Este blog, criado em janeiro de 2007, é dedicado à minha filha Flavia e sua luta pela vida. Flavia vive em coma vigil desde que, em 06 de janeiro de 1998, aos 10 anos de idade, teve seus cabelos sugados pelo sistema de sucção da piscina do prédio onde morávamos em Moema - São Paulo. O objetivo deste blog é alertar para o perigo existente nos ralos de piscinas e ser um meio de luta constante e incansável por uma Lei Federal a fim de tornar mais seguras as piscinas do Brasil.

Sucção nas piscinas, morte ou sequelas graves

- 11 de fevereiro de 2017
Imagem retirada do site: Fundacion Santi Rivera - Colômbia

Simulação: a criança é sugada pelos cabelos e se afoga.
(foi o que ocorreu com Flavia)
Imagem: Sodramar
A grelha ou tampa antiaprisionamento evita a sucção do ralo.

Nestas imagens pode-se ver o estrago que faz a sucção dos ralos de piscinas. Na primeira imagem foram sugadas partes do corpo humano, o que, com alguma sorte, a pessoa consegue sobreviver. Já quando são os cabelos da vítima a serem sugados, escapar da morte é quase impossível. Minha filha Flavia, teve os cabelos sugados, escapou da morte mas não do afogamento e do estado de coma vigil em que se encontra há mais de 19 anos. Diariamante, convivo com a dor da perda. Flavia perdeu parte da infância, a adolescência, não pode seguir seus estudos, nunca vai namorar, casar ou me dar netos. Uma perda diária, uma dor sem consolo. 

Nao sei se por uma questão de sobrevivência emocional, acredito que um certo consôlo  me vem do fato de que acredito  - ou quero acreditar - que se minha filha  não morreu é porque Flavia  tem como missão,  alertar e conscientizar outras pessoas para esse perigo submerso que existe em muitas piscinas do Brasil. A sucção dos ralos, que pode matar ou deixar uma pessoa vivendo para sempre em coma.

Escrever e manter este blog, assim como a página de Flavia no Facebook,  é um tributo que faço não só à Flavia, mas também às crianças  Virgínia Baker, Abigail Taylor, Santiago Rivera, Luiza Santos, Gabriel Postenaro João Paulo, Mariana Oliveira, Naisla Cestari,  Sofía El-Khroury... e muitas outras crianças que tiveram a infância interrompida por um tipo de acidente que só ocorre por falta de segurança nas piscinas, ou seja, por negligência.

Que a morte dessas crianças e o estado de coma de minha filha possa servir de alerta para que outras crianças possam nadar e brincar em piscinas que respeitem o direito do usuário de nadar em uma piscina com segurança!

Segurança nas piscinas, esta é uma causa de todos nós!

Um abraço a todos e até o próximo post.

Meu nome não é Odete, como algumas pessoas escrevem nos comentários, é Odele, com L e não com T.
Obrigada.

Um comentário

  1. O trabalho que você faz de conscientização sobre os riscos que as piscinas oferecem é maravilhoso. Quando comprei a minha casa, já havia uma piscina, mas ela só tinha 1 ralo e não tinha a proteção para evitar que o cabelo ficasse preso. Graças ao seu blog, contratamos uma equipe que a deixou adequada.

    Eu JAMAIS me preocuparia com esta questão se não fossem os seus depoimentos. Quero agradecê-la e dizer que fico até emocionada com tanto carinho e cuidados que você dá à sua filha. Sou fã de vocês e sempre venho visitá-las. Um abraço!

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails