Este blog, criado em janeiro de 2007, é dedicado à minha filha Flavia e sua luta pela vida. Flavia vive em coma vigil desde que, em 06 de janeiro de 1998, aos 10 anos de idade, teve seus cabelos sugados pelo sistema de sucção da piscina do prédio onde morávamos em Moema - São Paulo. O objetivo deste blog é alertar para o perigo existente nos ralos de piscinas e ser um meio de luta constante e incansável por uma Lei Federal a fim de tornar mais seguras as piscinas do Brasil.

Carta para minha filha em coma – Dia das Mães – Maio de 2014

- 11 de maio de 2014

Flores para Flavia
Flavia querida,

Neste 11 de Maio de 2014, a exemplo dos anos anteriores, de novo estou diante de uma folha de papel em branco, tentando encontrar palavras que possam dar continuidade ao seu adorável costume de sempre me escrever uma carta no dia das mães. Tenho muita saudade daquele tempo filha.

Naquele tempo Flavia, quando me escrevia aquelas cartinhas, você era uma linda, doce e alegre menina e não poderíamos sequer imaginar que o destino nos pregaria uma peça e a vida nos daria uma rasteira quando naquele infeliz seis de janeiro de 1998, eu ouviria você dizer mãe pela última vez. Passado todo esse tempo filha, hoje, aos 26 anos, mesmo sem ter recobrado a consciência, não existe mais alegria, nem em você nem em mim, mas você continua a ser doce e bonita em seu silêncio. E aprendi a ouvir o seu silêncio filha. E quanta coisa importante e bonita o seu silêncio me diz.

Nesses dezesseis anos filha, em que seu amor por mim só pode ser demonstrado em absoluto silêncio, aprendi muito com você! Mesmo no misterioso estado de coma em que você passou a viver, nesta sua imensa fragilidade, nesse seu mundo onde eu, por mais que tente não consigo te alcançar, pelo menos não da forma que eu gostaria, você me ensina muitas coisas filha. Em silêncio, você me diz e me ensina por exemplo, que não devemos nos tornar reféns de nada nesta vida.

Que não devemos nos tornar reféns de nada. Nem de pessoas, nem de situações nem tampouco reféns da dor para a qual por vezes a vida nos arrasta, sem dó nem piedade, sem preparo, sem prévio aviso. Você me ensina Flavia, que a dor pode ser usada de forma a dar sentido ao que de ruim nos acontece. Você me ensina que nossa dor pode ser de alguma utilidade para outras pessoas e ao nos conscientizar disso, um certo conforto passa a existir em nós. Com você eu aprendo que existem outras dores além das nossas. E que é preciso dar atenção às dores alheias e tratar com delicadeza e carinho à quem nos procura em busca de apoio.

Com você filha, eu aprendo todos os dias. Aprendo a ser mais forte e mais leve para tornar mais agradável o ambiente das pessoas que conosco convivem e que me ajudam na delicada tarefa que é cuidar de você em coma. Com você Flavia, eu aprendo a ser uma pessoa melhor. Muito obrigada por isso filha.

E querida, as flores que enfeitam o armário de seu quarto e agora o post de seu blog, são aquelas que de longe seu irmão te enviou na semana passada. Tão singelas quanto belas.

Amo você e seu irmão.

Mainha.

Meu nome não é Odete, como algumas pessoas escrevem nos comentários, é Odele, com L e não com T.
Obrigada.

13 comentários

  1. Querida Odele!
    Acompanho o blog da Flavia desde que foi criado!Assinei a petiçao e estou a par da sua luta!
    Mas hoje estou aqui só para te desejar um dia das Mães com muita Paz e amor ao lado da filha amada!
    Que Jesus na sua Santa Misericordia
    lhe cubra de bençãos!
    Muitas flores prá você e Fávia em forma de Amor!!
    Cristina Peres RJ

    ResponderExcluir
  2. Neste dia das mães em que os filhos escrevem cartas às suas mães, tu mais uma vez, com delicadeza, ternura, sem ponta de raiva e revolta escreves esta carta comovente para a tua/nossa Flavia, juntando as flores do teu filho que espelham o amor imenso de Fernando por ti e pela sua irmã.

    Não tem sido nada fácil estes penosos anos e sim nestas palavras tuas:" Com você eu aprendo que existem outras dores além das nossas. E que é preciso dar atenção às dores alheias e tratar com delicadeza e carinho à quem nos procura em busca de apoio." exprimes outras dores e uma que me aflige tanto é que tu tens presente a tua/nossa menina, silenciada, mas está junto a ti e outras mães/pais procuram sem descanso os filhos que se "evaporaram" sem deixar rastro.

    É certo que com as dores dos outros tudo se torna mais fácil e TODOS DEVEMOS PENSAR QUE NÃO É BEM ASSIM, porque por vezes somos apanhados na esquina da vida e não há palavras que possam suavizar, que possam resolver, que possam dar vida, que possam...que possam...

    Mas saberes que tens quem te admire e acima de tudo te respeita com uma amizade sincera, sem perguntas e críticas, sem o nham, nham de sempre, tal como eu neste mundão de cabos...ACREDITA que irás continuar p'ra frente até nas horas mais tristes como no dia de hoje...que tanto gostarias de ouvir e que se eu tivesse puderes mágicos o faria, nem que fosse pela última vez ouvires o chamado de Flavia...Mãe...Mainha!

    Aquele abraço de sempre para sempre e mil beijos em Flavia

    Para ti tirada do Google:

    http://psantos44.blogspot.pt/2010/03/rosas-de-porcelana-angola.html

    ResponderExcluir
  3. PARABÉNS, Odele!

    Um abraço solidário e apertado pra você, minha amiga querida.

    Todos pensamentos positivos pra Flávia, você e Fernando!

    Minha admiração sempre!

    Suely

    ResponderExcluir
  4. Odele

    Quanto amor ...seu post me emocionou muito.

    Creio que nunca estaremos preparados para a perda total ou parcial de nossas emocoes e bens maiores: Nossos filhos.

    Voce e guerreira Odele,


    Beijinhos

    ResponderExcluir
  5. A Odele é daquelas mães que merecem muito mais que a comemoração de um 'dia das mães'.

    Beijinho para vós.

    ResponderExcluir
  6. Querida Odele um grande abraço.

    ResponderExcluir
  7. Odele, querida, te abraço emocionada e solidária...
    Beijo,menina

    ResponderExcluir
  8. NÃO HÁ COMO NÃO FICAR EMOCIONADA.
    MIL BEIJOS PARA VOCÊ, MINHA QUERIDA, E PARA OS SEUS DOIS FILHOS MARAVILHOSOS.
    UM CHAMEGO ESPECIAL PARA FLAVINHA.

    ResponderExcluir
  9. Normalmente escrevo bastantes palavras nestes comentários que aqui vou deixando.
    Hoje tenho menos palavras pois as que a Odele nos traz são de uma dimensão humana tão grande que as nossas só poderiam ficar envergonhadas com a comparação.
    Uma mulher que consegue transformar uma dor imensa em solidariedade só pode ser uma mulher fora do comum.

    ResponderExcluir
  10. Odele, nesta simbiose que você revelou mais uma vez nesta tocante carta, percebo que ambas são mães: você cuida e ama; Flávia ama e ensina. Meu carinho e amor para vocês.

    ResponderExcluir
  11. Odele querida, ha quanto tempo não vinha aqui!
    Sempre me emociono com tuas palavras e hoje não foi diferente. Que amor tão grande a gente tem pelos filhos que não se pode dimensionar e fico imaginando o que passas e com que garra!
    Que Deus te conceda sempre essa força! Que a Flavinha sempre te ensine a ser essa fortaleza.
    Bjim pra ti e pra ela.

    ResponderExcluir
  12. Odele

    Meu forte abraço neste compartilhar de sentimentos que nos envolvem ao ser mãe e por me solidarizar com sua luta diária.
    Norma

    ResponderExcluir
  13. saúde para você Odele e para Flávia! abraço!

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails