Este blog, criado em janeiro de 2007, é dedicado à minha filha Flavia e sua luta pela vida. Flavia vive em coma vigil desde que, em 06 de janeiro de 1998, aos 10 anos de idade, teve seus cabelos sugados pelo sistema de sucção da piscina do prédio onde morávamos em Moema - São Paulo. O objetivo deste blog é alertar para o perigo existente nos ralos de piscinas e ser um meio de luta constante e incansável por uma Lei Federal a fim de tornar mais seguras as piscinas do Brasil.

Esperança, dor e amor.

- 20 de fevereiro de 2011
Meus filhos Fernando e Flavia, o laço de amor mais forte que tenho com a vida.

De vez em quando me pedem para eu falar de ESPERANÇA para outras pessoas que assim como eu, passaram ou passam pela dolorosa experiência da convivência diária com o estado de coma de alguém querido. Um filho, então, ah! como um filho é querido! Filho é um pedaço de nós. Filho é sem dúvida, o laço de afeto mais forte que temos com a vida. O que acontece de bom para nossos filhos, nos deixa exultantes de alegria. O que lhes acontece de mau, nos causa sofrimento intenso. Acredito que sem exceção, todos nós queremos ver nossos filhos saudáveis e felizes.

Sobre a esperança: Assim como a opção religiosa ou a crença de cada um de nós, a esperança é algo muito pessoal e há que se respeitar como cada pessoa lida com ela. E a esperança não é a mesma para uma pessoa que espera há dois, três, cinco anos, que para aquela que espera, há dez, treze, quinze anos ou mais. A esperança na recuperação de uma pessoa que sofreu um acidente, entre outras variáveis, depende muito da gravidade de cada caso. Essa esperança depende e é possível que se modifique com o passar dos anos, do longo tempo  que a pessoa espera.

Quando percebi que a esperança de ver Flavia recobrar a consciência se enfraquecia com o passar dos anos - e já se vão mais de treze anos - que tenho minha menina em coma vigil – saí em busca de algo que preenchesse o vazio que a esperança em crise ia deixando em mim. Saí em busca de algo que desse um sentido a esta dor tão intensa. Tão intensa que por vezes senti que poderia eu mesma me transformar em dor. E andaria eu por aí a mostrar de forma ostensiva esta dor estampada em meus olhos, em meu rosto, em meus gestos. Em minha voz. Esse risco existe quando nos deixamos anular pela dor, quando não reagimos, quando permitimos que a dor nos faça dela reféns.

Cada um de nós vai encontrar a sua maneira - ou várias - de lidar com a esperança e com a dor. Uma das maneiras que encontrei de lidar com ambas é escrever aqui no blog de Flavia. Minha maneira de lidar com a esperança e a dor foi também protestar contra a lentidão da justiça brasileira em condenar os responsáveis pelo acidente que deixou Flavia em coma vigil irreversível. É continuar alertando para o perigo dos ralos de piscinas. É documentar aqui no blog de Flavia, todo novo acidente causado por ralo de piscina, do qual eu venha a saber. É desejar e lutar por uma lei federal, ampla e eficaz que entre outros itens de segurança, regulamente a venda a instalação e a manutenção dos sistemas de sucção de piscinas, de forma a evitar novas tragédias causadas por esses ralos que tantos acidentes graves e fatais têm causado no Brasil, sem que afinal, os responsáveis sejam devidamente punidos.

Minha esperança é que possamos um dia ter um país mais justo, para nós e nossos filhos, com uma justiça mais célere que se preocupe mais em proteger as vítimas do que ser tolerantes com pessoas e empresas negligentes, com a violência e com o crime. Minha esperança é que meu grito de dor e indignação pelo acidente - causado por negligência - ocorrido com minha filha e com tantas outras crianças, que esse meu grito ecoe cada vez mais longe, e que conscientize cada vez mais pessoas sobre o perigo desses ralos de piscinas, vendidos, instalados e mantidos sem o devido cuidado, num inadmissível desrespeito à vida humana.

E sempre tenho esperança no amor. Principalmente no seu poder de minimizar a dor.

Boa semana a todos e até o próximo post.

Meu nome não é Odete, como algumas pessoas escrevem nos comentários, é Odele, com L e não com T.
Obrigada.

44 comentários

  1. Quando descreves sentimentos tão complexos e que, como dizes e bem, variam de pessoa para pessoa, fazes de um modo tão simples e terno que fica gravado e consegues que quem esteja na mesma situação, consiga parar para respirar e dizer, aprender, interiorizar...também vou conseguir ultrapassar.

    "E andaria eu por aí a mostrar de forma ostensiva esta dor estampada em meus olhos, em meu rosto, em meus gestos. Em minha voz. Esse risco existe quando nos deixamos anular pela dor, quando não reagimos, quando permitimos que a dor nos faça dela reféns." e amiga como vejo tanta gente refém dessa dor, que baixam os braços, opacas e que precisam de facto ajuda e felizes das que encontram, nem que seja em alguém que as oiça, em algo que as faça mover...como tu ao criares este espaço de uma utilidade extrema.
    Tenho o exemplo da minha mãe e de uma amiga de longa data, que ambas perderam, conseguiram "dar a volta" mas a ferida dolorosa nunca sarou porque morreu uma parte delas.

    Quando vim parar ao teu blogue senti que és uma mulher afável, lutadora, sem lamechas, mas sofrida e com momentos angustiantes mais que normais e até eu ganhei uma raiva a quem não aplicou 100% da justiça (que jamais desisto de insistir), mas em contrapartida vejo que tens colhido frutos saborosos que te faz continuar a tua marcha e tratar da tua/nossa menina. Desse modo és um exemplo para o mundo!

    Termino com uma frase tua:

    "E sempre tenho esperança no amor. Principalmente no seu poder de minimizar a dor."

    Aquele abraço sincero e verdadeiro de sempre e para sempre que só os amigos sabem dar!

    e um chamego gostoso em Flavia!

    ResponderExcluir
  2. Esta é uma reflexão que deveria ser lida por muita gente, para além daquela que habitual ou episodicamente por aqui passa.
    Porque este texto mostra bem como a dor (que nós, que até temos filhos, poderemos ,de longe, dimensionar,mas que será sempre apenas imaginada) não te toldou a razão.
    Conseguir lidar com a perda esmagadora como a que te atingiu e que, nos primeiros tempos acredito ter sido mesmo um pesadelo inacreditável,só é possível quando se tem uma estrutura mental e uma dimensão humana fora do comum. É o teu caso, como sabemos.
    Este teu depoimento é mais uma espantosa lição de vida. Faz-nos pensar quão relativas são as dores de que tantas vezes nos queixamos e que, comparadas com as que sofres diariamente ao ver a tua filha nesse silêncio a que a remeteram os erros criminosos que a vitimaram,não podem deixar de ser classificadas como diminutas.
    Posso apenas imaginar o que sentes, quando revês fotos como esta que aqui nos mostras, de um passado radioso que, por um lado te parecerá tão perto, mas por outro já sentirás tão distante.
    E se, como dizes, a esperança no amor é algo que pode atenuar a dor, sente que, à tua volta, há um permanente halo de amor que tu e a Flavia nos fizeram despertar e que é maior a cada dia que passa.

    ResponderExcluir
  3. Odele, olá.

    O seu texto é muito reflexivo e emocionante. Como pai que sou, não posso deixar de dar-lhe razão.

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  4. Ainda tenho a esperança que nossa Flavia acorde, sobretudo porque passou em muitos casos, depois de muitíssimos anos de espera.

    Ela é para meu como uma filha, adotei-a quando nos conhecemos Odele, está presente em meu lar.

    Contar tua experiência, é de grande ajuda para tomar consciência dos perigos nas piscinas, estar atenciosos à hora de deixar a nossos filhos jogar dentro dela.

    Meus beijos, abraços...na fotografia Fernando está muito parecido a Flavia quando tinha 10 anos.

    ResponderExcluir
  5. Bom dia querida

    Você tem buscados forças para superar a dor deste sofrimento de forma tão positiva , vc fala desta dor e da sua forma de não perder a esperança que nos sensibiliza. Ir além da dor, sábio este seu aprendizado.
    Sua superação da dor é algo para ser espalhado "pelos quatro ventos " .
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Um post bem bonito e carregado de sentimentos, mas você fez a tua dor um alerta para que outras familias não a tivessem...

    Fiquem com Deus, menina Flavia e menina Odele.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  7. Oi, Odele. Estou passando por aqui para deixar um abraco, apesar de ter demorado por causa da minha rotina, minhas preces estao sempre contigo e com a Flavia. Eu acho que o carinho materno e o maior e o melhor do mundo, e e uma pena que muitas criancas nao conhecem isso. A Flavia tem muita sorte e foi muito abencoada com uma mae como voce. Eu acho que a justica brasileira pode ser lenta e nunca justa mas nao e maior do que o seu carinho e dedicacao a sua princezinha e ao seu menino. Eu acredito que na justica divina essas pessoas que vivem e se beneficiam por enganar nos seres humanos (porque eu nao consigo chamar pessoas que se beneficiam causando tragedias a criancas e tb a animais de seres humanos)possam ser felizes. Eu acho que existe uma justica maior e dessa ninguem sai impune. E tambem acredito que mesmo passando por tudo que voce passou,suas postagens e alertas ajudam muitas maes a se preocuparem com suas criancas durante um simple lazer: nadar com seguranca. Espero que um dia tambem a justica brasileira possa fazer valorizar o direito de uma crianca a ser protegida, a brincar com seguranca e comece a avaliar conceitos de empresa irresponsaveis. Te desejo uma semana abencoada. E tambem acredito que um dia a sua bela adormecida ira acordar! Deus te abencoe sempre!

    ResponderExcluir
  8. Um post que antes de entristecer, alegra.
    O que há de mais bonito em você, Odele, é a força. A sua tenacidade em busca de justiça estimula aos que perderam as esperanças a lutarem por seus objetivos, sem que estampem ódios e rancores nos semblantes.

    Parabéns, amiga! nem de longe imagina o bem que faz aos que lhe querem bem.

    Meu carinho para Flávia e para você.

    ResponderExcluir
  9. Ola amada conheci teu blog a um tempo atras e me emocionei muito com sua luta,conhecer de perto o sofrimento e dor causados por negligencia de alguns me deixou inconformada. Li seu blog desde o inicio e fiquei com o coraçao apertado, triste e com um sentimento q nao sei bem explicar,mas quero te dizer amada q te admiro e q a Flavia mesmo nessa situaçao sente o teu amor e o teu zelo com ela.Sei q nao é facil mas aqui nesta terra a cada um é dado uma tarefa é a sua com certeza é cuidar desse anjo. Gostaria de poder dizer algo q pudesse diminuir o seu sofrimento mas acho q nao posso ,mas deixo aqui meu abraço e minhas oraçoes aquele q pode todas as coisas, JESUS. Fica na paz

    ResponderExcluir
  10. Olá querida Odele! Seu texto é de uma beleza impar. Deveria ser lido por todo o mundo.Mãe coragem, mãe esperança, mãe amor, mãe dor. Sempre e sempre eternamente MULHER MÃE.
    Bjitos de carinho e admiração para si, para a Flávia e filhote.
    Tecas

    ResponderExcluir
  11. Sabe Odele qdo li "E sempre tenho esperança no amor. Principalmente no seu poder de minimizar a dor." lembrei-me de um trecho da biblia que adoro demais, diz assim: "Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, pois dele procedem as saídas da vida" Pv. 4:23, sinto que fala tbém desse amor e dessa esperança que cada um de nós temos... cada um de seu jeito... bjos,

    ResponderExcluir
  12. Oi querida Odele ...

    Este teu texto pode ensinar e ajudar muitos e mostra a mulher especial ... a mulher forte que tu és.

    beijinhos

    ResponderExcluir
  13. De uma coragem que ainda tenho esperança que um milagre compensará.
    Sua força é um exemplo para todas as mães que espero nuncam tenham que passar por esta dor.

    E que toda esta luta tenha frutos e alerte para o futuro.
    Continuação de coragem
    E um abraço do lado de cá do Oceano

    ResponderExcluir
  14. Passeando por blog parei no seu...
    e realmente mexeu cmg...
    vou seguir o blog e acompanhar vcs...
    Espero justiça... e torço mto por vcs viu

    bjoooo

    ResponderExcluir
  15. Olá Odele , parabéns pelo seu blog , acho esta sua luta e as informações que traz a nós , pais ,muito importantes .
    Um forte abraço a todos vcs e um especial a linda Flávia.

    Cláudia.

    ResponderExcluir
  16. Odele querida,

    Continuo lendo e acompanhando você. O silêncio se faz por nada mais ter a acrescentar sobre suas tão bem colocadas palavras.
    Esperança é tudo...
    Admirom muito você!
    Suely

    ResponderExcluir
  17. Sua esperança é uma lição para todos nós. Assim como seu amor de mãe, sua delicadeza e sua dedicação. Dedicação com a Flávia e dedicação e esforço para que seja ouvida, para que a imprensa, a justiça e as pessoas ouçam o que você tem a falar!

    Concluindo, seu blog nos ensina muitas coisas! Temos que estar com os corações dispostos a aprender.

    Um grande beijo, Dona Odele e um excelente domingo!

    ResponderExcluir
  18. Li e reli, Odele.
    Mas o coração não fala. Devia ver o meu olhar e o aperto com que me tento exprimir.

    Não dá. Mas saio enriquecido mais uma vez.

    ResponderExcluir
  19. Olá Odele, acabo de ver a reportagem sobre sua filha no "tdo é possivel" e venho prestar minha solidariedade e oração, para q sua filha Flávia, possa sair do estado de coma... muita força e paz a vcs..
    Gustavo

    ResponderExcluir
  20. Parabéns pela sua força, acabei de assitir seu depoimento a record, fiquei comovida com a história de sua filha, e foi uma lição de vida, pois as vezes relamanos de ir ao supermercado a pé, sendo que tem pessoas que somente gostariam de levantar da cama para ver o sol ou a chuva, ou simplismete levantar da cama para ir ao banheiro; Parabéns pela sua garra, sou mais uma admiradora sua, desconhecida, mais que reza por sua filha! Que Deus abençoe muito muito muito voçês que um dia sua filha possa sair dessa! Fiquem com DEUS . Um forte Abraço

    Luara - Caçador - Santa Catarina

    ResponderExcluir
  21. ooi , acabei de ver a reportagem na tv , muito comovente .
    será uma história que terá um fim muito feliz e lindo , ela vai conseguir sair .
    estou seguindo o teu blog , se tiver algum tempo passe no meu .
    beijos , suellen - rio grande do sul

    ResponderExcluir
  22. ESTOU SEGUINDO-TE ME EMOCIONEI COM A HISTORIA DE SUA FILHINHA,COMO TB ESTIVE EM COMA SENTI IMENSO CARINHO POR ESSA MENINA LINDA E ESTOU LEVANDO O BANNER PARA COLOCAR EM MEU BLOG PARA TB PODER ACOMPANHAR A VIDA DE VCS!

    O BANNER SE ENCONTRA EM MEU BLOG (SEXUALIDADE FEMININA) PORQUE TENHO OUTROS.


    MEU ETERNO CARINHO A VCS DUAS.

    FATTI___

    ResponderExcluir
  23. Catiusc - Juazeiro - BA27 fevereiro, 2011

    Ola Odele, assistir uma matéria no tudo eh possível e quando falaram que você criou um blog p relatar sobre sua filha Flávia corri e fui a internet ler. Eh muito tocante o que escreves. Apartir de hoje acrescentarei vocês em minhas preces. Deus abençoe. Estarei sempre lendo e acompanhando voces. Abraços

    ResponderExcluir
  24. Com mais tempo querida quero ler tudo sobre sua filhinha e terei imenso prazer se puder fazer algo para ajudar.
    parabéns pelo ato de fazer o blog e alertar outras pessoas sobre este perigo,estarei sempre por aqui deixo meu carinho!

    fatti.

    ResponderExcluir
  25. Oi bom dia!
    Assisti a reportagem a pouco, na record, sensibilizei-me, com a situação, e senti necessidade de escrever p/ vc.
    Tenho uma colega minha que voltou de um coma, e contou-nos tdo que ouvia, mas, nos falou tb, que não conseguia expressar nem com gestos, tão pouco com palavras o que ouvia e sentia.
    Por isso te digo, nunca deixe de falar, com sua filha, dar-lhe carinho, e fazer com que ela sinta que é amada por vc, e família.
    Gostaria de escrever + mas, é um blog, certo?
    se quiseres meu email: deise_lang@hotmail.com
    Bjos, abraços, e mande um bjo pra tua filha por mim.

    ResponderExcluir
  26. Olá Odele!
    Vi a sua entrevista na Record e resolvi passar aqui para desejar com toda força do meu coração que você tenha muita força! Desejo a você muitas bençãos!
    Ano passado passei por uma situação de coma, meu falecido marido ficou 5 dias e depois se foi, foram os dias mais tortuosos da minha vida! E pude perceber que o que mantém a força é a fé e a força que recebemos! Tenha sempre força, muita fé e absorva com carinho tudo de bom que desejarem a você e a Flavia! Torcerei por vocês e que tudo ocorra bem!!

    PARABÉNS MULHER DE GARRA! VOCÊ ME EMOCIONOU DE VERDADE!! UM EXEMPLO DE GARRA!!

    Att, Kamila Marques.

    ResponderExcluir
  27. Querida Odele,
    Hoje vi um pouco da reportagem no programa de TV,há anos tive conhecimento do caso, no entanto ão havia conseguido acessar o blog, hoje consegui , e peço a DEUS por você e Flávia , sou mãe e imagino seu sofrimento ,mas existe uma força maior que está te ilminando e guiando sempre DEUS.
    Que ELE te abençõe e Flávia também ...
    Fique na paz
    Um abraço
    Mary

    ResponderExcluir
  28. Oi Odele Sou de Portugal, tenho 13 anos.. Te vi na entrevista da Record, tenha força e fé =D
    Beijos

    ResponderExcluir
  29. OI ODELE ASSISTIR A REPORTAGEM HOJE NA RECORD. FIQUEI EMOCIONADA COM A HISTORIA DA SUA FILHA.TENHO UM FILHO DE CINCO ANOS E FICO PESSANDO SOBRE ESSAS COISA.ACREDITE EM DEUS .PORQUE PRA ELE NADA É IMPOSSIVEL. NAO DESANIME. VC PARECE UMA PESSOA FORTE.
    SUA FILHA TE AMA COM CERTEZA. E TODO AMOR QUE VC DER PARA ELA . É TUDO.
    FIQUE COM DEUS.
    ESTOU TE SEGUINDO. GOSTEI DAS DICAS SOBRE OS RALOS DE PISCINA.
    PARABENS!!!

    ResponderExcluir
  30. Odele,
    Com lágrimas no rosto pela emoçao que me toma a alma, em ver sua luta de cuidar com tanto amor de sua filha.E nao perdendo nunca, a esperança de que ela irá despertar deste "mundo de sonhos encantados".Venho parabenizá-la pela iniciativa de criar esse blog, pq desta maneira a história de Flávia chega a todo o mundo e pessoas, e assim, muitas pessoas acabam concientizando-se do perigo de um acidente, como este que infelizmente ocorreu com Fávia.Deixo aqui todo o meu carinho e energia positiva a doce Fávia e a você.E toda minha admiraçao em vê-la compartilhar com todos nós o doce amor que traduzem as palavras " mae e filha"
    Nao sou mae AINDA, mas ver sua história e de Flávia aqui, me remete ao amor que minha mae tem por mim, e o amor que quero dar, um dia que possa carregar esse lindo "titúlo" que é ser Mae e amar incondicionalmente.
    Um beijo grande para você e para sua eterna "princesa" Flávia!!!
    P.S Com voz embargada, tento explicar ao meu marido a comovente e esperançosa história de Fávia e sua mae...

    ResponderExcluir
  31. Odele, vi a reportagem na TV sobre a sua história e fiquei muito emocionada! Você é um exemplo de força, mulher e mãe!!!

    Deus abencoe vc, sua filha, e toda sua familia!

    Vanessa

    Teixeira de Freitas-BA

    ResponderExcluir
  32. olha vi a entrevista na record e me emocionei sempre quero saber sobre a flavia a gerreira.


    Evoluções...
    JuL...

    ResponderExcluir
  33. Moça muito obrigado por esse blog. Me tornarei uma pessoa melhor a partir de agora e valorizarei mais minha vida!

    Que Deus te dê muita força que você e sua filha saia dessa.

    Te aconselho a ler o livro poder sem limites de Anthony Robbins/

    ResponderExcluir
  34. Olá Odele,
    Conheci a história da Flávia esta semana assistindo um programa no SBT que tratava sobre o coma. No próprio programa, fiquei sabendo sobre o blog e entrei no mesmo dia.
    Não preciso nem dizer o quanto a história da Flávia me chocou, eu fico muito triste quando pessoas jovens e saudáveis são vitimadas por acidentes que podiam ser evitados. Mas, no caso da Flávia, eu fiquei ainda mais triste pelo fato de que eu e ela temos a mesma idade.
    Tenho 23 anos, estou no último ano de faculdade de Agronomia e namoro a 5 anos. E pensei que a vida dela poderia ser como a minha (e que a minha, poderia ser como a dela é hoje - eu sempre brinquei em piscina e nunca soube do risco).
    Já chorei muito por causa do caso dela (não por pena - como você disse "não quero que as pessoas tenham pena de mim"), mas pelo sentimento de solidariedade e da consciência do tamanho da sua perda.
    Acabei de enviar emails a todos os meus contatos sobre o risco dos ralos de piscinas. E vou continuar te ajudando nesta causa. Sei que nada que eu possa fazer vai diminuir a sua dor, mas a partir de hoje você, a Flávia e o Fernando terão sempre alguém aqui lembrando e pedindo a Deus pela melhora da sua menina.

    Um grande abraço,
    Laura

    ResponderExcluir
  35. Odele, boa noite! Meu nome é Flávia, e tenho 23 anos. Conheci a história de sua filha no domingo, enquanto assistia um programa de TV, me comovi, porque temos o mesmo nome, a mesma e idade...e porque poderia ser eu, e não ela a estar em uma cama.
    Não sei te explicar o porque, mas senti que precisava te dizer algumas palavras, não de de consolação mas levando em consideração tudo que vivi, enquanto Flávia dormia, quero lhe dizer tudo o que EU gostaria de dizer se estivesse no lugar dela...gostaria apenas que você lê-se a mensagem com carinho.
    Eu diria: "Mãe, obrigada por não ter desistido de mim, mesmo quando eu não posso te abraçar, ou te ajudar a lavar louça. Não fica brava com a piscina não, eu adorava estar na água, e se eu pudesse seria uma sereia! Mãe, não deixe de comemorar meus aniversários, porque eu adoro festas, balões coloridos e brigadeiro, e seu eu pudesse faria aniversário todo mês...só pra ter todo mundo gritando e batendo palmas simplesmente porque eu existo! Não deixe de pintar minhas unhas e trançar os meus cabelos, quero ser como a Bela Adormecida, uma verdadeira princesa enquanto durmo, até um dia acordar com um príncipe ao meu lado...ACORDAR, isso mesmo, mãe! Um dia eu vou me levantar daqui vou vestir um short jeans, e um vestido (que vai ficar curto como uma blusa), vou vestir um par de meias brancas, eu vou cantar enquanto arrumo meus cabelos...vou abrir as janelas porque gosto do sol quentinho na minha pele, vou olhar para piscina e não vou sentir medo, nem raiva e vou descer as escadas correndo para esticar as pernas, e tudo vai ser como era antes...sem dor, sem lágrimas. Mas enquanto isso não acontece, mãe, vamos fingir que eu sou a Alice, que cochilou debaixo de uma árvore e foi parar no país das Maravilhas...vamos fingir que eu estou seguindo o coelho branco, mas não se preocupe ele cuida de mim...e aqui mãe, é lindo! Tudo é colorido, tem música e pessoas engraçadas...as rosas vermelhas que vc me deu tb estão aki, e elas falam!
    Gostaria que você me prometesse não ficar mais triste, porque eu preciso muito de você e em algumas tarefas em especial: eu quero que você viva! Viva todos os dias! Pois eu preciso que você me conte como é o cheirinho de pão recém assado na padaria; preciso que você me explique a diferença entre o gosto de cada sorvete; preciso que você ande de bicicleta para me relembrar depois; preciso que você me ensine a me maquiar; preciso de uma lista de todos os lugares que não posso deixar de visitar; preciso saber qual é a paisagem da minha janela nas 4 estações..mãe, eu amo você!

    ResponderExcluir
  36. Respondendo ao comentário de Laura:

    Laura, o programa de TV que você viu falando sobre o caso de Flavia não foi no SBT foi na TV Record.
    Obrigada por seu comentário, obrigada por enviar e-mails para seus contatos alertando para o perigo dos ralos de piscinas. Obrigada por sua solidariedade. Um carinhoso beijo pra você.

    ResponderExcluir
  37. Eu leio todos os textos escritos aqui.. e to mandando toda energia positiva e muita força pra ela *_*
    Tenho certeza que ela vai sair dessa ...

    Que Deus cuide de vocês (L)

    ResponderExcluir
  38. Oi Odele, gostaria que vc desse uma passada no meu blog, acabei de fazer um post, em homenagem à sua luta, sua esperança, seu amor pela Flávia, contei um pouco de sua hitória para que meus seguidores e leitores possam conhecer sua busca por justiça pelo ocorrido. Fica aqui todo meu carinho e respeito por vcs... bjos,

    ResponderExcluir
  39. Olá,Odele!!

    Vi a reportagem sobre sua filha no Tudo é possível. Na realidade,já tinha visto, muitas vezes, em reportagens na tv,sobre o caso da sua filha. Confesso que nunca parei pra pensar nisso. Via a reportagem,lamentava e pronto. Depois esquecia. Dessa vez,como tinha o endereço do blog,vim hoje ver a página que você criou para expor,diminuir,aliviar,desabafar a sua dor com todos nós. E pude ter uma "noção"(seria isso possível??ter noção de um sofrimento tão grande??)do que voce passou desde o dia do acidente da sua filha até hoje. Meu Deus,13 anos não são 13 dias,nem 13 meses!!!

    Este blog é uma lição de vida. Há muita sinceridade no que escreve.
    Que Deus lhe abençõe muito e lhe conforte sempre.
    Sua filha é um anjo!!

    Eveline

    ResponderExcluir
  40. Oi Odele, cheguei aqui pelo link da Cris Ramalho.
    Li este texto e fui lendo postagens mais antigas, tentando imaginar, mesmo que por alto, o que seja esta dor. E sei que não cheguei nem perto. Mas você está sabendo usá-la como energia para a mudança. Parabéns por sua garra, coragem, luta. Por ter conseguido que uma empresa ouvisse sua voz, que desenvolvesse uma tampa como esta. Vou levar a informação para meu condomínio. Eu vi a história deste menininho que morreu no clube em São Paulo, não fazia ideia que era algo tão comum.
    Um abraço com carinho. Que Deus as mantenha em seu colo.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  41. Olá,Odele!!

    Vi a reportagem sobre sua filha no Tudo é possível. Na realidade,já tinha visto, muitas vezes, em reportagens na tv,sobre o caso da sua filha. Confesso que nunca parei pra pensar nisso. Via a reportagem,lamentava e pronto. Depois esquecia. Dessa vez,como tinha o endereço do blog,vim hoje ver a página que você criou para expor,diminuir,aliviar,desabafar a sua dor com todos nós. E pude ter uma "noção"(seria isso possível??ter noção de um sofrimento tão grande??)do que voce passou desde o dia do acidente da sua filha até hoje. Meu Deus,13 anos não são 13 dias,nem 13 meses!!!

    Este blog é uma lição de vida. Há muita sinceridade no que você escreve.
    Que Deus lhe abençõe muito e lhe conforte sempre.
    Sua filha é um anjo!!

    Eveline

    ResponderExcluir
  42. Odele querida, como te disse por e-mail, cheguei de viagem a tempo de ver o programa, junto com minha família e as visitas. Não deu pra vir aqui antes pra dizer o quanto ficamos emocionados. Não tenho mais palavras pra dizer da minha admiração pela tua força e desejo que tuas esperaças se concretizem.
    Bjim pra ti e pra Flavinha.

    ResponderExcluir
  43. super melhoras tudo de bom!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  44. Odele
    De todas as pessoas que tiveram suas histórias de vida cruzadas em minha vida, você e a linda menina Flávia possuem (para mim) a mais SINCERA historia de amor e esperança que já vi e li! Acrescentarei vcs duas em minhas orações...Deixo-lhe Odele uma frase de Paulo Coelho para que você continue exercendo o seu amor de mãe diariamente com muita força e coragem, mesmo se o desespero lhe bater em algum momento:

    "As mais belas frases de amor,são ditas no silêncio de um olhar"
    (Paulo Coelho)

    Odele e Flávia Sintam-se abraçadas carinhosamente.
    Nathália Rocha- belo horizonte/mg

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails