Este blog, criado em janeiro de 2007, é dedicado à minha filha Flavia e sua luta pela vida. Flavia vive em coma vigil desde que, em 06 de janeiro de 1998, aos 10 anos de idade, teve seus cabelos sugados pelo sistema de sucção da piscina do prédio onde morávamos em Moema - São Paulo. O objetivo deste blog é alertar para o perigo existente nos ralos de piscinas e ser um meio de luta constante e incansável por uma Lei Federal a fim de tornar mais seguras as piscinas do Brasil.

SEMPRE QUE O DRAMA ACONTECE....

- 15 de fevereiro de 2010
 Flavia, infância e sorriso roubados. Negligência e Impunidade. Até Quando?!

Os versos abaixo, me foram gentilmente oferecidos por Maria Letra,  do blog Caminhos de Cristal,  de Portugal, a quem agradeço pela delicadeza do gesto.

Sempre que o drama acontece
A quem é jovem e puro,
Nossa vida vira inferno,
A nossa alma entristesse
E o dia-a-dia é tão duro,
Que nem um abraço terno,
De quem vive o nosso drama,
Traz a esperança que buscamos.

Ver alguém inconsciente,
Condenado a estar na cama,
Abafa a fé. Sufocamos
Uma prece impertinente,
Deixamos de acreditar.
Mas amiga, podes crer
Que, nesta vida de dor,
Tudo poderás esperar,
Quando num drama a vencer,
Grita mais alto o Amor.

Às bonitas palavras de Maria Letra eu gostaria de acrescentar:

Sempre que o drama acontece  com pessoas comuns como Flavia, Gabriel, Raphael, Jaqueline e tantas outras vítimas de ralos de piscinas, a justiça esquece. Pouquíssimos são os sobreviventes dos desvastadores acidentes causados por ralos de piscinas. E quem fica, não sobrevive só de amor.Custam caros os cuidados de Enfermagem, Fisioterapia, Cadeira de Rodas, Médicos, Cirurgias, Material Hospitalar, etc,etc...

Amor é importante sim, amor é fundamental  nos cuidados com quem sobreviveu à tragédia, mas é importante também lutar por JUSTIÇA! É importante não nos conformarmos com tanta insensibilidade,  com tanta impunidade. É preciso que junto ao grito de amor pelo nosso ente querido, cuja vida foi devastada por negligência de terceiros, se faça ouvir POR TODO O MUNDO, o eco de nosso grito de dor e INDIGNAÇÃO por uma uma justiça que não se faz presente, que por ser lenta, beneficia os culpados e pune as vítimas. Quantos anos as vítimas terão que  esperar até ver os seus direitos totalmente respeitados? E essa indiferença para com as vítimas, essa cruel lentidão, que nome tem, senão INJUSTIÇA?

Para quem ainda não assinou, peço que  assine a Petição on line por segurança nas piscinas clicando neste link ou na foto do ralo na barra lateral deste blog. Para minha filha esta lei já não terá utilidade, mas poderá ajudar muito a coibir futuras negligências e evitar  que outras crianças sofram acidentes com ralos de piscinas funcionando de forma irregular e  venham a ter o destino de Flavia.

Até o próximo post.
 

Meu nome não é Odete, como algumas pessoas escrevem nos comentários, é Odele, com L e não com T.
Obrigada.

15 comentários

  1. Oi Odele,

    Bom dia.

    Bem bonito este poema. Parabéns à autora ...

    e tens toda a razão em frisar sempre a Injustiça da lentidão da Justiça.

    Beijinhos
    isabel

    ResponderExcluir
  2. O poema é muito terno e parabéns à autora.

    Mas, tens toda a razão quando dizes:" Quantos anos as vítimas terão que esperar até ver os seus direitos totalmente respeitados? E essa indiferença para com as vítimas, essa cruel lentidão, que nome tem, senão INJUSTIÇA?" pode e deve e acredito que o Amor continuará, alavanca mais que preciosa para seguir numa luta sem tréguas, mas a revolta é tremenda e para a colmatar é bom sentirmo-nos "abraçados" numa de vamos em frente SEM PARAR!

    Beijos de força e coragem e oxalá que a petição atinja os seus objectivos.

    ResponderExcluir
  3. Devidamente assinado...

    Fiquem com Deus, menina Odele e menina Flávia.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  4. De facto, esse texto da Maria, minha compatriota, é um bonito gesto de ternura.
    Mas as tuas palavras, tão lúcidas e adequadas, são extremamente oportunas.
    Porque mostram que, para além dos sentimentos, do amor,da atenção, há toda uma realidade, crua e nua. Que envolve gastos, que consome recursos, materiais, físicos e psicológicos. E que não se compadece com todas as situações em que os responsáveis máximos pelos "dramas que acontecem" são apenas levemente tocados ou mesmo ilibados.
    Por tudo isso, há que não desistir de alertar para a obrigatoriedade de as leis serem adaptadas às realidades. Há que continuar a pugnar por uma justiça mais célere, mais perto dos cidadãos mais fracos e desprotegidos.
    E uma forma de o fazer é, por exemplo, assinar a peticão que aqui recordas.
    Nesta luta tu tens sido exemplar. Nessa luta continuaremos contigo.

    ResponderExcluir
  5. Sempre que posso venho aqui. Sou solidária ao seu sofrimento. Hoje gostaria de enviar-lhe um endereço, onde você poderá ler, tomar conhecimento e depois ponderar se gostaria de lá comparecer em busca de tratamento para sua filha. Caso não possa levá-la, existe a possibilidade do tratamento à distância. Em minha família já tivemos várias curas. Deus é pai, lembre-se sempre disso. Aí vai o endereço:http://www.espiritismodralonso.org.br/site/

    Espero sinceramente que você consiga o alento que procurar. Fique com Deus. Só para lembrar o tratamento de lá independe da religião que tivermos.

    ResponderExcluir
  6. Meu nome é Marilda, saiu como anônimo na mensagem anterior porque não possuo essas contas que pedem. Um abraço.

    ResponderExcluir
  7. Minha assinatura é de nº1007.Espero sinceramente poder ajudar o meu semelhante,apesar de não acreditar
    mais em nenhum ser humano.
    Espero que algum dia nosso sofrimento e de nossas filhas possam ser amenizados por Deus

    ResponderExcluir
  8. Querida Odele e Flávia,

    lindo esse poema...parabéns à autora.

    Mas como diz quem sofre e trata com amor precisa de alento para continuar essa dura prova e nada melhor do que a justiça feita para o descanso do guerreiro.
    Sei que nunca descansará, pois sua filha foi roubada do sonho lindo que é viver em consciencia participativa mas se conseguisse que essa jutiça deixasse de ser cega e fosse algo justa vc conseguia viver com maior tranquilidade de espírito.

    Há muito que assinei essa petição e espero que todos os que por cá passem e nos nossos blogs onde pedimos que assinem a mesma...assinem.

    Beijinhos com carinho e força sempre...

    ResponderExcluir
  9. Odele e Flavia: não esquecemos de vocês!

    ResponderExcluir
  10. Um lindo poema que merece os parabéns. A causa já mobilizou muita gente e espera-se que mobilize ainda mais.
    Cumps

    ResponderExcluir
  11. Odele,

    Pedi para todos que conheço que assinassem a petição que você menciona neste post. Espero que um pouco de justiça ainda seja feita.

    O poema é mesmo belo, não há dúvida!

    Um abraço verdadeiro!

    ResponderExcluir
  12. Odele, eu imagino sua dor, só imagino, pq na verdade meu filho se foi e nem sei como foi, minhas filhas não quiseram q fizesse necrópsia. Mas passados 9 anos e meio, ele iria fazer em abril 39, a dor é imensa e parece q aumenta com o tempo.
    Espero q vc aguente suportar esta dor e cuidar da Flavia como vc deseja. Eu sou do Rio, atualmente moro em Petropolis, mas me lembro de ler sobre o caso na época. Achei o seu blog por acaso e se quiser pode me escrever, para "falarmos" de coisas não tão dolorosas, nossas cabeças precisam de descanso, pois já são tantas as coisas q me fazem sentir falta do meu querido João. E vc tem tanto o q se ocupar. Com carinho, Lucia

    ResponderExcluir
  13. Odele,

    Sua batalha será vitoriosa e tudo, absolutamente lhe será esclarecido. Deus não coloca seus filhos no mundo, para simplesmente viverem. Creia nisso e siga neste exemplo de fé e amor pelo ser, pela filha amada.

    A justiça brasileira é fruto da mansidão do povo, da mentalidade corrompida pela maladragem. Muitos que condenam a justiça, a alimenta com dinheiro sujo.

    Abraço,
    Barreto

    ResponderExcluir
  14. Odele, andei viajando, mas ainda deu tempo de assinar e o fiz com dois endereços diferentes.
    Linda a poesia de Maria!
    Bjim pra ti e pra Flavinha.

    ResponderExcluir
  15. Querida Odele,li a reportagem acerca do seu drama e confeso que chorei e te admirei muito, pois Você colocou toda a sua força, verdade, impotência, desatino lá, dá para perceber esse sofrimento petrificado pelos "muros do silêncio da sua menina,te admiro sobretudo porque vc não arrefeceu,faz e fez tudo que pode e o que podia, isto sem dúvida te convoca a uma dignidade sem precedentes e espero que isto te console!! Olha sei pelo que li ( a sensibilidade da reporter foi preciosa) e vejo por aqui que sua menina era muito feliz, mas acredito que de algum modo ela sabe que continua amada e bem cuidada. O que posso falar para você é que sua humanidade e carinho de mãe é a coisa mais bela que vi ultimamente neste mundo cada vez mais insensível!
    abraçosss!!

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails