Este blog, criado em janeiro de 2007, é dedicado à minha filha Flavia e sua luta pela vida. Flavia vive em coma vigil desde que, em 06 de janeiro de 1998, aos 10 anos de idade, teve seus cabelos sugados pelo sistema de sucção da piscina do prédio onde morávamos em Moema - São Paulo. O objetivo deste blog é alertar para o perigo existente nos ralos de piscinas e ser um meio de luta constante e incansável por uma Lei Federal a fim de tornar mais seguras as piscinas do Brasil.

MÍDIA: O CASO DE FLAVIA NO JORNAL "O GLOBO"

- 8 de junho de 2008
Jornal: O GLOBO 01.06.2008.Foto de Anderson Prado e reportagem de Tatiana Farah

Conforme mencionei no post anterior, saiu uma reportagem sobre a história de Flavia no Jornal O GLOBO do 01.06.2008. Como ninguém conseguiu acessar a reportagem pela Internet, transcrevo-a aqui, quase na sua totalidade.

São Paulo. Apesar de tantos anos de espera por justiça, da angústia de olhar para a filha e não saber o que será do dia seguinte, nem saber se ela está, de fato “neste mundo”, Odele Souza, diz não ter raiva. Ela não se sente nem vítima nem heroína:

- Sou uma mãe como qualquer outra, que foi colocada numa situação especial. Não posso ser fraca porque Flavia não pode contar com uma mãe fraca. Não tenho raiva, tenho é indignação e perplexidade. Não entendo a postura das pessoas, do valor que se dá à vida. Ninguém está preocupado com a rotina dolorosa de minha filha.

Além do longo trâmite do processo na justiça, Odele teve de amargar uma acusação feita pelos réus no processo. "Porque ela não acompanhou esta filha (na piscina)?” Fui enquadrada por uma juíza como co-responsável pelo que aconteceu à Flavia, - conta Odele, que não tem sentimento de culpa.

Flavia ficou no Hospital por oito meses. O advogado da família José Rubens Salgueiro Machado de Campos, explica o acidente: quando a menina estava mergulhando próximo ao ralo, teve seus cabelos sugados, o que provocou o afogamento. A força para desprendê-la foi tão grande que a menina ficou com uma falha no couro cabeludo:
- A sucção foi tão forte que ela ficou presa no fundo. A gente não soube determinar por quanto tempo. O irmão a salvou.

O advogado enumera pontos críticos, inclusive a falta de orientação do fabricante quanto à colocação dos ralos nas piscinas e especificações técnicas:
- Sem nenhum assessoramento, a pessoa que instalou o ralo do condomínio, comprou um equipamento três vezes mais potente do que o necessário para a limpeza daquela piscina, sem supervisão. Isso ficou claro na perícia judicial.

Enquanto aguarda a chegada do caso ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) Odele e Flavia comunicam-se com o mundo por meio de um blog. “Flavia, Vivendo em Coma”, recebeu 72 mil visitas em um ano de existência.
No blog o relato da tragédia, fotos, depoimentos de outros acidentes, reportagens sobre crianças e adultos que morreram ou se feriram em situação semelhante. E muitos depoimentos de apoio à luta de Odele.


- Esse blog tem dois objetivos: Um é protestar, e o outro é alertar as pessoas. Os amigos que vieram pelo caminho, acabaram sendo um presente.
Esses novos amigos mandam lembranças, como fotos para enfeitar o quarto de Flavia, e arquivos sonoros para alegrar seu dia. Mas e os velhos amigos?


- Eu me dei conta de que a dor alheia a longo prazo é insuportável para o ser humano. As pessoas se afastam porque não sabem mais o que dizer. Os amigos antigos se cansam da nossa dor: Acho que pensam: “O que mais eu digo para consolar essa mulher?” E trocam de calçada. Mas não é por mal, é por uma sensação de impotência. As pessoas precisam aprender a lidar melhor com a dor.

Se Odele tem esperança?
- Digo que minha esperança mudou de rumo. Não acho que Flavia vá se levantar. Mas tenho esperança na capacidade das pessoas de defenderem seus direitos. (TF)

Se Odele Souza pudesse refazer o verso “Saudade é arrumar o quarto do filho que já morreu”, diria que saudade é olhar para a filha e não poder “ver o seu sorriso, não receber o seu abraço, não ouvir seus passos pela casa”. É disso que a mãe de Flavia, uma moça de 20 anos, e que está há dez em coma, sente falta.


- Quando vi o caso Isabella (Nardoni), achei todos loucos. Eu lutando pela vida de Flavia e eles jogando uma criança saudável pela janela? – conta a secretária bilíngue, que, num dia ensolarado de janeiro, viu, pela janela do apartamento, o caos na piscina do prédio,onde a filha, então com 10 anos, brincava com o irmão mais velho e dois colegas dele, também adolescentes. Flavia tinha l,50metros de altura; a piscina, 95 centímetros de profundidade. A menina sabia nadar e estava acompanhada. Odele jamais imaginou que, enquanto mergulhava, os cabelos de Flavia seriam sugados pelo ralo da piscina. A menina tocava teclado e sonhava ser modelo.

Flavia vive em coma vigil, que se caracteriza pelos olhos abertos, em movimento constante. Responde a estímulos sonoros. Não está ligada a qualquer aparelho, mas passa por um complicado processo de aspiração cerca de dez vezes por dia. Alimenta-se com uma sonda ligada diretamente ao estômago, pois não tem condições de deglutir. Está desligada do mundo

Odele briga há dez anos com a empresa fabricante do ralo, com a seguradora do condomínio e com o condomínio, do qual se mudou depois da tragédia. A primeira sentença na justiça deu à mãe e filha uma indenização de 104 mil reais Mas houve recurso e a família é quem banca as despesas com a saúde de Flavia.
- O valor da indenização é aviltante - diz Odele que deixou o emprego para cuidar da filha.
Fim da reportagem.

A reportagem não mencionou, mas todos sabem que venho mencionando aqui no blog de Flavia, o nome dos réus deste longo processo:

Fabricante que vendeu o ralo sem suficiente  orientação técnica: JACUZZI DO BRASIL
Seguradora do Condomínio: AGF BRASIL SEGUROS
Condomínio que trocou e instalou o novo ralo sem solicitar orientação técnica:
- CONDOMÍNIO EDIFÍCIO JARDIM DA JURITI
Avenida Juriti, 541 Moema – São Paulo.

Meu trabalho neste blog é escrever sobre o acidente de minha filha, de forma a não deixar que a história dela caia no esquecimento, como certamente desejariam os réus. A mídia tem papel fundamental nesse sentido, por isto agradeço à jornalista Tatiana Farah do jornal O GLOBO, por esta reportagem.

Muito obrigada e até o próximo post.

Meu nome não é Odete, como algumas pessoas escrevem nos comentários, é Odele, com L e não com T.
Obrigada.

48 comentários

  1. A coragem e a persistência, Odele, conseguem despertar consciências. Foi bom saber que a imprensa voltou a falar no assunto, que nós aqui não podemos esquecer. Esperemos que a justiça também se mexa em breve.
    Abraço do Zé

    ResponderExcluir
  2. Querida Odele, você fez bem em publicar a matéria. Está bem detalhada, por sinal.
    Meu grande abraço para você e um beijão grandão para Flavinha.

    ResponderExcluir
  3. Odele:

    Obrigada por publicar a matéria. Eu não sabia que você tinha sido julgada como co-responsável.Estou estupefata! Afinal, até quantos anos deveriamos acompanhar nossos filhos a piscina, segundo a juiza? Dezoito seria suficiente? Tento não me indignar, mas confesso que é impossivel.
    De qualquer forma, acho muito bom que o assunto tenha voltado a midia. Quanto mais visibilidade, mais chances há de se ter justiça.
    Beijos as duas

    ResponderExcluir
  4. Odele, ótimo a matéria ter saído em um jornal de excelente circulação. Mas ainda estão te devendo mais - a falta dos nomes dos responsáveis, por exemplo, o que entendo, já mídias vivem de anúncios, enfim uma lástima - e ainda tenho esperanças na Record.
    Vou continuar tentando. Quem sabe, Deus dá uma mãozinha!
    bj
    maris

    ResponderExcluir
  5. Obrigado pela publicação da reportagem e nuncaé demais toda a publicitação do caso por duas razões:
    - para que se faça justiça de uma vez por todas e
    - para que não ocorram mais casos.

    Estarás...estarão sempre no meu coração e acredito que em breve acabará todo esse inferno da "lentidão da justiça", que se faça justiça e ainda mais em paz continuarás a tratar da tua, nossa Flávia.

    Um beijo nesse coração

    ResponderExcluir
  6. ola... adorei seu blog.. e nao podia deixar de comentar!!!
    mo' gostou muito, da mesma maneira que o blog, obrigado muito.
    Bjos

    ResponderExcluir
  7. Odele, a reportagem serviu para exemplificar a lentidão do judiciário, mas se eximiu de citar os réus. Eu esperava mais de um jornal como O Globo.

    Por outro lado, quem lê jornal de qualidade é uma pequena parcela da população, porque a grande massa se informa mesmo é pela tv, e o alerta sobre o perigo desses ralos fica prejudicado.

    Quanto à decisão sobre o recurso, só sairia rapidinho se fosse sobre a filha de alguma "celebridade" ou "autoridade". Às pessoas comuns, resta manter as forças e esperar pacientemente...

    Um beijinho.

    ResponderExcluir
  8. Olá Odele!

    Fico feliz quando vejo a imprensa cumprindo com seu papel!

    O jornalista tem uma responsabilidade social muito grande, e sem dúvidas, a mídia pode contribuir muito com este caso. Espero realmente que isso aconteça!

    Um forte abraço para ti e para Flávia!

    Murilo

    ResponderExcluir
  9. Oi Odele. Conforme combinamos, vou sinalizar sobre a matéria no meu blog, colocando o link do seu, para que mais pessoas possam ler e divulgar. Sempre sempre na esperança de que mais jornalistas se interessem por esta pauta. Beijão!

    ResponderExcluir
  10. Odele, bom dia! Flavia, bom dia!
    Já estava mais que na hora da imprensa cumprir seu papel! Muito boa matéria.
    Ainda sobre aquele assunto de sensibilizar de baixo para cima, sugiro planejar formas de "atingir" os funcionários da Jacuzzi e líderes de opinião relacionados à empresa. Sim! Porque através deles, é bem provável que você consiga mais apoio e também gere mais notícia. A imprensa trabalha com o que é notícia. E querendo ou não (e nunca o correto!) a justiça também. Veja o caso Isabella: muitos fogos de artíficio nestes ultimos dois meses, mas agora experimente procurar alguma coisa sobre o tema no jornal de hoje. É uma notícia "morna" até que o caso tenha outra reviravolta. Sei que o dia-a-dia cansa, mas vá digerindo esta idéia e se achar viável, me fale. Mesmo a algumas centenas de kilometros, poderei ajudá-la.
    Beijo no coração de vocês duas, Desirée

    ResponderExcluir
  11. Força e esperança! Eu não conhecia essa história e vi o link no "Jabuticaba Brasil". Estou realmente emocionado, me sinto revoltado com a situação e triste pela demora da justiça e, principalmente, pelo que você e a Flávia estão passando. Nessas horas pergunto por que isso acontece com pessoas de bem... Tanta gente ruim e pessoa sboas, crianças, sofrem com esses acidentes, frutos de irresponsabilidades de quem não tem amor ao próximo, nem respeito. Desejo, sinceramente, que, mais do que a justiça, a Flávia volte logo... Irei divulgar seu caso em meu blog.

    Abços e fique com Deus!

    ResponderExcluir
  12. Fizeste bem em publicar a reportagem. De facto, aqui em Portugal não temos acesso à vossa imprensa.
    A reportagem está muito bem feita, escrita com rigor e sensibilidade. Penso que será mais um marco importante na luta, persistente e empenhada em prol de um desfecho justo do caso que ,ao fim destes anos todos, ainda se arrasta nos vossos tribunais.
    E, mais uma vez fica patente, a tua imensa dignidade; a forma, ao mesmo tempo, elevada e amorosa, como falas da tua filha e de tudo o que têm sido estes anos após o acidente.
    É bem verdade que alguns dos amigos que por aqui têm aparecido, se têm retirado, por acharem que, de algum modo, já nada têm para acrecentar.Admito que eeses casos possam ocorrer. E tu, com a dignidade a que atrás me referi, até compreendes e aceitas que isso aconteça.
    Mas também te quero dizer que tens por aqui um "núcleo duro" de gente amiga, que jamais baterá em retirada.
    Estaremos sempre coonvosco, em todos os momentos.

    ResponderExcluir
  13. O mais incrível é uma pessoa ter que ficar lutando na justiça para ter o mínimo para uma criança que teve sua vida "normal" roubada. A impunidade no Brasil faz com que aconteçam inúmeros casos diariamente e as pessoas passam de seres humanos a dados estatísticos. Deveria haver uma punição compulsória, sem que a mãe tenha que se desgastar ainda mais para ter o mínimo que sua filha precisa. Mas porque olhar para o lado??? Não foi comigo que aconteceu??? Ou será que a empresa não tem condições financeiras de indenizar esta família? E como se come, se dorme, se toma banho depois de uma vida completamente modificada??? Talvez Deus responda!!! Como se não bastasse a tragédia, a mãe ainda é obrigada a ouvir besteiras do tipo pq não estava com ela na piscina??? O que ela poderia fazer se estivesse lá? Que tentativa ridícula de inversão de responsabilidade... Então pq agora não há ninguém da empresa ajudando a cuidar da menina??? São responsáveis sim... E cruéis, frios e pq não dizer ruins!!!
    Que Deus os perdoe... ainda que tarde!!!

    ResponderExcluir
  14. Oi, Odele!
    Desculpe o sumiço, mas vou protocolara entrega da minha monografia essa semana, estou numa correria insana.

    Muito boa a matéria. Acho que colocou muito bem o que vc vem dizendo no blog durante todo esse tempo. Esse tb é o papel da imprensa, fiscalizar o poder judiciário, mostrar para as pessoas como ele vem se posicionando em relação a casos como o da Flavia. Espero que repercuta da forma necessária, que conscientize os leitores.

    Assim que der um tmepo na faculdade quero gravar um áudio para a Flavia. Já selecionei alguns poemas.

    beijo e boa semana,
    Anelize.

    ResponderExcluir
  15. Odele,vesti a carapuça.Realmente é assim,as vezes venho aqui e não comento por não saber o que dizer que sirva de conforto ,por me senti impotente diante de uma situação que se eu pudesse mudaria de uma vez;e em vez quem pode fazer justiça não faz nada.
    Serei se você me permitir uma velha amiga,não abandonarei vocês por falta do que dizer ,nem que me repita sempre estarei com vocês e deixarei aqui sempre o meu olá.
    Bjs

    ResponderExcluir
  16. Dona Odele,

    que Deus permita que a Senhora continue sendo forte e consiga expor ao País tudo o que tem sofrido com a morosidade da "Justiça" e a desumanidade dos réus.

    ResponderExcluir
  17. Cara Odele,
    Que assim como a jornalista do O Globo soube fazer seu trabalho com sensibilidade, muitos outros jornalistas se unam nesse apelo. Que nós, que podemos usar abertamente a nossa voz, possamos falar pela Flavia.
    Que Deus esteja com vocês sempre!
    Mariana

    ResponderExcluir
  18. Prezada Odele, por acaso conheci o seu blog e me emocionei com a trajetória de amor e luta que você e Flávia vem trilhando. Me solidarizo com vocês e me disponho a ajudar no que for possível. Meu nome é Karla Martins, sou atriz e moro no Acre, qualquer coisa que eu possa colaborar conte comigo. Um beijo à você e a Flávia.

    ResponderExcluir
  19. Odele minha querida, a verdade é que as pessoas tem medo de serem amigos. Os que "mudaram de calçada", certamente não conseguem enfrentar o que está adiante, portanto não sabem o que podem lhe acontecer daqui a 10 minutos.
    Parabéns à jornalista Tatiana Farah, e, ao jornal pela excelente reportagem, relatando verdadeiramente a luta de uma mãe.
    Amiga, minha mãe passou por uma cirurgia no tornozelo, caiu em casa. Estou muito confiante, pois ela está muito animada, apesar de ficar somente sentada ou deitada(repouso por 45 dias). Ajude-me com suas orações, para que a cada dia mais eu me sinta fortalecida como você. E, estou sendo!!!
    Linda a foto no jornal, e, linda também a foto de Flavinha no colégio. Saudades ..., não?!
    Vamos adiante, vamos juntos(as) blogueiras rumo ao Planalto.
    Doces beijos à vocês...
    Elianinha .

    ResponderExcluir
  20. Força Odele, força amiga. Guenta firme...tanta gente do seu lado, sei que isso ajuda a seguir em frente. Beijos e muitos abraços pra vc e a bailarina adormecida...Fala pra ela que tia Paula mandou um beijo.

    ResponderExcluir
  21. Odele é de revoltar, tanta demora, tanta enrolação. Enquanto isso a vida vai passando, a menina sofrendo e a fammília se desgastando. É uma vergonha essa nossa justiça.Um grande beijão

    ResponderExcluir
  22. Amiga,

    estou a torcer por tí e pela Flavia, parabens por tua força,coragem, pelo amor que tens por tua filha e por conseguir mesmo com tantos problemas, ser uma pessoa tão atenciossa,carionhsa e solidaria.

    Abraços pra tí e Flavia.

    ResponderExcluir
  23. elisabete cunha10 junho, 2008

    Odele

    Se depender de mim,nunca cairá no esquecimento!

    você é um leoa!
    lutadora e valente!

    ps. queria o selinho da flavia pra botar no encanto.

    ResponderExcluir
  24. Odle
    Obrigada por teres publicado aqui a reportagem, Está muito bem feita e com muita sensibilidade! É bom que a imprensa cumpra o seu papel e fale no assunto. Quanto aos amigos que partem, muitos mais chegarão e ficarão para te apoiar na tua luta!
    Beijos carinhosos para vós.

    ResponderExcluir
  25. OI ODELE,

    A REPORTAGEM FICOU EXCELENTE, MAS MIDIA AINDA, SE CAISSE NUMA GLOBO DA VIDA, NO JORNAL NACIONLA, NO FANTASTICO, PQ TUDO QUE CHEGA POR LÁ, SEMPRE ELES DAO UM JEITO DE AGILIZAR AS COISAS.TORÇO PARA QUE A JUSTIÇA SEJA FEITA.
    ESTAREI SEMPRE PENSANDO, REZANDO POR VC!ES UMA LUTADORA, DEUS ESTA VENDO O QUE FAZES.

    BEIJO.

    PRI
    PS:LEIO SEMPRE SEUS POSTS.

    ResponderExcluir
  26. Odele querida
    Obrigada pela visita ao Interagindo.
    Que bom a imprensa está a par da situação da Flavia. Devido a abrangencia do jornal, a historia da sua filha continuará repercuntido até que a justiça a ouça também.
    Confesso sem constrangimento, que choro cada vez que passo por aqui. Imagino o quanto é dificil pra voce. Sei disso porque apesar dos anos, ainda choro de saudades dos meus filhos, e sei que é pra sempre.
    Continue lutando, você uma guerreira pela batalha que enfrenta tosos os dias, de ver os anos mais belos de sua filha roubados e sem poder mudar a realidade que é tão sofrida.
    Bjs no coração.

    ResponderExcluir
  27. Olá Odele

    faço votos para que a notícia do jornal "O Globo", não seja a única e que haja mais jornais a seguir este exemplo de boa e justa informação, porque, como nem só de pão vive o homem, é chegada a altura dos mídia, por momentos deixarem de lado as notícias vazias de conteudo que fazem e preenchem o dia a dia do povo brasileiro, cansados que estão de tantas injustiças.

    :-)
    força Odele

    bjs

    ResponderExcluir
  28. Roque Barros10 junho, 2008

    Odele, o jornal "O Globo" é importante passo para que mais pessoas conheçam a história de Flavia e se solidarizem; pode ter certeza que a Justiça já está em andamento. Acabei de te enviar um e-mail comentando a bela matéria, a bela foto, e a respeito dos belos pés de Flavinha, que vi aqui no blog. Um beijo para as duas, Roque.

    ResponderExcluir
  29. É essencial que não caia no esquecimento, Odele. A memória tem que perdurar e a justiça tem que se fazer!! Muitos beijos.

    ResponderExcluir
  30. Odele, querida...

    Hoje , por "jesuscidência" entrei no seu blog. Fiquei muito emocionada.

    Lembrei muito também do livro da Isabel Allende, Paula...

    Não desista de sua luta. E principalmente, não desista de você mesma....

    Quero ler sempre seu Blog e prometo que irei fazer alguma coisa para divulga-lo e te ajudar de alguma forma.

    Fique com DEUS. Entre em contato sempre.

    ResponderExcluir
  31. Odele,
    Parabéns pela luta, e pela preseverança. Como vês, este blogue tem ajudado e de que maneira à divulgação deste caso, tanto assim é que até os midia acabam por não terem como ignorar o assunto, e mesmo que não o queiram ele tem mesmo que ser notícia, porque através deste espaço tens tido o mérito (entre muitos) de não o deixares cair no esquecimento.
    Beijinhos.

    ResponderExcluir
  32. Mucho tiempo sin pasar por aqui, Odele.

    Un gran abrazo para ti y Flavia.

    Y que siga tu lucha.. no bajes los brazos.

    Un beso

    ResponderExcluir
  33. Te mando todo mi apoyo a ti y a tu hija. He publicado tu blog en el mío. Es el blog que me ha tocado más el corazón. Espero aportar mi granito de arena.

    Enhorabuena por esa fuerza que tienes. Es admirable. No tengo palabras.

    ResponderExcluir
  34. Buen día a todos ahí, también a la perrita que desordena la casa???, Odele mi amor, ¿cómo una madre enviaría a una niña a un lugar que es peligroso???, no tiene sentido lo que aducen!!!. Busqué el reportaje pero no lo encontré, suerte que lo pones aquí, lo publicaré en el blog!!!.
    Entiendo que tengas días de estar cansada mi vida, pero tienes que seguir, no puede quedar así, como bien dices tú "es un ayuda para otros padres, para que abran los ojos, que se interioricen en los peligros". No he pasado por ésto, pero desde el día que conocí a Flavia, a tí y tu familia, son parte de la mía. Lo hablo en mi casa, con amigos, con niños, con adolescentes, que se cuiden, que miren bien. Aquí los niños y adolescentes van solos a las colonias de vacaciones...los llevamos los padres y luego nos vamos a trabajar, creemos que van a estar bien cuidados SI NÓ, NO LOS DEJARÍAMOS!!!
    Cuando necesites de mi ayuda, sabes donde estoy, si quieres desahogarte tienes mi correo...te dejo ánimos, besos y abrazos muy fuertes!!!

    ResponderExcluir
  35. Odele,
    Fico muito feliz pela publicação no jornal "O GLOBO" do caso de Flávia. Certamente que esse facto irá reunir mais solidariedade não deixando de criar maior impacto para que a justiça seja mais rapida e eficaz.
    Um beijinho do tamanho do mundo para Flávia. Um beijinho do tamanho do mundo para Si.

    ResponderExcluir
  36. Meu nome é Karen e fiz o comentário acima.Só consegui enviar como Anonimo.

    ResponderExcluir
  37. Maria Sá Carneiro13 junho, 2008

    Odele:

    Bem mereces, que a imprensa divulge o caso escandaloso da tua Menina.
    Admiro te muito, pena estarmos longe.

    Beijo grande

    Maria

    ResponderExcluir
  38. Odele, desejo-lhes uma boa-noite e um lindo final de semana. Lindo, pois Flavinha é o "GRANDE", vosso AMOR!!!
    Beijos, Elianinha.

    ResponderExcluir
  39. Odele

    Devagar vcs conseguirao, nos conseguiremos, sua perseveranca e impressionante e Deus ira abencoa-las.

    Beijinhos e bom final de semana.

    ResponderExcluir
  40. Odele

    Manda o selinho para
    betescunha@gmail.com

    beijo na Flávia e em vc!

    ResponderExcluir
  41. É isso, o mundo finalmente abriu os olhos para a Flávia, os mídia também, daqui a nada a justiça também terá de abrir, não importa o quão poderosos são as seguradoras...

    Tenho hoje uma certeza, que não tive desde o dia em que vos conheci, a Flávia vai ter a Justiça que merece, disso não tenho dúvidas minha querida amiga.

    Beijão grande deste seu amigo, aqui do outro lado do Atlântico, e esse mesmo atlântico cheio de beijos para a Flávia.

    Beezz

    ResponderExcluir
  42. Odele, tudo bem com vocês?
    Espero que sim. E espero que tenha recebido o jornal que te mandei pelo correio. Só tenho a lhe agradecer por abrir-me a porta de sua casa e seu coração. A centopéia que vocês me deram está lindinha, colorindo a porta da minha geladeira. Que todos nós aqui em casa tenhamos "pernas" e paciência para enfrentar nossa luta diária. Assim como você tem!
    Um grande abraço pra você e pra Flavia.

    ps. meu colega te mandou as imagens? Qualquer coisa, me manda um email, tá?

    Tatiana

    ResponderExcluir
  43. querida Odele,

    Gostei muito de ler a reportagem ... que está muito bem feita ...

    oxalá mais órgãos da comunicação social se juntem a este ... tenho a certeza que sim ...

    beiinhos

    ResponderExcluir
  44. Minha querida ODELE mim sinter tão pequena a ler esta reportagem, tenho fé q sua filha vai voltar sei q pra Deus tudo é possivel, estou c vc nesta luta vou divugar, espalhar
    Força e luz pra vc's

    ResponderExcluir
  45. Odele, É incrivel como percebemos como somos pequenos e futeis com as preocupações banais do dia a dia quando nos deparamos com histórias de vida como a sua. Admiro a sua coragem, força e o amor que tem demonstrado com sua filia. Não desista nunca!!!!
    Percebi pelas matérias que estas desacreditada com Deus, mas se apegue em sua fé em Deus pois é ela que poderá ajudar a Flavia a despertar e não cerimônias e rituais religiosos. Quando a bíblia relata as curas que Jesus fez sempre demonstra que foi a fé em Deus que os curou. O nosso tempo não é o tempo de Deus, às vezes somos anciosos e não entendemos a sua vontade, mas Ele sabe todas as coisas e o tempo certo das coisas acontecerem, é preciso ter fé, sempre!!!!!

    ResponderExcluir
  46. AUGUSTO CESAR23 novembro, 2009

    QUERIDA MAE ODELE,

    SOU UM JOVEM BRASILEIRO QUE VIVO NA ITALIA... SOU DO RIO GRANDE DO NORTE.

    E NA MADRUGADA DE HOJE ESTAVA FAZENDO MEU VELHO GIRO NA INTERNET E NA PAGINA DO JORNAL ONLINE DA GLOBO O G1 NOTICIAS VI UM LINK COM O CASO DE SUA FILHA...

    FIQUEI MUITO TRISTE POIS SOU QUASE DA MESMA IDADE QUE ELA, E ME SENTI MAL COM A NOTICIA E A IMPULNIDADE POR PARTE DA JUSTICA BRASILEIRA PARA COM OS REUS.

    MAS COMO ACREDITO EM UM DEUS DE PROVIDENCIAS VAMOS ACREDITAR NA JUSTICA DELE E PORQUE NAO ACREDITAR QUE UM DIA FLAVIA DE UM SINAL SIGNIFICANTE QUE TE FASSA FICAR FELIZ NAO SO A VOCE MAS A MIN QUE APARTI DE HOJE COMECEI E TORCE POR ISSO.

    MEU EMAIL E: chantoeuropa@hotmail.com e meU contato telefonico 00393466300348

    FICA NA PAZ DE DEUS E ESPERO PODER TER CONTRIBUIDO DE QUALQUER FORMA.

    AUGUSTO CESAR

    ResponderExcluir
  47. Olá Odele

    fiqei muito triste por sua filha eu também tenho os cabelos longos e cacheados e vou tomar muito cuidado com os ralos espero que sua filha se recupere

    filha de Soraya
    Rachelle

    ResponderExcluir
  48. Olá Odele

    Sou Rosan, de Toledo - PR. Lí a reportagem na Época e este fato me emocionou muito. No ano passado perdi um grande amigo, meu irmão. Ele foi vítima de um câncer. Tive que lidar e encarar de frente a morte de uma parte da minha vida. Acho que posso entender um pouco seu comportamento diante de sua filha. Você é uma guerreira e espero sinceramente que tenha forças até onde for para seguir com tuas lutas. Só você sabe o que sente e o que passa contigo. Cuide-se tanto quanto cuida de sua filha. Ela precisa de você e você também dela. A grande questão ainda é o que somos? Ou não queremos acreditar na simplicidade de uma vida cronológica finita.
    Muita força e equilíbrio. Com um honesto sentimento de compartilhar um porquinho de sua dor.
    Rosan Luiz do Prado - Toledo - PR

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails