Este blog, criado em janeiro de 2007, é dedicado à minha filha Flavia e sua luta pela vida. Flavia vive em coma vigil desde que, em 06 de janeiro de 1998, aos 10 anos de idade, teve seus cabelos sugados pelo sistema de sucção da piscina do prédio onde morávamos em Moema - São Paulo. O objetivo deste blog é alertar para o perigo existente nos ralos de piscinas e ser um meio de luta constante e incansável por uma Lei Federal a fim de tornar mais seguras as piscinas do Brasil.

"Palavras que aquecem"

- 2 de abril de 2009
O texto a seguir é de autoria da cronista acreana Leila Jalul, amiga que fiz por aqui mas parece que a conheço desde que nasci.

"PALAVRAS QUE AQUECEM

Leila Jalul

Desde a vez primeira que acessei o blog FLAVIA VIVENDO EM COMA, no início do ano passado, um pouco antes, talvez, senti que Odele Souza é uma pessoa especial. Apesar de toda a tragédia que abalou sua vida, mudando-a em todos os sentidos e direções, Odele não deixou que o marasmo e o conformismo tomassem conta dela.


Confesso, uma, duas, três vezes e até mais que, fosse por mim, com a fragilidade que me acompanha, já teria desistido da luta. No primeiro ano, não. No segundo, talvez não. Do terceiro em diante, não sei dizer. Sou daquele tipo de gente otimista, briguenta e cheia de denodo. Por pouco tempo, claro! Isso não é uma afirmação definitiva e peremptória. O sofrimento modifica e, se em lugar de Odele, acho também não entregaria o jogo no primeiro tempo.

Hoje, lendo o blog com uma constância diária, vendo o que vejo, lendo o que leio, talvez mudasse meu nome e minha interpretação sobre lutas e lutadores. Reavaliaria meus conceitos sobre amigos, sobre amizades e sobre o sentido implícito e explícito das palavras. Destas últimas – as palavras, sempre as palavras -, faria um doutoramento sobre a física térmica, calorimétrica e aconchegante que irradiam.
Isso dá nó na minha cabeça, mas, por outro lado, desata nós da minha sensibilidade. As palavras aquecem e dão eias, empurrões e apoios logísticos. As palavras são verdadeiros anteparos, elmos e armaduras contra o desânimo.

Peciscas, Isabel Filipe, Fatyly, Adesenhar, Lídia Soares, Nuno de Sousa e toda a gente da pátria mãe – Portugal, e outros e mais outros e muitos mais outros de muitos países de línguas distintas, inclusive do Brasil, mandam calor, carinho e admiração pela luta de Odele, até que se esgotem as instâncias, até que feneçam todas as tentativas. Isso é fantástico!

Odele sabe que Flávia, salvo um milagre (milagres são sinônimos de impossibilidades), jamais voltará a ser a bela criança fagueira e toda prosa, com o crescimento normal e bem posicionada no tempo e no espaço. O tempo não pára. Em tradução bem trágica, mesmo que haja o milagre, Flávia jamais saberá sobre o primeiro sutiã, a primeira menstruação, a paquera da hora e do amor da hora incerta. Flávia jamais saberá o que é rebeldia contra pai, contra mãe e contra irmãos ciumentos.

Odele luta. Já não luta por Flávia, apenas e tão somente. Aumentaram, dilataram, a partir de sua luta individual os seus desejos por justiça e pela implementação dos direitos básicos. Odele tem compreensão de que não é a única sofredora do universo, o que costuma acontecer com pessoas de baixo calibre de inteligência. As palavras que a aquecem, os amigos que formou na nas fileiras dos guerreiros pelos direitos humanos de alas universais, não a deixaram egoísta e paralisada. Odele integra a grande coluna muitas vezes pouco ouvida e compreendida.

Minha admiração por você, Odele, é que você absorveu o calor de todas as palavras que aquecem. Vá. Siga em frente até onde lhe permita o limite do direito de lutar.
O calor das palavras aquecem e impulsionam.
Vá, por Flávia e pelos que clamam por justiça. Vá!

Leila, MUITO OBRIGADA por suas palavras tão bonitas. Especial é você que apóia a causa de Flavia, mas tem consciência de que muitas outras Flavias existem por aí emudecidas e esquecidas. Especiais são todas as pessoas que por aqui passam e que se manifestam através dos comentários que deixam, pois suas palavras realmente me aquecem. Especiais são aqueles que mesmo em silêncio visitam o blog de Flavia e torcem por justiça para ela e para todos que de justiça precisam.
O meu carinho pra vocês e até o próximo post.

AGRADECIMENTOS DE LEILA PELOS COMENTÁRIOS DEIXADOS SOBRE ESTE TEXTO, "PALAVRAS QUE AQUECEM", DE SUA AUTORIA:
"Aos amigos quero expressar agradecimentos pelos comentários sobre as palavras que dirigi à amiga Odele. Qualquer coisa que diga para esta brava mulher será sempre pouco.
É dito e sabido que o peso do sofrimento não ultrapassa a capacidade de suporte dos ombros. Mesmo assim tenho absoluta certeza que Odele se alimenta das palavras de seus amigos. Ela é serena. Expressa suas insatisfações sem marcas de ódio e tem doçura na voz. Alguns de nós já vimos Odele participando em programas de televisão. Nos dois que vi, observando seu semblante, nitidamente percebi que o equilíbrio é sua marca maior.

Não fiz favor ao nominar os amigos portugueses. Não deixei de exaltar os demais. São muitos brasileiros e alguns outros de países vizinhos. Uns tantos mais presentes, uns mais rareados. Todos importantes. Todos emanando calor nas palavras de apoio que aquecem Odele diretamente e à querida Flavinha, por intermédio dela. É no quarto de Flávia onde está o computador para, entre um cuidado e outro, entre um afeto e outro, Odele sentar-se e transmitir aos quatro cantos do mundo a longa batalha judicial que vem travando e que ainda não se esgotou. É dali, daquele cantinho, de onde partem belos textos de apoio a quem de justiça precisa. O blog é quase um serviço de utilidade pública e um veículo de propagação do amor.
Um grande abraço aos amigos de Odele (meus também, pois os admiro a todos). Um enorme afeto para minhas queridas Odele e Flávia."

Meu nome não é Odete, como algumas pessoas escrevem nos comentários, é Odele, com L e não com T.
Obrigada.

29 comentários

  1. Odele,

    O que aquece não é a palavra em si mesma, e sim quando o nascedouro dela é o coração.

    A sua amiga Leila é dessas pessoas especiais, que cruzam nossas vidas para nos fortalecer no caminho.

    Muito lindo e comovente o que ela escreveu.

    Beijinho pra você.

    ResponderExcluir
  2. As palavras de Leila são maravilhosas ... e reflectem tudo aquilo que eu também sinto ...

    beijinho para ti Odele
    beijinho para ti Leila

    ResponderExcluir
  3. As palavras quentes da Leila são as palavras que eu gostaria de poder saber dizer. Mas partilho-as. Do fundo. Muitos beijos.

    ResponderExcluir
  4. Odele mi discurpiiiii mas vou falar com Leila, que com toda a certeza e no tempo que dispõe, lê os comentários:

    Leila, quando escreves

    "toda a gente da pátria mãe – Portugal, e outros e mais outros e muitos mais outros de muitos países de línguas distintas, inclusive do Brasil, mandam calor, carinho e admiração pela luta de Odele, até que se esgotem as instâncias, até que feneçam todas as tentativas. Isso é fantástico!"

    fiquei comovida pela realidade e ternura das tuas palavras, mas sabes que desde que entrei na roda em torno da causa de Flávia e dei as mãos, fazendo mais um elo, tenho aprendido tanto, mas tanto com a Odele e com todos os comentadores.

    É um facto "o calor das palavras aquecem e impulsionam" quem se fragilizou, quem tem "uma pena viva entre mãos" e quantas e quantas existem por este mundo fora, atiradas pela incúria de meia dúzia?
    Até aqui neste mundo de cabos aprende-se muito, mas também se apanha grandes dissabores porque, como lá fora, há gente de bem, do mal e do assim-assim.
    Faço o que posso utilizando todos os meios ao meu alcance.
    Parabéns por este teu testemunho em que visualizei cada palavra sentida e reafirmo as tuas palavras de mãos dadas do lado de cá do ocenao, longe mas tão perto: "Vá, por Flávia e pelos que clamam por justiça. Vá!"
    Obrigado Leila!

    Odele
    Ontem lembrei-me tanto de ti. Estive a ver um programa em directo num dos nossos canais - a TVI, das 14h às 17h, cujo tema era "Há anos que esperam indemizações".
    Um dos casos foi o de uma jovem, que com 10 anos foi colhida numa passadeira de peões, onde a velocidade é de 50km/h e o sujeito ia apenas a 139km/h, não se apercebeu, e parou 10 metros à frente devido à projecção da jovem.
    Hoje com 21 anos, numa cadeira de rodas, dependente dos pais, sempre em fisioterapia para tudo, disse algumas palavras, ou seja conseguiu-se ver a sua revolta. O caso continua na justiça há 11 anos, o sujeito levou 1 ano de "inibição de conduzir" e até hoje a Seguradora do automobilista pagou. ZEROOOOO!!! porque recursos atrás de recursos, com mentiras atrás de mentiras, entre elas que se atirou para a passagem de peões, blá, blá.
    Anotei cada caso contado na primeira pessoa e foi o meu trabalho depois do jantar: fiz um texto com a educação que me caracteriza, mencionando os casos, direcionando o programa e ENTUPIIIIIIIII todos os mails do nosso governo e as respectivas seguradoras implicadas nos assuntos.
    Farei o que puder, utilizando esta máquina por bem, apenas e tão só por bem e em prol de quem já tem a voz tão embargada pelo sofrimento.

    Desculpa a extensão deste comentário.

    O meu sincero OBRIGADO por tudo que me tens dado neste teu espaço e a todos que num aprendizado diário marcam a diferença neste mundo cão.

    Beijos e um chamego muito especial à tua/nossa Flávia

    Inté

    ResponderExcluir
  5. Minha querida Odele as palavras são mais que merecidas, a amizade que temos por vós também! Deixo-te o meu abraço aquele que tu sabes que te fala de AMIZADE...fica bem minha querida...um beijo terno a Flávia...

    ResponderExcluir
  6. Faço as palavras da Leila minhas palavras, não sei se continuaria em frente mas só quando passamos por elas é quesabemos, embora já tive muitas provas ao longo da minha pequena vida mas são uma gota de água comparando com Flavia.
    Nós mulheres somos assim, duras :)
    Só passei para vos deixar um enorme beijo.

    ResponderExcluir
  7. Há palavras e gestos assim.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  8. Contra o que é costume, hoje o meu comentário vai ser mais breve.
    Porque depois destas palavras tão bem escritas e tão certeiras da Leila, tudo o mais que eu pudesse dizer seria bem pálido comparado com esse excelente texto.
    Quero, no entanto, agradecer à Leila, o facto de ter referido a minha presença no núcleo de amigos que estão, de pedra e cal com a Flavia e a Odele.
    E queria enfatizar o que a Fatyly arás escreveu, sobre o muito que tem aprendido com o exemplo da Odele.
    Eu posso mesmo dizer que, desde que conheci este blog e o exemplo desta mulher extraordinária, me senti crescer como pessoa, apesar de já me situar no "entardecer da vida".Porque saber que há gente assim, capaz de lutar com coragem e denodo, mesmo sabendo que os obstáculos são poderosos e, em certos aspectos,intransponíveis, contagia-nos e mostra-nos que os nossos pequenos problemas diários têm uma dimensão diminuta.E que, afinal, podemos sempre ir um pouco mais além.

    ResponderExcluir
  9. Por lapso, o comentário anterior não foi assinado com o meu nickname, como devia.

    ResponderExcluir
  10. Olá Odele. Como já deve ter reparado, sigo o seu blog sobre a Flávia. Não tenho palavras para descrever o que me invade a alma. Sei apenas, que me sinto uma formiga, ao lado de um gigante quando leio sobre a sua luta. Sigo cada passo, cada explicação, cada revolta. Contudo há uma coisa que me escapa e gostaria de saber com mais detalhe. Como é o dia a dia de Flávia, na realidade, como é estar em coma vegetativo. Se for à internet pesquisar encontro, mas não é isso que pretendo. A mim, só me interessa saber da Flávia. Como é feita a alimentação, higiene, etc. Como lidam diariamente com essas rotinas. O que precisam, o que aconselham? Será interessante passar essa informação a outras pessoas na mesma situação.



    Continue a lutar. Eu farei o mesmo aqui, nem que seja só pelo pensamento!

    Um beijinho,



    Patricia Correia

    ResponderExcluir
  11. Odele,

    Gestos assim,palavras assim, não aquecem somente o coração,mas também a alma,sublimando o carinho e a amizade na certeza de que não está só.

    E é bom demais saber disso não é mesmo?
    Fiquem com Deus querida, um beijo carinhoso a vocês duas,
    Cris

    ResponderExcluir
  12. Olá, olá

    Já há algum tempo que acompanho a história da Flávia.

    Tenho passado por aqui silenciosamente, por não encontrar as palavras adequadas, por não saber o que dizer à sua luta, à sua coragem e determinação.

    Tenho 3 filhos, os dois mais velhos com 10 e 14 anos e também eles, já leram a história da Flávia.

    Através da sua história pude mostrar-lhes os perigos que podem encontrar numa piscina, como a vida de uma criança saudável pode mudar e como temos que ser solidários e aprender a lidar com a diferença de forma efectiva e empenhada.

    Obrigada pelo seu relato e gostava de lhe dizer, mesmo que a justiça não tenha funcionado (infelizmente parece ser igual a Portugal)na sua totalidade, tenho a certeza que este blogue mostrou a muitas pessoas, uma nova forma de encarar a vida, uma nova forma de lutar pelos seus direitos.

    Mostrou-nos que o AMOR é um sentimento de cá de dentro, do fundo do nosso coração, da nossa alma e só uma pessoa, de luz, pode amar assim, de forma incondicional como a Odele.

    Muitos beijinhos

    ResponderExcluir
  13. Sábias palavras. Assino embaixo também!!

    Escolhi você para dar o selo Grandes Atitudes, passe lá no blog, afinal você é uma mulher de atitude!!!

    Um grande abraço.

    Antonia

    ResponderExcluir
  14. O que dizer, minhas corajosas amigas?
    Saiba que voces estão sempre no meu pensamento e nas minha orações.
    É impossivel passar por aqui e não se emocionar.
    Bjs nessas meninas guerreiras.

    ResponderExcluir
  15. Odele

    Numa caminhada tão longa, e com tantos escolhos, certamente que as palavras e os afectos, que foste angariando em profusão, foram determinantes para prosseguires sem nunca demonstrares desânimo nem cansaço. Apenas mágoa por a justiça não se cumprir e por não poderes dizer aos que te acompanham: conseguimos!...
    Apreciei o texto da Leila mas acho que nós nunca sabemos até onde podemos ir. São as circunstâncias que testam a nossa resistência.
    Porém quero dizer-te também que o meu incentivo é o reflexo da tua força e que me tens dado muito cada vez que te visito. Aprendi contigo que a preserverança é um afecto em ebulição, que arrasta outros e que nos torna mais humanos e mais capazes de lidar com a dor.
    Aprender contigo é um privilégio porque tu és em si uma lição de vida.

    Continua, amiga.
    Estarei sempre convosco.

    ResponderExcluir
  16. Todos que conheçem o caso, não conseguem ficar impassiveis (talvez alguns "vendidos" em Brasilia, mas isto agora não vêem ao caso), pois você demonstra um senso inabalavel de justiça que serve de exemplos a outros...

    Fiquem com Deus, menina Flávia e menina Odele.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  17. Querida Odele e Flávia!
    Oferece-vos


    AS PALAVRAS


    São como um cristal,
    as palavras,
    Algumas , um punhal,
    um incêndio
    Outras,
    orvalho apenas,

    Secretas vêm, cheias de memória. inseguras navegam:
    barcos ou beijos,
    as águas estremacem.

    desamparadas, inocentes,
    leves,
    tecidas são de luz e são a noite.
    E mesmo pálidas
    verdes paraisos lembram ainda

    Quem as escuta? Quem as recolhe, assim,
    cruéis,desfeitas,
    nas suas conchas puras?
    Eugénio de Andrade

    As vossas palavras sâo estas todas
    e eu estarei convosco

    ResponderExcluir
  18. Odele,

    Chamo-me Liliana e vivo em Viseu(Portugal). Por curiosidade, consultei 1 blog indicado pela Maria Emilia Pires e, então, foi com imensa emoção que li o que aconteceu à Flávia. Nas minhas orações pedirei a Deus pela sua menina, e que lhe dê muitas forças para ser forte. Que Deus a abençoe. Com muito carinho,
    Liliana

    ResponderExcluir
  19. Não tenho palavras!!!!!Tenho este meu sentir e emocionar com as coisas belas e sinceras..
    Um beijo às duas de carinho bem grandes

    ResponderExcluir
  20. ....

    A amizade é, de facto, um sentimento muito especial.

    Um abraço

    ResponderExcluir
  21. Nossa Senhora de Fátima esteja sempre olhando para a nossa menina e dê a graça de justiça dê a nós o milagre de ver a menina despertar para a vida amém.

    Sheila

    ResponderExcluir
  22. A amizade é que nos aquece, e a procura da Justiça e o alerta para a sociedade é o que nos move.
    Abraços do Zé

    ResponderExcluir
  23. Carinhosamente passando.

    Deixo a minha amizade!

    ResponderExcluir
  24. Concordo plenamente com a Leila. Qualquer palavra que dissermos para traduzir sua luta, minha amiga, nunca será digna da sua grandeza. Grande beijo para você e para Flavia.

    ResponderExcluir
  25. e eu estou presente desde o primeiro segundo que tomei conhecimento da história de Flávia.

    na altura também bastante em baixo por causa de outras lutas e a causa de flávia, foi a causa que mais me ajudou a superar os meus problemas, porque aprendi a ver que no mundo não sou apenas eu que sofro.

    a causa da Flávia é acima de tudo uma lição de vida, de solidariedade, de amor, de carinho, de empatia, de braços abertos e mãos estendidas, essencialmente de amizade.

    e Odele para mim é diva e raínha deste luta! Batalha após batalha vai ganhando a guerra, não obstante a irreversibilidade do coma de Flávia.

    Odele e Flávia são um exemplo inequívoco para o mundo e re.lembro A TODOS, amigos e leitores, às centenas, aos milhares, que por aqui passam, que pensem:

    quantas vezes nos aborrecemos e entristecemos e esmorecemos por problemas que na prática nada são?

    perante o caso de Flávia o que representam os nossos aborrecimentos?

    N____A____D____A

    uma menina linda e perfeita, a quem foi roubada a vida graças à incompetência e irresponsabilidade daqueles que, apenas procupados com o ganho fácil, deixaram uma menina à mercê de um mundo QUE NÃO PODE VER!!!

    querida Odele, sabe como gosto de SI.

    estou sempre aqui. e sempre estarei enquanto for presença nos dias que passam.

    e deixo um beijo para Si MÃE ADMIRAÇÃO e outro para FLÁVIA, menina de um mundo sem mundo.

    e saio ______________ comovido.

    ResponderExcluir
  26. passei para te deixar um abraço, e fique com Deus

    ResponderExcluir
  27. Hola

    me qued� asorada al leer la historia, totalmente me solidarizo con la familia de Falvia, no pude pegar el video que es excelente, y la reflexi�n es ... cambia la vida en un minuto

    un saludo a todos

    alejandra

    ResponderExcluir
  28. Odele.(guerreira)Sim, foi essa impressão que me passou ao conversarmos hj e ao ler o blog da Flávia.Lí todo, e confesso ter me emocionado muito, e acredite quero de alguma forma ajudar a fazer coro desse seu clamor por justiça, e conforto...existe um dizer bíblico que minha mãe costumava dizer..."Deus dá o friu, conforme a roupa"...creio que Deus tem te dado forças para suportar toda essa provação.Minha emoção também se mistura com uma indignação muito grande por todos os tramites "legais", que fazem com que até hj exista essa luta travada com a justiça por algo que devia ser obrigação, como muitos de seus amigos virtuais expressaram aqui.Gostaria de poder fazer algo a mais para ajudá-la nessa luta.Porém farei a partir de hj o que acredito ser uma alavanca na nossa vida: Orar a Deus por vocês, de coração Odele.Deixo as palavras mais sinceras que meu coração pode exprimir nesse momento, em que participo, de certa forma dessa sua dor tão profunda, que te faz seguir em frente.Um grande abraço a você "guerreira" e ao anjinho Flávia.

    ResponderExcluir
  29. Tomaz Castrisana23 novembro, 2009

    Minha cara Odele, entendo um pouco de sua dor e de sua dedicação. Passo por algo parecido mas infinitamente menor, estou com minha esposa em coma vigil , extamente como a Flavia. Sem aparelhos, apenas traquio e sonda de alimentação, desde fev de 2005 em estado semelhante.Após 18 meses no hospital ganhamos a batalha judicial com o plano de saúde e obtivemos o direito ao home care.Hoje ela compartilha a casa com a gente e gostaria de manter contato buscando esperança e dividindo conselhos quanto a equipamentos e procedimentos. Um enorme e reconfortante abraço. Meu e-mail tomaz.castrisana@csa.edu.br

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails