Este blog, criado em janeiro de 2007, é dedicado à minha filha Flavia e sua luta pela vida. Flavia vive em coma vigil desde que, em 06 de janeiro de 1998, aos 10 anos de idade, teve seus cabelos sugados pelo sistema de sucção da piscina do prédio onde morávamos em Moema - São Paulo. O objetivo deste blog é alertar para o perigo existente nos ralos de piscinas e ser um meio de luta constante e incansável por uma Lei Federal a fim de tornar mais seguras as piscinas do Brasil.

O estado de coma e afetos preservados.

- 22 de abril de 2011
Isabel e Flavia

Nesta quinta-feira, como de vez em quando acontece, eu e Flavia recebemos a visita de Isabel, que trabalhou em nossa casa por três anos, quando Flavia tinha entre seis e nove anos de idade. Isabel era carinhosa e muito atenciosa com Flavia, e mesmo preocupada com a possibilidade de não dar conta do serviço, Isabel acabava cedendo à insistência de Flavia para que lhe mostrar seus desenhos coloridos ou para vê-la dançar com suas roupinhas de bailarina, ou ainda para lhe ouvir as conversinhas de menina.

Flavia com sua voz doce, dizia:
- Isabel, vou dançar, mas preciso de platéia. Minha mãe está trabalhando. Você pode ser minha platéia Isabel?

Ao que Isabel respondia:
- Mas Flavia, preciso terminar a limpeza da casa, se eu parar para lhe assistir querida, não vou conseguir terminar o serviço.

Flavia insistia, Isabel não resistia e acabava por lhe dar atenção, lhe assistir dançar e ainda aplaudia no final, deixando Flavia feliz da vida. Naqueles três anos a mulher deu tanta atenção à menina que Flavia e Isabel tornaram-se grandes amigas.

Desta vez, como sempre acontece quando Isabel nos visita, ela relembrou algumas das histórias que viveu com Flavia. Por exemplo:

Flavia: - Isabel, quando é seu aniversário?
Isabel: - 4 de Julho.
Flavia: 4 de Julho? Ah! é o Dia da Independência dos Estados Unidos.

Mas distraída que era, Flavia não se deu conta de que fazia essa pergunta à Isabel, exatamente em um dia 4 de Julho. E Isabel, talvez por timidez calou-se. E por timidez naquele dia Isabel não recebeu o abraço de Flavia pelo seu aniversário.

Quando houve o acidente com Flavia, Isabel ficou perplexa, muito triste, inconsolável. E até hoje, mais de treze anos depois, Isabel lamenta que quando disse à Flavia que seu aniversário era dia 4 de Julho, não ter acrescentado: “ Hoje é 4 de Julho Flavia!” Isabel sabe que Flavia lhe teria dado um forte e espalhafatoso abraço, teria telefonado para meu trabalho me contado sobre o aniversário de Isabel e me pedido para lhe comprar um presente. Mas o que dói mesmo em Isabel, é saber que Flavia não poderá mais lhe abraçar em nenhum outro dia 4 de julho.

Acredito que nem mesmo  o estado de coma de Flavia  desfez o vínculo de afeto que Isabel deixou em seu coraçãozinho. Hoje, quando Isabel chegou à nossa casa, ao ouvir sua voz, Flavia esboçou um sorriso. Foi lindo.

Pela observação diária das sutis  reações na expressão facial de Flavia, acredito que  a voz de pessoas queridas  seja um dos mais   importantes estímulos para pessoas em coma, seja coma vigil (caso de Flavia) seja o  coma profundo.O tom suave e carinhoso nas palavras,obviamente, é fundamental.

Meu nome não é Odete, como algumas pessoas escrevem nos comentários, é Odele, com L e não com T.
Obrigada.

21 comentários

  1. Muito bela recordação querida Odele, imagino a dor de Isabel no momento do acidente.

    Estou convicta do que contas, a voz das pessoas que passaram por sua niñéz lhe saca sorrisos a nossa Flavia...abraços enormes, beijinhos :)

    ResponderExcluir
  2. Flavia e Odele...Feliz Páscoa.
    Desejo a vocês muita paz, saúde e amor.

    abraços

    ResponderExcluir
  3. Feliz Páscoa e um beijinho especial para a Flávia. Martinha (Portugal)

    ResponderExcluir
  4. Que enternecedora e ao mesmo tempo triste esta tão bonita história de afecto que aqui nos contas.
    A Isabel, espectadora dos talentos da Flavia, recordando esses momentos em que a menina a solicitava, interagia com ela, da forma gaiata e divertida que estava inscrita no seu temperamento.Isabel que, ainda hoje, apesar da distância a que a Princesa se encontra, é capaz de lhe despertar um sorriso.
    É assim que vamos entendendo, cada vez melhor, como se tece essa teia de amor que vos envolve. Ela foi construída fio a fio, passo a passo, ao longo dos tempos. Foi, é, merecida porque sois gente diferente capaz de conquistar o coração de quem é sensível e permeável às emoções.
    Que mais histórias, que mais memórias, ainda nos irás contar, para nosso encantamento. E também para nossa indignição perante quem foi capaz de interromper sonhos, sorrisos,projectos... Sem perdão!

    ResponderExcluir
  5. Odele,
    Descobri o seu blog há uns 20 dias...
    Estava pesquisando sobre o coma, porque há 24 dias minha mãe está nesse estado. Faz movimentos com o corpo, porém seu olhar fica perdido. E é uma dor tão grande procurar ela naquele olhar e ela não retribuir...
    Estamos estimulando ao máximo ela, com palavras de carinho, de força...
    Nesse dia das mães eu e o meu irmão conseguiremos abraçá-la, mas não sabemos se seremos retribuidos..
    Cada vez que ela dorme fico ao lado velando o seu sono na expectativa dela acordar e me chamar, perguntar o que está acontecendo, e ai me imagino falando com ela e depois ligando para toda a família dizendo que ela voltou!
    TOdo dia sonho com ela conversando comigo... Fico de mãos dadas com ela no hospital a noite toda, todo dia e no entando mesmo estando ao seu lado fico me remoendo de saudades da minha mãezinha...

    Admiro muito a sua luta.

    Um abraço bem forte em você e na Flávia!

    Camila

    ResponderExcluir
  6. Mesmo "sutis" podem ser reais, porque a ciência ainda não tem explicação para tudo.

    Comovi-me muito e sinceramente nem vejo o teclado e não consigo dizer mais nada, apenas que aproveites esses vínculos afectos que quando verdadeiros nunca se perden no tempo!

    Beijos meu doce, um chamego em Flavia e um abração a Isabel.

    ResponderExcluir
  7. Odele

    Passei por aqui para desejar a si e à Flávia uma Páscoa feliz, dentro das possibilidades.

    Um beijinho para cada uma, vale?

    :)

    ResponderExcluir
  8. muita ternura expressa nessa história... imagino o acalento que tocou o coração de Flavia, ouvindo a voz de uma pessoa querida...
    Fiquem com Deus...

    ResponderExcluir
  9. Uma santa páscoa a vocês.Um abraço carinhoso e uma linda canção aos ouvidos dessa linda menina.

    ResponderExcluir
  10. Querida Odele,
    Vim deixar um beijinho com votos de Santa Páscoa!

    Ana Martins

    ResponderExcluir
  11. Odele, eu acho que nao se perdem os vinculos. O=utro dia, eu estava conversando com um neurologista sueco, na consulta de revisao sobre as mudancas que meu cérebro sofreu quando eu eu tive AVC. E ele disse que, no caso do coma, os vinculos nao se perdem e ele tem certeza de que quem está em coma, nos ouve, e vive a rotina da casa. Com uma unica diferenca: nao pode abrir a boca para falar.
    Ele me disse que teve um paciente que ficoue m coma 15 anos e do nada, voltou. Ele me disse, tbm que, partes de nossos cérebros adormecem quando sofremos AVC. Por quë ele me disse isso? Por que, Odele, tem dias em que, do nada, imagens voltam e eu lembro de coisas que nao lembrava até o dia passado. Segundo ele, os sonhos nos ajudam a reaver nosso passado.

    Acho que ele tem razao por que, quando eu sonho com a minha infancia, Odele - que foi uma parte feliz da minha vida - eu acordo e do nada, minha mem´ria se refaz.
    Bjks nas duas e dias felizes
    http://graceolsson.com/blog/2011/04/patty/

    ResponderExcluir
  12. Éssa é uma história que pode nos servir como reflexão:de não deixar nada para depois.
    Abraços carinhosos.

    ResponderExcluir
  13. Flávia que a tua alma continue captando todas as vibrações de amor e luz que alcançam o teu seu ser através do coração. Tens uma mamãe guerreira, corajosa e que lhe ama por demais; mas isso você já sabe de cor há tempos, não é mesmo? Desejo muita luz, amor e saúde em suas vidas! Graças às tuas orientações olho com outros olhos as piscinas por aí à fora, e instruo meu marido e filho e a todos os que conheço a respeito. Um abraço afetuoso! Luciana

    ResponderExcluir
  14. Nossa, Odele!! As visitas de Isabel devem fazer muito bem a Flávia! Imagino a alegria que sentiu! Certamente, o nosso cérebro faz associações de afetividade que o tempo não desfaz! Beijus,

    ResponderExcluir
  15. Oi Odele,

    venho conhecer o seu blog através da FlyRoseli.
    Deixo um beijo muito grande para si mãe coragem e outro para a Flávia, filha maravilha.
    Os beijos vão do outro lado do oceano mas vão chegar nas melhores condições.
    Muitos parabéns por manter a força, coragem e integridade que mostra.
    beijocas

    ResponderExcluir
  16. Que post lindo Odele, tanta sensibilidade... AMIZADE COM AMOR É TUDO!!! E Flavia sente sim a presença da eterna amiga... fiquem com DEUS... bjo

    ResponderExcluir
  17. Certamente a Flavinha ouve e fica feliz com a visita de pessoas amigas, como a Izabel.
    Bjim pras três.

    ResponderExcluir
  18. Gracias por la gran información! Yo no habría descubierto esto de otra manera!

    ResponderExcluir
  19. Odele,

    Emocionante história, grande lição de vida sua e de sua filha!! Achei o seu blog por acaso, apenas por curiosidade e vou acompanha-lo sempre! Eu e minha mãe estamos comovidas, tenho praticamente a idade da sua filha e não conseguimos mensurar a dor. Apenas podemos afirmar: você é uma mulher iluminada Divinamente por ter tanta força e servir de exemplo para que tantos outros casos sejam evitados!! Serei sua "seguidora" de agora em diante.
    Um beijo em vc e em Flávia.

    ResponderExcluir
  20. Um amiga que se preocupa coma essência dos amigos, não aquilo que obter deste (o que acho da dona Isabel)...

    Fiquem com Deus, menina Odele e menina Flávia.
    Um abraço.

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails