Este blog, criado em janeiro de 2007, é dedicado à minha filha Flavia e sua luta pela vida. Flavia vive em coma vigil desde que, em 06 de janeiro de 1998, aos 10 anos de idade, teve seus cabelos sugados pelo sistema de sucção da piscina do prédio onde morávamos em Moema - São Paulo. O objetivo deste blog é alertar para o perigo existente nos ralos de piscinas e ser um meio de luta constante e incansável por uma Lei Federal a fim de tornar mais seguras as piscinas do Brasil.

23.12.2011 - Mais uma criança morre pela sucção do ralo da piscina - em Brasília

- 24 de dezembro de 2011
Foto recolhida da net e meramente ilustrativa

"Menino morre preso a bomba de sucçao em piscina em Brasília
23 de Dezembro de 2011 - 20h00



"Um menino de 7 anos morreu na tarde desta sexta-feira após ficar preso em uma bomba de sucção na piscina do Clube de Associados da Aeronáutica de Brasília (Cassab). De acordo com o Corpo de Bombeiros, ele ficou de 15 a 20 minutos submerso. As equipes de socorro tentaram reanimar Renan Rodrigues Costa quando ele foi retirado da água, mas não tiveram sucesso.

Conforme os bombeiros, pessoas que estavam no local tentaram retirar a criança do fundo da piscina, mas não conseguiram devido à força do equipamento. O menino só foi solto após a bomba ser desligada.

Em nota, o Centro de Comunicação Social da Aeronáutica lamentou o acidente e informou que os bombeiros e o serviço de UTI móvel contratado pelo clube foram acionados e prestaram os primeiros socorros. "A administração do clube colocou-se à disposição da equipe de peritos da Polícia Civil para contribuir com as investigações que apontarão as causas do falecimento", diz o comunicado, informando ainda que a Aeronáutica presta apoio à família da vítima."


O negrito do texto é meu.

O Centro de Comunicação Social da Aeronáutica lamenta o acidente?! É preciso mais do que lamentar. É preciso que se aprove com urgência a Lei Federal para  Segurança nas Piscinas tramitando no Congresso e pela qual venho lutando há anos.

Como venho publicando aqui, em agosto deste ano de 2011, eu e Antonio Santos, pai de uma vítima fatal deste tipo de acidente e mais dois peritos em segurança em piscinas, estivemos em Brasilia e entregamos - em mãos - para o relator da lei,  proposta de emenda onde sugerimos a inclusão de  dispositivos de segurança que impedem a sucção dos ralos nas piscinas. Uma detalhada demonstração em Power Point foi feita por nós desses dispositivos de segurança para piscinas e como estes funcionam. Fomos bem recebidos pelo relator da lei e seus assessores, mas infelizmente desde que voltei de Brasilia, e por mais tentativas que eu tenha feito, não recebi respostas às minhas perguntas de como anda a aprovação da lei. Nem o relator da lei nem seus assessores respondem aos meus e-mails e telefonemas.

E esse descaso tem um alto preço.  Enquanto a Lei Federal para Segurança nas Piscinas, com os dispositivos sugeridos por nós,  não for aprovada e rigorosamente colocada em prática, a sucção dos ralos de piscinas continuará a matar pessoas,  principalmente crianças.

É lamentável que o cuidadoso trabalho com as sugestões de dispositivos de segurança para piscinas elaborado por uma equipe com grande capacidade técnica, e por nós apresentado em Brasilia em agosto de 2011, não esteja recebendo a devida atenção. É lamentável ver crianças morrendo pela sucção dos ralos de piscinas, por falta da obrigatoriedade do uso de dispositivos de segurança que impedem a sucção dos ralos. É lamentável que mesmo tendo minha filha Flavia,  vivendo há 14 anos em coma  porque ficou presa pelos cabelos pela sucção de um ralo de piscina sem dispositivos de segurança, eu não consiga ser ouvida quando tento evitar que a sucção dos ralos de piscinas continuem a fazer vítimas graves e fatais. 

Mais do que lamentável. É inaceitável.
 
Obs: O site do G1  que também noticiou esta morte, diz que o menino tem 11 anos.

Um poema português para os 24 anos de Flavia

- 16 de dezembro de 2011
Flavia, meu mais belo presente de aniversário.

Hoje Flavia completa 24 anos, dos quais, 14 anos vivendo em coma vigil. Quando penso no que minha filha deixou de viver  por ter sofrido um acidente que poderia ter sido evitado e que por negligência,  continua a acontecer em nosso país, fico triste. Conforta-me o carinho dos amigos, aqui presente neste poema de António Peciscas de Portugal que me inclui em seus versos porque também faço aniversário hoje. 

"O DIA CERTO 

Podíeis ter nascido em outro dia qualquer, 
dia em que já tinha nascido homem ou mulher 
que o marcou com fama e glória 
porque haveria de entrar na História. 
Beethoven, Jane Austen, Bilac e quantos mais 
nasceram neste dia e entraram nos anais. 
Mas que interessa se a dezasseis (*)
nasceram sábios ou reis 
se neste acaso invulgar 
há porquês por deslindar. 
E poderia ser outro o dia 
que tanto para o caso fazia 
Poderia ser mais longe ou mais perto 
mas teria de ser o dia certo. 

Gerado em trama de amor que pode parecer coincidência 
mas que, afinal, vem de uma outra evidência, 
que mesmo assim nem bem se explica 
porque há coisas em que pela razão não se fica. 

Há quem lhe chame magia 
Há quem lhe chame milagre 
Há quem lhe chame alquimia 
Afinal mesmo quem sabe? 
Quem pode saber sem falhar 
como é que a vida se tece? 
Quem poderá desvendar 
aquilo que desconhece? 

Mãe e filha assim unidas 
num mesmo e só calendário 
ficariam impedidas 
de seguir caminho vário. 

Em coisas de coração 
quem manda é a Natureza 
e tem sempre uma razão 
quando acontece beleza. 

Nesse dia houve uma estrela 
que num canto do céu sorriu 
Mandou criar história bela 
 e a Natureza cumpriu. 

Foi uma mãe que recebeu 
o seu mais fino presente 
quando nos braços acolheu 
o calor do novo ente. 

Ali mesmo se escreveu 
esse pacto de ternura 
que a todos nos envolveu 
numa aura de candura 

Sempre ligadas estareis 
isso já está descoberto. 
Porque o dia dezasseis 
era mesmo o dia certo. 

16 de Dezembro 2011 

António Peciscas "

(* dezasseis = português europeu

Obrigada António.

Cantoterapia - A alma cantando

- 11 de dezembro de 2011

Sandy e Júnior  em show da turnê  Sonho Real, de 1996.


Já escrevi aqui algumas vezes sobre a importância de se conversar e colocar músicas para pessoas em coma, com o objetivo de lhes proporcionar estímulos auditivos.

A música pode - e deve - também ser cantarolada por nós sem que nos preocupemos se estamos ou não desafinando. O que importa é o carinho que passamos na voz e que certamente vai causar bem estar na pessoa que nos ouve.

Hoje estou cantarolando  para Flavia músicas de Sandy e Júnior, Por exemplo esta, "Vai ter que rebolar" que Flavia, imitando Sandy, gostava de cantarolar e dançar.

Como disse a pesquisadora Eliseth Ribeiro Leão, em seu livro “Cuidar de pessoas e música”:

"É a alma quem canta, a laringe é apenas o seu instrumento.".

Beijo meu e de Flavia pra vocês. Bom domingo a todos.

As amigas e os amigos de Flavia -3

- 4 de dezembro de 2011

Conforme convite que lhes fiz em 25 de setembro de 2011, publico hoje a participação da leitora Ana Maria Fernandes.

"Muitos dos leitores deste blog poderão perguntar-se sobre as razões que levam uma mãe a cuidar, anos e anos, de uma filha que está em coma, sabendo que não vai acordar dele. Sabendo também que essa filha não lhe vai dando respostas, a não ser as variações nos estado de vigília e de sono e algumas mudanças de expressão que  Odele aprendeu a reconhecer e a identificar.

Eu acho que uma coisa é apreciar uma situação vista de fora e outra é viver  dia a dia essa mesma situação. Só assim é possível entender as razões mais profundas de uma decisão que se toma.

Neste caso, o que mais quero dizer é que esta história da Odele e da Flavia é um poderoso hino de amor à vida. Um exemplo!

Ana Maria Fernandes (Brasil) "


Muito obrigada Ana Maria.

Ter uma piscina: Um direito e uma responsabilidade

- 27 de novembro de 2011

Foto retirada do blog Piscina Segura, Colômbia.

Ter uma piscina não é só um direito. É também uma responsabilidade. Cobre essa responsabilidade dos locais onde seus filhos nadam. Estejam eles nadando em uma piscina pública, coletiva ou residencial. As estatísticas mostram que os acidentes causados pela sucção dos ralos ocorrem em qualquer tipo de piscina.
Normalmente os pais cuidam para que seus filhos pequenos não fiquem sozinhos na piscina pois se preocupam com quedas e afogamentos comuns. Mas qual  pai ou a mãe  vai imaginar que seus filhos mais crescidinhos e que sabem nadar, possam ficar presos ao fundo da piscina por terem seus cabelos ou membros sugados pela sucção do ralo?!

Por isso não é justo colocar a responsabilidade  nos pais, por  acidentes causados pela sucção dos ralos das piscinas,  já que estes não têm conhecimentos técnicos para saber se a piscina onde seus filhos nadam está ou não funcionando dentro dos padrões de segurança. Essa responsabilidade cabe aos  fabricantes de piscinas e seus  respectivos sistemas de sucção  e aos administradores das piscinas.

Como me foi informado por peritos em segurança de piscinas,  para ser considerada segura, a piscina  deverá ter  pelo menos dois ralos de fundo e  instalados dispositivos de segurança que evitam a sucção dos ralos,  como tampas anti aprisionamento e SSLV - sistema de segurança de liberação de  vácuo que desliga imediatamente  a moto bomba em caso de obstrução do ralo. 

Esses dispositivos de segurança  que evitam a sucção dos ralos das piscinas foram sugeridos na proposta de emenda à Lei Federal para Segurança nas Piscinas que  eu, mãe de Flavia que ficou em coma e Antônio Santos, pai de Luiza, falecida em Fevereiro de 2011, por terem ambas os cabelos sugados pelo sistema de sucção da piscina onde nadavam, e mais Augusto Araújo e Lawrence Doherty,  peritos em segurança de piscinas, entregamos ao relator da lei em Agosto de 2011, em Brasília. Infelizmente de lá pra cá, por mais tentativas que eu tenha feito, não consegui resposta aos vários e-mails e telefonemas que fiz para Brasília, em busca de notícias da Lei. 

Até o próximo post.

Verão, crianças, piscinas: Atenção com a segurança

- 13 de novembro de 2011

Toda criança merece brincar em uma piscina segura

Com a proximidade do verão, as piscinas estarão recebendo muitas pessoas, principalmente crianças que adoram brincar na água. Enquanto não temos notícia da Lei Federal para Segurança nas Piscinas que tramita no Congresso é preciso que os pais se conscientizem de que a sucção dos ralos de piscinas podem causar acidentes gravíssimos ou levar à morte, principalmente de crianças. Essa conscientização deveria haver também por parte de quem administra piscinas, sejam elas particulares, coletivas ou públicas. Essa conscientização deveria existir também por parte de autoridades que têm o poder de criar leis obrigando o uso de dispositivos de segurança, que instalados nas piscinas, vão evitar a sucção dos ralos, evitando também tragédias e salvando vidas. Esses dispositivos, mencionados por peritos em segurança de piscinas, estão na proposta de emenda à Lei  Federal para Segurança em Piscinas que entregamos ao relator, em Brasilia, em agosto de 2011. 

Quando uma piscina estiver funcionando fora dos padrões de segurança, (falha na manutenção, limpeza da piscina com usuários dentro, ralo sem a tampa, equipamento superdimensionado...) a sucção dos ralos pode prender uma pessoa embaixo dágua, pelos cabelos ou por qualquer outra parte do corpo.

Em posts anteriores deste blog, estão documentados vários acidentes fatais causados pela sucção dos ralos de piscinas que certamente funcionavam de forma irregular. Na sua maioria as vitimas são crianças. Meninos e meninas sugados pelos cabelos, braços, pernas, rosto, barriga... e morrem afogados porque ficam presos ao fundo da piscina sem conseguir se desvencilhar da forte sucção do ralo.

Conforme já documentado neste blog, a criança americana Abigail Taylor, 6 anos, em abril de 2007, ao sentar-se no ralo da piscina onde brincava, teve os intestinos parcialmente sugados. Hospitalizada, a criança viveu alguns meses em grande sofrimento e veio a falecer. Este tipo de acidente é chamado evisceração e acontece como ilustrado na foto abaixo.


A evisceração ocorre quando as nádegas de uma pessoa “sela” totalmente o local da sucção causando um prolapso do reto e os intestinos são extraídos do corpo.

Somente uma Lei  Federal para Segurança nas piscinas poderá evitar novos acidentes causados pela sucção dos ralos. Insisto nisto. Essa lei já de nada vai adiantar para minha filha que vive em coma vigil há quase 14 anos, por causa da negligência  do condomínio onde morávamos que substituiu - sem a indispensável orientação técnica - o sistema de sucção existente na piscina, por outro superdimensionado. Mas essa lei vai  evitar que outras crianças venham a ter o destino de Flavia. Acredito que Flavia ficará contente  quando eu lhe contar que a  Lei  foi aprovada e que então as crianças (como era Flavia) estarão brincando em piscinas seguras.
 
Sei que às vezes me torno repetitiva, mas vou continuar insistindo nesse assunto até que a Lei Federal para Segurança nas Piscinas, com a obrigatoriedade de uso de dispositivos de segurança  (e nem são caros esses dispositivos) que evitam a sucção dos ralos, passe a ser uma realidade em nosso pais. Quando a Lei sair eu paro. Mas só quando a Lei sair.

Nota: Nesta 2ª.feira dia 21, no programa  MAIS VOCÊ da apresentadora Ana Maria Braga, TV Globo, foi apresentada  uma reportagem sobre afogamentos. Eu, e o Augusto Araujo de São Paulo, e  Antônio Santos do Rio, participamos da matéria. Obrigada ao programa MAIS VOCÊ por essa reportagem de utilidade pública. Quem não teve oportunidade de ver o programa, o link da reportagem é este:
http://maisvoce.globo.com/videos/v/piscinas-rios-e-praias-mais-voce-explica-como-prevenir-acidentes-no-verao/1703255/#/programas/20111121/page/1

Um abraço a todos e até o próximo post.

Petição on line por segurança nas piscinas: Os comentários de Veridiana, Nicole e Karine

- 6 de novembro de 2011

Estou sempre olhando as assinaturas e os comentários que vão deixando na petição on line pela lei federal por segurança nas piscinas. E vou transcrevendo  a opinião de  alguns leitores.

VERIDIANA OMATI DE SALLES MACUCO - BRASIL
"QUE ESTA LEI SEJA RÁPIDA A SAIR. PARA QUE COISAS DESTE TIPO NÃO FAÇA MAIS VITIMAS. BASTA!!!!" (
Veridiana se refere ao acidente que deixou minha filha em coma)

Nicole Rust Neves - Brasil

"Já está passando da hora de se aprovar essa lei. Quantas vitimas mais precisaremos para que ela aconteça?" (Além de Flavia, muitas outras crianças foram  vítimas deste tipo de acidente)

Karine MAchado Rutpaulis Garcia Alves -  Brasil

"Urgência na assinatura desta Lei"

É isso mesmo Veridiana, Nicole e Karine. O Brasil precisa que a Lei Federal para segurança nas piscinas, seja aprovada e entre em vigor com urgência. É preciso parar com os acidentes graves e  mortes  causadas pela sucção dos ralos das piscinas. Somente a obrigatoriedade do uso de dispositivos de segurança adequados vai impedir novos acidentes, mais mortes, mais  tragédias.

Conforme publicado AQUI  há exatamente três meses estive em Brasilia, juntamente com o pai de mais uma vítima  fatal e dois peritos em segurança  em piscinas,  quando entregamos ao Deputado Federal Darcisio Perondi, um texto de emenda ao Projeto 7414, com sugestões de dispositivos de segurança   com o objetivo de evitar a sucção dos ralos de piscinas que tantas mortes tem causado em nosso país. Flavia mesmo em coma sobreviveu, mas a maioria das vítimas, quase sempre crianças,  não consegue se desvencilhar da força da sucção dos ralos e morrem.

No Brasil, assuntos de importância vital para a sociedade são tratados pelas autoridades com muita burocracia e lentidão. Iso precisa mudar. Uma lei da importância desta não pode levar anos para ser aprovada, porque é uma lei para salvar vidas, principalmente a vida de crianças que têm o direito de brincar em uma piscina segura.


Para saber do andamento da lei, venho tentando contato por e-mail e telefone com o Deputado Perondi, ou seu chefe de gabinete. Infelizmente, até agora não tive retorno às minhas tentativas de contato. Na próxima segunda-feira, farei novas tentativas. Espero em breve ter alguma informação a  respeito do andamento da lei  para lhes passar.

Um abraço a todos e até o próximo post.


Silêncio, hoje só ouço o silêncio de Flavia

- 30 de outubro de 2011
Flavia aos 3 anos, conversando comigo.

“Mami , por que você insiste para eu comer carne? Eu não gosto de carne! 

“Mami, quantos anos eu preciso ter para você me ensinar a cozinhar?

“Mami, por que o cabelo da vovó Júlia não é crespo como o seu?

Essas eram algumas das muitas perguntas e conversinhas que Flavia tinha comigo. Sempre gostei de conversar com meus filhos. Sempre.

As crianças gostam de conversar com seus pais e lhes fazer muitas perguntas. As crianças são tagarelas. Mas nem sempre os pais têm paciência para lhes dar atenção, responder suas dúvidas. Ouvi-las. É comum os pais se irritarem com a tagarelice de seus filhos.

Hoje, quase 14 depois do acidente que deixou Flavia em coma vigil irreversível (ou estado vegetativo persistente), quando olho para minha filha, o silêncio de Flavia me devasta. Hoje, quando tudo o que eu queria era ouvir de novo a voz de minha menina, gostaria de dizer aos pais de crianças extrovertidas e tagarelas como Flavia era, para ouvi-las com amor, porque nunca sabemos quando a voz de nossos filhos poderá ser substituída pelo silêncio. Um doloroso silêncio.

Hoje a voz de Flavia é para mim uma imensa saudade. Como escreveu Eliane Brum, nesta matéria da revista Época. Saudade de sua voz.

Bom domingo a todos e até o próximo post.

As amigas e os amigos de Flavia - 2

- 23 de outubro de 2011

Conforme convite aqui feito, publico hoje a participação do amigo Paulo, meu ex colega de trabalho na HP.

"Odele,

Acredito que o blog em questão é um dos mais efetivos de que participei pois de um infeliz e doloroso incidente criaste um blog que teve tanta gente contribuindo, compartilhando, divulgando os perigos de uma piscina mal desenhada e construida para as pessoas usuárias (crianças e adultos).

Mesmo que a lei não seja concretizada acredito que já atingiu o objetivo. Torço para que a lei se torne uma realidade e mais que algum expert em normas de engenharia torne uma regulação industrial e social em breve. Eu não consigo entender porque até hoje não existe uma proposição na ABNT. Eu já pesquisei mas não encontro nenhum estudo. Mas vou continuar a pesquisar e influenciar essa norma.

Paulo"

Também não consigo entender Paulo, porque não se atualizam as normas da ABNT NBR 10.339, de 1988.(!!!)  Embora essa normalização já mencione a sucção dos ralos de piscinas, um documento tão antigo obviamente precisa de atualização, tendo em vista as novas tecnologias existentes com relação a dispositivos de segurança para evitar a sucção  dos ralos das piscinas, sucção essa causada por sistemas  hidráulicos mal vendidos, (sem a devida orientação técnica) mal instalados e mal administrados.

Obs: Fundada em 1940, a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) é o órgão responsável pela normalização técnica no país.

Sucção nas piscinas causa mortes de crianças na Argentina e Espanha

- 16 de outubro de 2011
Foto recolhida da Net e meramente ilustrativa

As bombas de sucção das águas das piscinas continuam matando crianças. Abaixo três mortes recentes ocorridas na Argentina e na Espanha. Dois meninos de 12 e 8 anos. E uma menina de 11.

Na Argentina (na piscina de um clube)
"Muerte trágica:
Un chico de 12 años murió ahogado en el natatorio del Complejo Puelo
01.10.2011 - 15.24
Un chico murió ahogado en la tarde de ayer cuando nadaba en la pileta del Complejo Puelo. El menor, de 12 años, habría sido succionado por una de las bombas que se utilizan para reciclar el agua, que según versiones estaba en funcionamiento pese a que la piscina se encontraba repleta de nadadores, según se informó.
......
El menor, identificado como Emanuel García Ollarburo, habría quedado atrapado con una de sus
manos en la rejilla del fondo de la pileta olímpica. La fuerza del sistema con la que se aspira el agua es
tal que ninguna persona que haya sido sorprendida, por más conocedora que sea, puede zafar,
manifestaron guardavidas consultados."
Para ler a matéria  completa  clic AQUI

Espanha - (na piscina de um hotel)
"Un niño de ocho años muere ahogado en Fuerteventura
El fallecido, de origen alemán, pudo ser succionado por la boca que suministra agua a una piscina
A. CABRERA

PUERTO DEL ROSARIO Un niño de ocho años, de nacionalidad alemana y considerado un buen nadador, perdió la vida en la tarde de ayer ahogado en la piscina de un hotel de Costa Calma, en el municipio de Pájara, Fuerteventura. Según las primeras investigaciones, una de las bocas que suministra agua a la instalación pudo succionar al menor, impidiéndole salir a la superficie."
Para ler  a matéria completa  clic AQUI

Espanha - Julho de 2011 (na piscina de uma residência)
"Fallece ahogada una niña tras quedarle atrapada una mano en la depuradora de la piscina
La menor, de 11 años de edad, se encontraba bañándose en una piscina particular cuando su mano quedó atrapada en un tubo de succión de la depuradora."
Para ler a  materia completa  clic AQUI

Esperemos que nossa Lei Federal para Segurança nas Piscinas, cujo texto, como já publicado aqui,  se encontra em poder do relator Deputado Darcísio Perondi, venha mesmo a sair em breve, para que eu não tenha que noticiar aqui mais uma morte de criança em nosso país, em decorrência da sucção dos ralos de piscinas, funcionando de forma irregular. Porque é só assim que a sucção de cabelos, mãos, pernas, etc. ocorre: Quando a piscina está funcionando fora dos padrões de segurança, o que infelizmente ocorre com muita frequência.  Precisamos mudar essa realidade para que as piscinas do Brasil passem a oferecer um lazer seguro, para que deixem de ser armadilhas submersas que matam, ou deixam pessoas em coma, como ocorreu com minha filha Flavia, que há mais de 13 anos  foi vítima deste tipo de acidente e vive em coma vigil. (este tipo de coma também é chamado de estado vegetativo persistente)

E como não tenho conseguido resposta às minhas tentativas de contato  por e-mail e  telefone com o Deputado Perondi nem com seu chefe de gabinete, pergunto aqui: Alguma notícia da Lei Federal para Segurança nas Piscinas, Deputado Perondi?

Petição on Line: Os comentários da Eliane, da Marliene e da Juliana

- 9 de outubro de 2011
 

Sucção de membros do corpo: Ocorre quando um tubo de sucção de qualquer bocal, incluindo o ralo de fundo, está exposto sem proteção adequada, e devido a sucção, uma extremidade do corpo (perna, braço, dedos das mãos ou dos pés), é retido e fica preso nesse tubo.

Comentários deixados na Petição on line.

Assinatura nr.230Eliane Campello Amaral Albuquerque,   Brasil
Meu total apoio, espero que nossos governantes se sensibilizem. Poderia ter acontecido com o meu, com o seu filho.

Assinatura nr. 274: Marliene Gomes do Nascimento,  Brasilia - Brasil  
Queremos segurança para nossas crianças.
 
Assinatura nr. 328: .Juliana Pereira Garcia,  São Paulo  - Brasil
É lamentavel ver uma fatalidade desse tamanho,muito mas triste é ver a espera por justiça.Tenho a mesma idade de Flavia,e por alguns instantes me coloco em seu lugar,e inesplicável a dor que eu sinto,sem ao menos  conhece-lá, mas se fosse eu, gostaria que todos podessem ajudar desta forma, pra q ao menos haja justiça, e que esse tipo de acidentes nao volte a acontecer...

Eliane, Marliene e Juliana: Muito obrigada por assinarem a petição e pelos comentários deixados. Juliana, comoveu-me saber que você tem a idade de Flavia. Parabéns por ser tão jovem e já demonstrar consciência de cidadania.

Nota: Venho tentando contato por e-mail e telefone com o Deputado Darcisio Perondi ou seu Chefe de Gabinete para saber se há alguma novidade com relação ao Projeto de Lei para Segurança nas Piscinas, do qual o Deputado Perondi é o relator. Assim que eu tiver alguma notícia publicarei aqui. 

Boa semana a todos e até o próximo post.

As amigas e os amigos de Flavia - 1

- 2 de outubro de 2011

Flavia tem a audição preservada


"Como é que alguém, que vive tão longe da Flavia, separado por “tantas léguas, tanto mar” como dizia o Chico Buarque, se pode, afinal, aproximar tanto de molde a considerar essa menina como “uma filha de coração” por quem se sente uma enorme ternura?

Há cerca de quatro anos, nem sabia da existência desta jovem, que amava a dança, a música, a escola e que, a partir de um dia fatídico em que foi cativa numa armadilha criada por um conjunto inexplicável de negligências, jaz numa cama, num sono profundo, sem retorno. Mas, desde que soube da sua história, fui, pouco a pouco, entendendo a dimensão da injustiça que aconteceu com esta menina, que a tornou prisioneira indefesa de um destino que não merecia. E desse entendimento nasceu um poderoso e irremediável afecto.

Sabendo, através daquilo que a Odele vai escrevendo neste espaço, que a Flavia tem capacidade de reacção a estímulos auditivos e que essa capacidade, no entender dos neurologistas deve ser frequentemente accionada, decidi gravar pequenas faixas sonoras, com conversas que envio para a Princesa, sobre coisas tão triviais como os gatos que atravessam o meu pátio, como o sino da igreja mais próxima, como as flores do meu jardim. Aquilo que seria, inicialmente apenas uma experiência, foi-se prolongando e hoje são quase duas dezenas de gravações que já remeti para S.Paulo.

Sei que, nessas conversas, não obterei resposta por parte da Flavia. Mas acho que, lá no fundo desse profundo e estranho silêncio, algo de mim vai chegar e fazer sentir a esta menina, que há alguém por perto que a acarinha e estará sempre ao seu lado.

António Peciscas (Portugal)"

As amigas e os amigos de Flavia

- 25 de setembro de 2011

Ao longo dos quase cinco anos de vida deste blog, em centenas de posts, aqui relatei não só a história de Flavia, como abordei variadíssimos aspectos relacionados com a segurança nas piscinas. Muitas foram as iniciativas que neste espaço foram passando, em que se destacam as blogagens coletivas que mobilizaram a adesão de muita gente.

Mas, passado todo este tempo, num blog temático com estas características, ou seja, não generalista, já vai sendo difícil encontrar assuntos que, de alguma forma não tenham sido já abordados.

Por isso julgo adequado ser o momento de colocar em prática o que tempos atrás propus aqui: Promover alguma interação com os - felizmente - muitos leitores do blog flaviavivendoemcoma.

Assim sendo, alternando com alguns comentários deixados na petição on line, passarei a publicar as contribuições que os “As amigas e os amigos de Flavia” me forem enviando e que irei carinhosamente arquivando em uma pasta especial, para usá-las em um momento oportuno. Serão palavras sobre Flavia e sua história de vida, sobre a segurança em piscinas, sobre a Justiça e os seus julgamentos, ou sobre outro tema que tenha a ver com este espaço. Histórias reais ou imaginárias mas todas deverão ser contribuições sobre temas que tenham a ver com o blog de Flavia.

"As amigas e os amigos de Flavia" poderão enviar suas colaborações para o e-mail de contato constante na lateral deste blog, e que repito aqui: odele.souza@gmail.com.

Até o próximo post.


Petição on line: Os comentários da Elizabeth, da Sheila e da Polyana

- 16 de setembro de 2011

Acidente de sucção de cabelos: Ocorre quando  pessoas de cabelos  médios ou longos  aproximam a cabeça do ralo de fundo ou da grade. O cabelo é sugado, se enrosca no ralo e obriga o banhista a manter a cabeça submersa. A alta velocidade da água na circulação e o comprimento dos cabelos aumentam o risco de sucção e aprisionamento pelo ralo do fundo.

A Petição por  uma Lei Federal para Segurança nas Piscinas, continua on line e tem mobilizado a atenção de muitas  pessoas.  Muitas delas,  além da assinatura, deixam comentários, que  me sensibilizam.

Neste espaço, irei transcrevendo alguns desses comentários, começando hoje com a primeira selecção.

Assinatura número 4: Elizabeth Vernieri Feital  - Rio de Janeiro - Brasil
Sendo a vida o maior bem do cidadão, nada mais necessário que ela esteja protegida pelo Estado, em todos os níveis, através de leis que determinem procedimentos, fiscalização para que sejam cumpridas e punição quando forem infringidas. O perigo das piscinas fora dos padrões de segurança existe em todo território nacional, portanto só uma lei federal atenderia à devida proteção dos cidadãos brasileiros.

Assinatura número 8: Sheila Coutinho  - São Paulo - Brasil
Uma lei fundamental para a diminuição deste tipo de acidente.

Assinatura número 43:  Polyana Magalhães Mairene  - Brasil 
Para que não aconteça com mais ninguém!

E para que não aconteça com mais ninguém, clique no link  abaixo ou na primeira imagem da barra lateral deste blog. Assine, comente, divulgue.

Petição on line por uma Lei Federal para Segurança nas Piscinas.


Até o próximo post!

Petição On Line por Segurança nas Piscinas: Assine, comente, divulgue! Esta é uma causa de todos nós!

- 12 de setembro de 2011
NOTA: Depois deste post, pensei em publicar aqui os slides do PowerPoint apresentados em Brasilia para o Deputado Darcísio Perondi, com a parte mais técnica da sugestão da emenda à Lei por Segurança nas Piscinas. São 26 slides e me dei conta de que isso poderia ser cansativo pra vocês. Então, vamos esperar  que não demore muito para eu ter  algo de novo para lhes contar, que tenhamos alguma notícia  de Brasilia sobre a  Lei. Vamos torcer para que  a Lei  venha  antes que  aconteça um novo acidente  fatal causado pela sucção dos ralos de piscinas. Todos podem colaborar para que tenhamos a Lei, assinando e divulgando a PETIÇÃO ON LINE, conforme instruções a seguir.

No início de 2010 coloquei na Internet uma PETIÇÃO ON LINE para colher assinaturas de pessoas que concordassem comigo de que deve haver uma Lei Federal para Segurança nas Piscinas do Brasil com o objetivo de evitar novas tragédias como a ocorrida com minha filha Flavia que ficou em coma vigil irreversível e com tantas outras crianças que morreram vítimas da sucção dos ralos de piscinas funcionando fora dos padrões de segurança, conforme vem sendo publicado neste blog.

Infelizmente, até agora, a adesão à petição foi pequena. Pouco mais de 2 mil assinaturas. Mesmo tendo havido um grande avanço em direção a existência da lei, como a reunião em Brasilia com  o Deputado Federal Darcisio Perondi, conforme publicado no post anterior, assinar a petição e divulgá-la através de e-mails, blogs e redes sociais, é importante pois mostra que além de mim outras pessoas acham indispensável a existência da lei federal  para segurança nas piscinas. No Brasil  a sucção dos ralos de piscinas causa pelo menos uma morte por ano. Pelo menos.

Clique no link abaixo, divulgue, assine a petição, comente. Diga o que pensa sobre ver pessoas, principalmente crianças morrendo por falta de uma lei que obrigue as piscinas a ter instalados dispositivos de segurança que vão  salvar muitas vidas. O envolvimento de todos poderá apressar a votação da lei.

Petição Por uma Lei Federal para a Segurança nas Piscinas. Pfvr. Clica e assina. OBRIGADA.

Se queres colaborar na divulgação desta petição na barra lateral do teu blog podes fazê-lo.O código pode ser copiado na caixa seguinte:




Você poderá também divulgar esta petição através de sua lista de distribuição de e-mails, do Twitter, do Facebook...

A petição  poderá ser  assinada por qualquer cidadão, de qualquer país.

Somos todos irmãos e esta é uma causa de todos nós.

Até o próximo post!

Reunião em Brasília com o relator da Lei Federal para Segurança em Piscinas.

- 10 de agosto de 2011
NotaA vida sugada por um ralo de piscina, texto de Eliane Brum no site da revista Época.
Na foto: Eu, e da esquerda para a Direita: Lawrence Doherty, Augusto Cesar Araujo, o Deputado Darcisio Perondi (de gravata vermelha) e Antônio Carlos Santos. Sentados na frente: Frederico Borges, chefe do gabinete do Deputado Perondi, e Nairio Augusto, diretor da Federação das Santas Casas do RS e Diretor Executivo da Associação São Camilo.

Conforme anunciei no post anterior, nesta terça-feira dia 09.08, estive em Brasília, em reunião com o Deputado Federal Darcisio Perondi, relator da Lei Federal para Segurança nas Piscinas do Brasil. E comigo levei alguns convidados de peso. Dois dos peritos em segurança de piscinas, que me assessoram tecnicamente na elaboração do texto que apresentei ao relator, como sugestão de emenda ao projeto 7414, apresentado em 2010 pelo Deputado Federal Dr.Rosinha. Os dois peritos que me acompanharam à Brasilia, foram os Srs. Augusto Cesar Araujo, representante da Anapp – Associação Nacional dos Fabricantes e Construtores de Piscinas e Lawrence Doherty, representante da Stingl Products, empresa americana que fabrica o SSLV - Sistema de Segurança de Liberação de Vácuo (esse pequeno aparelho que aparece na foto) um dispositivo de segurança de liberação de vácuo que em menos de 3 segundos automaticamente desliga a bomba da piscina, em caso de obstrução do ralo. Comigo foi também o Sr.Antônio Carlos Santos, do Rio de Janeiro e pai de Luiza, uma menina de 10 anos que faleceu em fevereiro deste ano de 2011, na piscina de uma residência, em um acidente com as mesmas características do acidente que deixou Flavia em coma vigil irreversível: Sucção dos cabelos pelo ralo da piscina.

Fomos muito bem recebidos pelo Deputado Darcisio Perondi que viu com atenção e interesse a apresentação que lhe fizemos em Power Point, reproduzindo o texto que lhe foi entregue com a sugestão de emenda ao Projeto de Lei 7414 proposto em 2010 pelo Deputado Federal Dr.Rosinha, baseado no caso de Flavia.

O texto que entregamos ao relator contém importantes sugestões de emenda ao Projeto, apresentado pelo Dr.Rosinha, que assim como os projetos anteriores não mencionava a sucção dos ralos das piscinas, causa determinante dos muitos acidentes com ralos de piscinas que continuam a matar pessoas, principalmente crianças.

E na sugestão de emenda ao projeto de Lei 7414, estão apresentadas as soluções técnicas para eliminar a sucção dos ralos das piscinas, como por exemplo, a exigência de dois ralos de fundos para piscinas novas, a tampa antiaprisonamento, (por exemplo, a tampa FSB já aqui mencionada) respiro atmosférico, etc. Oportunamente publicarei aqui de forma detalhada essas sugestões contidas na emenda entregue ao relator.

O Deputado Darcisio Perondi, que afortunadamente é da área da saúde, pois é médico pediatra, disse que a lei vai sair e prometeu tratar o assunto com celeridade. Estaremos monitorando esse tempo. Peço ajuda a todos para divulgar não só que entregamos nosso texto ao relator, mas que precisamos que nossas sugestões sejam levadas em consideração na redação final da lei, já que foi um trabalho feito por técnicos e peritos em segurança de piscinas e por pessoas que conhecem sobre os perigos e as soluções para a segurança nas piscinas. Essa lei,aplicada com rigor e com sanções aos infratores,  vai salvar muitas vidas.

Conto com vocês para a divulgação deste importante passo dado em direção a Lei Federal para Segurança nas Piscinas do Brasil, seja em seus blogs, ou em suas redes sociais.

A assessoria de imprensa da Câmara dos Deputados, no site do Deputado Darcisio Perondi publicou a matéria Projeto visa evitar acidentes por sucção em piscinas.

SEGURANÇA NAS PISCINAS. ESTA É UMA CAUSA DE TODOS NÓS.

Até o próximo post.

Viágem à Brasília - Por uma Lei Federal para Segurança nas Piscinas

- 5 de agosto de 2011

Na próxima terça feira dia 09 de agosto estarei em Brasilia, para uma reunião com o relator da Lei Federal para Segurança nas Piscinas. Meu objetivo é apresentar ao relator, proposta de emenda aos projetos apresentados, por estes não terem abordado a questão da sucção dos ralos que tantos acidentes fatais têm causado em nosso país.

Estarei acompanhada de dois consultores, o Sr.Augusto Cesar Araújo, Diretor da Sodramar e  representante da ANAPP - Associação Nacional dos Fabricantes e Construtores de Piscinas e Produtos Afins,  e o Sr Lawrence Doherty, Diretor Internacional da empresa Stingl Products, sediada em Washington, nos Estados Unidos,  fabricante de sistemas de segurança de piscinas, ambos, peritos em segurança de piscinas e que me prestaram assessoria técnica na elaboração do texto que vou levar ao relator.

Esta tão necessária LEI FEDERAL PARA SEGURANÇA NAS PISCINAS é uma lei para salvar vidas  e há de sair. Há de dar certo. Desejem-me sorte e vamos em frente!.

SEGURANÇA NAS PISCINAS. ESTA É UMA CAUSA DE TODOS NÓS.

Até o próximo post.

Dispositivos de segurança para piscinas: Sistema de Liberação de Vácuo.

- 31 de julho de 2011
Sistema de Liberação de Vácuo da empresa  Stingl Products

Venho publicando aqui no blog de Flavia, algumas opções de dispositivos de segurança que podem ser instalados nas piscinas para evitar acidentes por sucção. Em posts anteriores, falei, por exemplo, da Tampa FSB da Sodramar, do Botão de Parada de Emergência que vi instalado na Academia Raia4 e das Barreiras de Proteção para impedir o acesso de crianças pequenas à área da piscina.

Outro importante dispositivo de segurança para as piscinas é o SSLV ou Sistema de Segurança de Liberação de Vácuo que funciona com bombas hidráulicas de quaisquer tamanhos e portes. Este dispositivo funciona por sensor e automaticamente desliga a bomba da piscina ao mesmo tempo em que desativa a sucção da água em menos de três segundos após detectar obstrução ou bloqueio no sistema de sucção da piscina.

Não se pode dizer que os custos impedem a instalação de dispositivos que vão tornar a piscina segura. Nenhum dos dispositivos por mim mencionados neste e em posts anteriores, têm preços proibitivos, muito pelo contrário, os custos desses dispositivos são bastante acessíveis e o preço não pode ser usado como desculpa para a ausência desses importantes dispositivos de segurança nas piscinas do Brasil, principalmente em piscinas de uso público e coletivo como aquelas instaladas em hotéis, motéis, escolas de natação, clubes, parques aquáticos, etc. Mas que se tenha em mente de que TODAS as piscinas podem oferecer risco de sucção aos seus usuários, mesmo as piscinas de uso privativo ou residenciais.

Os acidentes causados pelos sistemas de sucção das piscinas podem ser evitados, mas para isso é preciso, é imprescindível que se invista em segurança. Pessoas e empresas precisam se conscientizar de que investir em segurança nas piscinas, além de demonstrar respeito com os usuários, é um ato de cidadania e responsabilidade social. E cada vez mais as pessoas vão preferir empresas e locais que tenham preocupação com a segurança. Onde você levaria seus filhos: Na academia, no hotel, no clube, no parque aquático que têm dispositivos de segurança instalados em suas piscinas ou em locais onde a preocupação maior é o lucro e não a vida humana?

Infelizmente, nem sempre a conscientização espontânea ocorre. Por isso a necessidade de uma Lei Federal para Segurança nas Piscinas. Somente a existência de uma Lei Federal eficaz que regulamente sobre o tema, poderá fazer com que as piscinas deixem de ser armadilhas silenciosas e submersas. Somente com aplicação rigorosa dessa lei pessoas deixarão de morrer ou ficar em coma pelo resto de seus dias, devido a acidentes causados por sucção nas águas das piscinas de nosso país. Essa lei haverá de existir. Continuamos trabalhando nela.

SEGURANÇA NAS PISCINAS. ESTA É UMA CAUSA DE TODOS NÓS.

Até o próximo post.

Sucção no ralo da piscina: Adolescente, morre na Bulgária

- 24 de julho de 2011
Piscina do hotel Golden Sands, na Bulgária.


“Pool Pump Sucks In, Kills German Kid in Bulgaria's Golden Sands”

“A German girl has perished in a unsafe swimming pool in the Bulgarian resort Golden Sands: Photo by BGNE”

Neste mês de julho de 2011 uma adolescente alemã de 13 anos, foi sugada pelo sistema de sucção da piscina do hotel Golden Sands, na Bulgária.

“…The case is under investigation but it is believed that the pump was without the required safety bars, and thus the girl was unable to overcome the current sucking him in. She was later taken to hospital in a coma but died during the night.

"...When the kid dove, and came close to the pump, the current was too strong and she couldn't get out," explained Lavrentiy Silov from the Bulgarian Red Cross in Varna, as cited by BNT.

The drowning of the German girl is the second such incident in Bulgaria in the past two years, after a 13-year-old girl, Iva Hristova, died in a swimming pool in the city of Razgrad exactly the same way two years ago….”

Continue lendo AQUI.

Como vimos acima, este acidente fatal é o segundo que ocorre na Bulgária nos últimos dois anos nas mesmas circunstâncias: A sucção dos ralos das piscinas matando pessoas.

Infelizmente no Brasil, muitas piscinas instaladas em residências, condomínios, hotéis, motéis, escolas de natação, SPAs, clubes, etc. funcionam sem as necessárias barreiras de proteção, sem os imprescindíveis dispositivos de segurança que poderiam salvar muitas vidas. Esta ausência de preocupação com a segurança dos usuários tem sido a causa determinante dos muitos acidentes causados pela sucção nos ralos das piscinas. A maioria desses acidentes tem levado à morte pessoas de todas as idades, mas principalmente crianças e adolescentes.

É preciso que todos se conscientizem de que precisamos mudar esse quadro de absoluto descuido com a segurança nas piscinas. Nós podemos mudar isso. Nós vamos mudar. Para que todas as crianças possam brincar em piscinas seguras.

SEGURANÇA NAS PISCINAS. ESTA É UMA CAUSA DE TODOS NÓS.

Até o próximo post.


Por que tarda a justiça para Flavia e para tantos brasileiros?

- 17 de julho de 2011
Imagem retirada deste post do blog For Ever Pemba, de Moçambique.

Após mais de 12 anos de batalha judicial para ver respeitados os direitos de minha filha, e tendo sido CONDENADO o Condomínio onde Flavia sofreu o acidente, até hoje a indenização de Flavia não foi paga. A condenação do condomínio Jardim da Juriti, pelo Superior Tribunal de Justiça em Brasília, ocorreu em março de 2009. Estamos em Julho de 2011. Mais de dois anos depois da sentença dada pela instância máxima da justiça em nosso país, a indenização a que eu e Flavia tivemos direito, ainda não nos foi paga.

Por que tarda a justiça para Flavia? Por que tarda a justiça para tantos brasileiros?

O excesso de processos, a burocracia, a falta de funcionários e juízes, a falta de informatização do sistema judiciário, dizem, seriam as causas para tanta lentidão de nossa justiça. Acrescente-se a isso o absurdo número de recursos que os réus, mesmo tendo sido condenados em última instância, continuam apresentando, com o objetivo claro de protelar o pagamento da indenização a que foram condenados a pagar. Sabem eles que mesmo incabíveis, os recursos serão analisados pelos juízes, e essa análise, sabem eles também, não é feita com a necessária celeridade. Enquanto isso as vítimas são duplamente punidas. Pela tragédia em si e pela falta de respeito aos seus direitos. Tem sido assim com Flavia, e assim é com muitos outros brasileiros. Uma justiça lenta já se configura numa justiça injusta.

A verdade é que quando o assunto é justiça, falta muito para nós brasileiros nos sentirmos protegidos. Mas que isso não seja motivo para não buscarmos a proteção da justiça. Que isso não seja motivo para nos entregarmos ao conformismo e deixar de lutar por nossos direitos ou pelo direito daqueles que dependem de nós. Que a dor pela tragédia que nos atingiu, que a decepção com a justiça que ainda não se fez, não nos tornem passivos. É preciso lutar. É preciso protestar. É preciso  exercer a nossa cidadania. Vamos em frente!
 
Até o próximo post.

Segurança nas piscinas e o código de defesa do consumidor.

- 11 de julho de 2011
Desde que há mais de 12 anos, entrei na justiça contra os responsáveis pelo acidente que deixou minha filha em coma vigil irreversível, que defendo o argumento de que os fabricantes de sistemas de sucção de piscinas têm por obrigação alertar em seus manuais de forma ostensiva, a respeito da periculosidade de seus produtos.

Infelizmente, a justiça depende dos juízes, que nem sempre se dão ao trabalho de ler, ou se lêem nem sempre concordam com os argumentos dos réus e – em minha opinião – foi só por isso que a empresa Jacuzzi do Brasil não foi co-responsabilizada pelo acidente causado à Flavia, já que em seus manuais, pelo menos da época, não existia informação para o tipo de acidente que Flavia sofreu: Sucção dos cabelos pelo ralo.

Lá no Superior Tribunal de Justiça em Brasília, somente um juiz, Luis Felipe Salomão, concordou comigo e condenaria a Jacuzzi do Brasil. Para quem ainda não leu, o texto completo com o link para o Consultor Jurídico com a opinião do ministro, basta clicar neste post do blog de Flavia:


O código de defesa do consumidor é claro. O fabricante tem por obrigação informar sobre os riscos que seu produto pode causar à saúde dos “consumidores”. No caso, de uma piscina, os consumidores são os usuários, que ao entrar em uma piscina não têm a menor condição técnica de saber se o sistema de sucção daquela piscina está ou não funcionando fora dos padrões de segurança e por isso, o usuário de piscina, pode estar correndo um risco mortal.

CÓDIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR
(atualizado até as alterações introduzidas pela Lei 9.870, de 23.11.99)
LEI N.º 8.078, DE 11 DE SETEMBRO DE 1990

Aqui trechos de nosso código de defesa do consumidor, que embora antigo e precisando de atualização, já dizia:

CAPÍTULO II
DA POLÍTICA NACIONAL DE RELAÇÕES DE CONSUMO

Art. 4º - A Política Nacional de Relações de Consumo tem por objetivo o atendimento das
necessidades dos consumidores, o respeito à sua dignidade, saúde e segurança, a proteção de
seus interesses econômicos, a melhoria da sua qualidade de vida, bem como a transparência e
harmonia das relações de consumo, atendidos os seguintes princípios1:

I - reconhecimento da vulnerabilidade do consumidor no mercado de consumo;
II - ação governamental no sentido de proteger efetivamente o consumidor:
a) por iniciativa direta;
b) por incentivos à criação e desenvolvimento de associações representativas;
c) pela presença do Estado no mercado de consumo;
d) pela garantia dos produtos e serviços com padrões adequados de qualidade,segurança, durabilidade e desempenho.

CAPÍTULO III
DOS DIREITOS BÁSICOS DO CONSUMIDOR

Art. 6º - São direitos básicos do consumidor:
I - a proteção da vida, saúde e segurança contra os riscos provocados por práticas no fornecimento de produtos e serviços considerados perigosos ou nocivos;

CAPÍTULO IV
DA QUALIDADE DE PRODUTOS E SERVIÇOS, DA
PREVENÇÃO E DA REPARAÇÃO DOS DANOS

SEÇÃO I
DA PROTEÇÃO À SAÚDE E SEGURANÇA

Art. 8º - Os produtos e serviços colocados no mercado de consumo não acarretarão riscos à saúde
ou segurança dos consumidores, exceto os considerados normais e previsíveis em decorrência de
sua natureza e fruição, obrigando-se os fornecedores, em qualquer hipótese, a dar as informações
necessárias e adequadas a seu respeito.
Parágrafo único - Em se tratando de produto industrial, ao fabricante cabe prestar as
informações a que se refere este artigo, através de impressos apropriados que devam acompanhar o produto.

Art. 9º - O fornecedor de produtos e serviços potencialmente nocivos ou perigosos à saúde ou
segurança deverá informar, de maneira ostensiva e adequada, a respeito da sua nocividade ou
periculosidade, sem prejuízo da adoção de outras medidas cabíveis em cada caso concreto.

Art. 10 - O fornecedor não poderá colocar no mercado de consumo produto ou serviço que sabe ou
deveria saber apresentar alto grau de nocividade ou periculosidade à saúde ou segurança."

Para acabar com os acidentes causados pelos ralos de piscinas que além de Flavia continuam a fazer vítimas pelo Brasil afora, notadamente crianças, é preciso que o Código de Defesa do Consumidor seja aplicado. E preciso que os fabricantes entendam que segurança nas piscinas, não é gasto, é investimento em vidas humanas. É preciso que as autoridades exerçam o poder que têm  para  garantir  “proteção da vida, saúde e segurança contra os riscos provocados por práticas no fornecimento de produtos e serviços considerados perigosos ou nocivos”

Acredito que a Lei Federal que irá  dispor sobre segurança para a prevenção de acidentes de sucção em piscinas, lei essa esta  pela qual tanto anseio, vai evitar que a falta de segurança nas piscinas do Brasil continue a causar tragédias e a destruir vidas humanas.

SEGURANÇA NAS PISCINAS: ESTA É UMA CAUSA DE TODOS NÓS.

Boa semana a todos e até o próximo post.

Dispositivos de segurança para piscinas: Botão de parada de emergência.

- 1 de julho de 2011
Foto da piscina da Academia Raia4 - S.Paulo

No post anterior, falei da importância da barreira de proteção  para piscinas e publiquei a foto de como deve ser um portão que vai evitar o acesso de crianças pequenas às piscinas.

Além da barreira de proteção, outro  importante dispositivo de segurança para piscina, é o botão de parada de emergência que deve ser instalado em piscinas de uso coletivo e público em local visível e de fácil acesso, como mostra a foto acima, da piscina da Academia Raia4, de propriedade do Sr.Nilson Maierá, autor do livro Piscina Litro a Litro.

Em caso de acidente, o botão de parada de emergência  é manualmente acionado para desligar imediatamente a motobomba da piscina.

SEGURANÇA NAS PISCINAS: ESTA É UMA CAUSA DE TODOS NÓS.

Dispositivos de segurança para piscinas: Barreiras de proteção.

- 25 de junho de 2011

Além dos acidentes graves e fatais causados pela sucção dos ralos de piscinas,  tragédias e mortes também ocorrem com crianças pequenas até cinco anos de idade, que se estiverem sem a supervisão de um adulto, poderão ter acesso à área da piscina, cair na água e ter morte por afogamento.

Por isto é imprescindível a instalação de barreiras/cercas de proteção para restringir o acesso à piscina pelas crianças pequenas. A cerca deverá ter uma altura mínima de 1,2m e o portão deve ter fechamento automático com trinco auto-travante numa altura que uma criança pequena não alcance o trinco e possa destravá-lo.

Os estudos mostram que piscinas adequadas com cerca e portão de proteção podem reduzir o risco de afogamento de crianças pequenas em até 60% dos casos registrados.

SEGURANÇA NAS PISCINAS: ESTA É UMA CAUSA DE TODOS NÓS..

Piscinas, levando vidas e sonhos pelos ralos.

- 11 de junho de 2011
Para ampliar, clic na imagem.
Poucas crianças sobrevivem a um acidente por sucção do dreno de água da piscina. Nas fotos acima, apenas Flavia sobreviveu e mesmo assim, com a grave e terrivel sequela de coma vigil irreversível. 

Este post é uma homenagem às pessoas, a maioria crianças, que foram vitimados por acidentes causados por sistemas de sucção de piscinas, (ralos). Neste blog  estão documentados alguns desses acidentes que só acontecem porque infelizmente ainda não temos legislação, fiscalização e sanções rigorosas para a falta de segurança nas piscinas não só do Brasil como em todo o mundo. Além destes acidentes aos quais agora me refiro, ocorridos no Brasil e no mundo, existem outros aqui documentados. E outros que nem chegam ao conhecimento da mídia.

Como venho repetindo aqui, sistemas de sucção de piscinas, se vendidos, instalados e mantidos sem o indispensável cuidado com a segurança dos usuários, podem ser transformar em armadilhas submersas e silenciosas que levam a acidentes gravíssimos ou, na maioria das vezes, à morte.

Janeiro de 2001- Marlei da Silva Feliciano, 23 anos. No Motel Astúrias, São Paulo. Para saber mais sobre este acidente, clic  Aqui

Fevereiro de 2001 - Piscina do Ginásio Fisicoleiria – Portugal.
Menino de 8 anos. Para ler mais sobre este acidente clic Aqui

Junho de 2002 – Virginia Graeme Baker, 7 anos, neta do ex-secretário de estado americano James Baker. A lei americana para segurança nas piscinas foi criada em 2007 em homenagem à Virginia Baker. A lei americana em homenagem à essa menina que também morreu vítima da forte sucção da água da piscina onde brincava, é conhecida como lei  Virginia Graeme Baker ou VGB para Segurança em Piscinas.  Para saber mais sobre este acidente, clic Aqui

Março de 2005, Lucimeire Pereira dos Santos, 29 anos, No Motel Astúrias, São Paulo. Para saber mais sobre este acidente. Clic Aqui.

Fevereiro de 2006 –Yago Pires, 11 anos, Promissão à 134 km de Baurú, São Paulo – Brasil. Na piscina de um clube da cidade. Para ler mais sobre este caso, clic Aqui

Julho de 2007 – Abigail Taylor, 6 anos, Estados Unidos.
A criança brincava na piscina de um clube de golf quando teve os intestinos parcialmente sugados pelo ralo da piscina. Antes de falecer, a pequena Abigail ficou 1 ano em sofrimento Abigail faleceu em março de 2008. Para ler mais sobre este caso, clic Aqui

Julho de 2007 – Sergei Matveyey, 14 anos, em um Parque Aquático na Rússia. Para ler mais sobre este acidente clic Aqui

Setembro de 2007 - Joniel Aragão da Silva, 5 anos.
Onde: Water Park do Nordeste – Cidade Conde – Litoral Sul da Paraíba, Brasil. Para ler mais sobre este acidente, clic Aqui

Dezembro de 2008 – Gabriel Antonio P. Matias, 10 anos, em Franca, interior de São Paulo – Brasil.
O garoto teve o braço sugado pelo ralo da piscina durante uma aula de natação. O ralo estava sem a tampa de proteção. Para saber mais sobre este acidente clic Aqui e Aqui.

Raphael Dalphinio, 12 anos Goiás, Brasil.
Leonardo, 9 anos, Ubatuba, São Paulo, Brasil.
Para saber mais sobre estes três acidentes, clic. Aqui e assista o vídeo.

Janeiro de 2009 – Jaqueline Resende Almeida Santos, 13 anos, Bahia, Brasil.
Jaqueline nadava na piscina do condomínio Rio Jacuíbe, em Barra do Jacuibe, Bahia, Brasil. Para ler mais sobre este acidente clic Aqui.

Julho de 2009 – Nathan Clark Griffiths, 14 anos, na Tailância.
Para ler mais sobre este acidente clic Aqui

Agosto de 2009 – menina de 3 anos, presa ao ralo lateral da piscina. Miami, Flórida. Depois de momentos de intenso pânico, os bombeiros conseguiram salvar a criança. Para saber mais sobre este acidente,clic Aqui

28 de Dezembro de 2010 – John Van Hoy Jr. 33 anos, no Sandals Hotel das Bahamas.
Para saber mais sobre este acidente clic Aqui

30 de Janeiro de 2011 – João Paulo de Jesus Maria, 5 anos, no Club Náutico de Taquaritinga, próximo a Ribeirão Preto, São Paulo. Para ler mais sobre este acidente. Clic Aqui e Aqui

É lamentável,  - para dizer o mínimo - que tenhamos que assitir a morte e a invalidez de  crianças antes alegres e saudáveis por causa de um tipo de acidente que pode ser evitado.Esperemos que a Lei Federal para a Segurança das piscinas,  pela qual tanto anseio, não demore tanto tempo a chegar  para que nossas crianças possam fazer o que lhes é de direito: Brincar com  segurança nas piscinas.

Até o próximo post.
Related Posts with Thumbnails