Este blog, criado em janeiro de 2007, é dedicado à minha filha Flavia e sua luta pela vida. Flavia vive em coma vigil desde que, em 06 de janeiro de 1998, aos 10 anos de idade, teve seus cabelos sugados pelo sistema de sucção da piscina do prédio onde morávamos em Moema - São Paulo. O objetivo deste blog é alertar para o perigo existente nos ralos de piscinas e ser um meio de luta constante e incansável por uma Lei Federal a fim de tornar mais seguras as piscinas do Brasil.

A vida escoando por um ralo

- 24 de março de 2009

Foto retirada da matéria A VIDA POR UM RALO da Revista VIVER BRASIL.

A Revista VIVER BRASIL de Belo Horizonte (MG) publicou hoje uma importante matéria sobre mortes e acidentes graves causados por ralos de piscinas. A reportagem é da jornalista Daniele Hostalácio. A matéria, com fotos, é bastante esclarecedora e entre outros, cita o caso de Flavia. O texto pode ser lido em sua íntegra no link da Revista VIVER BRASIL - A VIDA POR UM RALO.

"Gabriel Antônio Martins tinha 9 anos de idade e morava em Franca, interior de São Paulo. Jaqueline Resende dos Santos de Almeida tinha 14 e era da Bahia. Com intervalo de apenas um mês, as duas crianças se despediram da vida quando estavam se divertindo dentro da água.
Morreram em circunstâncias parecidas, vítimas dos sistemas de sucção das piscinas onde nadavam. Tais mortes, que se acumulam a cada ano em todo o mundo, poderiam ser evitadas com cuidados muito simples, tanto por parte de quem constrói e mantém uma piscina – clubes, hotéis e mesmo particulares – como por parte dos fabricantes de equipamentos como ralos e bombas hidráulicas. Embora não sejam as únicas vítimas, as crianças têm sido as mais atingidas por acidentes como esses, quase sempre com finais trágicos.

Um dos casos mais conhecidos no Brasil é o de Flávia, que está em coma vigil desde que se acidentou na piscina do prédio onde morava, em Moe­ma, zona sul de São Paulo, onze anos atrás..... .

“Minha filha vive, desde então, à margem da vida. Decidi transformar essa dor, que está tatuada na minha alma, em algo produtivo. Por isso criei o blog ‘Flávia Vivendo em Coma’ (www.flaviavivendoemcoma.blogspot.com). Um dos principais objetivos é alertar as pessoas sobre os riscos que os ralos de piscina podem representar. Meu desejo é evitar que mais tragédias como essa, que destruiu a vida de minha filha, e também a minha, continuem acontecendo”, declara.

As causas de acidentes por sucção nas piscinas estão associadas a ralos destampados ou com tampas quebradas, por falta de manutenção, e ao desrespeito às normas da ABTN para construção de piscinas”, afirma o empresário e vice-presidente da Associação Na­cional dos Fabricantes e Cons­tru­to­res de Piscinas e Produtos Afins (Anapp), Augusto César Araújo. Entre as normas determinadas pela ABTN, está uma velocidade máxima de sucção e a exigência de um mínimo de dois ralos de fundo. “Ao construir uma piscina, essas normas precisam ser seguidas. Além disso, jamais seu motor bomba deve ser trocado, sem que haja uma cuidadosa orientação técnica”, afirma. Mas esses cuidados, lembra Augusto, não surtem efeito se não for feita a manutenção dos equipamentos, já que o simples fato de a tampa de um ralo de fundo estar solta pode causar acidentes graves. O que acontece nesses casos é que a potência de sucção se torna maior, pois ela é proporcional à área da tampa.

Foi um descuido como esse que matou o menino Gabriel, de Franca, em dezembro último, e quase matou o filho do empresário Jonatas Abbott, Gustavo, na época com 7 anos de idade, em outubro de 2007. ...... A criança sabia nadar e já havia mergulhado diversas vezes na água, quando, numa dessas investidas, teve o braço sugado pelo ralo, até o ombro, a uma profundidade de 1,80 metro. A força de sucção foi tão grande que Jonatas avalia que, se não houvesse alguns adultos por perto, naquele momento, não teria sido possível salvar Gustavo. “O primeiro adulto que tentou arrancá-lo do ralo não conseguiu, pelo fato de a força da bomba ter provocado um inchaço na altura do cotovelo do meu filho. Foi então que um deles teve o lampejo de abraçar o Gustavo por trás e apoiar os dois pés no fundo da piscina para, com toda a força, arrancá-lo de lá. Ele me contou que quando o Gustavo saiu, parecia uma rolha de Champanhe, tal a maneira como estava preso”, relata Jonatas.

Para se evitar acidentes como esses, estão surgindo no mercado alguns equipamentos que visam aumentar a segurança dentro das piscinas. Um deles é uma válvula antivácuo, que faz com que a bom­ba desarme quando sua pressão interna é aumentada – fenômeno que acontece quando alguém ou algo é sugado pelo ralo e obstrui a passagem de água. Outro produto é um ralo anti-hair, que evita que o cabelo seja entrelaçado na grade de proteção.

Quando isso acontece, sempre há morte, porque não adianta tentar puxar a pessoa, já que os cabelos dão um nó na grade. A única saída seria cortar os cabelos, e nunca há tempo para isso”, observa Augusto, que conta que uma nova lei entrou em vigor nos Estados Unidos, em dezembro passado, obrigando todas as piscinas públicas ou comerciais daquele país a adotarem esse equipamento. Entre 1999 e 2007, ocorreram 74 acidentes em ralos de piscinas nos Estados Unidos, totalizando 63 feridos e 9 mortes. “As pessoas precisam se conscientizar do real perigo que os ralos de piscina podem representar.

"Os fabricantes desses equipamentos, principalmente, têm papel fundamental nisso, porque o usuário não tem como saber se a piscina é segura ou não”, acredita Odele, mãe de Flávia. “Penso que se minha filha não morreu, e ainda está aqui, é porque a presença dela pode ajudar nesse alerta.”

Obs: Os negritos do texto são meus.
Até o próximo post.

Meu nome não é Odete, como algumas pessoas escrevem nos comentários, é Odele, com L e não com T.
Obrigada.

26 comentários

  1. Pode ajudar e muito, Odele. Nunca será demais falar no perigo e nos cuidados que devem ter os construtores de piscinas e a manutenção que deve ser feita e a fiscalização que tem que existir!! Muitos beijos por toda a tua luta. Nossa também.

    ResponderExcluir
  2. Os objectivos deste teu blogue são pétalas ao vento que onde caem, germinam em novas plantas de "alertas e prevenção" e adorei ler este artigo.

    A tua/nossa Flávia está aí, está aqui, acolá, mais além "é porque a presença dela pode ajudar nesse alerta" e a prova está neste artigo onde se alvitra a possível obrigatoriedade do sistema de uma válvula antivácuo.

    Por cá volto a repetir o que em tempos confirmei "in loco", as bombas de sucção estão desligadas enquanto usadas pelos utentes...mas nas particulares e em casa de cada um não sei!

    Aquele xicoração paertadinho cheio de carinho por vós

    ResponderExcluir
  3. Que ainda hoje se utilizem esse tipo de bombas de sucção, é uma inconciencia!!!...por que deixar que os meninos morram atrapados???, tudo o que serve de prevenção não é tomado em conta. Como te digo sempre meu bellísima amiga, fazes um grande labor difundindo-o!!!
    Muacksss para Flavita e para ti meus abraços!!!

    ResponderExcluir
  4. Odele,

    Acho de grande valor esclarecedor e informativo reportagens como essa. São um alerta que pedem um pouco mais de cuidado.
    Beijos carinhosos a vocês duas...
    Cris

    ResponderExcluir
  5. Odele
    querida mãe coragem vale sempre a pena gritarmos contra as injustiças.
    No teu casa tens alertado muitas pessoas.
    Por exemplo eu que tenho um filho com 16 anos e que aprendeu a nadar dos 3 aos 10 nunca me apercebi do perigo que ele corria e como ele muitas crianças em todo o mundo
    Obrigado Odele por existires e com o teu testemunho e a tua força
    lutares.
    O meuvoto de solidariedade para ti,
    CHUAC para ti e para flávia

    ResponderExcluir
  6. ODELE

    Esse assunto é infinito,quantos casos vc não poderá evitar ao chamar atenção ao fato?


    beijo na minha fada!

    ResponderExcluir
  7. Mais um excelente e oportuno post, pois nunca é por demais insistir nestes alertas que podem salvar vidas.
    O vice-presidente da Associação Na­cional dos Fabricantes e Cons­tru­to­res de Piscinas e Produtos Afins sabe, evidentemente do que fala.
    Esses dispositivos, tais como a vávula antivácuo, são essenciais e já há muito deveriam ser obrigatórios. Mas, ainda mais importante, será o cumprimento das normas legais que terão de ser, periodicamente actualizadas, tendo em conta, não só os novos conhecimentos sobre a matéria entretanto adquiridos, como a experiência que se vai recolhendo com os acidentes que, infelizmente, ainda vão ocorrendo. Pois se a própria ABTN impôe normas que têm de ser respeitadas...
    Retenho esta frase de Augusto César Araújo : Ao construir uma piscina, essas normas precisam ser seguidas. Além disso, jamais seu motor bomba deve ser trocado, sem que haja uma cuidadosa orientação técnica.
    Esta frase é decisiva para a compreensão do conjunto de negligências que vitimaram a Flavia. Umas já punidas, outras, infelizmente, não consideradas.

    ResponderExcluir
  8. A imagem diz tudo. Muito forte.
    Passei pra deixar um beijo pra voce e pra Flavinha.
    Muita luz e Paz.
    Bjs no coração

    ResponderExcluir
  9. Você é uma grande mulher.Seu sofrimento é o mais produtivo que já vi na minha vida.Deus a acompanhe em sua jornada.Beijo em Flavia.

    ResponderExcluir
  10. Odele! Muita força e luz para vocês duas.
    Cada dia vem mais informações a respeito dos ralos de piscina.
    Bastante explicativo o post acima.
    Beijos no coração de vocês duas.

    ResponderExcluir
  11. Querida Odele, simplemente que sepas que me acuerdo de ti y Flavia, y siempre os tengo muy presente, paso a dejarte un beso y un abrazo enormes y todo mi cariño.

    ResponderExcluir
  12. Soy Yoly de Argentina, tengo a mi hija Carina con epilepsia refractaria y vimos tu blog , realmente quedamos emocionadas y conmocionadas, les mandamos nuestra mayor energìa y nuestro corazón

    ResponderExcluir
  13. Odele

    O texto "A vida por um ralo" é por demais elucidativo sobre as responsabilidades dos fabricantes na concepção, instalação e vigilância destes equipamentos. O vice-presidente da Associação Na­cional dos Fabricantes e Cons­tru­to­res de Piscinas e Produtos Afins foi bem claro na explicação que nos deixa.
    Por isso o caso de Flavia não é apenas um caso singular. Ele representa todas as vítimas da incúria quer no que respeita às normas de segurança na construção das piscinas quer no que se refere à sua manutenção e/ou alteração de algo que interfira com as referidas normas.
    Nesta perspectiva não se percebe como é que a empresa Jacuzzi sai ilibada do processo.
    Há crimes com dolo e outros sem dolo mas recordo que há muitos anos um chefe de estação de Austerlitz (França) provocou, por negligência, um grave acidente ferroviário. Esse homem cumpriu muitos anos de prisão pese embora o facto de não ter desejado o acontecimento. E então a Jacuzzi sai sem uma beliscadura deste processo como se algo de tão grave em nada lhe dissesse respeito? Haverá neste mundo uma justiça para os mais fortes e outra para os mais fracos? Não há forma de inverter o processo?
    Que direitos humanos são sonegados?


    Abraço

    ResponderExcluir
  14. Odele, passa no meu blog que deixei um presentinho para ti.
    Beijos no teu coração.

    ResponderExcluir
  15. Odele, grande mãe e lutadora incansável, que Deus te dê forças para continuar nesta luta de esclarecimento, para assim, evitar novas tragédias provocadas pela displicência como estas que aconteceram.
    Beijos para ti e para Flavinha.

    ResponderExcluir
  16. Minha querida Odele
    sempre mãe coragem, muita forca luta luta sempre não baixes os braços os responsáveis vão ser punidos. os Homens esquecem-se muito da justiça Divina
    beijão grande
    para ti e um grande chuac paea a Flávia

    ResponderExcluir
  17. Odele. Lendo a matéria e tudo o que já se escrveu sobre estas tragédias e, em especial, sobre Flavinha, a gente pensa: sai tão pouco pras Jacuzzi da vida instalar um equipamento a mais para segurança, não é mesmo? Mas a ganância é triste e a lei, como se sabe, usa aquela tarja nos olhos. bj

    ResponderExcluir
  18. Odele

    O blog de Flavia, ajuda a conscientizar a todos do perigo do ralo e piscinas.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  19. Odele,
    teu blog é fundamental para esclarecer e evitar acidentes futuros! Faz um alerta importante sobre os cuidados que as empresas devem ter na hora de vender algum ralo de piscina!
    Beijos Odele... Para ti e Flávia :)

    ResponderExcluir
  20. Odele
    tenha fé, acredite que sua filha ainda vai se recuperar, existem pesquisas com células tronco e com certeza a sua filha terá uma vida normal em breve, acredite

    ResponderExcluir
  21. Juliana Romagnoli22 novembro, 2009

    Odele,
    Impressionou-me a sua história e a de Flávia. Queria poder afirmar a vc que Flávia sente, ouve e percebe tudo ao seu redor. Eu creio nisso, embora não possa comprovar. Por mais que Flávia não esboce reações significativas,Odele guerreira, tenha certeza de que a alma que a habita tem ciência de toda a sua dedicação e amor maternal. Não questione os desígnios de Deus. Por trás das dificuldades, da dor, do sofrimento jaz oculta a bondade Dele. Persista!
    Receba as minhas palavras com carinho. Abraços, Juliana Romagnoli

    ResponderExcluir
  22. Odele,

    Vc e uma vencedora. Vc emociona as pessoas com uma historia triste, onde vc poderia ou deveria reclamar da vida, mas nao, vc prefere transformar tragedia em triunfo, usando o q aconteceu com sua querida filha pra alertar outras pessoas sobre o perigo destas bombas na piscina. Vc e abencoada por Deus, e sua filha e um anjinho e tenho certeza q vc faz o certo, pois o coracaozinho dela continua batendo, e mesmo adormecida, ela e uma filha querida de Deus, e pro lado Dele ela ira, qdo assim for Sua vontade. Vc e uma linda pessoa, um ser humano abencoado. E q Deus esteja com vcs!!!

    ResponderExcluir
  23. Olá Odele

    Eu sou Moçambicana vivo na cidade do Maputo, a sua historia é emocionante e vc é uma mae muito carinhosa. Nao pare de lutar eu tenho fé que a Flávia um dia voltará a sorrir. Vamos orar e deus ouvirá os nossos pedidos.

    Manuela

    ResponderExcluir
  24. Oii Odete lamentavel tudo isso jamais imaginei que um ralo poderia causar tudo isso,bem você é uma grande mãe um exemplo de pessoa,digna de muito orgulho de quem te conhece,continue essa luta grande em nome do amor que tem a filha que por sinal é uma princesa linda..
    Bjos Sandra Brasil
    Rio Grande do Sul

    ResponderExcluir
  25. Odele,
    Só mesmo o amor de uma mãe para criar a força necessária para não esmorecer nessa sua luta.
    Não se cale, torne seu grito maior, cada dia mais agudo, cada dia mais potente, com a ajuda de tantas pessoas quantas possam ecoar sua voz pelo mundo inteiro. Diga ao mundo como pode agir uma mãe perante a lamentável negligência e irresponsabilidade de uma empresa que se diz séria. Como pode agir uma mãe perante uma justiça que não atende aos injustiçados, que é morosa, ultrapassada e inadequada.
    Ela pode agir não se calando, não desistindo, não deixando que a façam de boba. E não tente explicar-lhes o quão rica rica você jamais poderá ser outra vez, mesmo que receba o NECESSÁRIO para dar conforto a Flávia na "vida" que lhe restou viver depois do acidente.
    Não tente, porque eles não sabem o que vale uma vida, uma vida toda pela frente, cheia de sonhos, alegrias e possibilidades. Vida que eles ceifaram e teimam em limitar ainda mais...
    Fique com Deus! Você encontrou mais um eco na sua voz!

    ResponderExcluir
  26. Ah sinto muito mesmo pela sua filha,sei que isso poderia acontecer com qualquer um de nos Odele li a materia na revista veja e me emocionei muito ,eu adoro piscinas de hoje em diante nem sei se terei coragem de entrar eem uma ,mais tomareei muito cuidado,que Deus te de muita força para que um dia a Flavia volte a viver sua vida normal ,e que os verdadeiros culpados paguem pelo o que fizeram ,e que a justiça seja feita o mais rapido possivel,e que um dia voce ainda possa escutar a voz da Flavia.um abraço fique com deus

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails