Este blog, criado em janeiro de 2007, é dedicado à minha filha Flavia e sua luta pela vida. Flavia vive em coma vigil desde que, em 06 de janeiro de 1998, aos 10 anos de idade, teve seus cabelos sugados pelo sistema de sucção da piscina do prédio onde morávamos em Moema - São Paulo. O objetivo deste blog é alertar para o perigo existente nos ralos de piscinas e ser um meio de luta constante e incansável por uma Lei Federal a fim de tornar mais seguras as piscinas do Brasil.

Indiaporã, São Paulo. Criança fica presa em ralo de piscina

- 13 de fevereiro de 2014

"Criança fica presa em ralo de piscina e é salva por amigos
 
Caso ocorreu em um rancho na cidade de Indiaporã
 
Thiago Bonfim-Agência JP

A garota M. E. M. da S. de 10 anos, filha do casal de oficiais de justiça, Wera Lúcia Muniz e José Carlos da Silva, muito conhecidos em Ouroeste, passou por momentos difíceis na tarde do último sábado, enquanto se divertia com a família em um rancho da cidade de Indiaporã.

Segundo relatos da mãe da vítima, a garota estava nadando em uma piscina, quando outras crianças viram que ela mergulhou e não retornou a superfície. Foi quando os demais adultos foram chamados e pularam rapidamente para salva-la. A bomba de sucção estava ligada e o ralo teria puxado o cabelo da jovem. " Saiba mais


Esta criança escapou. Infelizmente muitas outras crianças não tiveram a mesma sorte e morreram porque tiveram seus cabelos, braços, rostos e outras partes do corpo sugadas por ralos de piscinas funcionando sem oferecer segurança a seus usuários. Infelizmente, enquanto não tivermos uma Lei Federal aplicada e fiscalizada com rigor, muitas crianças continuarão a ser vitimadas  por acidentes em piscinas, principalmente esses causados pela sucção dos ralos.
 
A soluçao é simples e barata. Uma tampa antiapriosamento afixada sobre o ralo (sem que nada precise ser quebrado)  evitaria acidentes causados pela sucçao dos ralos. O que falta então para que tenhamos piscinas mais seguras? Falta comprometimento das autoridades com um problema tão sério como a falta de segurança nas piscinas do Brasil.

 

Meu nome não é Odete, como algumas pessoas escrevem nos comentários, é Odele, com L e não com T.
Obrigada.

7 comentários

  1. Oi Odele,
    Tão triste ver que ainda temos crianças sofrendo acidentes deste tipo. Ainda bem que essa escapou!
    Fico tão temerosa quando vamos a algum lugar que tem piscina e não sei o funcionamento, ralos...
    Aqui no condomínio, já conversei bastante com o síndico e a bomba nunca fica ligada em horários de diversão.
    Espero que vc e a Flávia estejam bem.
    Abraços,
    Marcia

    ResponderExcluir
  2. Não faço ideia como funciona o Facebook amiga, mas que tal tu ou outros que andem dar conhecimento deste teu espaço, onde se pode ler e ver a tua luta por uma "lei federal" e sem resposta?

    Afinal de contas os pais da criança "Wera Lúcia Muniz e José Carlos da Silva" como "oficiais da justiça" podem até nem saber da luta que tu, todos nós e mais alguém travam contra esse flagelo.
    Havia eu ter o email deles, que daria conhecimento e com toda a certeza que seriam mais dois a lutar.

    Beijos de sempre e para sempre e mil em Flavia

    ResponderExcluir
  3. Odele

    As pessoas parecem que estao anestesiadas ... ainda bem que a menina escapou.

    ResponderExcluir
  4. Impressionante como depois de tanta luta ainda acontecem acidentes destes. Vivemos na atualidade num mundo de indiferença onde a preocupação do lucro e dos prazeres estão em primeiro lugar. A Fatyly tem razão, há que continuar a lutar sempre, a construção das piscinas nos condomínios e mesmo em casas particulares deveriam para ter licença de habitabilidade serem inspecionadas e aprovadas por quem de direito em termos de segurança. Não faço ideia se isso acontece em Portugal, mas sei que é feita uma inspeçao pela câmara local para verificar saneamentos, tiragem de fumos e vapores, respiros e uma série de outros requisitos antes de ser dada licença para habitar. Ora a segurança de uma piscina deveria ser um dos principais requisitos a exigir, pois de uma forma geral ela acaba por ser frequentada por crianças e mesmo os adultos precisam de se sentir em segurança. Vamos continuar a exigir que isso faça parte da inspeção de qualquer habitação.
    Beijos
    Branca

    ResponderExcluir
  5. Mais um acontecimento que prova a justeza da tua luta.
    Desta vez, sem danos físicos importantes, porque a menina, por sorte, foi salva a tempo.
    Mas quem utiliza as piscinas como espeço de lazer ou de desporto, não pode estar à mercê da sorte ou azar.Por isso, as soluções, baratas, que existem no mercado, terão de ser impostas por uma Lei como aquela que tu e teus amigos há tanto tempo defendem. Estarão os decisores políticos surdos que não ouvem as nossas vozes? Não ouvem as notícias destes terríveis acidentes?

    ResponderExcluir
  6. Mais um acontecimento que prova a justeza da tua luta.
    Desta vez, sem danos físicos importantes, porque a menina, por sorte, foi salva a tempo.
    Mas quem utiliza as piscinas como espeço de lazer ou de desporto, não pode estar à mercê da sorte ou azar.Por isso, as soluções, baratas, que existem no mercado, terão de ser impostas por uma Lei como aquela que tu e teus amigos há tanto tempo defendem. Estarão os decisores políticos surdos que não ouvem as nossas vozes? Não ouvem as notícias destes terríveis acidentes?

    ResponderExcluir
  7. http//sverdades.blogspot.com17 fevereiro, 2014

    Olá, ODELE E FLÁVIA!
    Abraços... Até sempre!!!!!!!!!!!!!

    David Santos

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails