Este blog, criado em janeiro de 2007, é dedicado à minha filha Flavia e sua luta pela vida. Flavia vive em coma vigil desde que, em 06 de janeiro de 1998, aos 10 anos de idade, teve seus cabelos sugados pelo sistema de sucção da piscina do prédio onde morávamos em Moema - São Paulo. O objetivo deste blog é alertar para o perigo existente nos ralos de piscinas e ser um meio de luta constante e incansável por uma Lei Federal a fim de tornar mais seguras as piscinas do Brasil.

Pode copiar, mas mencione a fonte. SEMPRE!

- 12 de março de 2011
Imagem copiada do blog Cítrico Cintilante

Não preciso dizer o que todos que têm blog sabem: Manter um blog dá trabalho. Usamos nosso tempo para escrever o texto a ser publicado e para selecionar a foto que vai, eventualmente, ilustrar o post. Dependendo do tema do nosso post, fazemos pesquisa, corremos atrás de informações que possam enriquecer e tornar mais interessante o nosso texto. Isto também é uma demonstração de respeito com nossos leitores. No caso do blog de Flavia, denuncio negligências e impunidades, documento aqui outros acidentes com ralos de piscinas ocorridos no Brasil e ao redor do mundo, menciono - sempre - fontes e links. Tenho que ser  - e tenho sido -  cuidadosa para ser fiel à verdade dos fatos. 

Dedico parte de meu tempo a escrever neste blog e sinto-me agradecida quando vejo que meu trabalho está sendo divulgado não só no Brasil como em vários outros países. Vejo isso claramente através de uma simples pesquisa no Google, pelos comentários deixados nos meus posts, ou ainda pela visibilidade que o sitemeter me dá das visitas feitas ao blog Flavia, vivendo em coma.

No entanto, algumas pessoas têm levado para seus espaços virtuais, posts e fotos do blog de Flavia, sem fazer qualquer referência ao meu trabalho. Ou seja, em outras palavras, essas pessoas estão praticando o abominável PLÁGIO.

Recentemente uma moça de nome Elisangela, que tem um blog num site de saúde, copiou nada menos que 12 (doze!) posts e várias fotos do blog de Flavia e publicou no blog dela, sem fazer nenhuma referência ao meu trabalho. Entre as imagens copiadas encontravam-se fotos de Marcelo Min, o fotógrafo que trabalhou com Eliane Brum na reportagem comigo e Flavia, Saudade de sua voz, para a Revista Época, em Novembro de 2009. Conseguir que os posts e fotos fossem retirados do blog de Elisangela tomou-me um precioso tempo. Nessa tarefa de fazer contato com o administrador do site e com a plagiadora, solicitando a retirada do meu trabalho de lá, tive ajuda de minhas amigas  Leticia do blog, Scriptus Est, e  Luma, do blog Luz de Luma, Juntas, eu, Leticia e Luma, “incomodamos” a plagiadora e o administrador do site, até que retirassem do blog de Elisangela, o que foi copiado sem que fosse feita a devida referência ao blog de Flavia. Sou muito agradecida à Leticia e à Luma pela ajuda. Leticia e Luma costumam “pegar pesado” com essa gente que se apropria do trabalho alheio. Aqui um trecho de um dos vários comentários deixados por Luma no blog da moça que plagiou meu trabalho.

“.... Não sei se você sabe, mas existem leis que protegem o direito autoral e é crime roubar texto alheio. Você também incorre no crime de plágio previsto em nosso código penal. Por favor reveja os textos publicados....”

Pois é. As pessoas precisam se dar conta disso: A Internet e a Blogosfera não podem ser consideradas terras de ninguém. Imagens e textos podem sim ser copiados e publicados em nossos espaços virtuais ou em qualquer outro local à nossa escolha, desde que a fonte e a autoria do trabalho sejam mencionadas. Não cumprir com isso constitui-se em crime de PLÁGIO, sem contar que é extremamente deselegante e desrespeitoso com o trabalho alheio.

A regra é: Pode copiar, mas mencione a fonte. SEMPRE!

Bom fim de semana a todos e até o próximo post.

Meu nome não é Odete, como algumas pessoas escrevem nos comentários, é Odele, com L e não com T.
Obrigada.

12 comentários

  1. Oi Odele tudo bemquerida
    Assisti sim sua participação no Tudo é possivel achei muito esclarecedora muito boa sua participação
    E a questão dos direitos autorais realmente é complicado...pois as fotos ainda podem usar do recurso de colocar o nome do blog sobre a foto , mas e os post? como saber se copiaram ou não?
    E acredito que existam pessoas que copiem por não saber da necessidade de prestar os créditos, mas acho que são poucas, infelizmente muitas fazem por má fé
    Adoro visitar seu blog, e peço em Deus que a cada dia a Flavinha tenha melhoras
    Um beijo e continue sempre na fé

    ResponderExcluir
  2. Este caso de plágio que aqui relatas é mais um triste exemplo de desonestidade a todos os níveis. Desonestidade intelectual, desrespeito pelos leitores que são enganados, e, sobretudo, apropriação indevida do trabalho e das capacidades de outros (a isso chama-se, em linguagem comum ROUBO).
    Esta jovem (começa mal...) até poderia ter, inicialmente o propósito louvável de divulgar mensagens de interesse público. Mas, fazê-lo sem dizer que estava a transcrever trabalhos já publicados em outros sítios, é mesmo uma fraude indesculpável. E, ainda por cima, com essa atitude, envolveu um site de que não é proprietária mas simples usuária.
    Esperemos que a tua atitude firme, coadjuvada pelas duas amigas que também intervieram, sirva de lição a esta jovem que ainda está a tempo de arrepiar caminho e passar a ser mais honesta quando usar fontes de que sempre será exigível indicar o autor.
    Mas, infelizmente, a net é um reflexo da vida.Aqui como ali, há gente boa e gente má.Aqui e ali, todos os dias nos confrontamos com plagiadores, aldrabões, mistificadores. Por exemplo, têm vindo a lume nos jornais, casos de teses de doutoramento que são pura e simplesmente cópias de outras já publicadas. Houve mesmo um caso recente de um político ( ministro da defesa alemão, Karl-Theodor zu Guttenberg)que teve de se demitir face à denúncia de plágio da sua tese de doutoramento.
    Mas esta gente terá sempre de ser denunciada. Quanto menor for a impunidade destas personagens enganadoras, menos possível será a repetição destes acontecimentos indignos.
    A minha solidariedade para contigo e que nunca as mãos te doam!

    ResponderExcluir
  3. Subscrevo inteiramente todo o teu post e lamento que procedam dessa forma. Uns por mera "ignorância" que referem o blog, o problema, etc. e nem sabem como pôr o link, mas 99,9% é puro "desrespeito pelo trabalho dos outros"!

    Penso que a Luma (que admiro profundamente o seu trabalho) e Letícia, e tu já resolveram a questão e a moça repôs depois de ter sido avisada, porque segui o link e clicando debaixo da foto vai ter à fonte - Revista época - e no outro já menciona este teu espaço.

    Fico feliz quando tudo termina em bem porque há muitos que mesmo sabendo "o crime que cometem" não ligam nada!

    Beijocas meu doce e um chamego em Flavia

    ResponderExcluir
  4. Pera...eu vi mal...eu segui os links mas nenhum deles era o dessa moça...oh que não estou percebendo nada, afinal não puseste o link...o que desde já respeito, talvez a tenhas querido poupar né?

    Beijos e desculpa e espero mesmo que oi assunto esteja sanado!

    ResponderExcluir
  5. Não existem desculpas para o plágio. Pois se não sabem a autoria de uma foto ou texto, pois não publiquem! Simples assim! Hoje em dia existem mecanismos para se detectar a autoria de tudo que rola na internet e enganar o leitor, omitindo a autoria chega a ser, no mínimo, dupla burrice. Plágio é assumir publicamente a incompetência e por ser "roubo" também é atestado de falta de caráter.
    Odele, tudo se resolveu ao final. Mas que chatura, não é mesmo?
    Boa semana! Beijus,

    ResponderExcluir
  6. Querida Fatyly,

    Os links aqui fornecidos NÀO SÃO - - propositadamente, os links da moça, até porque ela já retirou os posts (depois de uma semana de chateação). Forneci os links da Revista Época e do fotógrafo, para que, quem ainda não conhece, possa conhecer a reportagem de Eliane Brum (Saudade de sua voz) e o trabalho do fotógrafo Marcelo Min comigo e Flavia. Foi um bonito trabalho desses dois profissionais que (entre outros posts) foram copiados do blog de Flavia, sem qualquer referência à fonte.

    Beijos e obrigada por seu comentário e por sua querida presença no blog de Flavia.

    ResponderExcluir
  7. Odele
    A confusão foi minha daí a razão do meu segundo comentário, mas segui os links e a matéria que já tinha lido várias vezes são de facto de quem mencionas -um trabalho MARAVILHOSO.

    Pelo comentário da Luma, o assunto com essa "moça" já está sanado e isso é que importa.

    Obrigado e um xicoração muito sincero

    ResponderExcluir
  8. Já passei por isso! Tive um blog INTEIRO, de mais de 3 anos, de textos e poesias copiados e assinados por outra pessoa. Consegui que fosse retirado do ar. E as pessoas elogiavam os textos, diziam que ela escrevia muito bem... me senti nua e com nariz de palhaço.

    ResponderExcluir
  9. Odele,
    Toda obra intelectual, não deixa de ser um trabalho. Infelizmente algumas pessoas acreditam que o que está na internet, não é de ninguém.
    Plágio é uma burrice sem tamanho, é roubo e não tem justificativa. É uma tremenda falta de caráter a pessoa copiar, sem citar a fonte, mesmo que seja uma frase. Algumas pessoas acreditam que tudo surge do nada e isso é errado.
    Sempre que precisar, Odele, é só chamar.
    Beijos menina.

    ResponderExcluir
  10. toc-toc-toc. Posso entrar minhas queridas, Odele e Flavia?
    O plágio para mim sempre constitui uma atenção. Uma atenção extra.

    Pode ser desagradável, mas tem a vantagem de se saber a origem da fonte.

    De qualquer das formas, estarei sempre mais preocupado consigo e com Flavia.

    ResponderExcluir
  11. Rosa Aleir15 março, 2011

    OLÁ ODELE

    ESTAREI ORANDO PELA FLÁVIA.....

    ResponderExcluir
  12. Olá Odele,


    Sei bem do que voce está falando com relação a essa história do plágio. Tenho um blog sobre a cidade de Fortaleza, e um outro blog sobre a mesma temática, copia (copiava) sistematicamente, tudo que eu publicava. Era o velho “Control C control V”. Como você, também enviei email reclamando, e o que fez a copiadora? Apagava as mensagens e bloqueava o IP. Vários leitores do blog (que me avisaram da clonagem) fizeram o mesmo e receberam o mesmo tratamento, foram sumariamente bloqueados. Como minhas postagens trata de história da cidade, naturalmente eu cito fontes, e a clonadora colocava as mesmas fontes que eu no texto copiado. O que ela não sabe, é que não faço cópia dos livros, eu leio, faço um resumo, reescrevo (porque muitos usam linguagem literária ou arcaica, com expressões antigas que muitos não entenderiam), e só então em posto. Faço o blog baseado em pesquisas de livros que eu compro, a maioria em sebos, escaneio fotos desses livros ou compro fotos de colecionadores. Quando a postagem requer fotos atuais, saio pela cidade, de máquina em punho, correndo riscos, porque ninguém anda com equipamento fotográfico pela cidade sem ser visada por ladrões, para no final, ver minhas postagens e minhas fotos sendo elogiadas em outro blog que, em nenhum momento cita que foi tudo copiado do meu.
    Para me livrar da espertalhona, fui obrigada a bloquear os textos e colocar o nome do blog nas fotos, o que me frustra totalmente. A intenção do blog era ser copiado, ser reproduzido, acho importante que a história de sua cidade seja divulgada ao máximo. Recebo emails de alunos, de grandes colégios e até de editoras pedindo para usar imagens. Mas sempre atribuem os créditos. A internet não pode ser terra de ninguém, e o direito autoral precisa ser respeitado. Copiar e não citar fontes, é falta de respeito, é roubo mesmo.
    Parabéns pelo seu blog, boas energias e muita luz para Flavinha.

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails