Este blog, criado em janeiro de 2007, é dedicado à minha filha Flavia e sua luta pela vida. Flavia vive em coma vigil desde que, em 06 de janeiro de 1998, aos 10 anos de idade, teve seus cabelos sugados pelo sistema de sucção da piscina do prédio onde morávamos em Moema - São Paulo. O objetivo deste blog é alertar para o perigo existente nos ralos de piscinas e ser um meio de luta constante e incansável por uma Lei Federal a fim de tornar mais seguras as piscinas do Brasil.

Acidentes por sucção dos ralos de piscinas, acontecem por negligência do local

- 22 de julho de 2017
Rachel e Cynthia, mãe e filha, em um momento feliz

"Se soubesse o que aconteceria, jamais eu a deixaria entrar na piscina. Fui levar minha filha para se divertir e a vi morrer".
(Cynthia, mãe de Rachel, morta no domingo dia 16/07, ao ter os cabelos sugados na piscina do hotel

Tenho visto nos noticiários sobre acidentes por sucção dos ralos de piscinas que os locais, numa tentativa se furtar às suas responsabilidades, acabam, de uma forma até cruel, responsabilizando os pais pelo acidente ocorrido, alegando esses locais que os pais não teriam exercido a necessária vigilância para com seus filhos. Ora, os pais não têm como saber se as piscinas onde seus filhos nadam estão ou não funcionando dentro ou fora dos padrões de segurança. E apesar deste tipo de acidente ser mais comum do que se pensa, muitos ainda não conhecem esse risco.

"Para o advogado do estabelecimento, Luiz Eduardo Righetto, o caso foi uma fatalidade. "O hotel está dentro das regras, se solidariza com os familiares da vítima, lamenta o ocorrido, mas não houve negligência. Estamos dentro das normas, por isso não é possível nos atribuir responsabilidade", disse."

O advogado do estabelecimento obviamente está equivocado. Como estão dentro das normas se o ralo estava sem a tampa antiaprisionamento?! Não sabiam? Pois procurem e informar. Proprietários e administradores de piscinas têm por obrigação conhecer e usar as normas de segurança em suas piscinas. Em assim não sendo não há que se falar em responsabilidade dos pais e esses locais terão sim que ser responsabilizados por esses acidentes.

A matéria completa pode ser lida neste link do G1

O fato é que, em se tratando de segurança nas piscinas, existe negligência não só dos locais onde as piscinas estão instaladas, como dos políticos que engavetam projetos de Lei que se aprovadas e colocas em vigor, salvariam muitas vidas. É o caso do Projeto de Lei desde 2014 está engavetado no Senado em Brasília.

O que me dá esperança é que a ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas está prestes a terminar os trabalhos de revisão e atualização de suas normas. no que se refere a segurança nas piscinas. E aí bastaria uma simples folha de papel escrita por um político de boa vontade que dissesse: "As piscinas do Brasil, deverão seguir rigorosamente as normas de segurança mencionadas na NBR 10.339 da ABNT".

Direcionar a segurança das piscinas para as normas da ABNT - NBR 10.339, seria o mais correto e simples a fazer.


Meu nome não é Odete, como algumas pessoas escrevem nos comentários, é Odele, com L e não com T.
Obrigada.

2 comentários

  1. Infelizmente os relatos sobre este tipo de acidentes estão a ser quase diários. Mais uma vida ceifada quando seria simples e barato ter soluções que evitassem estas tragédias. E depois vem a hipocrisia dos responsáveis irresponsáveis. Como dizer que a piscina deste hotel estava dentro das normas se uma criança lá morreu? Não foi uma fatalidade. Foi simplesmente negligência.

    ResponderExcluir
  2. Mais um caso a lamentar devido a incúria de quem explora locais de lazer. Que ódioooooo e infelizmente penso que os irresponsáveis de quem governa julgam que isto só acontece aos outros.

    Beijos e mil em Flavia

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails