Este blog, criado em janeiro de 2007, é dedicado à minha filha Flavia e sua luta pela vida. Flavia vive em coma vigil desde que, em 06 de janeiro de 1998, aos 10 anos de idade, teve seus cabelos sugados pelo sistema de sucção da piscina do prédio onde morávamos em Moema - São Paulo. O objetivo deste blog é alertar para o perigo existente nos ralos de piscinas e ser um meio de luta constante e incansável por uma Lei Federal a fim de tornar mais seguras as piscinas do Brasil.

Silêncio, hoje só ouço o silêncio de Flavia

- 30 de outubro de 2011
Flavia aos 3 anos, conversando comigo.

“Mami , por que você insiste para eu comer carne? Eu não gosto de carne! 

“Mami, quantos anos eu preciso ter para você me ensinar a cozinhar?

“Mami, por que o cabelo da vovó Júlia não é crespo como o seu?

Essas eram algumas das muitas perguntas e conversinhas que Flavia tinha comigo. Sempre gostei de conversar com meus filhos. Sempre.

As crianças gostam de conversar com seus pais e lhes fazer muitas perguntas. As crianças são tagarelas. Mas nem sempre os pais têm paciência para lhes dar atenção, responder suas dúvidas. Ouvi-las. É comum os pais se irritarem com a tagarelice de seus filhos.

Hoje, quase 14 depois do acidente que deixou Flavia em coma vigil irreversível (ou estado vegetativo persistente), quando olho para minha filha, o silêncio de Flavia me devasta. Hoje, quando tudo o que eu queria era ouvir de novo a voz de minha menina, gostaria de dizer aos pais de crianças extrovertidas e tagarelas como Flavia era, para ouvi-las com amor, porque nunca sabemos quando a voz de nossos filhos poderá ser substituída pelo silêncio. Um doloroso silêncio.

Hoje a voz de Flavia é para mim uma imensa saudade. Como escreveu Eliane Brum, nesta matéria da revista Época. Saudade de sua voz.

Bom domingo a todos e até o próximo post.

Meu nome não é Odete, como algumas pessoas escrevem nos comentários, é Odele, com L e não com T.
Obrigada.

18 comentários

  1. Pois minha querida Odele ...
    não tenho palavras para te dizer seja o que for ...

    muitos beijinhos

    ResponderExcluir
  2. Odele querida,

    Compreendo tudo com um nó na garganta. E concordo plenamente com você.
    bjs
    Suely

    ResponderExcluir
  3. Oi, Odele
    Não há nada a ser dito...não há palavras...
    Receba meu abraço
    Sue

    ResponderExcluir
  4. Boa Tarde Odele!

    É com muita tristeza que tbem fico com um nó na garganta a ver o seu desabafo e concordo plenamente , vc tem toda razão temos que curtir muito nossos filhos e entes queridos e tbem os amigos , pois não sabemos ate qdo estaremos juntos com eles , temos que viver o dia de hj como se fosse o ultimo , amando a todos e não ficando bravos por qualquer motivo bobo , muitas vezes desperdiçando um tempo tão precioso,a unica coisa que possuimos realmente e que é nosso é esse tempo e a capacidade de amar , então meus queridos vamos amar incondicionalmente , um gde bjo


    Marilene e Camila( mãe do Miguel)

    ResponderExcluir
  5. Conforme já outras amigas disseram, este é um post que pouco nos permite adiantar mais. A não ser juntarmos ao silêncio da Flavia o nosso próprio silêncio, com a voz emudecida pela tua dor. E na emoção que fica para lá desse silêncio resta uma sentida homenagem à tua coragem à tua abnegação, à tua resistência.
    Um beijo carinhoso e solidário para ti.

    ResponderExcluir
  6. Não consigo dizr nada, sabes que estarei sempre de mão dada contigo fazendo parte de tantos que não se afastaram, e sem qualquer fanatismo e acreditando no que acredito, vamos cantar as duas com Roberto Carlos:

    Nossa Senhora

    Cubra-me com seu manto de amor
    Guarda-me na paz desse olhar
    Cura-me as feridas e a dor me faz suportar
    Que as pedras do meu caminho
    Meus pés suportem pisar
    Mesmo ferido de espinhos me ajude a passar
    Se ficaram mágoas em mim
    Mãe tira do meu coração
    E aqueles que eu fiz sofrer, peço perdão

    (...)

    Nossa Senhora me dê a mão
    Cuida do meu coração
    Da minha vida, do meu destino

    ..................ou

    Amigo(a)
    (...)
    Às vezes em certos momentos difíceis da vida
    Em que precisamos de alguém pra ajudar na saída
    A sua palavra de força, de fé e de carinho
    Me dá a certeza de que eu nunca estive sozinho

    Você meu amigo de fé, meu irmão camarada
    Sorriso e abraço festivo da minha chegada
    Você que me diz as verdades com frases abertas
    Amigo você é o mais certo das horas incertas

    ................

    e acredita que sou tua amiga e continuo a lutar e abraço-te para que tenhas coragem e fala para a tua filha, fala sózinha e deita cá para fora o que te vai na alma...

    Beijos de sempre e para sempre

    ResponderExcluir
  7. É mesmo Odele, tudo que dizes é verdade e eu te compreendo bem. Sempre gostei de falar com os meus filhos, de largar tudo por eles. As coisas, tudo muito arrumadinho não faz sentido se não tivermos tempo para as pessoas e sobretudo para as crianças.

    Beijinhos e tem dias com Flávia com amor, ela vai senti-lo, o amor sempre é uma coisa mágica, mas tira também uns bocadinhos para ti.
    É importante e rivitalizante.

    Beijos. Fica bem.

    ResponderExcluir
  8. Emoção...
    Ser mãe é amar, incondicionalmente! Independente das perspectivas...
    É acreditar em nossos filhos, sempre!

    Enquanto a fé e a esperança estiver em seu coração esperamos que sua(nossa) Flávia floresça.

    Um abraço forte e carinhoso, aqueles que só mães sabem dar.
    Deus te abençoe, abençoe sua princesa e toda a família!

    Lívia Andrade

    ResponderExcluir
  9. ...o que dizer nestas horas
    a um quebrantado coração
    de mãe, senão que só
    a misericórdia de Deus
    poderá ser o bálsamo
    deste desafio que a
    vida lhes impôs?

    admiro-te, alma linda!

    ResponderExcluir
  10. Uou Odele.
    Não sei o que dizer quando a única coisa que senti e sinto é tristeza.

    ResponderExcluir
  11. Qurida Odele,
    palavras, às vezes, são inúteis.
    Amo você e nossa queridinha. É só o que posso dizer.
    Beijos grandes.
    Leila Jalul

    ResponderExcluir
  12. Ah, Odele!! Tem que ter muita força para suportar os dias e essa saudade imensa! Não existem palavras que eu diga para confortá-la. Sinta-se abraçada por mim! Beijus,

    ResponderExcluir
  13. Só posso continuar a admirar a sua coragem e a sua força.
    Abraço do Zé

    ResponderExcluir
  14. Odele,muito triste seu relato!Não há como não se emocionar!Que Deus abençoe vc e a Flavinha!Bjs,

    ResponderExcluir
  15. Odele,muito triste seu relato!Não há como não se emocionar!Que Deus abençoe vc e a Flavinha!Bjs,

    ResponderExcluir
  16. Vivendo em Coma. Uma vida entre o céu e a terra (Crônica)
    Numa bela manhã, de qualquer das estações do ano, trafegando em uma estrada, nadando em um rio ou piscina, andando pela rua, subindo em uma árvore, algum imprevisto, pode vir a fazer de qualquer um de nós, um adormecido entre o céu e a terra.
    Na vida de Flávia, foi uma piscina com um defeito no suspiro de sucção da piscina do prédio onde morava.
    Por alguns minutos ficou presa e a falta de oxigenação do cérebro a deixou em coma.
    Uma vida que há anos encontra-se entre esse limite do céu e da terra. Só sabemos que Flávia dorme, e temos esperança que em breve acordará. Abrirá os seus lindos olhos e sua vida dará continuidade, por que é assim que cremos que acontecerá. Deus a tem preservado ao seu lado , dando-lhe ensinamentos, que muito bem fará a humanidade.
    Flávia, retornará cheia de vida, essa vida será plena de amor e perdão, retornará para os braços de sua mãe, Odele, aquela que jamais deixou de lutar por sua filha, e ambas lutarão, para sempre, uma vida de luta, luta pela própria vida, luta contra todas as injustiças, luta pela impunidade de alguns que não estão preocupados com as consequências de seus atos. Até quando será necessários, que, algumas de nossas crianças, nossos pais, irmãos e amigos sejam lesados, por uma falha no controle de qualidade de alguns serviços oferecidos, objetos de má qualidade, ou até mesmo, de falta de consciência de pessoas que abusam da bebida nas estradas? Pergunto ? Até, quando ? Seremos usados como testes de qualidade? e até quando, os Senhores Juízes, suas Excelências, darão prioridade para que esses crimes de lesões gravíssimas sejam punidas com o devido rigor? Estamos a espera. Alguns de nós talvez, não tenhamos o tempo necessário para que isso aconteça. Convivi com alguém, que passou em coma muitos meses, um doutor em Teologia,
    uma sumidade em sua área, sua vida quase tragada numa estrada, que o levou a ficar adormecido nos braços do Senhor Jesus, um dia abriu os olhos e retornou à sua vida, que jamais foi igual ao que era antes. Retornou ao seio de sua família, à sua esposa e filhos, aos amigos, aos seus alunos na faculdade de Teologia. Aprendeu em seu sono a amar muito mais seus semelhantes, e quando abria a boca para falar derramava preciosas pérolas da palavra de Deus, palavras essas, vivenciadas por sua própria vida e exemplo. Ainda permaneceu entre nós muitos anos, até que o Senhor Jesus, achou que precisava muito mais de sua companhia do que nós. Porque, assim como Jesus, ele também deixou um exemplo de vida a ser seguido. O Perdão, pois, perdoou quem o ferira, e amou seus semelhantes com amor incondicional.
    Meu amigo, Pr. José Monteiro de Oliveira. Retornou uma alma muito melhor, aprendeu nos braços de Deus, a viver nesta terra o amor
    Assim, aguardamos o retorno de Flávia, para que nos ensine a amar e perdoar nossos algozes. E aguardamos que a Justiça seja feita na vida de Flávia, em nossas vidas e em nosso País.


    Fadinha de Luz
    Postado por Fadinha de Luz às 12:20

    ResponderExcluir
  17. Sabes, Odele, que as experiências por que passamos nesta vida efémera faz, a quem passa por elas, dar mais valor às coisas? Sabes de certeza.

    No entanto, um acidente que tirou o som das palavras pequeninas e curiosas à tua casa, já fez 13 anos, deu-te um novo alento. Outra forma de vida e de estar. Passou-se o mesmo comigo mas sem a gravidade do teu caso.

    De qualquer forma, Odele, o silêncio da minha cela não me afectava. Por vezes, era até benéfico. Mas sempre que necessitava de ouvir palavras naqueles três anos e meio de clausura, inventava amigos e personagens. Podiam até chamar-me de maluco, mas resultava.

    Não consigo estar no teu papel, amiga, mas sei que consegues falar com ela. E há pequenos sinais em que és correspondida. Simbologias que só tu podes detectar.

    ResponderExcluir
  18. Nossa lendo poucas de suas palavras chorei muito me cortou tanto o coração seu sofrimento,essa frase então Hoje, quando tudo o que eu queria era ouvir de novo a voz de minha menina, que coisa mais linda é o amor de mãe né! a gente nunca esqueçe de nada de um gesto uma palavra, nd nd! parabens odele por ser uma pessoa boa que posta em um blog a dor o sofrimento muitas veses mais tb o alerta pra esse pais hipocrita que prende uma pessoa por roubar uma abobora e nao faz nd a empresas que so sabem destruir sonhos vidas. parabens mesmovc é uma querreira pode deixar que vou colocar em minhas redes sociais sua luta! para que isso acabe ou que ajude a mais ngm passar pela sua dor!

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails