Este blog, criado em janeiro de 2007, é dedicado à minha filha Flavia e sua luta pela vida. Flavia vive em coma vigil desde que, em 06 de janeiro de 1998, aos 10 anos de idade, teve seus cabelos sugados pelo sistema de sucção da piscina do prédio onde morávamos em Moema - São Paulo. O objetivo deste blog é alertar para o perigo existente nos ralos de piscinas e ser um meio de luta constante e incansável por uma Lei Federal a fim de tornar mais seguras as piscinas do Brasil.

Pessoas em coma: A importância da música e da voz humana.

- 6 de março de 2010
Tempos atrás publiquei aqui um post onde contei que Flavia tocava teclado e que participava de apresentações públicas em audições organizadas por sua escola de música, a Harmony Music Center de Moema, bairro onde morávamos em São Paulo.

Este livro, CUIDAR DE PESSOAS e MÚSICA, - Uma Visão Multiprofissional, eu tive o privilégio de receber de presente da autora, a Dra. Eliseth Ribeiro Leão (*). Li  encantada este livro que  aborda o tema da música no cuidado humano,  a música no controle da dor crônica, a música e a criança hospitalizada, cantoterapia, etc. É uma obra maravilhosa, uma referência para profissionais da área da saúde em geral.

(*) Eliseth Leão é graduada em Letras e em Enfermagem. Diletante musical, iniciou em 1996, seus estudos sobre a influência da música na saúde humana. Realizou seu mestrado e doutorado pela Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo, sobre a utilização da música no controle da dor. Concluiu seu pós doutorado relacionado à música, e idosos institucionalizados junto à Universidade Marc Bloch (Université des Sciences Humaines de Strasbourg, na França). É fundadora do Projeto, Uma Canção no Cuidar, palestrante nacional e autora de diversas publicações, entre elas os livros Dor, 5º. Sinal:reflexões e intervenções de enfermagem (Martinari) e Qualidade em Saúde: indicadores como ferramentas de gestão (Yendis).

Fonte: Orelha do livro de Dra.Eliseth que também é  Coordenadora de Ensino e Pesquisa
Sociedade Hospital Samaritano - SP

No livro da Dra.Eliseth, há um capítulo dedicado a pacientes em coma (autoras: Ana Claudia Puggina e Maria Julia Paes da Silva)  e fiquei contente ao perceber que desde o acidente venho praticando com Flavia , - por intuição - os ensinamentos com relação à influência da música e da voz humana em pessoas em coma.

Desde que Flavia deu entrada na UTI mais de 12 anos atrás, tive o cuidado de colocar música para ela ouvir. Com um fone de ouvido em volume suave, eu colocava as músicas que ela gostava, como por exemplo, de Roberto Carlos e da dupla Sandy & Júnior. E quando saiu da UTI e foi para o quarto do hospital onde ficou por quase um ano, pelo menos uma vez ao dia, do trabalho eu telefonava e pedia para que a auxiliar de enfermagem colocasse o telefone no ouvido de Flavia e eu “conversava” com ela. Embora com o coração destroçado, por entre as lágrimas eu lhe falava de coisas positivas e cantarolava uma de suas músicas preferidas. E mesmo sem receber resposta verbal de Flavia, eu “sentia” que o som de minha voz falando com ela ou cantando para ela, era algo positivo e lhe fazia bem.

Passados mais de 12 anos, e com minha filha infelizmente ainda em coma, continuo dando enorme importância aos sons que Flavia ouve. Oriento as auxiliares de enfermagem a falar com Flavia sobre os procedimentos que vão realizar com ela: Por exemplo:

- Flavia, vamos agora escovar seus dentes, pentear seus cabelos, trocar sua roupa. Oriento também que sempre que for preciso tocar seu corpo, fazê-lo de forma delicada, cuidadosa, respeitosa. Pedir licença, dizer bom dia e até logo.

Não falar muito alto perto dela, não bater portas, e procurar criar um ambiente ao seu redor, de atenção e cuidados, de calma e tranqüilidade. De amor e paz. Para isso, procuro estabelecer uma relação de afeto com os profissionais que trabalham com minha filha.

Seleciono com cuidado as músicas que coloco no pequeno aparelho de som de seu quarto. À noite, quando a auxiliar de enfermagem deixa o plantão, e sou eu a cuidar de Flavia, coloco no aparelho de som, no computador ou no seu pequeno Ipod, as mensagens de voz de nosso amigo António Peciscas, de Portugal, cuja voz doce e carinhosa, é uma canção de ninar para Flavia.

Passado um tempo, eu também adormeço no quarto ao lado. E não demora muito eu e Flavia, de mãos dadas, saímos voando pelo mundo afora. Eu e ela. Livres... Livres...

Um abraço a todos e até o próximo post.

Meu nome não é Odete, como algumas pessoas escrevem nos comentários, é Odele, com L e não com T.
Obrigada.

37 comentários

  1. Amiga, continue fortalecendo esse laço, esse elo com Flavia. É lindo, intenso e profundo. Beijos, querida!

    ResponderExcluir
  2. Eu não sabia deste cuidados, mas é bom saber a importância deles...

    Não precisa agradecer Odele =P

    Fiquem com Deus, menina Flávia e menina Odele.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  3. Lindo este post, Odele....É acreditar realmente na vida....Que bom eu ter vindo aqui hoje.....Estejam com DEUS !

    ResponderExcluir
  4. Minha querida amiga,
    você, a sua força e coragem são incomparaveis!

    Não sabia da importância da música nas pessoas em coma, muito obrigada por esta partilha Odele.

    Um beijinho muito grande para as minhas duas queridas amiguinhas.

    Ana Martins

    ResponderExcluir
  5. Livres de toda a dor...desculpe,eu sou uma besta;toda vez as coisas bonitas,tristes e verdadeiras que dizes me emocionam tanto.

    ResponderExcluir
  6. Já li um livro que me emprestaram - não me recordo o nome - sei apenas que era de autoria de um médico especialista do coma e realmente falava da positividade do "ambiente que ao longo destes 12 anos" proporcionas à tua/nossa Flavia.

    Fiquei comovida com a simplicidade e ternura estampada neste teu post, e quantas vezes com o coração em pedaços consegues fazer o que muitos não são capazes perante problemas tão pequenos e insignificantes.

    Tenho o enorme prazer de dizer: aprendo sempre contigo!

    Um enorme beijo às duas e que o Peciscas nunca deixe de partilhar os videos que faz com toda a sua mestria.

    Bom domingo do lado de cá do oceano onde estou fartissima de chuva, lama, vento e frio!

    ResponderExcluir
  7. Odele,

    Você nos emociona com todo seu cuidado, carinho e amor.

    Um Beijo para as duas.

    Juliano

    ResponderExcluir
  8. Querida amiga...

    No dia de hoje eu jamais poderia esquece-la(vc q é uma mulher de fibra, coragem,lutadora, dinâmica, mulher e principalmente: MÃE).

    Feliz dia da mulher!

    P.S. lhes envio daqui minhas boas vibraçoes para vc e Flavinha!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Bem como o contas, a importância da música, um ambiente em paz. Sabemos dos preciosos cuidados que lhe brindas a nossa Flavia, as pessoas que te acompanham, Antonio com sua voz contando-lhe como se fosse sua neta, maravilhoso!

    Feliz dia amiga, também para Flavia! beijinhos + beijinhos

    ResponderExcluir
  10. Exemplos de coragem, força e Amor... Deus abençoe sempre!

    ResponderExcluir
  11. Oi querida Odele,

    Já conhecia, através de ti, a importância da música nestes e outros casos ...

    Hoje, não posso deixar de te dar um beijo especial, pela GRANDE MULHER e GRANDE MÃE, que és ... a teu lado sinto-me bem pequeninha ...

    isabel

    ResponderExcluir
  12. Se alguém neste mundo merece um cumprimento especial pelo dia de hoje, é você, Odele, uma GRANDE MULHER! Que continue com essa garra, força e serenidade! Parabéns também para Flávia MULHER, tão meiga e feminina...

    ResponderExcluir
  13. A MÚSICA É LENITIVO. O FATO DE USÁ-LA DIARIAMENTE PARA O CONFORTO DE FLÁVIA, MESMO QUANDO DE FORMA INTUITIVA, É A PROVA MAIOR DE SUA SENSIBILIDADE DE MULHER ESPECIAL E MÃE ADMIRÁVEL.
    UM BEIJO PARA AS DUAS.

    ResponderExcluir
  14. Odele, cada vez que venho aqui ler os novos posts, me ergo com a demonstraçao do seu carinho por essa filha maravilhosa.

    Existem belíssimos CDs com sons da natureza que também podem ajudá-la. Cantos dos pássaros, sons das matas, cachoeiras, sons que podem reportá-la para a natureza que nos inspira harmonia.
    Existe um, que eu o possuo, que é belíssimo. Músicas de Bach e Betoven mixadas com o som das praias, do mar.
    O que Deus lhes reserva eu nao sei, mas que um grande amor entre vocês já surgiu, disso eu nao tenho dúvidas.
    Um dia, mais lá na frente, você saberá o porquê disso tudo e ficará muito surpresa.

    Jesus as envolva.
    Barreto

    ResponderExcluir
  15. Odele

    Sempre acompanho teu blog, o carinho que vc tem com sua linda filha, os cuidados, a destreza, vc tem um amor inigualável que fico até com inveja....rs. Queria uma mãe dessa, com esse carinho e atenção, sinto falta, mas fazer o que, é a vida. Parabéns Odele, vc é realmente uma exceção nesse planeta Terra. Se quiser me add no msn iria adorar, queria muito falar com vc, trocar idéias, falar dos meus sentimentos de filha com minha mãe, enfim me abrir com alguém. Meu msn é: fer_amor1977@hotmail.com

    Sou de Curitiba, me chamo Janine.
    Beijos pra vcs duas, pessoas extraordinárias e de um coração esplendoroso.

    ResponderExcluir
  16. Olá Odele, fiquei emocionada e muito orgulhosa, pois Deus em sua grande sabedoria coloca mulheres na hora, e nos lugares certos, Flavinha tem a benção em ter uma mãe, mulher, forte e guerreira...
    como diz a musica nas suas horas mais dificies, que achar que Deus não esta ao seu lado, porque só ve duas pegadas, é que Ele esta te carregando no colo,como Pai, poderoso, manso e amoroso que é.
    Beijos, e muitos na Flavinha.

    ResponderExcluir
  17. Oi Odele, acompanho seu blog e admiro muito o carinho com que você trata a sua filha.

    Eu mudei de casa e nesta nova casa tem uma piscina. Só que a piscina só tinha um ralo de fundo. Como seria preciso trocar o bolsão de vinil, pedi para a empresa de piscinas instalar mais um ralo.

    Graças a você minha piscina vai ficar mais segura. Muito obrigada pelo seu belo trabalho de conscientização! Um abraço!

    ResponderExcluir
  18. Odele,

    Desde que li entre lágrimas a reportagem no revista Época, venho visitar seu blog.

    Esperei o "boom" de comentários acalmar, talvez porque achasse que você não leria tantos.

    Acompanho de longe sua luta, sua história, e o amor e dedicação que não podem ser definidos com nenhum adjetivo de nenhuma língua existente neste planeta.

    Como Djavan diz, "se tivesse mais alma pra dar, eu daria". Assim é você, e creio eu, que assim também são os seus verdadeiros amigos e admiradores, que se pudessem, certamente tirariam de si porções de força e alegria para ajudar tua jornada.

    Que Deus - ou o que quer que nos guie nesta passagem com tantas perguntas sem resposta - sempre encontre um jeito de colocar em teu caminho pessoas e maneiras de manter acesa esta chama tão intensa, que se visível fosse, certamente faria com que muitos ao teu redor usassem óculos escuros.

    Deixo meu respeito, meu carinho, ficam minhas preces por vocês duas.

    Um abraço,

    Lívia.

    ResponderExcluir
  19. Eliseth Leão11 março, 2010

    Querida Odele, obrigada pelo carinho com que trouxe meu livro para seu universo, cuja única intenção era a de ser de alguma forma útil nessa sua jornada.
    Você, mulher guerreira e amorosa, que tanto nos ensina sobre a arte de cuidar e de amar.
    Abs
    Eliseth Leão

    ResponderExcluir
  20. Mariza Lima11 março, 2010

    Oiiii Odele.Li a sua história sobre a sua filha,infelizmente,uma fatalidade. Mas vc está sendo uma ótima mãe,amiga e companheira da Flávia durante esses 12 anos. Estou aprendendo muita coisa com o que vc descreve. Tenha fé em Deus,
    pois,ele,nunca abandona os seus filhos.

    ResponderExcluir
  21. Mariza (do comentário acima)
    Muito obrigada por sua visita e comentário no blog de Flavia, mas o acidente que deixou minha filha em coma, não foi uma fatalidade. foi NEGLIGÊNCIA, conforme venho relatando há mais de três anos neste blog.

    NEGLIGÊNCIA do Condomínio que substituiu o sistema de sucção por outro inadequado (superdimensionado) NEGLIGÊNCIA do fabricante do equipamento, a JACUZZI DO BRASIL,que não informou em seus manuais para o tipo de acidente que vitimou Flavia.

    Infelizmente, depois de mais de 12 anos, ainda espero para ver CONDENADOS, todos os responsáveis pelo acidente que destruiu a vida de minha filha.

    Infelizmente a nossa justiça é lenta, e muitas vezes INJUSTA.

    Mas nada,nada no mundo me fará desistir de continuar a lutar por Flavia.

    ResponderExcluir
  22. Lindo post! Já havia lido nos posts anteriores que Flávia tocava teclado. Logo me identifiquei com ela, pois eu tocava piano e teclado. Odele, vejo que você trata da melhor forma possível a sua filha. Ela está viva e merece ouvir palavras e músicas, ver as pessoas e outras coisas, sentir a mão da pessoa nela, os beijos e abraços recebidos. Parabéns! Um grande beijo para vocês duas!

    ResponderExcluir
  23. Odele,

    Se puder me responder a uma dúvida, por favor, me ajudará muito.
    Quando você e Flavia dormem à noite, você costuma mudar seu decúbito de madrugada ou ela dorme na mesma posição?

    Desde já, muito obrigada.

    Juliana
    Julianavec@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  24. Resposta à Juliana (do comentário acima)

    Juliana, invariavelmente acordo uma vez durante a madrugada e vou ao quarto de Flavia e SIM, mudo-a de posição. E percebo claramente em seu rosto, uma expressão de mais conforto. Se você tem uma pessoa também nas condições de Flavia e não conseguir acordar durante a madrugada, que seja esta sua primeira ação quando você acordar pela manhã: Mudar a pessoa de posição. Para lhe descansar os músculos e lhe dar mais conforto.
    Um beijo pra você.

    ResponderExcluir
  25. Odele, olá!

    Gostei muito da iniciativa da autora aqui em questão! Quem bom saber da existência de pessoas que se preocupam com o próximo...

    Achei prudente os seus comentários em resposta às pessoas que aqui comentaram. Um abraço sincero.

    ResponderExcluir
  26. Paula Calloni12 março, 2010

    Oi Odele, há quanto tempo...vou correndo atrás desse livro, pois estou me enveredando pela área de Saúde e terapias alternativas. Musicoterapia é algo muito sério e vale a pena ser conhecida! Beijos pra vc e Flavinha.

    ResponderExcluir
  27. Oiee Odele, que Deus abençoe a sua vida, divulguei seu blog através do meu, sem palavras para falar da sua historia, que Deus continue te abençoando, te dando forças, preenchendo o seu coração com o amor, e te rodeando de pessoas especiais, um grande bju, vc é uma mulher admiravel!!!

    ResponderExcluir
  28. Mais um post que nos encanta e nos comove até ao mais íntimo de nós.
    E não digo isto em reconhecimento ao modo amigo com que me citas, mais uma vez, nas tuas palavra tão sensíveis.
    De facto, também eu acredito que a música é uma arte imprencindível à nossa vida. A história da Humanidade mostra-nos que onde há ser humano há Música. Por isso, junto da Flavia terá sempre que haver Música pois tenho a certeza de que a sua presença é positiva para ela. E a forma atenta, carinhosa, como continuas a comunicar com ela (mesmo que o retorno não seja imediatamente perceptível, é mais uma prova do enorme amor mas também do respeito que dedicas à tua filha. O cuidado e delicadeza com que queres ver tratatda a Flavia são exemplares e deixam-nos comovidos.
    Eu, que vos conheço há algum tempo, apercebi-me da importâncoia desses estímulos auditivos. Por isso, de onde a onde, gravo conversas, invento histórias, seleciono músicas (até já tive ao atreviemento de cantar...)que sei que vão ser colocadas junto do ouvido da Flavia. Quando gravo essas faixas, deixo nelas toda a minha ternura, assim como um pai que acaricia uma filha e lhe murmura palavras de amor.
    E agradeço o privilégio de poder continuar, assim, a poder estar. de algum modo, perto de vós.
    Porque quem é capaz de dizer coisas como esta
    Passado um tempo, eu também adormeço no quarto ao lado. E não demora muito eu e Flavia, de mãos dadas, saímos voando pelo mundo afora. Eu e ela. Livres... Livres...

    só merece a nossa admiração, o nosso respeito, o nosso carinho.

    ResponderExcluir
  29. Odele, Conhecer voce e sua luta mudaram meu jeito de encarar as travessuras e inquietudes de meus filhos. QUeria de agradecer por compartilhar conosco sua comovente história. O seu último paragrafo, que diz que voces voam livres, livres depois que dormem foi lindo , poetico, profundo e real. A Flávia te ama e sente seu profudo amor e sabe que voce daria sua vida por ela. Obrigada por nos dar muito mais que palavras mas um exemplo de vida.

    ResponderExcluir
  30. Iole Godinho15 março, 2010

    Odele, eu escrevi a um tempo atrás sobre minha avó, quando ela estava em estado adiantado de Alzheimer.
    Todos me diziam que ela não tinha consciência de nada ao redor. Mas emsmo assim eu estava lá conevrsando, mostrando as coisas que eu tinha feito, colocando música para ela, às vezes músicas que ela gostava, às vezes algo que eu gostava, daí eu conversava com ela sobre as músicas que eram minhas. E me diziam que não adiantava. Mas eu sentia, por mínimo que fosse, que ela apertava a minha mão...
    :)

    ResponderExcluir
  31. O Celular Espião é um celular tão incrível e polêmico que foi proibido em alguns países da Europa e é novidade no Brasil.

    O Celular Espião é um telefone celular comum, especialmente modificado para poder ser monitorado à distância, permitindo assim escutar as conversas telefônicas e ambientais de quem o utiliza.
    www.celularespiaobrasil.com

    ResponderExcluir
  32. Oi Odele, gostaria de te conhecer em outra situação que não fosse de dor, mas já que tem que ser assim, quero registrar minha indignação por uma situação de negligência, a justiça brasileira tinha que agir com seriedade num caso deste, voce está pagando um preço muito alto por um risco que voce nem sabia que corria e agora quantos estão expostos ao mesmo risco e ninguém faz nada, obrigada por colocar a boca no mundo e nos alertar, de hoje em diante faço parte desta causa, falando à todos sobre esta fabricante de ralos e banheiras de hidromassagem, vou contar a história da Flávia à todos, que não seja em vão a vida dela, li sua história hoje numa revista antiga e fiquei muito sensibilizada com sua dor, também tenho um filho especial, com paralisia cerebral e sei o que é viver pra alguém,mas não posso encerrar meu comentário sem te dizer que há alguém que pode tudo neste mundo e que agindo Ele ninguém pode impedir, o seu nome é Jesus Cristo!!! pare de procurar em religiões vãs que nada pode fazer por voce, só Ele pode te ajudar e quer te ajudar. Vou estar orando por voce e pela Flávia e sei que Deus há de trazer uma solução para o seu choro. Fica com Ele!!! Filipenses 4:13

    ResponderExcluir
  33. odele,
    por coincidencia, esta semana republiquei em meu blog uma cronica dedicada a um amigo (imaginário) em coma.

    eu queria prometer o mesmo que prometi a ele, à sua filha.

    e, principalmente, gostaria de me cumprir para ambos.

    deixo pra vocês o melhor dos meus pensamentos.

    grande abraço do
    roberto.

    ResponderExcluir
  34. Odele,
    Agradeço a visita ao meu blog! Fiquei muito contente com o seu comentário! Coloquei o link do seu blog pois me senti muito sensibilizada com a história e, principalmente, com a forma com que tem lidado. Este post, me fez lembrar o livro "A cientista que curou seu próprio cérebro", que relata a auto-biografia de uma neurocientista que teve um derrame no qual ficou sem falar, sem enxergar direito, entre outras sequelas. E, justamente, ela fala de como era doloroso quando alguém falava alto, quando não tinha cuidado ao abordá-la e ela muitas vezes não sabia o que estavam tentando fazer com ela. Mas assim como Flávia, a cientista tem uma mãe muito cuidadosa que foi principal fonte de cura para sua recuperação. Continue na luta e nos cuidados com Flávia. A sua história dá força a muita gente que enfrenta esta situação!

    Abraços,

    Sara Barbosa.

    ResponderExcluir
  35. É sempre uma emoção muito profunda ler cada palavra deste blog.

    A dor de uma mãe, ao ver que sua filha olha mas não vê, que nem assim deixa de cuidar dela...

    É comovente.

    Ao mesmo tempo, revoltada com tanta injustiça, porque a Justiça no Brasil é lenta e não está nem aí para o cidadão...

    A luta continua, Dona Odele.

    Boas energias, até breve.

    Luisão - Rio de Janeiro

    P.S.: as imagens são belas, quase poéticas... Interessante o rosto dela não aparecer em nenhuma foto recente... Não precisa: as palavras casam-se perfeitamente com as imagens.

    ResponderExcluir
  36. Odele, acabo de conhecer este blog e a história da sua flor e fiz questão de linkar isso no meu blog e vou a partir de hoje divulgar aos meus amigos e conhecidos para que as pessoas tenham ciência dos perigos ao nosso redor, ainda não sei de que forma ajudar, mas já estou dando o primeiro passo.

    mil beijos e muita, muita força, para as duas.

    ResponderExcluir
  37. Querida Odele Deus continua do teu lado e sempre estara pois vc sim é a melhor Mãe do mundo e q Deus te de muita força para q vc esteja ao lado de sua filha até o dia determinado por ele para a libertação da Flavia é o q nós q somos mães e sabemos das tuas aflições esperamos ,nós sabemos q ha um tempo determinado por Deus para tudo e o teu tempo chegara ,bjs......

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails