Este blog, criado em janeiro de 2007, é dedicado à minha filha Flavia e sua luta pela vida. Flavia vive em coma vigil desde que, em 06 de janeiro de 1998, aos 10 anos de idade, teve seus cabelos sugados pelo sistema de sucção da piscina do prédio onde morávamos em Moema - São Paulo. O objetivo deste blog é alertar para o perigo existente nos ralos de piscinas e ser um meio de luta constante e incansável por uma Lei Federal a fim de tornar mais seguras as piscinas do Brasil.

A FACE OCULTA DO COMA (*)

- 20 de julho de 2008
(*) Título da reportagem de Silvânia Arriel, feita comigo e Flavia para a revista ENCONTRO de Belo Horizonte, Minas Gerais, edição de 15 de Julho, que aborda basicamente "o drama de famílias que cuidam em casa, durante anos, de parentes em coma".

Odele Souza, com a filha Flávia: “Quando ela desce para tomar sol, vai com a roupa combinando”

"Tão longe e tão perto: a filha ali, ao lado, alheia, parada, inconsciente enquanto a vida continua a produzir histórias alegres, tristes, indiferentes na engrenagem pontual dos dias. São 10 anos ou 126 meses ou mais de 3,8 mil dias sem falar, saber o que ocorre à sua volta, expressar carinho, praticar atos voluntários. É a metade de sua existência de 20 anos: de criança, entrou na adolescência, na juventude submersa num mundo à parte, impenetrável. “Tantas coisas você perdeu nestes 10 anos, um tempo que não dá para recuperar”, escreveu Odele Souza para a filha Flávia, em coma vígil, no Dia das Mães, postada no blog que alerta serem corriqueiros acidentes como o que ocorreu com a garota. Fotos da menina linda, alegre, brincando de bailarina condensam aqueles poucos anos de vida bem, saudável, tirada em poucos segundos por falta de oxigenação no cérebro, no dia 6 de janeiro de 1998, num acidente inimaginável na piscina no condomínio Jardim da Juriti, onde morava em São Paulo.

O ralo sugou seus cabelos e a deixou sem capacidade de interagir com o meio e as pessoas, mas com as funções orgânicas preservadas. Dorme, acorda, abre e fecha os olhos (daí o nome coma vígil), aparenta reagir a estímulos, se alimenta por sondas. Do ponto de vista da neurologia, um quadro considerado irreversível. Nem mesmo o despertar do polonês Jan Grzebski no ano passado, depois de ter vivido 19 anos em coma, ou de outros casos que aparecem sinalizam alguma possibilidade de mudança. “Quanto mais tempo demora em estado de coma, menos chances de reverter o quadro”, diz o médico Josaphat Vilela de Moraes, chefe da clínica de neurocirurgia do Hospital de Pronto-Socorro João XXIII (HPS), de Belo Horizonte.

Odele Souza sabe disto, não tem esperança de ver a filha consciente, inserida novamente neste nosso mundo. Mas faz de tudo para que as coisas boas deste mundo cheguem a ela. Expurga o ruim: a dureza, a frieza, a impessoalidade dos hospitais. “Por mais equipadas, as clínicas não têm calor humano”, diz. Está em casa, cercada do carinho da mãe, atenta aos cuidados necessários e também à feminilidade da jovem. Faz as suas unhas e esmera no visual. “Quando ela desce para tomar sol na área do prédio, vai com roupa combinando, brincos, presilhas no cabelo.” Faz parte da rotina cadenciada da filha: todos os dias, às 6h, acorda, tem a dieta com leite e suplemento, às 8h a primeira medicação, escova os dentes, toma banho, penteia os cabelos, escolhe a roupa, às 9h30, fisioterapia, com exceção dos domingos. De 10h30 às 13h30 fica sentada numa cadeira para facilitar a respiração, na área do prédio ou no quarto. Depois volta para a cama, recebe alimentação por sonda, é colocada em outra posição. Odele conversa com ela, como na carta escrita no Dia das Mães, em que relembra o pano de prato com o desenho de suas mãos pintadas, que ganhou de presente. Amanhã é outro dia, tudo recomeça sem a esperança de ver a filha falar, andar.

A mãe não se lamuria, nem se estressa de ter que acordar todos os dias às 5h30 para que o ritual seja seguido à risca. Sabe que está dando à filha o que nenhum hospital poderia oferecer: o manuseio respeitoso do corpo, a convivência direta afetuosa e a observação de cada progresso, de cada manifestação. “Aprendi a ler a expressão no seu rosto. Sei quando está com tensão pré-menstrual, quando sente dores”, relata. Aprendizado que veio com o tempo, com a transposição da tristeza por ver a filha viva, mas em coma. “Fiquei de luto profundo por dois anos .” Teve de se adaptar à nova vida que se apresentou depois do acidente, à perda do emprego de secretária bilíngüe, à aposentadoria involuntária, tudo com resignação ou se tornar vítima.

Pronto: partiu para a luta, aprendeu a lidar com a filha, a se revezar com uma auxiliar de enfermagem e reduzir custos. Nas folgas, reserva parte do dia para ir a exposições, teatro, cinema, e evitar o estresse tão comum em pessoas que lidam com doentes. Hoje, teria de gastar nove mil reais para suprir todas as necessidades de Flávia, o que não ocorre. “Falta fonoaudiólogo.” Ela batalha para isso, mas se diz barrada pela lentidão da Justiça, nestes dez anos, na sua busca por indenização pelo acidente....Propuseram 100 mil reais. “Não aceitei... Disseram que eu ia ficar rica. Eu era rica quando ela estava bem,” afirma. Continua a sua luta pela indenização e de alertar no seu blog que acidentes como o que ocorreu com Flávia são mais comuns do se pensa. “Estou exercendo o meu direito de cidadania e o da minha filha, que lhe foi tirado.”

A reportagem menciona outro caso de coma prolongado além do Flavia, o de Renata Vieira, em coma há seis anos. É a moça que está na primeira foto que ilustra o artigo. Para ler o texto completo, clic em REVISTA ENCONTRO.

Mídia, desde que não seja sensacionalista, é sempre bem vinda para divulgar o caso de Flavia e alertar para o perigo dos ralos de piscinas. Obrigada Silvânia por esta reportagem.

Até o próximo post.

Meu nome não é Odete, como algumas pessoas escrevem nos comentários, é Odele, com L e não com T.
Obrigada.

52 comentários

  1. Querida Odele, boa matéria essa da Silvânia, como têm sido as outras que abordaram o caso da Flavinha.
    Já é bem possível (não fácil), entender o vaticínio do não retorno à vida normal e a recuperação do tempo perdido.
    O que não é possível, aceitável ou compreensível é a ausência da justiça brasileira na resolução dessa pendenga tão longa quanto o caso em si.
    Obrigada, Silvânia. Mais uma voz somada à nossa não é simplesmente mais uma voz. É força!

    ResponderExcluir
  2. Concordo em absoluto com a Leila.
    Esta reportagem está muito bem escrita. Detalha o essencial, sem recorrer ao sensacionalismo a que, dada a situação, seria muito fácil recorrer.
    A jornalista, conseguiu entender todo o amor e mais também, toda a dignidade com que tratas a nossa Flavia.
    Nós, que estamos mais perto, que tentamos acompanhar-vos, dia a dia, conhecemos os pormenores desta tua dádiva total a tua filha. Mas há quem os não conheça. Por isso, a importância destes artigos.
    A mãe não se lamuria, nem se estressa de ter que acordar todos os dias às 5h30 para que o ritual seja seguido à risca. Sabe que está dando à filha o que nenhum hospital poderia oferecer: o manuseio respeitoso do corpo, a convivência direta afetuosa e a observação de cada progresso, de cada manifestação.
    Num mundo em que tantas vezes se usa a palavra herói ou heroína por "dá cá aquela palha", estes exemplos, que muitas vezes passam despercebidos, fazem-nos pensar no modo como essas designações são malbaratadas e vulgarizadas.
    A Odele é uma heroína. Porque abdica de grande parte da sua vida, do seu desacanso, inventando forças no mais profundo de si, mas sem se lamuriar, sem nunca fazer chantagem emocional com os outros. E, cuidando da Flavia, com o maior amor mas também com o maior respeito. Não só no corpo mas também nos detalhes da sua apresentação.No laço no cabelo, nas unhas cuidadas, nas roupas a condizer. É por isso que, quando vemos fotos desta menina, quase pensamos que ela, afinal, está desperta e está apenas descansando.
    Num mundo com tanta gente artificial, rancorosa, egoísta, saber que há mulheres como a Odele, faz-nos renascer a esperança. Afinal, há ainda gente boa por aí.
    Reparem, então, nessa gente boa e dêem-lhe um abraço solidário.

    ResponderExcluir
  3. Veja, amigo Peciscas, não é tão difícil entender o acidental. Qualquer ente onde bata um coração está a salvo do inesperado.
    O jogador de futebol, dono de saúde monitorada, jovem, saudável pode, em determinado momento do jogo, sofrer um colapso. O jovem estudante que sai de casa para um dia normal de aulas, pedalando sua inocente bike pode, a qualquer momento, cair, bater a cabeça e lá se vem a fatalidade.
    Estamos na vida para dela retirar as coisas boas, sentimentos bons,a rotina dura, o amor e o contrário dele, enfim, como diz o velho ditado, quem sai na chuva é pra se molhar.
    Tudo pode ser assimilado, exceto a injustiça. Esta, nunca!
    Um grande abraço para o amigo.

    ResponderExcluir
  4. Quão difícil é entender a vida. Quão imenso é o amor materno.

    ResponderExcluir
  5. Odele vim te desejar um bom domingo,sei que elogios não te enaltecem ,mas não posso sair sem dizer que você é =D+,fico sem palavras para comentar,mas quero que saibas que estou sempre por perto.
    Bjsbjs

    ResponderExcluir
  6. Odele:

    Gostei muito da reportagem da Silvania. Ela aborda a situação de forma objetiva e digna; desperta nos leitores indignação, tristeza, mas não pena. É uma matéria que transpira preocupação com o ser humano e com a dignidade a que ele tem direito. Gostei muito. Torço para que outras se somem a dela e para que, brevemente, tantos falem que seja impossível continuar a ignora-los.
    Um beijo carinhoso para você e para a Flavinha.

    ResponderExcluir
  7. Odele & Flávia my dears,

    I´m here to wish you a happy friends day!

    Let me hold you tightly..

    ResponderExcluir
  8. Odele,

    Hoje é dia do amigo...

    Passando por aqui para desejar-lhes um feliz dia do amigo.Lindo ver a amizade tua com tua filha...Vc não desanimou...Uma mãe de verdade nunca perde as esperanças.E tu és uma mãe de verdade com todas as letras.

    Sei que o silêncio de Flavia nestes dez anos te entristece mas ainda assim, tens força para acalentar outros corações que sofrem...Receba meu carinho no dia de hoje, pois já te considero uma
    amiga.

    Beijos no coração das duas!

    ResponderExcluir
  9. Odele, vim lhe dizer da amizade neste dia do amigo e reforçar a honra que sinto por ser sua amiga, ainda que distante.
    Perdoe-me, por favor, mas durante a leitura de toda a matéria, não consegui conter as lágrimas, pela "face oculta" com o a jornalista lembrou e por esse amor imensurável que lhe permite conhecer até os dias de TPM e colocar brincos em Flávia, deixando-a mais linda do que ela é.
    Confesso que, neste dia do amigo, gostaria muito de poder abraçá-la e dizer: eu amo você, minha amiga, estrela nova, de primeira grandeza no meu universo.

    beijos

    ResponderExcluir
  10. Odele, minha querida suas palavras são sempre tão sábia e inteligente e com tanta lição de vida. A você amiga só posso te desejar muita paz saúde e sabedoria e muita força . Você sempre me comove com suas palavras.
    Um beijo bem grande em vc e na Flavia.
    Cieli

    ResponderExcluir
  11. Olá Odele e Flavinha,
    Gostei muito da reportagem de Silvânia, descreve minuciosamente o vosso dia a dia, de forma a que todos os leitores se possam realmente inteirar do estado de Flavinha e do quanto deve ser dificil viver uma situação destas, sem amargura e sem se lamentar.
    Espero que muitas outras Silvânias se juntem a nós em busca da justiça, e divulgando sempre mais e mais o caso de Flávia, e o perigo dos ralos das piscinas que tantas vitimas tem feito e que pelos vistos um grande número de pessoas desconhece.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  12. Odele

    Que materia bem feita.

    Otimo, mais esta divulgacao para o caso de Flavinha.

    Vou posta-la amanha.

    Beijinhos e boa semana para vcs duas.

    Estejam sempre com a paz de Deus.

    ResponderExcluir
  13. Olá Odele
    Passei por cá para deixar um beijinho,para a Flávia e para si.
    Força amigas.
    Paula

    ResponderExcluir
  14. Subscrevo as palavras do Peciscas!

    Um abraço sincero...nesse teu caminhar.

    ResponderExcluir
  15. É tão pouco o que podemos oferecer à você e à Flávia, mas de qualquer forma, ofereço meu carinho, minha solidariedade e minhas orações.
    Um beijo para vocês duas.

    ResponderExcluir
  16. Odele
    Uma reportagem excelente pela preocupação de reproduzir a realidade tal como ela é, sem sensacionalismos nem lamechices. Uma reportagem que consegue impressionar-me mesmo quando já estou familiarizada com as especificidades da situação e com a rotina a que a mesma nos remete.
    Dias de luz pelo amor que tens por Flávia numa situação que exige que a alma não seja pequena e que a capacidade de resistência não se esgote no decorrer dos dias.
    A minha admiração por ti é imensa e gostaria de ter palavras que, correspondendo às realidades, te ajudassem a ter esperança.
    Mas não sei mais que dizer a não ser que estou aqui e que aqui estarei sempre. Torcendo por ti e por Flávia e pela justiça que tarda em cumprir-se.
    Um beijo para ti e outro para Flávia

    ResponderExcluir
  17. Odele minha amiga

    quando puderes e quizeres vai lá e relaxa porque mereces!

    Um enorme beijo

    ResponderExcluir
  18. Roque PB Barros22 julho, 2008

    Odele, meus parabéns por esta excelente matéria; você e Flavia são exemplos pra todos nós. Flavia continua em minhas orações do Terço, eu a tenho como minha irmã. Aproveito para perguntar: você tem mais fotos dos belos pés de Flavinha? Beijo para as duas, Roque.

    ResponderExcluir
  19. Odele
    Um relato impressionante, claro e doloroso. Mas não podemos desistir os que te acompanham.
    Abraço

    ResponderExcluir
  20. Minhas lindas garotas!

    Espero que esteja tudo em paz ...

    estou daqui sempre desejando muito amor e justiça!

    beijos lindas!

    ResponderExcluir
  21. Uma reportagem excelente que mostra a Mãe fantástica que tu és, Odele! Choro sempre quando aqui te venho ler e gostaria de saber deixar palavras de esperança. Mas deixo-vos o meu abraço que atravessa este oceano imenso e me permite estar convosco. Muitos beijos.

    ResponderExcluir
  22. Esta reportagem está maravilhosamente bem escrita ... gostei imenso de a ler ...

    retrata bem o teu dia-a-dia com Flávia ...

    tb fui ler o artigo completo ... parabéns à Silvana pelo seu belo trabalho.

    beijinhos

    ResponderExcluir
  23. Querida Odele
    Meu nome é Caroline, tenho 21 anos e fiquei conhecendo o blog através de minha mãe, fiquei muito emocionada e indignada com sua historia e de flavia, como pode acontecer isso?? meu Deus.... como é possivel tanto sofrimento a uma só pessoa?? Queria poder fazer algoo mais é dificil... 10 anos se passaram e a justiça nada!! Fico sem palavras para expressar minha indignação e revolta. Mando todo meu carinho pra vc Odele e Flavinha.... continue com muita força. Que Deus continue com vcs sempre....

    ResponderExcluir
  24. Odele,

    bela matéria, que bom que a midia está também divulgando o caso, estou na luta contigo amiga.
    Abraço e quanto aos selos, você merece.

    ResponderExcluir
  25. ai, querida...a sua é também a nossa dor...estamos com você nessa luta, confie em Deus...!!! bjus...
    isa
    semestresse.blig.ig.com.br

    ResponderExcluir
  26. Olá minhas queridas, peço-vos desculpa, mas a falta de tempo tem-me trazido muitos desencontros, e estando de férias (com mudanças de casa) estou sem tempo para poder acudir a todos os blogues e amigos, só vos peço paciência.

    Não me esqueci de vós, e sei que o mundo também não, pelos manifestos de carinho que têm recebido. A nossa Flávia, bem o merece.

    Entretanto, vou vendo que a vossa luta cresce dia-a-dia, e eu estou feliz ao menos por isso.

    Quero mandar daqui um grande beijinho à Flávia, e a ti Odele, um forte abraço de conforto para não pares, luta, que nós estaremos contigo.

    A reportagem mostra lucidez, a lucidez necessária à exposição clara e objectiva dos factos, concordo plenamente com os meus antecessores elogiando a mesma.

    Beijos do Beezz

    ResponderExcluir
  27. Olá, Flavia e Odele!
    Deixem-me agradecer à Silvânia este tão bom trabalho e boa-vontade e, desejar-lhe ainda, muitas felicidades, quer no presente, quer no futuro.
    Abraços.

    David Santos

    ResponderExcluir
  28. Odele,
    eu que te agradeço por ter o site da Flavia no meu blog...
    desde que a vi na internet rezo por vcs todos e pra que ela consiga retornar bem feliz pra nós todos...pra mim é uma honra te-la linkada no meu blog
    bjos mil e mta força aí...
    rachel reis

    ResponderExcluir
  29. Fiquei comovido com esse caso, ja vi vários, de cidentes, desaparecimento, sempre vejo os dois lados da vida, o lado Feliz, sem problemas, seguindo o nosso caminho dia a dia. Mas tambem vejo o lado triste, crianças desaparecidas, casos iguais a esses, acidenters causados por incompetencia, empresas ricas que não se importam com vida alheia, não todas mas infelismente muitas. Mas preciso enviar algo. meu e-mail é anjovado@hotmail.com me adiciona que eu tenho uma coisa que ainda estou preparando mas mandarei em breve para tentar ajudar a você a superar esses momento dificeis em sua vida.

    Justiça do homem falha mas a Divina não!!

    ResponderExcluir
  30. Bom Dia Linda Flavia e Odele, a reportagem que esta jornalista fez consigo está muito bem redigida e fala de todo o vosso sofrimento.
    Ademiro a sua força Odele a sua vontade e a forma como trata a sua querida filha.
    Como já disse em comnts anteriores, foi Deus que pegou em voces duas ao colo, e dá-lhe a si muita força, para que consiga tomar conta da sua pequena.
    Voce perferiu te-la em casa e foi amelhor opçao que poderia ter alguma vez tomado, pois ela na sua casa esta muito melhor, nem que fosse no melhor hospital do mundo, mas na nossa casa estamos sempre melhores.
    Voce é uma mulher cheia de força de muita coragem louvado seja Deus por haver pessoas tao boas e tao humanas no mundo.
    Obrigado por existir e continuar a fazer tão feliz o Meu doce.
    Deixo um terno beijo a minha querida Flavia, um de muita força para continuar a sua caminhada Odele. Fiquem com Deus jinho

    ResponderExcluir
  31. Fiquei emocionada e comovida com esse relato,tb sou mãe,o que falta em nosso País é a justiça.
    Muita força e garra(que essa mãe já tem), vc vai conseguir,justiça DIVINA tarda mas não falha.
    Ela é uma mãe especial,que DEUS ilumine o caminho das duas.


    beijooo.

    ResponderExcluir
  32. Odele,
    Fiquei muito comovido ao ler esta reportagem. Não me ocorre dizer nada, porque há situações em que parece que as palavras não chegam para exprimir o que nos vai na alma. Por isso apenas te resumo tudo numa só palavra... FORÇA.
    Beijinhos.

    ResponderExcluir
  33. hola Odele, hola mi Flavia!!! me ha gustado muchísimo el reportaje Amiga!!!. Creo que Flavia está en buenas manos, en tu casa, en su casa. Ella puede percibir los olores, las caricias, tu voz, tu cariño.
    Mi vida tu 'trabajo', no es en vano, los que te conocemos desde hace un tiempo, sabemos que la cuidas, le arreglas el cabello, la pones muy bonita...pero quién lo siente ES ELLA, éso el lo impotante!!!.
    Sabes que mi gran esperanza, es que Flavia te vuelva a decir 'mamá', llegará ése día. Ella lleva años luchando, no va a ser en vano.
    Todos los días pienso en vos Odele, que nos digas 'Flavia ha dicho...'. ruego a Dios (el Dios de todos, creas en cual creas), que sea así.
    Mis besos y abrazos para las dos y también para FER!!!

    ResponderExcluir
  34. Muito boa a reportagem, Odele. Não desanima, nós continuamos rezando.
    Bjim pra ti e pra Flavinha.

    ResponderExcluir
  35. Reportagem com R grande. Um abraço daqui.

    ResponderExcluir
  36. Odele,
    Só estou passando para deixar um beijão pra vocês.

    ResponderExcluir
  37. Eu li a matéria. Para mim foi uma surpresa e de certa forma fiquei feliz, porque de pouquinho em pouquinho você vem conquistando seu espaço dentro da mídia. Bjos prá vocês.

    ResponderExcluir
  38. Odele,
    Excelente postagem.Vim te visitar e te dizer que vc é uma heroína.Que Deus renove suas forças.Beijinhos.

    ResponderExcluir
  39. Odele...
    Sinto muito pelo q aconteceu com sua filha.. isso eh muito triste para uma maee... Quero te dizer q vc possa ter fé, ser otimista, perseverante e creia q a sua filha vai sair dessa...!! Os médicos podem falar mas quem é o médicos dos médicos é DEUS e só ele pode tirar sua filha dessa terrível situação... Ore, reze mas creia que essa é a melhor maneira de conseguir esse milagre.. vou orar todas as noites por sua filha, ela nao é da minha familia não é minha amiga, mas quero muito que ela se recupere e possa viver o resto da sua vida feliz aproveitando cada minuto... CREIA QUE O MILAGRE AINDA VAI CHEGAR>>> EU SEI QUE CHEGARÀ SUA VEZ ESSA SORTE DA FLAVINHA DEUS MUDARÁ DIANTE DOS OLHOS DE QUEM QUEIRA VER É SÓ CRER QUE O MILAGRE HÁ DE ACONTECER...

    Que DEUS te conforte e te dê muita força pra continuar nessa caminhada! bjus pra FLAVINHA!

    ResponderExcluir
  40. Odele eu acredito que a Flávia vai sair dessa, milagres acontecem, diga para a Flávia que o mundo espera por ela e se ainda está viva é porque ainda tem muito o que fazer neste mundo! Ademais a esperança nunca morre!! Acredite e faça sua filha acreditar, pois pode passar trinta anos, mas com a vontade de vida que Flávia tem por ter sobrevivido tenho certeza que em um belo dia ela vai te surpreender. Não desista dela nunca!! quem pede isso para você é a propria Flavia todos os dias!

    ResponderExcluir
  41. Cara Odele, li a reportagem sobre sua filha no site que acabei de ler, e entrei no blog, pude sentir a emoção e a dor da realidade que nos foi transmitida...fico triste e abalada ao deparar com a burocracia(e morosidade) que justiça esbarra mesmo tendo em sua frente provas tão concretas!Fico emocionada com sua atitude no papel de mãe, daquela que td faz por amor, dedicação...a vc eu rogo pela misericórdia de Deus que ele lhe dê sempre forças renováveis a cada dia, p/ superar tds as barreiras prováveis e improváveis...
    Que nw haja limites, pois a superação é alcançada a cada dia...
    E acredito que a sua força tb, vem além...
    Sei que o Amor de Jesus Cristo é infinito, assim como o amor de mãe...
    Deus a abençoe em sua infinita grandeza!!

    ResponderExcluir
  42. nostra mae.
    acredite que no ceu a um pai um eterno deus que fez o ouro e a pra ta ele pode dar o sorriso a alegria que existe dentro desse anjo flavinha,pede a deus com fe e esperança ele jamais o deixara confundida,faça um foto a deus ele tudo pode.beijo leni brasilia

    ResponderExcluir
  43. Odele,

    Que Deus ilumini muito vc e sua filha flavia...sua historia de vida é linda e emocionante, são poucas as pessoas que tem esse amor, e essa fé que você tem ...digo isso porque sou estagiaria de enfermagem e vejo muitas mães abandonarem seus filhos na pediatria, você realmente é uma MÃE, com certeza vcs estaram em minhas orações.
    Agradeço vc por partilhar essa historia , para que todos possam ler ....com certeza será uma inspiração para todos e um "tapa na cara" daqueles que reclamam por tão pouco e que não dão valor a vida, e as pessoas!!Parabaens vc é uma pessoa maravilhosa!!!!!

    PS:Como vc adora ler gostaria de aconselhar a ler o livro O sono dos hibiscos, de Lygia Barbiére Amaral ..é uma historia linda e semelhante a da sua filha ..trata-se de um menino que entrou em coma.

    Bjosssss Ale

    ResponderExcluir
  44. Odele, li sua reportagem na Época e quero te dizer que conheço o dia a dia do coma vigil, as expressões e os sons que reconhecemos como um sinal de que de algum modo, há uma comunicação, um entendimento. Seja criando nossa própria interação com o ser amado, seja nos relacionando com ele mesmo que sempre em monólogos infindáveis... Parabéns pela escolha de demonstrar seu amor cuidando o melhor possível. Confie e tenha fé pois não é a toa e nem sem qualquer significado. Um abraço terno e de coração,
    Vânia

    ResponderExcluir
  45. Bom dia Odeli...fiquei muito triste ao saber da situação em que a sua querida filha "AINDA" se encontra. Tenho certeza que sua filha vai voltar a vida normal.Venho lhe falar oque você precisa fazer pra que sua filha seja completamente curada:
    eu creio que Jesus Cristo pode curar sua filha, por que Ele é poderoso e pode fazer tudo aquilo que é impossível aos nossos olhos humanos, só depende da sua fé em Jeusus.Se vc acreditar que O SENHOR Jesus pode curar sua filha, então, leve ela com toda a fé em seu coração a uma igreja evangélica e diga que vc crer que Jesus vai curá-la e tirá-la desse coma.

    ResponderExcluir
  46. Boa Noite, fiquei muito comovida de ler esta materia, fico imaginando quantas mães que abondonam os seus filhos, hoje dia 24/11 via uma materia onde encontraram uma criança em uma caixa de lixo e proximo a lixos e vc vê uma mãe como Odele, onde se preocupa com as unha, os cabelos e ate mesmo abdica de sua vida para ficar ao lado de Flavia, Vc é um anjo que realmente caiu do Ceu, espero que tudo o que faz por flavia receberá ou nesta vida ou na outra, pois Jesus , Deus nunca se esquece de um filho e não esquecera de vc, eu realmente AMO VOCÊ POR SER ESTA MÃE MARAVILHOSA QUE É DEUS ESTARA SEMPRE DO SEU LADO, SINTA-SE ABRAÇADA POR DEUS.
    Gabriela

    ResponderExcluir
  47. Médicos achavam que homem estava em coma por 20 anos
    Embora estivesse impedido de se comunicar devido a uma paralisia, o belga estava consciente. Durante 23 anos, ouviu tudo o que foi falado ao seu redor.
    Tamanho da letra
    A- A+


    Foi divulgado, na Bélgica, o caso médico de um homem que passou mais de 20 anos dando sinais de que estava em coma. Mas não estava. Quem explica é a correspondente Ilze Scamparini.

    O belga Rom Rauden, era um estudante de engenharia, e lutador esportivo, quando em 1983 sofreu um acidente de carro, muito grave.

    Entrou em estado vegetativo, segundo o diagnóstico do Hospital de Zolder, na Bélgica. Para os médicos, era um caso sem esperança de uma consciência que tinha se apagado para sempre.

    Mas embora estivesse impedido de se comunicar pela paralisia, Rom estava consciente. Mas há três anos, exames com um novo equipamento de tomografia revelaram que o cérebro dele continuava funcionando perfeitamente.

    Durante 23 anos, ouviu tudo o que foi falado ao seu redor. Hoje, com as sessões de fisioterapia, e através de uma tela, Rom consegue dizer ao mundo o que tentou, durante tanto tempo.

    “Eu gritava, mas ninguém me ouvia. Me sentia impotente. Tinha raiva, me sentia abandonado. mas depois aprendi a viver com isso. Imagine o que é ouvir, ver, sentir e pensar, e enquanto isso ninguém te escuta. Você passa por tudo isso sem participar da vida".

    A mãe diz que agora Rom, aos 46 anos, fala o que quer e toma as suas decisões. Que não se sente deprimido. Quer aproveitar a vida ao máximo. E costuma dizer: não sou um vegetal, eu sou alguém.

    O doutor Steve Laurey, que foi o primeiro a perceber que Rom não estava em coma, declarou que situações como essa não são raras. Podem acontecer em 4 casos, a cada dez.

    Para o médico, ainda é difícil distinguir o estado vegetativo, em que o paciente apresenta apenas reflexos involuntários, do chamado estado de consciência mínima. Exames padronizados e novos equipamentos podem ajudar a evitar erros nos diagnósticos.

    Para quem pergunta como o belga conseguiu sobreviver imóvel, durante mais de duas décadas, ele responde que passou grande parte do tempo sonhando.
    Links Patro

    ResponderExcluir
  48. Odele
    Através de uma reportagem conheci a sua luta e a de sua filha.Uma história de amor incondicional desde o início. A sua força,coragem e amor me deixaram de certo modo envergonhada pois , ao me julgar a melhor mãe do mundo, substimei a luta de outras mães que tem à sua frente tantas etapas difícies a vencer se comparada a minha.
    Fica aqui o meu grande e apertado abraço para você (um abraço de regarregar forças)e um leve beijo em sua querida filha. Estamos na vigília e vc estarão em minhas orações amor e fé daqui para frente.

    ResponderExcluir
  49. Olá Odele. Sou de Curitiba e li a reportagem sobre sua luta incansavel. Parabéns. Quero que voce saiba que somos solidários com seu sofrimento, mas nunca perca a fé em Nosso grande Pai,Justo e Bom, que nunca nos desampara e que ESCOLHE SEUS FILHOS PREDILETOS PARA AS GRANDES MISSÕES. você foi escolhida. E quando voce afirma que em sonhos ouve a voz da Flavinha e que passeiam juntas como se estivessem voando. ACREDITE: isto acontece mesmo. Em nosso periodo de sono nosso espirito sai do corpo e vive momentos inesqueciveis junto aos que amamos. Flavinha e Voce estão juntas todas as noites vivendo momentos lindos. Aproveite isto e peça ao protetor de vocês para aumentar sua lucidez para poder lembrar destes momentos, que irão dar um bom suporte para sua linda missão.
    Um grande beijo e muita Luz e Paz.
    para voces duas.
    Elizete
    elizetepierri@pop.com.br

    ResponderExcluir
  50. Odele...vi a reportagem sobre sua filha por acaso...não é a toa que estou agora chorando...de imaginar a dor que vc sente. Nao ha como deixar de pensar que poderia ser comigo, com minhas filhas....nao tenho palavras de consolo para vc não...pq so Deus pode te dar o consolo. Na verdade vc é consolo para nos , sabia? sua força e dedicação nos ensina muito. Coragem!!! e eu acredito que um dia vamos ler no seu blog a grande noticia que Flavia falou com vc....

    ResponderExcluir
  51. querida Odele gostaria de lhe dizer algumas palavras,apesar de sua imensa dor Deus tem um proposito em sua vida ele escolheu vc para ser mae desta doce menina para passar por toda esta tragedia porque ele sabia que vc iria suportar toda esta dor e cuidar muito bem dela Flavia è para vc um presente especial que Deus lhe deu...Ela teria que vir ao mundo entao Deus escolheu a dedo esta mae maravilhosa que vc È que DEus te abençoe muito torço muito por vcs e espero que possa haver justiça mas a justiça de Deus... Um grande bjo lembre se Jesus vos ama...

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails