoalmente!

    ResponderExcluir
  89. Sra. Odele,
    Fiquei muito emocionado com a matéria da Época e, através dela, descobri seu blog. Nada posso fazer de concreto, exceto lhe enviar palavras de admiração, respeito e esperança de que um dia sua vida e, sobretudo a de Flávia, sejam melhores. A vida lhe tem sido muito dura e injusta, mas um dia ela será mais leve.
    Um abraço com o axé daqui da Bahia.
    Sérgio

    ResponderExcluir
  90. Olá Odele e Flávia! Não sei, mas sinto que a relação de vocês se firma no seguinte verso:

    "A luz que acende o olhar
    Vem pelos cantos da imaginação,
    Vem por caminhos que eu nunca passei
    Como se a vida soubesse de sonhos que eu nunca sonhei."

    Odele, admiro sua bravura... Não tenho palavras de consolo ou mesmo gestos de carinho pra lhe encorajar na estrada da vida com sua filha, mas prometo que estarei presente nessa página de emoções e sempre que puder lerei os novos posts do seu blog! Estou contigo, mulher!!!!

    ResponderExcluir
  91. Luiza Albuquerque22 novembro, 2009

    Oi Odele, acabo de ler a reportagem na revista Época e fiquei emocionada com tanta força e garra. Você é um guerreira, com certeza a Flavia está vendo e sentindo o amor que é dado a ela todos os diasdesde o seu nascimento! Não desanime, estão todos do seu lado!! Um grande abraço daquela que você naoconhece mas ja te admira.

    ResponderExcluir
  92. Parabéns a jornalista que escreveu o texto, muito bem escrito. Querida Odele, vc é um exemplo de amor, de ser humano, de mae, enfim, o seu jeito de ser alcanca milhares de pessoas pelo blog e agora ainda mais por esta reportagem. Vc é uma pessoa especial e estamos aprendendo com vc. me sinto um lixo por nao ter as vezes paciência com meu filho de 3 anos e acho que no seu lugar nao aguentaria, acho nao, tenho certeza, pq eu sou fraca e pequena, nao chego nem aos seus pés. Querida Flávia, você é um anjo que está cumprindo sua missao na terra, cumpriu enquanto estava acordada e agora no estado de coma. Você teve o privilegio de nascer de uma mae maravilhosa e que te ama incondicionalmente. o sonho da sua mami vai se cumprir um dia, e vocês duas vao voar de maos dadas e ficar para sempre juntas, a ligacao de voces é muito forte, vem de outras vidas e nao terminará nessa. fica bem querida!
    beijos desde Alemanha

    ResponderExcluir
  93. Li a matéria na revista Época!
    fIQUEI MUITO EMOCIONADA...parecia q. eu estava lendo um livro, ou assistindo um filme,mas é real!
    O amor de uma mãe, realmente, surpeende!
    Bijos p/ Flávia e para Odele!

    ResponderExcluir
  94. Odele! li a reportegem na revista e me tocou bastante. Quando tinha 15 anos meu cabelo tbm ficou preso no sugador da piscina de minha casa, mas por sorte meu irmao (4 anos mais velho), conseguiu me tirar a tempo! Enquanto ele tentava me tirar subia a superficie para gritar meus pais, que achavam q era apenas brincadeira . Fiquei mais de 3 minutos embaixo da agua, mas como ja era nadadora consegui subir a superficie ainda conciente.

    Espero q um dia Flavia desperte, e possa retribuir todo o amor que voce da ela!

    Obrigada por aletar as pessoas sobre os riscos da piscinas!

    ResponderExcluir
  95. Li tudo. Vi a chamada pelo site do globo.com. Já conhecia sua história pois minha filha mais nova acompanha seu blog. E por causa dele ela tem o maior cuidado quando entra em piscinas. Semana passada estávamos passeando e elas (tenho duas adolescentes) entraram na piscina do hotel. Fico apreensiva. Elas sempre lembram de suaforça e história. Parabéns pelo amor incondicional. Mãe que é mãe comporta-se como você. FORÇA!

    ResponderExcluir
  96. Thiago Diniz Gonçalves Coelho22 novembro, 2009

    Odele, sou médico brasileiro mas radicado em Portugal (já há um ano). Sou também nordestino e morava (e trabalhava) em São Paulo, inclusive na AACD, onde vi centenas de crianças em coma vigil. Li a reportagem da Época e me impressionou enormemente tuas frases, teus relatos. Sempre fui um fervoroso defensor dos cuidados com as "pessoas" que estavam lá internadas, não com os "pacientes". Sempre insisti que cuidamos de pessoas que tinham vidas semelhantes às nossas, sempre fiz questão de lembrar que as pessoas, como nós, têm mãe, pai, irmãos, irmãs, filhos, filhas. São pessoas como nós, e que, como técnicos, esquecemos desse lado "humano" da medicina. Nos preocupamos com o "pulmão", "rins", "cérebro". Devíamos preocupar-nos com a pessoa que ESTÁ doente. Emocionei-me bastante com seus relatos e queria que todo profissional de saúde tivesse lido essa reportagem, para entender que tratamos de vidas (no real sentido da palavra), não de corpos.

    ResponderExcluir
  97. Odele, tua história, é a de nordestina valente. Mulher guerreira, de fibra!
    Parabéns ao Redator chefe da revista Época, à reporter Eliane Brum e ao fotógrafo Marcelo Min.
    Estou divulgando a matéria nos blogs, e irei comprar mais de um exemplar, para que outros tantos pais, conheçam esta luta, sem fim!
    Meu grandioso abraço.
    Eliana.
    Mogi Guaçu/SP.
    mariaortizdamiao@superig.com.br

    ResponderExcluir
  98. odele,minha querida li sua reportagem,e fiquei extremamente comovida por toda sua coragem e amor tao docemente dedicado a sua amada flavia,e triste por viver em país em que o descaso com o proximo e´cada vez mais lastimável,vc é um verdadeiro exemplo de mãe e sua linda filha um anjo.passei algumas horas lendo sseu blog e o acompanharei sempre,lhe desejo cada vez mais força em seu coraçaõ e eu sepre acredito que ainda existe lúz no fim do tu´nel,pois nada é impossivel para Deus,um beijo e um abraço carinhoso pra vc e pra flavia.

    ResponderExcluir
  99. Prezada Odele,

    acabo de ler a matéria na revista Época e escrevo para me solidarizar com a senhora. Espero que um dia a senhora tenha a alegria de ver sua filha despertar.
    Mas já que a senhora arranja forças para escrever este blog e mantê-lo atualizado, já pensou em escrever um texto para teatro em que a senhora não apenas compartilhasse com o público a dor de uma mãe como também denunciasse o cinismo de uma empresa e de um condomínio que quiseram lavar as mãos e levá-la aos tribunais como responsável pelo acidente com sua filha?
    Acho que uma peça assim teria um grande público e custaria pouco para produzi-la, com apenas dois cenários, o quarto de sua filha e o tribunal.
    Muita gente aprenderia sobre como a Justiça pode ser burra, como as empresas podem ser cínicas e como o amor pode mover quase todas as montanhas.
    Meus melhores sentimentos para a senhora e para a Flávia.

    Edson Amaro

    ResponderExcluir
  100. Marcela Estival22 novembro, 2009

    Olá Odele!
    Eu já havia lido - e visto o vídeo - da história de vida e do coma vigil de sua filha. Mas hj, ao ler a reportagem da revista, sua trajetória me tocou de maneira diferente. Sou formada em medicina há 4 anos, ainda sem especialidade, e perdida em meio a tantas opções. Mas hj tive uma certeza: me dedicarei aos pacientes críticos - como o caso de sua filha - e a aprender a cuidar deles e a amá-los como vc ama sua filha querida! Parabéns pela luta...

    ResponderExcluir
  101. Odele,sou fisioterapeuta e agora estudante de Psicologia.Me emocionei muito com o seu relato e estou divulgando para amigos.Esses perigos precisam ser conhecidos,acredito que a editora globo tenha contato com a emissora,seria de suma importância que vc conseguisse um espaço ma mídia,a globo é um gde veículo de massa,seja no Jô Soares, na ana Maria Braga, é praticamente uma prestação de serviços oq vc está fazendo, ñ só um desabafo.Só quem vive o teu drama sabe o peso que tem,mas me alegro em saber q vc reage,luta, sai, lê,não se entrega.Chore sim,mas viva!Vc com certeza faz tudo oq pode para que sua filha tenha todo o amor e conforto possível dentro das condições dela,nunca, em momento nenhum cogite culpa ou fixe em idealizações do passado.Nada vc poderia fazer contra essa fatalidade,os verdadeiros culpados que merecessem castigos.Eu acredito que a Flávia te escuta e sabe que vc não desistiu dela e é grata por isso.Siga forte como é,ignore opiniões alheias,o outro sempre tem a cura para os nossos males,mas ao meu ver, vc optou pelo melhor caminho:A sua própria verdade.Fale sempre com ela e desfrute de sua presença,ainda que silenciosa,tenho certeza q,apesar da dor,tudo oq tem feito por ela e por outras pessoas,te torna uma pessoa de consciência limpa,coisa q os verdadeiros culpados nunca terão.Ñ esqueça de cuidar tb de vc.Beijos para duas!

    ResponderExcluir
  102. Hey Odele,li a reportagem
    e ate dificil encontrar palavras para dizer alguma coisa diante dessa superacao diaria.
    Voce e um grande exemplo de amor e de mae
    Nao acredites em milegres mas nunca deixe de ACREDITAR.
    Um beijo pra ti
    E mande um beijo a flavia por mim.

    ResponderExcluir
  103. Parabéns à reporter Eliane Brum e ao fotógrafo Marcelo Min pela bela matéria. E a você, Odele, mulher de fibra e garra, a minha força. Fernanda.

    ResponderExcluir
  104. Odele, publiquei link do artigo da Revista Época no http://www.jornalistas.blog.br. Se pudermos fazer algo para colaborar na tua luta, coloco o blog à sua disposição. Desejo sucesso!

    ResponderExcluir
  105. Olá Odele. Eu sou do Rio de Janeiro e acabei lendo a ÉPOCA desta semana e me deparei com a sua história com a Flavia. Ver a força que você está tendo para continuar dando vida para sua filha é comovente e de uma garra sem tamanho. Vejo que o mundo precisa de pessoas assim como você, com um amor incrível a ser doado mesmo sendo inconscientemente. Eu, acredito muito, que a sua filha te entende muito bem (mesmo não demonstrando como você gostaria), mas lá no fundo ela está sim. Tanto que você diz que ela sorri as vezes. Queria te parabenizar, mesmo com o seu sofrimento, pela garra e por ser esta mãe que doa o que puder para sua filha e mesmo com tantas pessoas dizendo que voce é egoista e tantas outras coisas por não querer "acreditar" que outras podem fazer o que você acreditou um dia que elas pudessem fazer e nao adiantou..você continua firme de que este é o melhor pra ela e que mais ainda, o melhor é que ela precisa de você. Te desejo muita força nessa caminhada da Flavia, admiro muito a sua pessoa mesmo não a conhecendo e torço para que a Flavia melhore de verdade para alegrar ainda mais a sua vida!

    Beijos e abraços,
    Beatriz

    ResponderExcluir
  106. Sou assinante da "Época" e a única matéria que li hoje foi essa triste e ao mesmo tempo linda história.
    Odele dá um exemplo de amor maternal.
    Sempre acho que Deus pode dar um jeito em qualquer problema.
    Que Ele dê forças a Odele para nos mostrar o que um real amor.
    Parabéns, Odele, e continue nos dando essa verdadeira lição de vida.
    Um grande beijo em Flávia.

    ResponderExcluir
  107. OLa acabo de receber a revista em casa hj e li sua materia estou ate agora arrepiada com sua força com seu amor Parabens...
    EU tenho 3 filhos todos ainda bebes que dizer uma menian de 8 anos outro menino de 5 uma bb de 2 que adoram viver na piscina isso que vc esta fazendo eh um lindo trabalho de mostrar ah todos o risco que uam piscina tem nao so com afogamento no qual nos tememos amis para outros perigo ,parabenssssssss
    que seus historia ainda acabe num belo livro e com um fim muito Feliz tenho certeza e fe que sua linda flavia ainda voltara a cantar tocar e ser a menian feliz que vc falou .
    Deus te abencoe e te ilimine muito pra vc continuar com este amor e carinho a sua filha bjosssss...
    meu nome e marcia sugano assim vc pode me char no orkut bjossssssssss.
    marciasugano@hotmail.com

    ResponderExcluir
  108. Odele,
    sou sempre tímida e nunca comento em blogs, mas vi a reportagem na revista Época e senti que eu tinha que escrever algo em seu blog.
    Sua força é incrível. Gostaria de saber escolher palavas melhores para expressar o que eu sinto agora, e gostaria de fazer tanto por vocês. Espero que a luta não seja em vão!
    Um abraço forte em você e sua Flavia! :)
    Luísa

    ResponderExcluir
  109. Boa noite Odele!!
    Acabei de ler a reportagem na epoca com sua filha, adorei a reportagem, fique emocionada, logo corri pra ler tudo o que voce escrevi no dia-a-dia de Flavia no seu blog, Mulher Guerreira, sempre confie em Deus ele proteje, ele ajuda! Parabéns, flavia é tao linda e bem cuidada, cabelos maravilhosos! bjus pra vc, FIQUE COM DEUS!

    ResponderExcluir
  110. Olá Odele!
    Li sua história de vida através do site da Globo. Fiquei muito impressionada com tudo que li e te acho uma guerreira abençoada!!
    Temos que nos apegar não em religiões ou em homens como nós, mas sim em Jesus que é o nosso salvador e nos ama. Pessoas declararam pra vc que iria acontecer o milagre, mas só Deus sabe a hora certa; e não tenha dúvidas do seu poder, tenha FÉ. Se apegue mais a Ele, leia a sua palavra (Biblia), Ele fala conosco, basta querermos ouvir. Lá eu tenho certeza que vc encontrará respostas para suas perguntas.
    Que Deus abençoe vc e a Flávia e as fortaleça cada dia mais.

    ResponderExcluir
  111. Olá, Odele. Meu nome é Roberta, moro em Natal/RN, e só hoje fiquei sabendo do caso da sua filha, através da globo.com. Sua história me impressionou bastante e não posso deixar de lhe parabenizar pela Mãe que você é. Mãe com M maiúsculo mesmo. Pelo pouco que li até agora, concordo com sua posição, sua indignação perante o descaso da justiça brasileira. Bem, mas quanto a isso, não vou repetir um assunto do qual você já abordou tão bem. Resolvi escrever esse comentário por ter me lembrado que, até hoje, tinha tido conhecimento apenas de um caso semelhante, ocorrido aqui em Natal, no ano de 2006. Marília, de uma conhecida família natalense, também tinha 10 anos e veio a falecer em decorrência do acidente, ocorrido na piscina da casa de praia de sua família. Vou colocar alguns links para que você possa identificar o caso: http://tribunadonorte.com.br/noticia.php?id=30595

    http://www.vibeflog.com/biiafernandes/p/20692754

    neste último tem uma foto de Marília.
    Como não vi você mencionar esse caso, espero de alguma forma ter te ajudado.
    Que Deus abençõe você e Flávia.
    Roberta

    ResponderExcluir
  112. Olá Odele. Não há como não ficar sensibilizado ao ler a reportagem e o blog. Parabéns pela sua coragem e garra. Não sou um fanático religioso, mas acredito que o mesmo Deus que ressucitou Lázaro e fez cegos enchergarem é o mesmo hoje e sempre. Devo te confessar que já visitei casa de pessoas em coma a muitos anos. Já orei por essas pessoas, e elas não acordaram. Mas isso não significa que este Jesus poderoso não exista ainda hoje. Saiba que nEle vc pode acreditar(não em pessoas).Creia q ele é Onisciente e sabe de todas as coisas.

    ResponderExcluir
  113. Linda história de amor de uma mãe para com sua filha.

    Nenhum ser humano há de preferir a morte á vida.
    CERTAMENTE VIVER, MESMO QUE EM COMA, AO LADO DA MÃE, É MOTIVO MAIS QUE SUFICIENTE PARA A PRESERVAÇÃO DA VIDA HUMANA.

    Há casos de pessoas que eram consideradas em estado de coma irreversível, mas que, após muitos anos neste estado, recobraram a consciência.
    Há de se acreditar que, um dia, Flávia voltará a falar o nome "mãe", a sorrir e, então, corresponder ao carinho daqueles que tanto a ajudaram durante estes 11 anos.

    Parabéns pelo instinto materno apurado, "mãe" Odele!
    Parabéns por privilegiar a vida! A vida se sua filha!

    ResponderExcluir
  114. Ola Odele..fiquei muito emocionada com a sua historia..queria muito poder ajuda-la e sei muito bem como eh dificil viver sem alguem querido. O amor entre mae e filha eh incrivelmente forte..e hoje tenho provas disso. Hoje estou morando nos Estados unidos, e sei como eh dificil estar sem meus pais, e sei como eh dificil para eles estarem sem mim. Sei que a situacao eh completamente diferente, mas acredito ter uma idea do seu sofrimento. Saiba que concordo plenamente com tudo o que tem feito, o melhor eh cuidar da sua filha da melhor forma possivel. Admiro demais a sua coragem, a sua forca, e a sua determinacao..espero que tudo fique bem. Boa sorte! Estarei torcendo por voces duas, voces merecem! Deus abencoe voces, com muito amor, da sua admiradora, Gabriela (conhecida cmo foguinho pelos meus amigos.)

    ResponderExcluir
  115. Ola Odele, nossa, nao tinha visto essa reportagem, ese acidente aconteceu no mesmo ano em que perdi meu pai em fevereiro de 1998. eu tinha 12 anos.Hoje sou mae, minha filha tem apenas 4 anos, mas como mae imagino o que tens passado. Nesses momentos de angustia e dor nao há palavras expressadas que te traram o consolo que você possa estar procurando, eh muito dificil viver mais de 10 anos olhando para uma pessoa sem saber se ela esta percebendo tanto amor e carinho dedicado somente pra ela, uma atenção sem explicações, muitos podem dizer, eu imagino o que esta passsando, mas so vivendo é que podemos entender a situação.Tive percas de pessoas que amo e sempre amarei, sem poder dizer adeus, pois estou longe da minha familia, do outro lado do mundo e é muito dificil saber nw poder mais ver aquela pessoa, mas eu te digo,ainda tem sua filha diante de voce, eh dificil aceitar essa situação, mas Deus eh aquele que te sustentara, eh aquele que em momentos como esse, de tristeza, angustia, dor, um dia te dara paz, alegria, consolo, tenha fé em Deus, tudo podemos naquele que nos fortalece.Ele eh o nosso guia, o que ele da ninguem tira e o que ele tira ninguem pode dar, que seja feita a vontade de Deus na vida da Flavia, ela era uma criança, inocente, sem malicias, perfeita aos olhos do pai. Creio que o dia em que o Senhor vier, ela subira com ele para habitar junto no reino do ceus, essa certeza viva em meu coração, enquanto ouver inocencia em uma criança Deus guardara ate o findar a nossa jornada nessa terra. Odele, nw sei se foram palavras ditas em momentos errados, perdoa a minha falta de entendimento nesse quadro tao delicado, mas como mãe eu so tenho a te dizer, fé, paciencia, o Senhor move montanhas ele esta olhando por voce, nada o que passamos é em vão.Que Deus te abençoe e te ilumine, desejo muita força a voce e se possivel, muitas felicidades tambem.

    ResponderExcluir
  116. Ola Odele, quantos comentarios e posts hoje nao é?gostaria mas é impossivel nao repeti-los.admiracao profunda por vc.e certeza absoluta de que nada é em vao,flavia sente o que vc faz por ela. Deus abencoe e estara em minhas oracoes. abraco forte r fique com Deus.

    ResponderExcluir
  117. Você escolheu o caminho mais longo e árduo para percorrer e se mostra incansável, parece que adquiriu uma armadura de aço. Não cruzou os braços, não entregou a Deus, não aceitou, não se acomodou. Preferiu lutar até o fim, e ele nunca chega. Convive diariamente com o maior medo: o de ir embora antes da filha, pois sabe que não existe no mundo outra pessoa para substituí-la nessa jornada.
    A cada sofrimento que a vida impõe, procuro pensar que
    "não há mal que dure para sempre, nem felicidade que seja eterna".
    Você pode não ter o retorno em palavras, em abraço, em cheiro, em beijo da sua filha(a ausência física é realmente torturante), mas se há algo superior ao que podemos enxergar, tocar, sentir, cheirar, e deve existir, você estará a inúmeros outros planos superiores ao da existência de todos nós.

    ResponderExcluir
  118. Odele, mais um comentário : que cabelos lindos a flavia tem...sim, ela deve estar muito feliz porque vc os deixa tao bem cuidados... mais um dos seus lindos gestos. um beijo.

    ResponderExcluir
  119. Odele,
    Conheci hoje a história da Flavia. Li todo seu blog, chorei, olhei minha filha dormindo e me coloquei em seu lugar. Tentei, ao menos, porque me parece impossível dimensionar sua dor.
    Da mesma forma, são imensuráveis sua coragem e seu amor pela Flávia. Os cuidados que tem com ela, sua luta diária, os desafios cotidianos.
    Sua história é um exemplo de amor, coragem e luta. Desejo profundamente que as surpresas e avanços da medicina possam um dia trazer uma nova esperança à Flavia.
    Força, Coragem e Esperança!
    um beijo,

    Fabiana.

    ResponderExcluir
  120. Odele,
    é a primeira vez que te escrevo, com certeza não será a ultima!
    tenho uqase a idade da flavia, tenho 24 anos!
    li na epoca toda a historia de voces e posso dizer do fundo do meu coração que é a historia de amor mais linda que já li!
    sinto muito por dias de perda mas saiba que acredito fielmente que sua batalha é valida e que sua voz é ouvida!
    sei que as palavras de uma jovem adulta que vc nem conheçe podem parecer vazias, mas sei que falvia sente e ve vc. só não descobriu ainda como demonstrar! sua filha esta imersa em sua propria mente mas como vc mesma afirmou o kaço entre mãe e filho é inexplicavel e sei que de alguma forma o de vcs é mais forte.
    medicos afirmam que as reações de sua filha são invlountarias, mas n essas são a pequenas respostas ao seu amor, te admiro por ignorar fanaticos que defendem eutanasia e que impõe milagres, esteja sua fé abalada ou não. o seu milagre particular é conseguir reagir quando esta dor tenta te sufocar, vc é uma grande mulher e acredito que nesta cama reside um anjo.
    sua luta será recompensada!
    uma forte abraço Rebecca Prado
    (beccaprado@gmail.com)

    ResponderExcluir
  121. oi odele e flavia,acabei d e chegar da igreja,e comecei a mexer no pc,e vi saudades de sua voz,e comecei a ler suas historias,fiquei comovida com tanta dedicacao de uma mae que a ama sua,e saiba que apartir de agora estarei orando pela sua e por vc,e que DEUS continua te dando forcas,e que sua filha viva sim,DEUS e um DEUS d e promessas e na hora certa ele vai te da sua vitoria,pq eu creio nas promessas de DEUS de abrara isaque e jaco,ele vai trazer sua filha,p que ela possa te abracar e falar com vc novamente,mas no mundo dela,ela esta feliz pq ve vc sempre ao lado dela,parabens vcs sao umas vencedoras,que DEUS abencoe sempre vcs.xau flavia e odele,vcs sao umas meninas ao olhos do pai,fica com DEUS

    ResponderExcluir
  122. Odele,
    Não conhecia a história de vida sua e da Flávia e nem tampouco sabia dos perigos existentes numa piscina.
    Bom que você é uma pessoa forte o suficiente para fazer com que essas informações sejam passadas adiante.
    Tenho um filho de 2 anos e meio e não sei o que seria de mim se algo acontecesse com ele.
    Acho muito bonito você cuidar da sua filha, arrumá-la, ler para ela! Quando minha avó, que sofria de alzheimer, estava em estado vegetativo me diziam: "ela não percebe o que está acontecendo ao seu redor". Isso nunca me impossibilitou de sentar ao seu lado, conversar e fazer carinho nela. E eu sentia que ela apertava a minha mão quando eu estava do seu lado. Diziam que não. Mas eu sentia e sabia que ela sentia.
    É impossível conceber o que se passa quando uma pessoa esta em coma, mas não devemos nunca deixar de estar ali com ela, demonstrando todo o carinho que a gente puder.
    Parabéns por você estar ali sendo a melhor mãe do mundo para a Flávia!

    Iole Godinho

    ResponderExcluir
  123. A Deus nada impossivel, por isso cada um que concorda com isso inclua essa menina em suas oracoes diarias eh uma atitude muito mais crista de que ficar mandando a Odele ir a "Igreja Que Voce Frequenta"
    Jesus disse "onde se reunirem dois ou mais em meu nome ali estarei tambem" ou seja,Deus e sempre o mesmo o que muda sao apenas os fieis,(voce vai onde tem gente com quem voce se identifique) e nao eh nessessario que ela va a especificamente "uma" igreja pra que esse milagre aconteca.

    PS: Desculpem a falta de acentos, nao consigo me acertar com o teclado do Notebook =(

    PS2: ODELE pode ser so impressao minha mas eu JURO que lembro da sua filha de algum lugar ai no final da reportagem fiquei mais impressionada ainda pois morava em Moema ate 96 e Vivi la de pequena ate meus 10 ou 11 anos. Por um acaso voce se lembra de alguma amiguinha da Flavia que morasse na Juriti ou ela estudou no Maria Montessori entre 95 e 96?

    ResponderExcluir
  124. Mais um ponto negativo para o condominio: é lei no Brasil que cada piscina tenha sempre um salva-vidas disponível nas horas que a piscina está aberta. Havia um no momento?

    ResponderExcluir
  125. Olá Odele, acabei de ler a reportagem da Época e vim comentar.
    Sim, a reportagem está muito bem escrita.
    Sempre comento sobre teu blog com as pessoas que conheço e te falo: tem pessoas (muitas) que não fazem idéia do que pode acontecer em piscinas... Então, sempre peço para que a pessoa venha conhecer você e Flavinha. E todas, ficam muito emocionadas com tua narrativa.
    Espero que vocês estejam bem.
    Bjks com carinho,
    Marcia

    ResponderExcluir
  126. Eu já estava saindo para o trabalho, quando decidi ligar o computador e dar uma olhada nas notícias antes de ir. Deparei-me com a reportagem sobre você e a Flávia. Olhei para o lado e vi minha filha ressonando, adormecida. Agradeci/agradeço a Deus pela benção de ser mãe, de tê-la comigo e de poder ouvir-lhe a voz. Como você ouve a de Flávia em sonhos. Como eu agora peço muito a Deus que volte a ouvi-la, pois vocês merecem esse milagre. Hoje o meu dia será diferente, há muito o que resgatar com minha filha. Vocês me fizeram refletir. A partir de hoje, será dado valor ao que realmente importa, não posso perder mais nenhum minuto. Obrigada pela coragem do relato, pela demonstração de força e pelo carinho imenso que você transmite à Flávia e nos revela. Estarei sempre por aqui, a acarinhar vocês, do meu jeito bobo de dizer "estou aqui"... ainda que isso não seja o bastante. Mas estou, viu? Por esse carinho que brotou em meu coração por você e sua família, pelas lágrimas que teimam em rolar, pela necessidade imensa que tenho agora de um abraço... Fiquem com Deus, que Ele as cubra com bençãos sem medidas. Carinho...

    ResponderExcluir
  127. Oiii Odele...tenho dois filhos..um de 11anos e um de 8 anos....fiquei tentando imaginar seu sofrimento..sua sua dor e sua esperança....só posso pedir a Deus que abençoe vc e sua filha e que sua luta tenha resultados positivos...e que vc seja exemplo de Fé de esperança e de amor......

    ResponderExcluir
  128. Odele, nada pode justificar o injustificável, a tristeza que abate seu coração, nós nem fazemos idéia. O que eu sei é de sua bravura, esperança, amor, dedicação, a sua pequena sementinha Flávia. Nada serve de consolo a tí, mas o que serve são momentos de ternura que recebemos, e estou te enviando um abraço fraterno, cheio de paz, alegria e esperança,embora, seja difícil acreditar nessa palavras, mas mando-as, para que nunca, jamais, sei que não deixarás de tê-las em seu coração, pois entrou no meu coração com sua dedicação e amor, e está saindo de meu coração para o seu desta forma........Continue lutando minha amiga, minha irmã, pois o amanhã é um novo regozijo em sua vida, e também mais uma esperança, á você e a Flávia.....
    Colocarte-ei em minhas orações, e Flávia, uma Rainha em sua vida...Vocês estarão em meu coração, e espero que seja um pouquinho de alento e esperança, pois também estarei esperançoso de um futuro lindo á vocês........
    Enquanto você tiver força de lutar, estarei lutando contigo, mesmo silencioso, sem rosto, mas com o meu coração, escrito nessa mensagem.
    Que tenham um dia cheio de força e paz.........

    ResponderExcluir
  129. No dia 03/09/2008, meu namorado de 19 anos recém completados sobreu um grave acidente de moto. Ele teve politraumatismo craniao, quebrou a cabeça em quatro lugares. Como em minha cidade ão tem recursos ele foi transferido para Montes Claros e lá deu-se o diagnóstico. Ele foi submetido a uma cirurgia de descompressão cerebral, onde são afrouxadas as placas cranianas.Eis que o resultado foi, coma vegetativo irreversível. Raphael na uti começou a falar, reconhecia as pessoas pela voz e movimentava o seu corpo. Estávamos convictos que ele se recuperaria. Ao sair do UTI ele contraiu meningite perdeu todos os movimentos do lado direito, inclusive da face e a fala, e foi submetido a mais uma cirurgia, onde perdeu massa encefálica e a parte forntal da calota craniana. Nisso os médicos disseram que desta vez não tinha escapatória, ele estaria em coma vegetativo e que ainda se saisse nnca mais andaria e teria sequelas que o limitariam p o resto da vida. Quando saiu do hospital em uma cadeira de rodas e com um "buraco a cabeça" pela ausência da calota craniana nos echemos de esperança. As fisioterapias e fonos foram insessantes, até que pode finalmente fazer a cranioplastia e colocar uma prótese subcutânea. Hoje um ano e 2 meses depois ele anda sem dificuldades, recuperou todos os movimentos, está voltando a falar, trabalha, e segundo novos exames sua frequencia cerebral eh normal, não tem sequelas. Ainda temos um camiho de recuperação a seguir, mas Deus tudo pode. Acredite em Deus, milagres acontecem eu vivo um milagre todos os dias! Se quiser teclar comigo é lorenavieira27@hotmail.com
    Bjão na Flávia, acredite tudo o final vai ficar bem!

    ResponderExcluir
  130. "Mãe é o amigo mais verdadeiro que temos quando a dificuldade dura e repentinamente cai sobre nós; quando a adversidade toma o lugar da prosperidade; quando os amigos que se alegram conosco nos bons momentos nos abandonam; quando os problemas complicam-se ao nosso redor, ela ainda estará junto de nós, e se esforçará através de seus doces preceitos e conselhos para dissipar as nuvens de escuridão, e fazer com que a paz volte aos nossos corações."
    Washington Irving

    O que dizer, não sei exatamente mas lendo essa reportagem tão bem escrita e vendo tantas pessoas envolvidas fico pensando que tem que existir algo maior, que amo cada vez mais as mães, a senhora só lhe digo que aqui em meu coração cresce um amor de filha, e como filha só posso lhe dizer OBRIGADA POR EXISTIR, TE AMO. BJS.
    De Alexandra Rosa Cardoso Florianópolis Santa Catarina.
    OBS: trabalho em UTI há 13 anos, sei os cuidados que a senhora tem com sua filha.

    ResponderExcluir
  131. Odele, deixei o carinho do meu comentário na página da revista. Que Deus a abençoe.
    Beijocas carinhosas
    Yvonne

    ResponderExcluir
  132. Olá Odele! Só posso lhe dizer que Deus está ao seu lado lhe dando forças.
    Logo que li a reportagem no ite da època, vi uma reportagem no Brturbo, leia tvz seja importante.
    o endereço do site é:

    http://ultimosegundo.ig.com.br/bbc/2009/11/23/homem+diagnosticado+com+coma+passa+23+anos+consciente+9152934.html

    Grande abraço

    Fernanda

    ResponderExcluir
  133. Odele,

    Conheci sua história pela reportagem e me impressionei muito com o que li.
    Eu fico muito feliz que a Flávia tenha um anjo na vida dela chamado Odele.
    Você é MÃE, com todos os significados que essa palavra possa ter.
    Abraços às duas!
    Lívia

    ResponderExcluir
  134. Bom dia!

    Odele, gostaria de deixar a minha força com vc, tem sido uma guerreira 12 anos como uma mulher virtuosa, na luta todos os dias, mas eu quero te confessar que o nosso
    Deus tem algo para a tua vida, um proposito real ele tem para cumprir, talvez se eu disser que a sua filha saia do coma vou gerar uma esperança no teu coraçao, mais estou colocando um proposito no meu coraçao de oraçao pela Flavia creia no Senhor qua grande maravilha fara por ti, que Deus Te abençoe nessa caminha a vc e a Flavia

    ResponderExcluir
  135. roberta barbosa23 novembro, 2009

    Odele,
    Acabo de conhecer seu blog através da reportagem da revista EPOCA. Parabens pela luta e garra que tens para lutar pelos direitos da sua Flavinha. Tenho uma filha de 1 ano e 4 meses. E hj, como mãe, entendo esse amor inabalável que vc demonstra pela sua filhinha. E fiquei aqui me perguntando se realmente ela está indiferente aos seus cuidados, a sua presença, a sua dedicação e ao seu amor...apesar de não saber nada de medicina, creio que ela sente e precisa sim de todos esses cuidados e principalmente desse amor perfeito que vc tem por ela. Não pude ainda ler todas as postagens, mas é MARAVILHOSO ver todo o cuidado e dedicação que vc tem por ela...li sobre as escovas e pastas de dente...meu Deus, vc pensa em todos os detalhes. PArabens pela mulher e mãe que vc é. Vc é o verdadeiro exemplo de MÃE. Estarei aqui de coração lutando junto com vcs. Um beijão pra vc e para Flavia.

    ResponderExcluir
  136. Li hj a reportagem no site.. nao sbia de sua historia... tenho quase a idade da Flavia, e tenho uma filha de dois anos... linda a sua atitude de simplismente ser mae. O sofrimento eh grande... mas com certeza Flavia no mundinho paralelo dela te agradece...
    Passei por um fato simples perto do seu com minha filha, ela teve H1N1, juro q sofri mto, mas hj vejo q nao foi nada..Parabens pela sua coragem...bjos em vc e na Flavia

    ResponderExcluir
  137. Odele,
    Sinto tua tristeza em cada palavra mencionada aqui. Mas também sinto tua força gigante, força esta que somente as mamães tem.
    Tenho dois filhos lindos, são a razão da minha existência, são tudo para mim. Sei que sua filhinha é tudo para você, e sei que você está certa em lutar e lutar e lutar. Para Deus nada é impossível, se for a vontade D'Ele ela vai acordar para você, vai voltar para você.
    Espero que apesar das dificuldades sua força nunca desapareça, pois sua filha depende disso.
    Fique com Deus, e muitos beijinhos para sua filhinha.
    Andréa

    ResponderExcluir
  138. Odele querida,
    Senti um desejo imenso de abraçar você e sua filha depois de ler a reportagem de Época. Receba meu carinho sincero e minha admiração.

    ResponderExcluir
  139. Cristina disse...
    Odele, vc é a natureza pura, que engloba o ar, a água, o fogo e a terra, sem esquecer o incompreensível que é a grande dúvida de todos nós humanos: qual a razão de viver?
    Consigo sentir suas emoções à flor de minha pele, não pq eu tenha passado algo parecido, simplesmente porque sou uma grande observadora social e emocional. Não sei como te dizer, mas, o que vc vive ao lado de sua filha, também passa pela minha curta e breve vida.
    Não precisa carregar toda essa dor sozinha. Estamos aqui Odele. Apenas em moradas diferentes,mas nas mesmas condições,no equilíbrio entre o céu e a terra.
    Um forte abraço de uma irmã que se alegra pelas pessoas e tb se entristesse por elas.

    Estou enviando novamente por ter achado um erro de colocação de palavras em uma das frases.

    Bom dia e uma ótima semana.

    ResponderExcluir
  140. Cláudia Pit23 novembro, 2009

    Olá Odele, oi Flávinha, saudadessss de vocês, desculpem-me a ausência...
    Odele, acabei de ler a matéria na revista e mais uma vez digo que foi impossivel de não chorar!
    Sempre que posso, falo da Flávia e do que houve com vocês, uso seu exemplo para alertar outras crianças e as tenho sempre em minhas orações!


    Amiga, desejo-te forças e sabedoria.
    Beijos
    Cláudia Pit

    ResponderExcluir
  141. Odele, li sobre vc e Flávia na Época e me emocionei muito! Nunca ouvi falar em acidentes com ralos de piscinas. Tenho uma bebe de 3 meses e achei importante aprender sobre isso...pra evitar q isso venha a acontecer...vou tb falar com minhas amigas mäes sobre esse perigo...é uma informacäo importantissima!
    fiquem bem,
    um abraco
    Lalá

    ResponderExcluir
  142. Moro aqui em Londres e o canal BBC esta procurando historias para fazerem documetarios,este eh o site http://www.bbc.co.uk/mystory/terms-and-conditions/
    Achei que a Senhora poderia mandar a sua e se mostrar para o mundo a sua foraca e luta contra a justica do nosso pais,como a nossa justica nao funciona e como como eh seu amor incondicional pela sua filha.
    DEUS ESTA COM VOCES SEMPRE.

    ResponderExcluir
  143. Amadas de Deus, apesar do que as coisas parecem, Deus não as abandonou, nem permitiu que tudo assim acontecesse. O desespero pela cura o fez procurar tantos lugares (veja não é critica) mas, Deus sempre esteve perto de vocês, “Mateus 24-23 Então, se alguém vos disser: Eis que o Cristo está aqui, ou ali, não lhe deis crédito”
    é Biblico, pois, ele se encontra dentro de nós, de você, da Flávia, em nossa expressão de fé e de amor. Você o procurou na manifestação de tantos e com sua dor, luta e amor é a própria manifestação de Deus e a prova que ele existe. Quando decidiste pelo amor decidiste por Deus, já imaginou quantas vidas salvaste por ter acontecido isto?? sei que não é conforto, mas, para que veja que Deus usa o que parece ser mal para o bem maior. Deus não dá a cruz maior que podemos carregar. Lembro de quando aconteceu esta tragédia com a Flávia, já se passou tanto tempo que parece-me que foi ontem e sei que para vc é como se estivesse revivendo tudo a cada vez que olhas para sua pequena florzinha, sei que muitos discursos já ouvistes, promessas... promessas... mas, você se transformou em uma MULHER de fibra, de fé, coragem e seu amor se desdobrou e triunfou. Só tenho a te pedir que não desista da fé, de amar, de crer em Deus.
    Mesmo sem sentir é Ele que te sustenta, creia.
    Vocês estarão em minhas orações.
    Paz e bem.
    ps: me emocionei muito com este relato é expressão pura de amor e vitória

    ResponderExcluir
  144. Querida amiga,
    Por mais que tenhamos contato mais direto contigo, com os blogs e conhecendo todo (ou quase todo) o esforco que empenhaste na luta para a obtenção da JUSTIÇA PLENA, é impossível travar a emoção diante desta entrevista. Esta foi a reportagem mais humana que já li sobre a tua história.

    ResponderExcluir
  145. Odele... estive lendo uma reportagem sobre tu e tua filha no site da Globo e me emocionei muito... apos ser mãe fico muito fragilizada com certas reportagens que leio...e teve um frase que tu falou que me comoveu:
    “Não julgo os pais que optam pela eutanásia, nos países em que ela é permitida. Cada um sabe de sua dor e de suas circunstâncias. Nunca pedi para a minha filha partir. Ela está aqui e, a mim, cabe cuidar para que tenha a melhor vida possível, ainda que o possível seja pouco. Há muito já não acredito em milagres. No meu blog, não permito que falem nem de eutanásia nem de que sua cura depende de Deus. Nem sou santa nem Flavia é. Se eu tivesse permitido, já a teriam transformado numa santinha, e minha casa seria lugar de romaria. Só quero que respeitem meu modo de amar. Para mim, amar é cuidar da minha filha da melhor forma que posso”.
    Eu penso + - da mesma forma que tu. Sou espirita e sinto que se algo de ruim me acontecer algum dia é porque tenho forças suficientes de carregar a cruz que me foi dada. Força amiga, pois ao fim de tudo a paz reinará sobre todos voces.
    Um grande abraço. Melissa.

    ResponderExcluir
  146. As vezes nos parece fácil traduzir a palavra "amor" Fácil mesmo é dize-la...mas aprendi a trauzir lendo essa matéria. O amor de uma mãe é o maior e mais puro que existe.
    Parabéns pela MÃE que és.
    Que Deus guarde vcs na palma das mãos.
    grande beijo

    ResponderExcluir
  147. O coração do homem pode fazer planos, mas a resposta certa vem dos lábios do Senhor"
    Quero dizer com isso que VOCÊ pode descansar verdadeiramente no Senhor.
    Isso porque o Senhor tem contemplado a sua peleja
    E Ele mesmo satisfará os desejos do seu coração,
    Não se precipite por nenhum momento........
    Acredite,esse silêncio se romperá com gritos de júbilos e vitórias.
    As coisas acontecem na hora certa.
    Talvez você ainda não alcançou tudo o que Deus te prometeu,
    E quem sabe até perdeu a esperança ,
    Mas não desista!!!!
    OBS: A forma como você vê o gigante determinará a sua vitória sobre ele.
    Se você busca um Deus pequeno acharas um Deus pequeno,Agora se busca um Deus Grande e Todo Poderoso, Acharas aquele que tem Todo Poder (JESUS DE NAZARÉ).
    DEUS É MAIOR DO QUE TUDO,CONFIE .
    DEUS TE ABENÇOE

    ResponderExcluir
  148. Cara Odele,

    O que falar para uma pessoa que há anos ganha uma guerra todo dia?

    O que meu coracão pode falar para ti é que nada nesta vida é por acaso e a relação entre vocês tenha certeza (e eu acredito que você tem) ocorre quando vocês dormem. Aproveite este momentos e se divirta com ela. Converse com sua filha como gostaria de conversar como antes, não pense que tudo o que ocorre durante os sonhos não é realidade, este sim é o melhor momento para vivermos. Sei que todos nós gostariamos de ter o nosso filho ativo ao nosso lado para sempre (tenho uma filha de 1 ano e 5 meses), como era antes com você e ela, mas acredite, por algum motivo tudo isso aconteceu e independente do que possa acontecer, a sua parte está sendo feita.

    Muita força em seu coração, paz e amor.

    Para a Flávia eu já mandei uma abraço e um beijo com muito amor, diretamente do meu coração para o coração dela.

    Paulo Jacob

    ResponderExcluir
  149. Odele,

    Bendita seja mãe. Sua filha tem sorte de ter ao seu lado uma mãe guerreira que nunca desistiu dela apesar do sofrimento e da dor.
    Mãe cuida, mãe alenta, vc é mãe no maior e melhor sentido da palavra. Que Deus abençoe vc e sua filha sempre, e que seja feita a vontade Dele, mesmo nós humanos, não entendendo as razões que levam uma moça jovem e bonita estar inerte em uma cama. Fiquem com Ele.

    ResponderExcluir
  150. Ola, li a materia no site da Epoca e fiquei realmente comovido com sua história! Espero que uma dias as coisas melhorem e sua dor possa se transformar em alegria novamente!

    Parabens pela grande demosntraçao de amor à sua filha!

    ResponderExcluir
  151. Odele, sua história é linda, mesmo sendo dolorosa. Nas palavras de Eliane Brum então, ficou tão marcante! Peço a Deus que te dê muita força para continuar percorrendo esse caminho e cuidando do seu tesouro que é a Flavia. Espero que não perca as esperanças de jeito nenhum e que vc, mesmo nessa situação, seja feliz por ter sua filha viva ao seu lado, mesmo que inerte.
    Beijos

    ResponderExcluir
  152. Bom dia Odele...
    Li a matéria na Época e fiquei impressionada com tudo, principalmente com a sua dedicação!
    Lindo exemplo, antes todos fossem assim como você! Faltam Odeles pelo mundo...
    Por muito pouco ou simplesmente por nada, mães jogam os filhos recém nascidos em latas de lixo por aí afora!
    PARABÉNS por essa força, que só você sabe de onde tira...
    Deus tem olhado por você, tem visto suas lutas, creia nisso!
    Um grande beijo em você e outro na Flávia...

    ResponderExcluir
  153. Oi Odele me chamo Carla,vc viu a materia do homen em coma por 23 anos consciente e que ápos uma tomografia computadorizada constatou se que ele ouvia tudo,quem sabe é o caso dela.A materia é a seguinte HOMEN NA BELGICA PASSA 23 ANOS EM COMA CONSCIENTE.OBS;ELE JA ESTA SE COMUNICANDO POR MENSAGEM.

    ResponderExcluir
  154. Odele, obrigada por dividir conosco sua história. Sou leitora do blog, rezo por você e pela Flávia e senti pelas palavras da repórter um pouco mais deste drama diário de uma mãe. Chorei muito e dividi com amigos a sua experiência, que me faz pensar nas vezes que não tenho o tempo necessário para ouvir as histórias do meu filho.

    ResponderExcluir
  155. Olá Odele, vc não me conhece, mas eu acabei de conhecê-las um pouquinho através do teu blog. Ao ler o link de sua reportagem eu não sabia que a história de vocês tomaria a minha manhã e meu coração. É lindo poder sentir o teu amor pela Flávia, sua força, sua garra, sua hombridade. Mas é demasiado lamentável, ver a fria injustiça que há na vida de vocês, é desumano e cruel. Vou seguir o teu blog todos os dias e torcer muito, acreditando que um dia veremos o sorriso da Flávia de novo, não custa torcer, pensar positivo, enviar boas vibrações e desejos sinceros. Méritos, muitos méritos a Flávia e a Deus, se a Flávia, se a Flávia não se foi como muitas outras pessoas, se ela teve força suficiente pra estar ao teu lado, então não é em vão...
    Muita força, muito amor, muita luz, muita renovação, muita alegria pra você todos os dias...

    Um grande beijo cheio de admiração e de carinho...

    ResponderExcluir
  156. Odele, vc é abençoada, quanta força!!! Te desejo minha querida além de justiça, superação!
    Bjinhos da Madrasta!

    ResponderExcluir
  157. Bom dia, Odele! Já estive aqui ontem e decidi que vou passar aqui todos os dias para, mesmo de longe, lhe fazer companhia. :)
    Receba meu abraço beeeeeeem apertado, cheio de força e carinho! Beijos pra você e pra Flavinha!

    ResponderExcluir
  158. Para você começar bem a semana:

    A paciência convence até as autoridades; a perseverança pode vencer qualquer dificuldade.
    (Provérbios 25:15)

    É melhor esperar até que aqueles a quem queres beneficiar estejam preparados para essa bênção, porquanto a Ciência está operando mudanças no caráter pessoal como também no universo.
    (Ciência e Saúde, p. 238:2)

    Equipe do Arauto
    Visite nosso site: www.arautocienciacrista.com

    ResponderExcluir
  159. Luiz Fernando23 novembro, 2009

    Nossa, estou simplesmente comovido com a história, não comovido com pena, mas sim com uma enorme admiração por essa mãe guerreira, que demonstra a cada dia o amor pela filha, que demonstra o verdadeiro sentido da palavra mãe...

    ResponderExcluir
  160. Não quero dar mais esperanças, longe disso, mas hoje li uma reportagem que pode lhe interessar que saiu no Daily da Inglaterra. http://www.dailymail.co.uk/news/worldnews/article-1230092/Patient-trapped-23-year-coma-conscious-along.html

    Quem sabe o dia de amanhã. Abs. Eduardo S.

    ResponderExcluir
  161. Olá Odele..
    vi essa notícia em um site, sobre a consciência em estado de 'coma'.. gostaria que desse uma olhada.

    http://www.estadao.com.br/noticias/geral,homem-diagnosticado-com-coma-passa-23-anos-consciente,470603,0.htm

    Abraço, Wanessa

    ResponderExcluir
  162. 2 GUERREIRAS.
    Estou sem palavras !
    Vc e Flávia estão de parabéns. Um exemplo de vida.
    Mande um beijo a Flávia por mim. Tenho certeza que ela pode ouvir e sentir todo esse amor que existe dentro de vc.
    Aqui desce lágrimas, não de pena ou algo assim , mas de prazer por existir pessoas como vc ,que dão força a qualquer ser humano para lutar contra qualquer problema. Estou sempre com vc e Flávia! Estou rezando por vcs, de coração !!
    Fiquem com DEUS !

    ResponderExcluir
  163. Oi Odele,meu nome é Rosana, moro em Fortaleza/Ce.Li sobre sua filhinha linda,sou muito solidaria a sua dor,pois também sou mãe.Que Deus ilumine seus caminhos e lhe dê forças para continuar sua caminhada cuidando e dando muito amor á sua filha.Acredite sempre em Deus, pois somente ele pode curar o que a medicina declara como impossível de cura.Parabéns pela dedicação incondicional que dedica a sua filha.Sinto um aperto muito grande so em pensar como você sofre em ver sua filha deitada imóvel em uma cama,a saudade que você sente da voz,dos carinhos,das descobertas compartilhadas,dos segredos dividos.Não dá para escrever o que estou sentindo agora,gostaria muito de estar ao seu lado para poder lhe dar um abraço e um beijo sincero.

    ResponderExcluir
  164. olá D. Odele

    Quando li a materia, fiquei muito emocionada, mas principalmente senti vontade de lhe disser algumas palavras. senti no fundo do meu coração uma vontade maior que não se pode explicar. sei que muitas pessoar já lhe falar o que eu vou desser. Mas por favor leia essas palavras.
    As vezes acontecem coisas em nossas vidas das quais não a explicação, não adianta eu vir aqui e disser para vc que tudo vai ficar bem, mas há uma pessoa nessa vida em quem podemos ter um consolo e buscar uma ajuda, eu sei que essa pessoa nunca nos abandona e ela está vendo o que vc está fazendo pela sua filha e tenho certeza que a sua vitoria vai chegar, e só acreditar nessa pessoa, que deu dua vida para que nossos pecados fossem pagos, para que nossa culpa fique aqui nesse mundo e não nos siga, essa pessoa é Jesus o unico salvador, a nossa unica esperança, aquele que veio ao mundo para nos salvar e nos redimir do pecado, então creia nele, acredite, se a alguem nesse mundo que pode aliviar seu sofrimento, esse alguem é ele. falo isso por que ele me ajudou quando mais precisei, e sempre está comigo em todas as minhas lutas, e graças a ele tive a minha maior benção, minha filha, um milagre que ele me deu, concedido a mim por que eu acreditei e esperei a hora certa, essa hora não é a hora em que nos queremos, mas a hora que o nosso pai todo poderoso determina. então acredite pois sua hora vai chegar. tudo tem seu proposito, e quando conseguimos vencer a batalha é que vemos o proposito de tudo o que acontece em nossas vidas, acredite, eu profetizo em nome de Jesus qua a sua hora vai chegar, vou clamar a ele por vc e sua filha.
    que as bençãos de Deus pai todo poderoso caiam sobre vc e sua filha

    Juliana

    ResponderExcluir
  165. Bom dia Odele,
    Li a reportagem publicada pela revista Época, e resolvi deixar algumas palavras.
    Também sou pai, e por mais que tenha problemas com meus filhos sou grato a Deus por tê-los comigo de uma forma saudável, sei que não posso dizer que entendo sua dor, ela é particularmente sua, seria hipocrisia tentar entende-la, Também, não vou tentar explicar porque Deus permitiu esse sofrimento monstruoso em sua vida, simplesmente não tenho a mínima idéia, mas uma coisa eu posso te dizer, respeitando a sua luta, tenho aprendido em meus anos de luta com meus próprios problemas, que são bem diferentes do seu, é que em cada provação existe algo a ser absorvido, e Deus está acima de qualquer circunstância, Ele até hoje não curou sua filha, e não tenho como saber se um dia o fará, mas saiba, Ele tem poder para isso. Mas há com certeza um interesse muito maior de Deus pelas pessoas, que vai além dos atributos físicos, e nesse campo sua filha não é deficiente e certamente está em condições iguais a qualquer um de nós, e tanto ela como você própria podem ser alcançadas por esse interesse de Deus, se quiser saber mais a respeito estou a disposição.
    Quero que você saiba que a partir desse dia, que tomei conhecimento de seu caso, eu me coloco na fileira de muitos que certamente hoje já estão, e incluo a vida de você e sua filha nas minhas orações diárias. Sei que as experiências que você já teve nessa área, te fizeram desacreditar de muita coisa, e eu não te culpo, pois sei que muitos vêem num caso como esse uma oportunidade rara de se promoverem, mas eu te digo do fundo do meu coração, pode desacreditar dos homens, ma nunca desacredite de Deus. Ele não cobra nada de ninguém para conceder uma graça, e nem tão pouco busca merecimentos nas pessoas a fim de agraciá-los, a única coisa que observamos nas sagradas escrituras é que Ele não divide sua glória com ninguém, e portanto, qualquer coisa que Ele venha fazer a glória tem que ser dada a Ele.
    Deus ilumine seu caminho, não perca a fé, ela nos mantém.
    No amor de Deus, Odair

    ResponderExcluir
  166. Oi Odele! Conheci seu blog hoje, através da reportagem no site globo.com. E li também sobre o que pensa de certos comentários, entendo você. O que posso dizer é que você está certa, nunca pense em eutanásia...Deus deu a vida e só quem a tira são os assassinos. Quanto a diadnostico: Pra Deus nada é impossível, e o agir Dele é no tempo certo, independente do que pensamos. Não tenho como ajudar e muito menos ficar exigindo de vocês, como muitos fazem. Só posso torcer e orar para que suas perguntas tenham respostas e sua alegria venha logo. Beijos.

    ResponderExcluir
  167. ODELE,

    FICO SEM PALAVRAS PARA DESCREVER O QUE SINTO AO LER A HISTÓRIA DE FLÁVIA!
    NUM MUNDO ONDE PAIS E FILHOS SE MATAM, VER SEU AMOR POR ELA É MUITO EMOCIONANTE. SIGA EM FRETE, NUNCA DESISTA DE SUA FILHA E QUE DEUS LHE DÊ AINDA MAIS FORÇA DO QUE JÁ TEM.

    FERNANDA

    ResponderExcluir
  168. Odele, bom dia!

    Acabei de ler a matéria publicada na Revista Época... E como podemos encontrar em uma mesma história tanta dor, tanta beleza, sabedoria, bondade, etc etc etc? Diversas palavras para descrever uma história tão intensa.

    Para mim, para sempre estarei aprendendo e lembrando de tamanha força e amor!

    Beijos carinhosos para ti e para Flavia.

    Sandra.

    ResponderExcluir
  169. Que Deus lhe abençoe profundamnete, nunca perca suas esperanças, seu amor e dedicação são um exemplo. Sua filha tem uma grande mãe.
    um forte abraço!

    ResponderExcluir
  170. Odele, bom dia! Acabei de ler a matéria da Época e não conhecia sua história. Gostaria de parabenizá-la pela força e pela dedicação que ofere à sua filha. É necessário nunca deixar nossos sonhos morrerem e desejo paz às duas! Um dorte abraço e serei a nova seguidora do seu blog, torcendo a cada dia por vocês! Nath Ribeiro

    ResponderExcluir
  171. OdeLe - com L e não com T.rs

    Já estive aqui mtas vezes, não lembro se já comentei. Acredito que não - lendo toda a história, acredito que consigo ter uma dimensão da sua dor. Ao mesmo tempo, talvez por não ser mãe (ainda), fico com a sensação de não compreender totalmente e fico com receio de comentar.

    No entanto, hj li a reportagem no site e, meu deus, como sempre, conhecer sua história é de emocionar. Como alguém disse nos comentários lá, me lembra mesmo a Isabel Allende, com a diferença que oq houve com Paula foi uma fatalidade, algo que ninguém poderia evitar - o q não é o caso de Flávia. Lembrei de comentar isso agora pq um trecho da reportagem diz que vc está escrevendo um livro sobre a história, e acho excelente, dou total apoio e, sobretudo, acredito que seja de suma importância.

    Comentei dessa vez somente para lhe parabenizar por sua fé e sua luta, Odele. Que o seu amor e perseverança de mãe possa se espalhar e servir como exemplo para milhares de pessoas.

    Um grande bjo pra ti e outro pra Flávia.
    =*

    ResponderExcluir
  172. Bom dia, Odele. Por mais difícil que seja cada dia de sua vida por ver a sua filha no estado que ela está, não desista! Muitas pessoas falam sem ter o conhecimento real da dor das outras pessoas.

    Tomei conhecimento da sua história por meio do site da globo.

    Eu gostaria de chegar aqui e te falar uma forma de faze-la voltar, mas isso eu não sei. O que posso te dizer é que ela está viva. Em algum lugar aí dentro ela está lutando. Acredite que ela vencerá. Pq eu acredito!

    Abraços!

    ResponderExcluir
  173. Muita força Odele!

    Deus faz o impossível se tornar POSSÍVEL!!!

    ResponderExcluir
  174. Estou aqui super emocionada após ler a reportagem da época.
    Quero mandar a vc um forte abraço de mãe, pois só uma mãe pode imaginar a dor que vc sente, e dizer que do fundo do coração vou torcer e rezar para que sua filha se recupere.

    Deus é PAi e a Bondade, e só por esses motivos já consigo acreditar que ela ficará boa.

    Parabéns pela sua força!!

    ResponderExcluir
  175. Odele,

    Não conhecia o seu blog e nem a história de Flavia.
    Fiquei muito emocionada com a matéria na Época, e já olhei muitos posts do blog.
    Não consigo parar de ler, você é um exemplo de fé e principalmente de mãe.

    A partir de hoje, pode contar com mais uma pessoa nessa corrente de fé e oração.
    Não tenho nenhum blog para poder fazer homenagens, mas pode ter certeza que estarei acompanhando sua história e de sua filha, sempre torcendo por ela e para que você seja abençoada com o milagre de ter sua filha de volta.

    Beijos de quem já tem um carinho por você e pela Flavinha...

    Nathália

    ResponderExcluir
  176. Odele, me mocionei muito com a história de Flávia. Não conhecia vcs. Força. É a unica palavra que consigo pensar neste momento. Você tem demais. E sei que vai precisar de muito mais. Ela precisa disso. Te ver forte e entender que você será sempre, sempre mãe. Estará sempre ao lado dela. Mesmo que todos pensem que ela não a esta vendo, tenho certeza que o cheiro da comida, o barulho dos chinelos e muitas outras coisas do dia a dia não passam despercebidas aos olhos que parecem distantes e adormecidos.

    Fé, Odele. Deus está olhando por vocês.

    Um abraço,

    Camila.

    ResponderExcluir
  177. Odele, Meu nome é Fernanda, tenho 17 anos e me encantei completamente pela sua história e da flavinha. Você é um exemplo de mulher, de mãe ede ser humano! Parabéns, de coração! Não conheço vocês duas, mas sinto um afeto inexplicável por ambas. Seria muita prepotência da minha parte, dizer que sei como você se sente, pois estou longe de compreender a sua dor. Há quase 12 anos você cuida da sua filha com todo o amor e dedicação do mundo, sem se deixar influenciar pelas opiniões alheias, pelo sofrimento, pela intensidade dos gastos ou até mesmo pelos momentos de solidão. Você é admirável! Continue propagando a história da flavinha, e se preciso for, grite o mais alto que puder, mas não se cale. Não deixe que a vida de vocês duas seja em vão. Essa história não pdoe ser esquecida! Assim como você e como a própria medicina, não sei realmente o que acontece no interior da flavinha. Se ela realmente se encontra em um estado vegetativo, e que não faz conta da vida ao seu redor. Também não sei se o seu cérebro parou de funcionar, há tantas coisas que não sabemos.. que ninguém sabe. Entretanto, apesar dos laudos dos médicos e das teorias científicas, eu acredito que mesmo de um jeitinho diferente, a flavinha pode sentir sim as pessoas ao seu redor, pode reconhecer o teu amor por ela, os cuidados, e pode se agraciar com a grandeza de um dia ensolarado. Afinal, o essencial para a nossa vida é invisível aos olhos. Talvez a flavinha esteja sonhando.. um sonho belo e cheio de vida. Odele, lembre-se que Deus existe, não podemos ver mas podemos sentir. O amamos a vida toda movidos apenas pela nossa fé. Sendo assim, mesmo a flavinha estando setenciada a uma vida de silêncio, não podemos ouvir suas palavras mas isso não quer dizer que em seu coração ela não se manifeste. Podes ter certeza que a flavinha agradece e muito por você estar sempre ao lado dela, sem jamais desistir. Parabéns Odele, Paabéns!! Fica com Deus, e muita força SEMPRE! Beijos e abraços pra você e pra flavinha!

    ResponderExcluir
  178. PARABÉNS, realmente só quem é MÃE de verdade e quem AMA, pra fazer isso tudo.. Parabéns, és um exemplo! Concerteza tua filha te ama, e vai ser agradecida pelo resto da vida!

    ResponderExcluir
  179. Odele, tenha força ! Vc é uma grande mulher, fiquei muito emocionada ao ler a matéria. é dificil ter uma palavra pra te dizer,vc ja sabe de tudo, mas so qro q vc saiba q vou incluir vc e sua filha nas minhas orações. q Deus abençoe vcs...

    Abraço, Sandy Yasmine

    ResponderExcluir
  180. D.Odele fiquei emocionada com a sua garra. 'O Amor vence tudo'...Que Deus esteja sempre ao lado de vocês. Forte Abraço!

    ResponderExcluir
  181. Hoje, quase sem querer, me deparei com a matéria da Revista Época. Ao lê-la tive de evitar, a muito custo, que as lágrimas rolassem, pois estou no trabalho. Há cinco meses minha família vive um tormento, depois que minha sobrinha, também chamada Flávia, grávida de quatro meses, foi vítima de um grave aneurisma cerebral. Ver a dor e o desespero da minha irmã à cabeceira da cama de hospital, zelando pela filha, é de cortar o coração. Mas no leva à conclusão de que o amor de mãe não tem limites.
    Depois de internada, a nossa Flávia já fez quatro cirurgias na cabeça, sendo que uma dela a deixou com sequelas graves (paralizia da face e do lado esquerdo do corpo). Graças a Deus, os médicos deixaram a gravidez prosseguir e nesse fim de semana, contrariando todas as expectativas, inclusive médicas, a nossa Flávia deu à luz a uma menina linda e saudável, de nome Gabriela. Por causa das circunstâncias que se encontra, a nossa flávia não está podendo amamentar e só três dias depois pode conhecer a filha. Nem sabemos ao certo se ela está totalmente consciente do que está acontecendo, pois apesar de não estar em coma, não fala e nem se move. Mas assim como você, nossa luta também é incessante. Agora para que um dia ela se levante daquela cama e possa passear tranquilamente pelas ruas com sua filhinha.
    Estou te contando isso pra mostrar que a vida é mais forte e mais misteriosa que tudo aquilo que conhecemos. E que a sua Flavia, eu tenho certeza, pode sentir todo o amor e carinho que você vem dedicando a ela por todos esses anos.
    A dor que você sente é única e só mesmo uma mãe pra suportar tamanha coisa. Mas um dia, não sei quando nem onde, você estarão juntas novamente em corpo e mente, e voltarão a brincar e sorrir. E neste dia, minha amiga, sua linda Flavia falará com você. E neste dia você saberá que valeu a pena todo o seu sacrifício. Coragem sempre!
    Bjs no seu coração de mãe e na sua Flavinha.

    Márcia

    ResponderExcluir
  182. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  183. Oi Odele, tudo bom?
    Acabei de ler sua história e a da Flavia na Revista época e só fiz chorar... não por pena, mas por tristeza. Eu me impressiono muito fácil.
    Admiro a sua dedicação e a sua força, acredito que movidas pelo amor. Uma super mãe!
    Um abraço para vocês!!!

    ResponderExcluir
  184. Olá Odele, acabei de conhecer sua história e fiquei muito emocionada. Te desejo muita força para continuar o seu caminho e o de Flávia.

    Acabei lendo por acaso essa matéria sobre coma, pode ser interessante pra vc. Então segue: http://g1.globo.com/Noticias/Ciencia/0,,MUL1388479-5603,00-HOMEM+DIAGNOSTICADO+COM+COMA+PASSA+ANOS+CONSCIENTE+NA+BELGICA.html

    Abraços.

    Natalia.

    ResponderExcluir
  185. Boa tarde Odele,

    Li a matéria da revista Época sobre a tua luta e me sensibilizei muito com a tua situação e com a tua luta! Poucas pessoas neste nosso mundo teriam forças e coragem para lutar como você tem lutado. Agora a pouco navegando na internet li esta matéria abaixo e me lembrei imediatamente da situação da Flavia. http://ultimosegundo.ig.com.br/bbc/2009/11/23/homem+diagnosticado+com+coma+passa+23+anos+consciente+9152934.html Acredito que você já tenha lido sobre isto, mas acho que vale o post e a perseverança!
    Muita força e esperança para você e a sua filha!
    Eduardo.

    ResponderExcluir
  186. Já te mandei um e-mail, agora consegui entrar aqui. Sua história de vida com sua filha é fantástica. Não existe mesmo!!!!! Amor maior que o de uma mãe. Confie em Deus, tenha Fé, trabalhe isso dentro de você. Com certeza você não está sozinha. Estarei orando por vocês duas. E lembre-se do uni-potente, uni-ciente , uni-presente. Deposite tua confiança, tua coragem, tua luta, N'aquele que só quer o nosso bem, independente de qualquer religião. Muita força!!!! Beijos no coração de vocês duas!!!

    ResponderExcluir
  187. Odele postei seu link no meu blog, quero que meus seguidores tbém venham conhecer essa história de luta, amor e fé. Fica com DEUS... bj. Cris

    ResponderExcluir
  188. MAE DE FERNANDO23 novembro, 2009

    Hoje descobri este blog e me comoveu muito. Conheço bem a sua dor, perdi o meu único filho homem que adoeceu rapidamente e os médicos não conseguiram diagnosticar a doença. Faz 7 anos que o perdi,ele tinha 4 quando virou anjo e até hoje não consegui me conformar, era meu único filho, eu estava grávida e tive uma menina, engravidei novamente tentando tê-lo de volta e veio outra, desisti. Descobri dentro de mim uma pessoa sem fé, sem esperança de ser feliz e ao mesmo tempo alguem cheia de amor materno, os meus sentimentos se confundem e as vezes não sei bem quem sou. Odele vc é um exemplo de amor e dedicação, eu vivi a sua situação por 15 dias e hoje como vc sinto muita falta daquela voz e daquele sorisso que me fazia transbordar de alegria.

    ResponderExcluir
  189. Você já deve ter recebido esta notícia, mas em todo caso, estou enviando o link:

    http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2009/11/091123_diagnosticocomaml.shtml

    Tenha força, você é um exemplo!

    ResponderExcluir
  190. Odele,
    vi a reportagem no site da revista Época, a sua força, coragem e persistência me fizeram sentir tão pequena... o amor que vc tem pela sua filha a dedicação só existe em pessoas admiráveis como você! sua luta é um exemplo de vida.
    Pode ter certeza que sua história está fazendo a diferença para milhares de pessoas. Nenhuma luta é em vão sempre há os propositos Divinos!
    um beijo grande pra você e pra Flavia
    Rosiani

    ResponderExcluir
  191. Oi...
    Li sua reportagem na revista, e coincidentemente hoje vi esta reportagem: http://www.dailymail.co.uk/news/worldnews/article-1230092/Rom-Houben-Patient-trapped-23-year-coma-conscious-along.html
    Pode significar alguma coisa para você!

    ResponderExcluir
  192. Chorei ao ler esta história. Sò mãe mesmo pra sentir esta dor. Peço do fundo de meu coração que Deus e Maria que é mãe de Cristo que segurem seu coração, que acalmem teu espiríto para que você possa viver sem infortúnios. Maria repouse sua mão sobre ti Odele, e te conforte. Fique com Deus. Lembre-se que o tempo dele não é nosso tempo, por mais nos doa e nos revolte, tudo tem seu tempo, só Ele sabe o tempo para sua criança adorável acordar. No dia que isto acontecer, chorarei novamente, de alegria pela sua felcidade. Um bjo. Lisa

    ResponderExcluir
  193. Olá grande guerreira Odele (mãe de verdade). Fiquei imensamente comovido com a história de vida da Flavia. Me comoveu também todo o amor e dedicação que você tem tido para com ela. Seja forte minha irmã. Não acredite em nada do que esses "religiosos" lhe prometerem em matéria de cura p/ Flavia. O que ela está passando (e você também) é uma provação. E essa provação tem que ser suportada (por vocês duas) com muita coragem e fé até o fim. Nunca, jamais aceite (ou sequer pense) em abreviar a vida da sua filha. A se as pessoas soubessem o gravíssimo erro que é a morte induzida, a abreviação da vida, o suicídio... Só Deus tem esse direito de dizer que o "tempo chegou ao fim; está na hora de ir embora". Mesmo uma vida de sofrimento tem que ser vivida até o fim. Como eu disse, coragem e fé mãe guerreira. Acredite, há anjos (espíritos divinos enviados por Deus) lhe auxiliando 24 horas por dia, protejendo você e a Flavia. Termino esse meu comentário aos prantos e digo que sempre a Flavia e você estarão em foco nas mihas orações.

    ResponderExcluir
  194. Oi, Odele! Oi, Flávia!
    Acabei de ler a reportagem na Revista Época, estou muito tocada e emocionada.
    Odele te admiro muito pela tua força, pela tua coragem, pelo teu amor.
    Um Beijão na Flávia! Um beijão pra ti!
    Silvana

    ResponderExcluir
  195. Claudia Arruda23 novembro, 2009

    Odele,

    Esta para mim foi a melhor frase de todo o artigo: “Se não tenho poder de mudar, tenho o poder de incomodar. O que aconteceu com Flavia não será esquecido.”

    Tiro meu chapéu para você.

    Grande beijo para você e Flávia.

    ResponderExcluir
  196. Querida Odele,vc é uma batalhadora e creio que uma vencedora,pois nao consigo achar palavras para lhe falar.TENHO 21 ANOS, fiquei emocionalmente abalada,eu me pergunto o porque de tudo isso..porque ela está assim ate agora??vc é uma batalhadora mesmo!fico me perguntando o que a Flavia pensa..concerteza deve estar orgulhosa de vc..mais deve ser uma agonia sem fim nao poder mais escutar a sua voz...continue na sua luta,nao liguem para que os outros falam e opnam..vc está certa!!!Abraços fiquem com Deus

    ResponderExcluir
  197. Querida Odele, encontrei esta matéria por acaso, mas li e lembrei logo de você e Flavia.
    Dê uma lida: http://diario.iol.pt/internacional/medicos-ultimas-tvi24-diagnostico-consciente-coma/1105173-4073.html

    Grande abraço e um beijo nas duas.

    ResponderExcluir
  198. I read your story in the Journal Epoca, and was impressed by your courage and dignity. I just read an article in the French journal "Le Figaro" (http://tr.im/FAcZ ) about a boy in "coma" during 23 years, who was in fact conscious, as Dr Steven Laureys reported (http://tr.im/FAcQ ). Humanely yours.

    ResponderExcluir
  199. Boa Tarde, fiquei muito emocionada com o seu relato, ainda mais que na mesma página do site bem embaixo do link da matéria de vocês tinha uma reportagem de uma mulher que abandonou um bêbê de oito meses na oficina, você mostrou o que é ser MÃE, mesmo com toda a sua luta, toda a sua dor está com sua filha e não abre. Quanto as curas milagrosas, realmente a Deus nada é impossível, mas temos que aprender que a fé também é racional, busque a Ele nos momentos de dor para que te sustente e te de forças para que você não esteja e nem se sinta sozinha e não precisa ser numa igreja pode ser no silencio do seu quarto ou em qualquer outro lugar. Ah não sei se você viu na página da globo.com um homem que ficou em coma por 23 anos na verdade podia ver e ouvir tudo a sua volta?!
    Efatá!!

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails