Este blog, criado em janeiro de 2007, é dedicado à minha filha Flavia e sua luta pela vida. Flavia vive em coma vigil desde que, em 06 de janeiro de 1998, aos 10 anos de idade, teve seus cabelos sugados pelo sistema de sucção da piscina do prédio onde morávamos em Moema - São Paulo. O objetivo deste blog é alertar para o perigo existente nos ralos de piscinas e ser um meio de luta constante e incansável por uma Lei Federal a fim de tornar mais seguras as piscinas do Brasil.

Michele, para sempre uma amiga de Flavia

- 1 de maio de 2010
Embaixo da cama de Flavia, está Michele, nossa poodle.

Logo depois do acidente ocorrido com Flavia, olhando em sua mochila escolar, vi dentro de um de seus cadernos, o bilhete de uma amiguinha de classe, que me encantou. Dizia assim o bilhete:

“Flavia, você é muito legal. Aqui no CONSA (Colégio onde Flavia e a amiguinha estudavam) você é minha melhor amiga. E quero pedir para você ser minha melhor amiga fora da escola também. Eu adoro você Flavia e quero ser sua amiga para sempre.
Assinado: Michele.”

A vida se encarregou de separar as amiguinhas Michele e Flavia, e eu nunca mais soube da criança que escreveu este doce bilhete. Mas em homenagem a ela e ao carinho que um dia sentiu por Flavia, coloquei seu nome na cachorrinha poodle que comprei, quatro anos após o acidente, com a louca esperança de que seus latidos acordassem Flavia. Os latidos da cachorrinha não despertaram Flavia, mas Michele, que é doce e carinhosa, nos conquistou para sempre. E o nome de Michele, pelo menos na minha lembrança, eterniza a amizade de duas crianças: Michele e Flavia.

Quando Flavia está na sala, em sua cadeira de rodas, Michele fica por perto e por vezes, eu a coloco no colo de Flavia para que as duas troquem afetos. Silenciosamente e sem gestos, sei que as duas se acariciam. Quando Flavia é trazida de volta para seu quarto, Michele vem também, se acomoda embaixo da cama de Flavia e ali fica por horas, até que o sono também lhe chega e ela vai para sua própria cama na área que lhe é reservada para dormir. No dia seguinte, Michele acorda e sapeca, corre alegre e saltitante pela casa. Enquanto Flavia, segue dormindo este seu sono sem fim.

Meu nome não é Odete, como algumas pessoas escrevem nos comentários, é Odele, com L e não com T.
Obrigada.

39 comentários

  1. Pois é, Odele, os latidos da Michele não conseguiram acordar a Flavia, porém ela vem cumprindo muito bem a função de guardiã do sonhos da princesa adormecida.

    E a Michele do colégio, por onde andará agora? Será que, vez ou outra, se lembra da amiguinha pra quem escreveu esse bilhete tão carinhoso?

    Mistérios da vida...

    Beijinho e um bom final de semana.

    ResponderExcluir
  2. Um post delicioso sobre coisas "que nos marcam para sempre" e nunca se sabe se um dia aparecerá a coleguinha de Flavia. Até lá essa guardadora de sonhos faz o seu papel e é uma realidade a percepção e dedicação dos animais sobre quem é ou está fragil numa amizade sem precedentes.
    A foto está muito gira.

    Beijos às duas e um festa a Michele

    ResponderExcluir
  3. Meus olhos se encheram de lágrimas lendo este texto.. eu tenho duas cadelinhas e sei o quanto elas são especiais..meu coração se aperta só de pensar em um dia perdê-las.
    Tenho certeza que Flávia sente esse carinho pela Michele e ela, mesmo sem palavras, agradece o carinho e a dedicação de uma mãe que tem tanto amor por ela..é lindo de ver!
    Beijos e ótimo fim de semana

    ResponderExcluir
  4. DIZEM SER A AMIZADE A MAIS BELA FORMA DE AMAR. TAMBÉM ACHO QUE SEJA.
    UM CARINHO PARA MICHELE E UM
    GRANDE ABRAÇO PARA AS DUAS AMIGAS QUERIDAS.

    ResponderExcluir
  5. Que linda homenagem Odele!
    Flávia ñ poderia ter amizade mais sincera como a desta poodlezinha linda.
    Bjos pras 3!

    ResponderExcluir
  6. Me emocionaste amiga, Michele seguro é uma grande amiga de nossa Flavia, não conseguiu acordá-la, estou convicta que nossa menina o percebe.

    São amorosos os cachorros, encantam-me, sanam o alma e alegram nossos dias.

    Muitos beijos e abracitos :)

    ResponderExcluir
  7. Bom Dia !

    Estou preparando uma festa surpresa
    Pra nossa Amiga Maria Dias
    Hj ela esta de aniversario
    Vamos dar um super abraço
    Amigos blogueiros.

    Bjkas e te mais

    ResponderExcluir
  8. Cá longe me lembrei dum dia me dizer; visite-nos. sabe o nosso endereço.

    E cá estou eu, emocionado também com a estória que fez o favor de nos trazer.

    Isso fez-me pensar em como as noites na prisão eram doces comparadas com aquelas em que a Odele não dorme.

    Uma coisa é certa: a Flávia continua connosco. Doze anos depois.

    A michele continuará a latir na esperança que um dia ela acorde de vez. E eu, nos meus momentos de toda a minha vida, continuarei esperançado que toda esta vida por que tem passado tenha um final feliz.

    Quanto à outra Michele, quem sabe, um dia, ela aparece com um blog ou nas redes sociais procurando pela amiga.

    Haja esperança!

    Com o devido respeito deixo um beijinho de amizade do lado de cá deste mar que não separa.

    ResponderExcluir
  9. Eu tinha uma cadelinha que era a coisa que eu mais amava no mundo. Ela morreu com 12 anos de vida e morro de saudades dela! Só quem tem esses bichinhos na convivência diária sabe a importância que eles têm em nossas vidas. São puro amor e dedicação! Conseguem perceber nossas emoções e sempre nos proporcionam sentimentos melhores.
    Pode acreditar que, de alguma forma, Flavia sente sua presença!
    Mt bonita a história!!!

    ResponderExcluir
  10. Que texto mais delicado, mais doce. Viva Michele!

    ResponderExcluir
  11. Que encanto,que doçura;você sempre me emociona;mesmo nessa dura caminhada de amor incondicional e dor,tratas tudo com tal delicadeza.Um grande beijo.

    ResponderExcluir
  12. Odele, tentou conversar com algumas das antigas professoras de Flávia para achar esta aluna?

    E tem gente que mesmo por poucos instantes na nossa vida, mas nos marca...

    Fiquem com Deus, menina Flávia e menina Odele.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  13. Nunca estarão sozinhas, nem a Flávia nem a Odele, por há quem esteja por perto, mesmo que em silêncio , que as palavras são insuficientes para expressar o que sentimos.
    Abraço do Zé

    ResponderExcluir
  14. Por odne andará Michelle, odele?nao importa, nao é mesmo?Ela vive no bilhete e na sua lembranca de nomear a poodle.Bjs para vcs....e dais felzies

    ResponderExcluir
  15. Em meu coração existe a Flávia, vc e agora acrescento a Michelle q é sim muito fofa!
    Lindo o bilhetinho e sua lembrança para smpre.

    Beijos e um ótimo domingo.

    ResponderExcluir
  16. Odele... Um dia a 14 anos atrás, meu filho (15 anos) sofreu um acidente. Passei semanas no pé da cama até sentir que ele sobreviveria ! Ele perdeu os movimentos do braço esquerdo (todos) e desde então eu tenho três braços : os meus dois e um outro esquerdo. Te admiro ENORMEMENTE ! Eu sei que eu faria o mesmo. Desejo sinceramente, que Deus, apesar de não trazer a sua bebê de volta, traga serenidade à sua alma, para que não desista, para que não sofra,para que não chore tanto e não tenha o coração dilacerado com as lembranças ! Estive aqui por outras vezes, mas não tive "letrinhas" para te confortar...nada conforta ! Só quero que saiba que não está só ! Mesmo quietinha, estou aqui ! Abraços carinhosos ...Eliane

    ResponderExcluir
  17. Querida Odele,

    Bom dia.

    Uma ternura este teu post.

    Acredito que Michele e Flávia se comuniquem ... tenho a certeza que Michele sabe que Flávia precisa dela ... os cães são imensamente inteligentes e percebem e sentem tudo o que os donos sentem ...

    beijinhos

    ResponderExcluir
  18. Querida Odele e Flavinha.....

    Hoje entrei somente pra sugerir o livro A CABANA , ninguem termina de ler a mesma pessoa que começou. Vale muito a pena......meu carinho pra vcs!!!!

    ResponderExcluir
  19. Odele,

    Eu mesmo sou um adorador fanático dos cães. O carinho de Michele só prova o quanto eles nos amam incondicionalmente.

    Um grande beijo.

    Juliano B.

    ResponderExcluir
  20. O amor canino só não é mais puro do que o amor de mãe.
    Deus as abençoe.

    ResponderExcluir
  21. Olá Odele, não e a primeira vez que cá venho , mas sim é a primeira vez que deixo comentário. É porque perante tamanha MÃE não sei o que dizer , as palavras ficam sem sentido e sem nexo. Mas hoje resolvi deitar cá para fora . Não vale pena dizer que você e o que tem lutado pela Flávia, é toda a gente já sabe mas vale sempre a pena dizer é que lute , sempre pela justiça por que a justiça gosta daqueles que nada fazem e daqueles que não lutam. Penso que aí como em Portugal (uma vez que somos países irmãos e um foi descoberto pelo outro )a justiça é lenta , ma sl´virá um dia em que tudo mudará, poderá não ser para os nossos filhos, mas os nossos netos e outros vindouros lutarão para que sejamos um pais justo. Só peço isso justiça. Aproveito para dizer que componho a lista dos seus já muitos seguidores, mas nunca é de mais.obrigada pela visita o meu blogue e vejo que temos amigos em comum, isso apraz-me. um longo beijo para Flávia e para si um abraço do tamanho do oceano que no separa.kis :)

    ResponderExcluir
  22. É verdade. O amor só tem um nome: AMOR.
    Quanto à forma de como ele se deve ou pode expressar, pouco conta. O que conta, de facto, é que existe e, quantas vezes, das formas mais espectaculares como é aqui o caso: atalaia. Assim, como sempre esteve, a Falvia tem sempre por perto muito amor. Para mim, a Michele é mais uma Atalaia da nossa Flavia.
    Até sempre, David Santos

    ResponderExcluir
  23. Que lindas, Odele!!

    Qta doçura neste bilhetinho.

    E pode acreditar, a Michelle e a Flavinha possuem um amôr incondicional.

    Tenho um porquinho da India. Coisa mais fofa que existe, e sabemos o qto somos felizes-ele e nós- por termos companhia um do outro.

    Beijinhos !!

    ResponderExcluir
  24. Oi Odele,
    Que emocionante este post, que Deus continue te iluminando e te dando forças para continuar essa caminhada logo. Eu acredito que a Flavinha esteja sentindo todo esse amor e carinho que você tem com ela.
    Bjs
    Reni

    ResponderExcluir
  25. Olá, Odele. Acredito que Michele faz bem à Flávia de algum modo. Pude notar o carinho dela com vocês quando estive aí. Os animais são sábios.

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  26. Odele bom dia lindo texto, lindo gesto


    O amor só tem um nome: AMOR. bj

    ResponderExcluir
  27. Olá, Odele.

    Sou sua amiga silenciosa, te acompanho há meses por aqui.
    Tenho vinte nove anos e uma vontade grande de ser mãe.
    Sempre que penso em como desejo ser mãe e no tamanho desse amor ímpar, lembro-me de você que jamais desistiu de sua filha.
    Tenho certeza que toda essa luta não será em vão. O Senhor vai te restituir.
    Que as misericórdias do Senhor se renovem na sua vida.

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  28. Já nos tens falado dessa ternurinha que é a Michele.
    E este post é mais uma demonstração da tua extrema sensibilidade. Não é possível lê-lo sem nos dominar a emoção.
    Ao pores o nome dessa amiga da Flavia à cadelinha, de certo modo prolongaste, para dentro da tua casa, essa amizade que a incúria e a criminosa negligência separaram.
    Como tu, acredito que a Flavia e a Michele comunicam. Pelo afecto, pelo instinto? Que sabemos nós de coisas tão complexas, que a ciência tarda em desvendar com profundidade?
    Um beijo emocionado para ti e para a Flavia.

    ResponderExcluir
  29. Já nos tens falado dessa ternurinha que é a Michele.
    E este post é mais uma demonstração da tua extrema sensibilidade. Não é possível lê-lo sem nos dominar a emoção.
    Ao pores o nome dessa amiga da Flavia à cadelinha, de certo modo prolongaste, para dentro da tua casa, essa amizade que a incúria e a criminosa negligência separaram.
    Como tu, acredito que a Flavia e a Michele comunicam. Pelo afecto, pelo instinto? Que sabemos nós de coisas tão complexas, que a ciência tarda em desvendar com profundidade?
    Um beijo emocionado para ti e para a Flavia.

    ResponderExcluir
  30. Que amor que é a Michele! Elas se comunicam, com certeza e ela é a melhor amiga da Flavinha.
    Tu sempre nos emociona, Odele. Deus abençoe vocês.
    Bjim pra ti e pra Flavinha.

    ResponderExcluir
  31. A ternura linda do teu post, que tanto me tocou cá dentro.
    Muitos beijos.

    ResponderExcluir
  32. Oi Odeke
    Quanto amor expresso neste post. Não há com confortar a sua dor, mas rezo para que tenha serenidade para enfrentar seu cotidiano de sofrimento. Vi que tem outro filho e desejo imensamente que sua interação familiar possa seguir amorosa mesmo diante de tanto sofrimento.
    bjs Norma

    ResponderExcluir
  33. Olá, Odele. Obrigada pela visita.
    É tão bonito ver amizades assim e foi uma bela homenagem a essa amiguinha da Flávia você ter colocado o nome dela na poodle.
    É muito bom ter a companhia de um cão e a cumplicidade entre animais e seus donos é maior do que muita gente pensa.
    Dá para perceber que a Flávia sempre foi e continua sendo querida por muita gente e também por essa poodle. De alguma forma, ela deve sentir todo esse amor que a rodeia.
    Há sempre uma lição de vida, de amor materno, de luta e de esperança nas linhas de seu blog.
    Beijos para vocês.

    ResponderExcluir
  34. Odele, passo por aqui pra te abraçar virtualmente e te desejar um feliz dia das mães.
    Mãe guerreira, doce e carinhosa que és com tua filha, pois percebo e vejo nas fotos que posta, o carinho, cuidado e amor que tens por esta filha amada.
    As unhas sempre pintadas, os cabelos arrumados... enfim, todo cuidado que tens com ela, além do amor incondicional.Compreendo este amor pois também tenho um filho com uma doença crônica e que nas suas crises, pode acreditar, dói mais em mim do que nele. Imagino quantas vezes tu deves ter pedido a Deus pra ficar no lugar dela, de voltar no tempo.... é um sofimento diário, mas que nós mães, não desistimos NUNCA.
    Um grande abraço e fiquem com Deus.

    ResponderExcluir
  35. Vejo aqui que você faz duas homenagens. Uma é para a Michele, amiga da Flavia na escola. E a outra para Michele, a poodle de vocês. Gostei da história de como a poodle ganhou o nome de Michele. E que a Michele poodle continue sendo uma boa companhia e guardiã da Flavia. E quem sabe a Michele, a amiga da escola, apareça um dia. Se não está viva, ela está viva no bilhete. Beijos para você e a Flavia. E um cafuné para a Michele.

    ResponderExcluir
  36. Olá Odele, acabei de assistir sua reportagem no Tudo é Possível. Achei Lindo esse seu gesto de carinho com a Flávia. Que Deus lhe dê forças para você continuar cuidando dela com tanto afeto e dedicação. Grande Abraço!

    ResponderExcluir
  37. Odele, meu nome é Fausto Martins, sou goiano, professor e educador, trabalho com crianças, adolescentes e jovens. Vi uma reportagem sobre o estado de como e sua contribuição em entrevista falando sobre o caso de sua filha Flávia. Odele, acredito que a Flávia ainda permanece respirando porque ela sabe que você está sempre com ela, mesmo sem poder corresponder diretamente, ou falando ou em gestos, mas responde permanecendo viva. Talvez as pessoas que lerem este comentário poderão dizer, mas que vida ele está falando? Existem pessoas que vivem em coma no meio social, não se comunica verdadeiramente com os outros, são frios, não se interagem, são indiferentes e insensíveis ao meio. Isso pra mim também é um estado de coma metaforicamente falando. Desejo muita saúde pra você e perseverança na luta pela vida de Flávia. Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  38. Oiie, Odele. Sou flavio sou goiano eu pensou o que seria da flavia sem voçe e sem suas forças voçe sim também e uma grande pessoal especial que Deus o todo poderozo ajude a flavia e que jamais voçe um dia desanime. Odele força ae, por aqui eu do com as minha esperanças a toda força...flavia estou na torcida por voçe abraço

    ResponderExcluir
  39. Bom dia! Hoje pela manhã li a matéria no Folha Online da história de Flávia. Fiquei comovida, tenho idade próxima a de Flávia e durante a infância tambem adorava banho de piscina e acredito que meus pais não sabiam do perigo da bomba de sucção. Fiquei muito emocionada quando você diz que pensa no que ela poderia está fazendo hoje na fase adulta. Sem dúvidas é uma história de vida comovente, de luta, de amor que me fez pensar no grande mistério que é a vida. Força, paz e vida para Flávia! Abraço!

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails