Este blog, criado em janeiro de 2007, é dedicado à minha filha Flavia e sua luta pela vida. Flavia vive em coma vigil desde que, em 06 de janeiro de 1998, aos 10 anos de idade, teve seus cabelos sugados pelo sistema de sucção da piscina do prédio onde morávamos em Moema - São Paulo. O objetivo deste blog é alertar para o perigo existente nos ralos de piscinas e ser um meio de luta constante e incansável por uma Lei Federal a fim de tornar mais seguras as piscinas do Brasil.

Cirurgia e a busca de qualidade de vida para Flavia

- 28 de setembro de 2009
Não bastasse minha filha ter sido vítima da incúria de uma empresa e de um condomínio irresponsáveis, não bastasse todo o sofrimento físico imposto à Flavia em decorrência desse acidente que lhe roubou a infância e lhe está roubando a juventude, algumas cirurgias tiveram que ser feitas ao longo dos anos, com o objetivo de dar à Flavia um pouco mais de qualidade de vida. Uma dessas cirurgias ocorreu em 2004.

Uma severa disfagia (incapacidade de engolir) levava Flavia a ter aspiração crônica de saliva, com risco de infecção pulmonar e insuficiência respiratória. Avaliada pela Otorrinolaringologista, Dra.Dayse Manrique, com Mestrado e Doutorado pela UNIFESP-EPM (*), Flavia teve indicação de passar pelos seguintes procedimentos cirúrgicos para a redução da saliva:
- Plástica do ducto de Stenon (bilateral)
- Ressecção das glândulas submandibulares (bilateral)

(*) A Unifesp/EPM (Universidade Federal de São Paulo/Escola Paulista de Medicina) é um dos centros de excelência na formação e titulação de profissionais na área da saúde no Brasil.

Mas por melhor que seja o médico, uma cirurgia sempre nos causa angústia. E diante da necessidade de mais um procedimento doloroso no corpo de minha filha fiquei angustiada. Para tomar minha decisão, eu quis conhecer duas meninas que foram – pelo mesmo motivo – operadas pela Dra.Dayse Manrique. Após ver essas duas crianças e conversar com suas mães, decidi por mais essa cirurgia em Flavia, pensando obviamente na redução das desconfortáveis aspirações a que ela era submetida. De 20 a 25 vezes ao dia uma sonda de aspiração traqueal era introduzida em suas narinas.

O resultado da cirurgia excedeu às minhas expectativas. Dra.Dayse Manrique, tão competente quanto delicada, além de ter diminuído a salivação de Flavia, não lhe deixou quase cicatriz no pescoço. O corte, uma linha fina e discreta, se confunde com a dobra do pescoço. Mal se vê a marca da cirurgia e desde então Flavia teve uma significativa melhora de qualidade de vida. A média de aspirações caiu para 8 a 10 ao dia.
E assim continuamos eu e Flavia, sempre em busca por dias melhores. É a esperança, algumas vezes vivida, no limite da exaustão.

Até o próximo post.

Meu nome não é Odete, como algumas pessoas escrevem nos comentários, é Odele, com L e não com T.
Obrigada.

26 comentários

  1. Odele,

    imagino sua angústia. Eu que já fiz 13 cirurgias, 7 só na minha perna, passei por um processo doloroso, não da cirurgia em si, mas da recuperação. Toda a família fica envolvida em preocupação. Mas assim como eu, Flávia só teve melhoras, isso é bom! Beijos, tudo de bom pra vocês!

    ResponderExcluir
  2. Olá Odele

    Proporcionar a Flávia melhor qualidade de vida é maravilhoso de sua parte. Como admiro você por sua força e amor com sua filha.
    Sempre mostro para minhas filhas os posts que você escreve sobre sua Luta com Flávia e depois disso elas passaram a ver a vida de outra maneira. Te agradeço muito por isso.

    beijos

    Rose

    ResponderExcluir
  3. Missão árdua, mas cheia de amor.
    Minha filha, fez dez cirurgias devido um implante de dente mal feito, e a cada cirurgia ficava super aflita.
    Imagino sua angustia. como você deve ficar, devido a todo esse historico de luta, trabalho e preocupação que cercam essa familia.
    Bjs querida. Fiquem com Deus e uma semana de luz pra todos.

    ResponderExcluir
  4. Mais um post revelador do infinito desvelo com que tens tratado a nossa querida Flavia.
    Parece inesgotável a tua capacidade de rodeares a tua filha dos melhores cuidados, dos técnicos de saúde mais competentes, no sentido de se minorarem os danos que o absurdo e criminoso acidente lhe tem provocado.
    Esta cirurgia que aqui nos desvreves, reforça essa ideia.
    Nós, que te acompanhamos e que já conhecemos muitas das rotinas do acompanhamento da Flavia, ainda não sabemos tudo. E estes dados que nos vais acrescentando, mostram que há recursos da medicina que, devidamente usados, podem, como dizes, melhorar a qualidade de vida de alguém que sofre, mesmo que essa melhoria possa parecer insignificante a uma pessoa menos atenta ou menos sensibilizada.
    Mas eu sei o que significam essas operações de aspiração de secreções.
    Traumatizantes para quem as sofre e para quem as executa.
    Tu, de facto, fazes o possível e o impossível para proporcionares à Flavia, as melhores condiçoes que se possam criar-lhe.
    E sabemos que assim farás sempre.
    Mesmo que a esperança, algumas vezes, seja vivida, no limite da exaustão.

    ResponderExcluir
  5. Odele,
    Há que acreditar sempre que a forma rapida como a medicina evoluiu, ainda poderá vir a trazer à Flávia cada vez mais qualidade de vida.
    Bjo.

    ResponderExcluir
  6. Semelhante decisão minha amiga, por sorte tudo saiu de maravilhas, a doutora realizou uma cirurgia que não deixou marcas.
    Nossa Flavia está preciosa e sigo com minha esperança, a esperança de que volte não se acabará nunca...

    Montões de abraços e beijinhos às duas

    ResponderExcluir
  7. Mais um abraço por sua luta contínua em busca da qualidade de vida de Flavia.

    ResponderExcluir
  8. Nossa, não sabia que havia tantos cuidados para dar qualidade de vida, ainda me lembro do post que você passava pomada e trocava a Flavia de posição para não dar assadura...

    Fiquem com Deus, menina Flávia e menina Odele.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  9. olá, Odele,
    mais uma vez um lindo post, que nos fazer admira-la mais e mais pela sua luta!

    Abraços para ti e para Flavia!

    ResponderExcluir
  10. O que uma mãe não faz pelo seu filho, e este teu relato, possivelmente bem doloroso de ser recordado pois não sabias os resultados, é prova do teu empenhamento que resultou..."É a esperança, algumas vezes vivida, no limite da exaustão."

    Só lamento que o dono ou donos da JACUZZI, ilibados na justiça não tivessem tido UMA PALAVRA DE APREÇO, UM RECONHECIMENTO PRESENCIAL, DE HUMANISMO E SOLIDARIEDADE, já que pelo que julgo saber, Flavia é a única sobrevivente de casos semelhantes!

    Obrigado por mais esta tua partilha e a minha vénia à Dra. Dayse Manrique pelo seu profissionalismo.

    Para ti e para a tua/nossa menina, aquele abraço de sempre e para sempre.

    ResponderExcluir
  11. Deve ser muito sofrido para si. Eu já fiz dez cirurgias, e uma delas em 2006, por causa da apneia do sono, foi horrorosa. Tiraram-me a Úvula, levantaram o céu da boca, e cortaram as amígdalas. Levei três meses sem conseguir comer. Só líquidos por palhinha. E o pior é que não serviu de nada, e tenho que dormir sempre com uma máscara, ligada a uma máquina.
    Falo disto por pensar que a recuperação da Flávia não deve ter sido fácil, mas se melhorou a qualidade de vida dela, valeu a pena.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  12. As vezes me pergunto se os responsaveis nunca leram teu blog...coração duro devem ter...para negar as evidências...só DEUS mesmo para não deixar que te falte forças¨!Desculpa Odele pela minha ausencia aqui,mas leio sempre nos feeds...

    um abraço

    ResponderExcluir
  13. Odele, imagino a angústia para decidir. Ótima a sua decisão, pois deu mais qualidade à vida de Flávia. Quase não se nota a cicatriz: se vc. não tivesse chamado a atenção, eu não notaria nada. As vidas de vocês são grandes lições para a gente. Há no meu blog (antepenúltimo post) um jovem, André, que pede pede por suas orações. Reze por ele também.
    Grande abraço solidário.

    ResponderExcluir
  14. Odele

    Acho que coloquei o comentário no "post" errado, por isso vou repetir aqui:

    "Estou comovida com este seu blogue.
    Haver pessoas com um problema tão grande como o seu e da sua filha Flávia, que ainda têm a generosidade de se preocupar com os mais infortunados, que ainda tem a delicadeza de aqui expor elogios à médica que operou a sua filha, que activamente luta por justiça e por melhor legislação para a prevenção de acidentes como o que aconteceu à Flávia,
    digo-lhe, Odete, dá-me mais esperança na humanidade.
    Bem haja, e que sua filha melhore sempre.
    Um beijo, um abraço, e um obrigada."

    E agradeço também ter colocado no seu blogue o link para a campanha da WFP contra a fome no Sustentabilidade É Acção.

    Beijos para si e para a Flávia

    ResponderExcluir
  15. Odele
    Desculpe ter escrito Odete, mas foi só à segunda, na primeira não me enganei...
    Beijos

    ResponderExcluir
  16. Odele, quem sou eu para receber sua visita em meu blog com palavras tão carinhosas? Saiba que te linkei por querer divulgar a todos a sua causa, a sua luta e o seu amor pela Flávia. Dizem que nós, mães, temos o coração batendo fora do corpo. O seu é grande, generoso, paciente e lúcido. Estou sempre aqui acompanhando o seu desmesurado amor pela sua filha e tens a minha prece sempre. Conte comigo. Há coisas que só Deus explica e força que não se sabe de onde vem. Isso vale para pessoas iluminadas como você.
    Um abraço de quem te admira muito,
    Mária

    ResponderExcluir
  17. Odele, e, quanta esperança, quanta garra, quantas angústias também, não?
    Força amiga, força, Flavinha está contigo e isto é o amor falando mais alto.
    Beijos ...
    Eliana.

    ResponderExcluir
  18. Odele, nem precisas falar em exaustão, apenas lendo o teu relato, bem como dos outros posts deste blog, imagina-se a tua luta.
    Que Deus te dê sempre forças para superar todas as etapas da vida.
    Beijos

    ResponderExcluir
  19. Dona Odele, me chamo Dannielle, encontrei seu blog, e tô com o coração apertadinho por tudo que vi e eli aqui, e o mais impressionante de tudo isso é esse amor incondicional e esse cuidado, não tenho filhos ainda, sou casada há oito anos, mas pretendo ter um dia e acredito que um dia saberei o que é um amor de mãe e filho, enquanto esse momento não chega, fica a senhora como refência do que o Amor incondicional de uma mãe, saiba que a partir de hoje terá uma pessoa aqui em Manaus orando por vocês duas e tenho fé em Deus que essa sua luta e da Flavinha, mesmo que incosciente não será em vão, saiba que Deus nos dá o frio conforme o cobertor, portanto acredito que nada nessa vida é por acaso.

    Mil bjus

    Ah deixarei o link do meu blog aqui.
    http://blogdocasalzinho.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  20. Odele,
    É sempre uma emoção vir aqui e ler tudo o que você escreve sobre sua filha. O seu desvelo para com ela é algo que nos ensina o que significa ter grandeza de espírito e amor sem limites. Você é um exemplo para os que fraquejam diante das adversidades! Fico feliz que a cirurgia tenha minorado um pouco o sofrimento da Flávia e torço pra que, com o passar do tempo, ela não necessite mais fazer as tais aspirações, que a incomodam tanto.
    Que Deus continue a lhe dar forças!
    Um beijo em cada uma.

    ResponderExcluir
  21. Toda a minha ternura para vocês. Beijos.

    ResponderExcluir
  22. Odele

    Aprendendo cada dia mais, sobre um paciente em coma.

    E cada vez mais, vendo seu desvelo e carinho com Flavia.

    Odele,vc e uma licao de vida para nos.

    Beijinhos para vcs duas.

    Bom domingo e boa semana.

    ResponderExcluir
  23. Naot enho palavras apra te definir.Sei apenas que vc é MINHA ÍDOLA.MINHA DEUSA, MINHA FONTE DE MAIOR INSPIRACAO.BJS E DIAS FELZIES PARA AS DUAS

    ResponderExcluir
  24. Parabéns para a médica, Odele.Que Deus a ilumine, sempre

    ResponderExcluir
  25. Odele

    Não sei o que te diga. Estas cirurgias e estas procuras da qualidade de vida possível, angustiam-me sobremaneira.
    Depois de perderes o bem mais precioso que seria o de teres uma filha a viver uma vida normal, depois de desistires de tudo pela dedicação à tua filha ainda reservas um mundo de generosidades para com os outros.
    Tens-me ensinado tanto Odele!...
    As melhoras para Flavia.

    Abraço

    ResponderExcluir
  26. Não posso imaginar a sua dor, embora esteja soldário.Li a sua entrevista em uma revista, li observação feita por evangélico dizendo que se estivesse na igreja Deus já teria devolvido os movimentos à sua filha, talvez sim, talvez não, pois Deus cura quem quer e quando quer, entretanto, confie em Deus, na sua misericórdia, pois Ele é poderoso para fazer e tem planos maravilhosos para cada um de nós.Não blasfeme, ore e espere o tempo do Senhor. Deus é bom!

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails