Este blog, criado em janeiro de 2007, é dedicado à minha filha Flavia e sua luta pela vida. Flavia vive em coma vigil desde que, em 06 de janeiro de 1998, aos 10 anos de idade, teve seus cabelos sugados pelo sistema de sucção da piscina do prédio onde morávamos em Moema - São Paulo. O objetivo deste blog é alertar para o perigo existente nos ralos de piscinas e ser um meio de luta constante e incansável por uma Lei Federal a fim de tornar mais seguras as piscinas do Brasil.

Mantendo a dignidade de Flavia

- 22 de abril de 2012
 Pássaro na varanda aqui de casa. Do quarto de Flavia pode-se ouvir seu canto forte e bonito. Gosto de pensar que o pássaro canta para Flavia.

Em  alguns comentários que aqui são deixados por visitantes deste blog  ou mesmo por alguns e-mails que me enviam, transparece uma atitude de comiseração ou compaixão pela situação de Flavia. Compreendo esse tipo de sentimentos pois são fruto de uma cultura que continua enraizada e até cultivada por algumas  mídias e que consiste em derramar lágrimas de pena perante tragédias alheias. Mas o que eu espero que sintam em relação à Flavia é  carinho e respeito, jamais pena,  compaixão ou piedade.

Ao longo dos anos, como neste blog se tem mostrado, Flavia tem sido tratada  na casa dela com total respeito pela sua dignidade.  A sua roupa continua a ser cuidada e combinada como qualquer outra jovem da sua idade. As suas unhas são pintadas  com esmero e com arte. Quando o tempo permite, Flavia é levada para o jardim do prédio para tomar um pouco de sol.  A sua pele é íntegra, bonita e rosada.  Os seus lindos cabelos são mantidos na forma como sempre Flavia  gostou.  O seu amigo António continua a falar com ela, em mensagens gravadas que lhe envia de vez em quando, em conversas tão naturais como as que se têm entre dois interlocutores que dialogam. Porque, se  Flavia perdeu a capacidade de falar,  mostra, na expressào de seu rosto, que aquelas palavras  que ouve do amigo distante,  de alguma forma lhe tocam em algum ponto do seu ser.  Pela cuidadosa observação diária e pelo amor que dedico à Flavia, aprendi a interpertar esses sinais tão sutis quanto preciosos para  mim.

E ao longo desses mais de catorze anos em que  Flavia tem vivido em estado de coma vigil, tenho aprendido muito com minha filha. Aprendi a resistir,  porque se Flavia não desiste, como posso  eu desanimar?. Com Flavia aprendi  a ouvir o que silêncio me diz,  aprendi a prestar mais atenção ao canto dos pássaros que de tão alto que cantam nos galhos das plantas na nossa varanda, conseguimos ouvi-los do quarto de Flavia. E gosto de pensar que os pássaros cantam pra  ela.

Com Flavia aprendi a ser mais tolerante,  mais persistente, mais paciente. Mais resistente. Com Flavia aprendi que posso ser múltiplas pessoas  e  dar conta de tudo o que ela precisa para continuar a exercer sua  cidadania e a manter  sua dignidade. Com Flavia aprendi e me emocionar  com demonstrações de afeto, carinho, amizade e atençao que algumas pessoas nos dão. Estamos falando de amor. É isso que conta.

Obrigada a todos e até o próximo post.

Meu nome não é Odete, como algumas pessoas escrevem nos comentários, é Odele, com L e não com T.
Obrigada.

15 comentários

  1. Todas as pessoas que conheçam o caso de nossa Flavia, terão diferentes maneiras de pensar.
    Vos sos a mamãe, a que acompanhas faz tantos anos. Conservo a esperança sempre amiga Odele, é um desejo desde o coração como assim se a vida me permite: algum dia poder viajar e conhecê-las.
    Abraços enormes!

    ResponderExcluir
  2. Como te compreendo amiga e é duro sentirmos o que descreves, mas "penas" têm as galinhas e "compaixão" adianta alguma coisa?

    O que interessa é a presença física ou não (tal como a minha), a do Peciscas que faz maravilhas com este mundo de cabos que eu não sei, de todos que lutaram pelo fim de um processo onde foi feita meia justiça e que agora lutam por seja Lei Federal.

    As agruras da vida tornam-nos fortes, mais tolerantes, verdadeiros, persistentes, solidários e tu meu doce és uma mulher e mãe com M GRANDE daí os pássaros virem cantar à tua/vossa janela, sem medos porque sabem que o ambiente é puro, verdadeiro e recheado de amor e carinho.

    Tu que és a voz de Flavia é que sabes o que ele sente e faz, porque não foi por acaso que ela esteve na tua barriga durante 9 meses, que foi uma criança alegre e traquina e hoje, PELA INCÚRIA DE UMAS BESTAS HUMANAS, calou-se, fechou-se no seu mundo onde se tornou adolescente, adulta e é tratada com tanto cuidado e amor perfumado como uma mãe sabe cuidar, assim como os profissionais que te amparam...até o cabeleireiro que mantém a presença com lealdade.

    Não tens de agradecer, lamento é a ausência do enorme número de comentadores, nem que fosse apenas para te deixar um beijo, uma força, vai em frente...mas temos que aceitar não é mesmo amiga?

    Beijos de sempre e para sempre!

    ResponderExcluir
  3. A Odele aprendeu com a Flávia.
    E a Flávia sabe quem tem com ela.

    Beijinhos para ambas.

    ResponderExcluir
  4. Estamos mesmo falando de amor.
    Amor por um ser humano a que terão roubado o sorriso gaiato, os sonhos e os projectos, mas a que nunca roubarão a dignidade.
    Por isso continuarei a falar com ela, porque sei que ela sente que as minhas palavras são de alguém que nutre um carinho especial por ela. Assim como ela sente que o canto dos pássaros que a saudam junto da sua janela são uma forma de a ligar ao mundo de carinho que a rodeia.
    E tens toda a razão:a Flavia, mesmo não falando, muito nos ensina.Com ela aprendemos a valorizar melhor as pequenas e grandes coisas que podem dar sentido à vida. Assim, somos nós que temos de lhe agradecer.

    ResponderExcluir
  5. Boa noite, Odele!
    Creio que cada pessoa tem o direito de pensar e sentir um acontecimento de sua maneira. O que importa, como você tão bem descreveu, é o amor. Este amor que faz com que você sinta sua Flavia, e o amor que algumas pessoas lhe passam através das palavras e da vóz, como o António.
    Abracinhos floridos para você e Flavia.
    Sueli

    ResponderExcluir
  6. Que lindo! Que bom que você sabe, diante do sofrimento, não endurecer. Parabéns.
    Ana Paula

    ResponderExcluir
  7. Queridas Odele e Flávia:
    Quanto tempo estou longe deste espaço especial.A vida nos prega umas peças e as coisas tem que ser repensadas, revistas reestruturadas...mas nos humanizamos mais, prestamos atenção às coisas pequenas e belas, nos alegramos com o simples e assim a Vida vai se tornando mais real...Meu filho (20 anos) caiu em depressão intensa,a vida ficou cinzenta e me exigiu presença e dedicação intensa ( e exclusiva) para que não "se livrasse da Vida e do peso que ela representava para ele...Pensei que não fosse aguentar, mas me lembrei das Mães Coragem que conheci e percebi que algo em nós aflora, algo grande, forte, e inabalável...Hoje- depois de quase 10 meses - posso dizer que estamos "praticamente" bem e bons.
    E retomo com alegria e serenidade o que da vida para mim tem real valor...quantas coisas descartei ! Quantas coisas conquistei ! Quanto descobri de mim !?! Nossos filhos são nossos melhores professores...a acho que esses eventos nos ensinam a amar cada vez mais e desenvolver o respeito por eles...e por nós mesmas.
    Adorei ler o post adorei saber que os passarinhos pousam e cantam para você, Flavia. E fico imaginando o efeito delicioso que isso provoca em você.Eu - quando eles me presenteiam com uma audição - paro tudo o que estou fazendo , fico bem quieta e de olhos fechados para aproveitar TUDO !
    Em nada me espantou saber que suas unhas estão sempre pintadas, e na moda e as roupas combinando ! Sua mãe te ama muito e deixa transparecer isto em cada gesto.
    Deixo aqui um grande e carinhoso beijo para vocês duas, e peço desculpas pelo "desabafo-explicação" da minha ausência.
    Que dias mais ensolarados venham para nós.
    Com carinho, Betty

    ResponderExcluir
  8. Quantas coisas preciosas você aprendeu com Flávia!E Flávia aprende demais com esta experiência; eu acredito que existe algum tipo de consciencia dela que está ligada (bom, isso é uma crença pessoal minha que não é certo nem errado; até porque as únicas coisas certas é Deus, velhice e morte; o resto é a liberdade que cada um tem de acreditar no que está de acordo com a sua pessoa)

    ResponderExcluir
  9. Odele

    ...com certeza o pássaro canta mesmo para a Flávia!
    grande abraço

    ResponderExcluir
  10. QUERIDAS,

    HÁ DIAS NÃO ABRIA O BLOG.
    HOJE, LENDO ESTAS PALAVRAS DE PURO AFETO, SÓ TENHO A AGRADECER À VIDA POR TER NOS TORNADO AMIGAS.
    O PASSARINHO SABE O QUE CANTA E PARA QUEM CANTA.
    BEIJOS ENORMES.
    LEILA

    ResponderExcluir
  11. Márcia Fonseca03 maio, 2012

    Olá Odele,

    Encontrei seu blog por acaso, quando pesquisava sobre cuidados para pacientes acamados, e me emocionei muito com seus post.
    Faz 4 meses que minha mãe está em coma, e sei que minha caminhada está só no início. Assim como Flávia, minha mãe chegou ao hospital em nível de coma nº 3 e eu também tive que conviver com a frieza (e até mesmo pessimismo) das notícias dadas pelos neurologistas, mas Graças a Deus minha mãe já deu vários sinais de progresso. Hoje estamos cuidando dela em casa, infelizmente não temos muito recurso financeiro e por isso vamos fazendo conforme nossas possibilidades nos permitem. O que me chamou atenção foi a data do acidente das duas, Flávia no dia 06 de janeiro e minha mãe no dia 05 de janeiro... Bom, gostaria de manter contato com você, acho que posso aprender muito com você.

    Desde já agradeço pela sua atenção, coragem, dedicação e amor, é de seres-humanos assim que precisamos...

    Minha mãe era uma mãe igual a você, amorosa, lutadora, guerreira, dava o sangue por nós e não conhecia a palavra "abatimento"... Tenho certeza que a Flávia tem orgulho de você e que te ama muito!!!

    Um forte abraço,
    Márcia Fonseca
    marcytta3@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  12. Minha querida Odele,
    Amor, eis o sentimento mágico que nos abre todas as portas. É de amor, carinho e respeito que todos precisamos, todos sem excepção. Gostei muito de ler a descrição que faz sobre a nossa Flavia, acredite que consegui até imagina-la. Gostava muito de enviar um poema gravado para ela mas ainda não aprendi a fazer isso.

    Deixo um beijinho bem grande para vocês,
    Ana Martins

    ResponderExcluir
  13. Que Lindo , amei o post concerteza a Flavinha é muito querida por todos.. até pelos passaros , beijos Roberta

    ResponderExcluir
  14. Odele e Flavia

    Porque cá em Portugal, hoje é o DIA DA MÃE, deixo-vos aquele abraço grandioso e sincero que só os amigos sabem dar.

    Para ti Odele um grande beijo muito especial, por tudo que nos tens dado em termos de aprendizado, carinho, afecto e luta para que mais casos não aconteçam, com o meu maior agradecimento porque seres uma mãe e mulher com "M" GRANDE!

    ResponderExcluir
  15. Odele!! Dias das mães eu tinha que vir aqui!! Ah, falar de amor!! Você prova seu amor todos os dias, respeitando e adorando seus filhos. Deus te dê sempre muita saúde e perseverança!! Beijus,

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails