Este blog, criado em janeiro de 2007, é dedicado à minha filha Flavia e sua luta pela vida. Flavia vive em coma vigil desde que, em 06 de janeiro de 1998, aos 10 anos de idade, teve seus cabelos sugados pelo sistema de sucção da piscina do prédio onde morávamos em Moema - São Paulo. O objetivo deste blog é alertar para o perigo existente nos ralos de piscinas e ser um meio de luta constante e incansável por uma Lei Federal a fim de tornar mais seguras as piscinas do Brasil.

MINHA ENTREVISTA NO BLOG DESAFABO DE MÃE.

- 20 de janeiro de 2008
O blog Desabafo de Mãe (*) publicou no dia 12 de Janeiro recente, uma entrevista comigo, feita por e-mail. Para quem não teve oportunidade de ler, transcrevo aqui essa entrevista quase na íntegra, por que acho que minhas respostas poderão esclarecer dúvidas de muitas pessoas com relação ao perigo dos ralos de piscinas.”

Entrevista - Um blog que denuncia em busca de Justiça
É com muita honra que publico nossa primeira entrevista por aqui. E quem é responsável por essa seção é nosso repórter paranaense de Guarapuava, Samilo Takara, que não é pai, mas adora conhecer gente e tem prazer enorme em falar sobre a sociedade. Nossa primeira entrevistada é a Odele Souza, do blog Flávia vivendo em coma , que resolveu explorar a internet para alertar aos pais sobre os perigos dos ralos da piscina, que foram responsáveis pelo estado de coma da sua filha Flávia.

Ela conta que leu uma reportagem sobre o poder de comunicação dos blogs e acreditou que o meio poderia ajudá-la a divulgar o caso pela imprensa. Isso até aconteceu, mas não houve interesse necessário para dar continuidade ao tema conforme acredita Odele. Talvez, porque a imprensa ainda não percebeu que há muitas mães na internet denunciando as injustiças e mazelas do nosso País. Motivo? O poder dos blogs está na sua rede de interlocutores. Se nós (mães e pais) deixamos de citar outra mãe, ou não temos interesse em conhecê-las, ficamos perdidas no mar de informações da blogosfera e, assim, deixamos de ser uma rede de mais de 370 blogs com interesses comuns. É responsabilidade nossa citar essas mulheres( e homens), classificá-las nas tags, colocá-las na lista de blogs, ler seus blogs e trocar nossas experiências. Só assim seremos, enfim, uma blogosfera de mães.

Quem não conhece a história da Odele, que relata o acidente da Flávia com objetivo de "protestar contra a lentidão da justiça brasileira e alertar para o perigo dos ralos de piscinas", se surpreenderá com a força dessa mulher. A filha dela tinha apenas 10 anos quando seus cabelos foram sugados pelos ralos da piscina do condomínio, onde a família morava no bairro Moema, em São Paulo. Foi retirada da piscina e levada para a UTI do Hospital Santa Isabel, em coma. E assim permanece já há dez anos. "Flavia segue inconsciente, em coma vigil. Abre os olhos durante o dia e os fecha à noite. Mas não interage com o meio ambiente e é completamente dependente para toda e qualquer atividade da vida. Ao longo dos anos, devido ao tempo em que fica imóvel vem adquirindo deformidades severas que torna o quadro ainda mais doloroso e difícil de cuidar", conta Odele.

Veja algumas respostas da Odele neste bate-papo via email:
1- Quais são os pontos que os pais devem estar atentos antes de deixar o filho mergulhar na piscina?
Odele Souza: Na verdade, não acho que os pais é que tenham que ficar constantemente em estado de atenção. As crianças assim como os adultos vão a uma piscina para se divertir, para se distrair e não teriam que ficar tensos e preocupados com o perigo de um ralo mal instalado na piscina e fora dos padrões de segurança. Essa preocupação deveria ser primeiro do fabricante do ralo da piscina que deveria ter tido a responsabilidade de vender o equipamento ali instalado dentro das dimensões e potência corretos ao tamanho daquela piscina. Segundo, o administrador da piscina, também tem por obrigação vistoriar se o equipamento de sucção está instalado e funcionando corretamente. Infelizmente, pelo número de acidentes que venho documentando no blog de Flavia com ralos de piscinas funcionando de forma irregular, percebe-se que nem o fabricante nem o administrador da piscina vêm tendo esse cuidado. Portanto, eu diria aos pais que não tirem os olhos de seus filhos enquanto eles estiverem dentro de uma piscina.
2-Neste período, muitas famílias estão saindo de férias, indo para piscinas e para clubes. Você tem alguma recomendação?
Odele Souza: Eu gostaria muito que o acidente ocorrido com Flavia fosse capa de uma revista de grande circulação, neste mês de Janeiro, em que completa 10 anos que um ralo de piscina lhe sugou os cabelos e lhe deixou em coma irreversível. Seria um alerta para as pessoas que neste mês de Janeiro, por ser um mês de muito calor no Brasil, freqüentam mais as piscinas.
3-Você tem algo que gostaria de dizer a Justiça, ou as mães deste país, sobre o acidente de Flávia?
Odele Souza: À Justiça, eu diria que justiça lenta é uma justiça injusta. Justiça lenta beneficia os culpados e pune as vítimas. Enquanto isto ocorrer, a negligência beneficiada pela impunidade vai continuar a causar vítimas de acidentes com ralos de piscinas. Às mães eu diria que se tiverem a infelicidade de passar pelo que eu venho passando, por favor, não se calem. Protestem, denunciem, GRITEM. Um dia alguém poderá nos ouvir.
4-Qual foi a sentença final do julgamento? Quanto tempo dura essa ação
Odele Souza: O processo de Flavia está na Justiça paulista há NOVE ANOS. Nesse período aconteceram dois julgamentos. O primeiro cinco anos após iniciado o processo, e foi concedido à Flavia R$ 52 mil reais de indenização. No segundo, mais dois anos após, concederam mais 52 mil. Ou seja, 104 mil reais de indenização para eu cuidar de Flavia pelo resto de sua vida. Recorri das duas sentenças e agora, o processo de Flavia deve seguir para Brasília onde será julgado em última instância.
5-Como o blog ajudou você e a Flávia?
Odele Souza: A melhor ajuda que o blog de Flavia poderia trazer seria o interesse da mídia convencional em divulgar este tipo de acidente, exatamente para alertar as pessoas do perigo de ralos de piscinas mal instalados. Infelizmente até agora isto não aconteceu. Mesmo assim o blog me ajuda, pois me faz bem saber que o caso de minha filha pode alertar outras pessoas para o perigo dos ralos de piscinas e com isto evitar novos acidentes com esses ralos sugadores. O maior acesso ao blog de Flavia aconteceu em 17 de Dezembro de 2007, quando através de uma Blogagem Coletiva, participaram em média 200 blogs e o número de acesso diário chegou a 300. Depois disso a média de acesso, gira em torno de 150 a 200/dia, incluindo blogs do Brasil e do exterior.
6-Você já encontrou casos parecidos com o de Flávia? O blog ajudou esse contato e troca de experiências?
Odele Souza: Sim, venho encontrando muitos casos parecidos com o de Flavia, no Brasil e no mundo, e procuro mostrá-los no blog dela. Já a troca de experiência é difícil porque normalmente as pessoas se fecham e não querem muito contato.
7-Como a imprensa abordou o caso?
Odele Souza: Esta é uma lacuna, uma falha da mídia convencional que normalmente só mostra interesse por uma notícia, no momento em que ela ocorre. Foi assim com Flavia. No momento do acidente, há 10 anos, o prédio onde morávamos em Moema era cercado por jornalistas querendo noticiar o acidente. Saíram reportagens no jornal "O Estado de São Paulo", "Folha de São Paulo" e mais tarde "Jornal da Tarde". A TV Bandeirantes também fez uma reportagem na época. Depois disso, foram atrás de notícias mais recentes. Mais recentemente, em março de 2007, a TV Record fez uma reportagem usando o caso de Flavia para falar da lentidão da Justiça Brasileira e do perigo dos ralos de piscinas. Foi só. Minha opinião é que a mídia teria o dever de fazer um 'follow up' das situações que noticiam, para mostrar à sociedade o que aconteceu em cada situação por ela noticiada. Seria uma prestação de serviço da mídia à sociedade. “
Postado por Ceila Santos às 03:07

Colhi alguns comentários deixados lá no Desabafo de Mãe.
Eliana disse...
Me solidarizo com a Odele nessa sua difícil e penosa caminhada. A Flávia não pode estar passando por isso em vão. Pena que a morosidade da nossa "justiça" imponha regras tão duras para quem já vem sofrendo há tanto tempo. Infelizmente e, como quase tudo nesse país, a negligência é a forma mais prática de apaziguar a consciência rasa dos nossos políticos. Samilo, continue interessado e investigativo. Parabéns pela iniciativa. Eliana - Mogi Guaçu –SP (**)

Fernanda disse...
Através do caso da Flávia eu comecei a ficar de olhos mais abertos e alertar outras mãe para que exijam a manutenção seja no condominio, na escola e ou no clube.Na escola da minha filha exigi isso a coordenadora só deu aquele "tudo bem" que a gente sabe que foi só pra não dizer: "até parece que vou cuidar dessa bobagem"No dia seguinte levei o endereço do blog da Flávia e disse a ela que lesse e que não deixasse isso acontecer novamente com outras crianças. Quando ela leu, me ligou e pediu desculpas por ter ignorado algo que ela nem sabia do que se tratava e da importancia que tem.


(* ) No Blog Desabafo de Mãe, Ceila Santos, Samantha Shiraishi, Manoel Gonçalves, Sueli Sueishi e Lucia Freitas, exploram bastante o universo mães/pais/filhos. É um blog que vale a pena visitar.

(**) Eliana – Mogi Guaçu – SP. Espero que você leia este post. Você tem sido uma leitora assídua do blog de Flavia, tem deixado sempre comentários e leio comentários seus sobre Flavia, em outros blogs. Você tem sido uma presença querida nos meus posts. Nunca pude lhe agradecer pois além de você não ter blog, desconheço seu e-mail. Por favor, me contate. Um beijo.

Meu nome não é Odete, como algumas pessoas escrevem nos comentários, é Odele, com L e não com T.
Obrigada.

41 comentários

  1. Gostei de ver Odele em entrevista.
    O importante sem o acessório, o que é muito importante quando falamos à comunicação social (aí acho que usam mais os midia).Um dia de diversão com a ida a uma piscina, não pode ser um dia de tensão e stress quer para os pais quer para as crianças,que procuram relaxar quer da tensão do trabalho no seu dia a dia, ou da escola e da obrigação de cumprimento de horários.
    Esteve muito bem em tudo o resto.
    Um beijo

    ResponderExcluir
  2. Odele, você não tem que agradecer nada. Sou eu quem agradeço pelo seu carinho, sua lição de vida com Flavia. O que tenho feito é divulgar em outros blogs, para que jornalistas, empresários, educadores, se sensibilizem com esta questão, além do que, mais do que um alerta seu blog para muitos! Quando não estou comentando nos outros blogs sobre o caso Flavia, estou divulgando no clube em que frequento com meu filho João Pedro, de 4 anos, junto à diretoria, pais, amigos, na escola e na academia em que faz natação. O seu agradecimento é o nosso muito obrigado pelo alerta que nos conduz. Também me solidarizo muito com o caso Flavia, pois meu esposo é advogado, e, também fica triste com a lentidão da justiça. Quantos casos de dna a serem aguardados pelo exame do estado, pensões alimentícias, medicamentos, próteses para idosos, leite especiais para crianças. Mas tenha certeza, minha querida, hoje minha "pequena luta" é pelo blog de Flavia, uma linda menina-flor! Assim que atualizar meu e-mail, estarei lhe avisando. Conte comigo! Abraços à você, Flavia e Fernando. Eliana - Mogi Guaçu -SP.

    ResponderExcluir
  3. Odele já tinha lido sua entrevista lá no site desabafo de mãe.
    Obrigada por nos alertar e nos ajudar a proteger nossos filhos para que não soframos o mesmo q vc,isso mostra muita nobreza da sua parte.
    A Eliana concordo contigo é uma pessoa muito querida ,eu acho que ela é "um anjinho" das blogueiras,vai de blog em blog semeando só coisas boas,sem conhecê-la pessoalmente já a tenho muito familiar.
    Odele espero q saia mesmo uma revista com a história da Flávia,seria uma lição para pais ,filhos e para a sociedade.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  4. Gostei de ler a tua entrevista ...

    cada vez mais pessoas se juntam à lista de amigos de Flávia ... é bom e gratificante sentir isso

    beijinhos

    ResponderExcluir
  5. Estamos a crescer, a FLÁVIA não caiu no esquecimento, isso é o mais importante. Mas a luta continua, e esta entrevista é mais uma arma potente nessa luta.

    Continue, nós continuaremos aqui, pela FLÁVIA e por tantas outras crianças que poderão enfrentar este problema dos ralos mal instalados.

    Beijão para a minhas lutadoras, do Beezz

    ResponderExcluir
  6. Mais um passo e passo a passo todos juntos venceremos.

    A tua coragem e força têm sido um alerta além fronteiras. Obrigado pela tua doçura.

    Beijos para todos

    ResponderExcluir
  7. Odele, sou leitora do Desabafo de Mãe e gostei demais da entrevista concedida.
    Fiz parte da também da blogagem coletiva e tenho divulgado aqui em Fortaleza o caso da Flávia através dos meus alunos, pois sou coordenadora disciplinar de uma grande escola.
    Tenho alertado constantemente.
    Um beijo para você e Flávia, fiquem com Deus.

    ResponderExcluir
  8. Odele

    A midia precisa se abastecer com novidades e uma grande vitrine.

    Esta resistencia que vc comenta, senti tambem na blogagem de Ana Virginia.

    Caminhando lentamente, tenho fe que a hora de resolver esta questao esta chegando.

    Boa entrevista.

    Beijinhos e boa semana para Flavia e vc.

    ResponderExcluir
  9. olá Odele

    É uma entrevista excelente que deve ser publicitada.
    Propunha aos bloguistas que colocassem um link direccionado para este post.
    Como nem só de pão vive o homem e palavras levas-as o vento, Já tomei a iniciativa de divulgá-la no meu sidebar.

    bj Odele e Flávia

    ResponderExcluir
  10. Odele,

    Espero que através da divulgação dos blogs, a mídia dê a devida atenção a seu caso, que a imprensa neste país faça o seu papel de informar e principalmente dar importância a assuntos merecedores de divulgação e alerta como é o seu caso.

    E que as pessoas que frequentam o blog possam ajudá-la na divulgação para a mídia e também para contactar os jornalistas deste país. Acorda Brasil!!

    ResponderExcluir
  11. Adorável mãe Odele:
    Sinto com humanismo, sentimento, sensibilidade e determinação esta sua entrevista, amiga Odele.
    Sinto uma ternura e carinho imensos pelo caso da linda Flávia.
    A INTERNET é poderosa(Injusta, às vezes), mas que pode influciar quem de direito, pata toda a amargura profunda e sofrimento sentido que sente.
    Um filho é um filho.
    Quem pode ignorar isto?
    Que consiga toda a força necessária, rebuscada não sei onde, para a justiça imperar neste caso.
    Tem toda aminha amizade, "força" e carinho expressos aqui e em qualquer lado.
    Bem-Haja ENORME MÃE, PESSOA também!
    Beijinhos amigos com grandiosa estima e consideração.
    Respeitosamente

    pena

    Conte comigo! Tem todo o meu apoio!

    ResponderExcluir
  12. É preciso usar todas as formas possíveis, para dar a conhecer o vosso caso e a vossa luta.
    Como diz o velho provérbio,
    "devagar se vai ao longe".

    ResponderExcluir
  13. Odele,
    Fiquei tão sensibilizada com o que vc está passando, que achei o meu problema muito pequeno. Quase insignificante. Coloquei sua historia no meu blog.
    Gostei muito de sua entrevista
    Um abraço carinhoso
    Lucia

    ResponderExcluir
  14. Uma boa entrevista, Odele, que merece divulgação. Um beijo.

    ResponderExcluir
  15. Dizer-te o quê mais Amiga????Adorei a tua entrevista, e te garanto se eu mandasse todos as revistas aí e aqui trariam sempre nesta altura aí, e, em Julho aqui o alerta e o teu/nosso grito!
    Beijos no coração Amiga.

    ResponderExcluir
  16. Olá Odele! Vim aparecer aqui através do blog da Glória Perez.
    Sinceramente, estou sem palavras. Mas quero te dizer que o significado do nosso nome, da sua Flávia, continue a iluminar seu caminho.
    Beijo muito grande mesmo.

    ResponderExcluir
  17. As portas irão se abrir, mas antes é preciso destapar olhos e ouvidos.

    Juntas sempre!

    ResponderExcluir
  18. Na Bahia, fiquei sabendo que uma empresa que mantem um clube de campo para os funcionários já desativou o tal ralo. Em seu lugar instalou um outro sistema para alternação e filtragem da água que não oferece riscos aos usuários.
    Não posso afirmar que tenha sido motivado pelo caso da Flávia, mas vê-se que o sistema anterior oferecia perigos.
    Abração

    ResponderExcluir
  19. Odele, pois saiba que desede que comecei a ler teu blog e como a Flavinha ficou em coma irreversível, não consigo mais ter a paz de deixar meus filhos tomarem banho de piscina. Não tem como ter vigilância permanente, até porque dois dos meus filhos já são adultos, mas que dá um medo isso dá. Acho mesmo que teria que ter uma divulgação muito grande nesta época. Mas quem se importa com isso? Talvez se fosse o filho de alguém muito importante (na política, tv, o escambau), aí sim, alguém fizesse alguma coisa.
    Um beijo grande em vocês!

    ResponderExcluir
  20. Muito boa a entrevista!

    Abraços e desejos de que tudo corra pelo melhor.

    ResponderExcluir
  21. Odele,
    Parabéns pola claridade meridiana coa que respostaches a cada pregunta.
    Parabéns pola claridade meridiana que amosas cada día que visito o teu blog.
    Unha aperta fraternal dende Galiza

    ResponderExcluir
  22. Achei importante a iniciativa deste blogueiro e publicar entrevista sua no blog. Pelo menos neste espaço virtual o caso de Flávia está repercutindo. O mesmo, realmente, deveria repercutir nas mídias televisivas. Odele, estou avisando-lhes que publiquei uma carta para Flávia no meu blog (http://srferreira.zip.net). Fiz isso como exercício para sempre ter em mente a sua dor e a injustiça estampadas no meu blog como forma de estar compartilhando suas preocupações! Abraço para vc e toda família! Deus esteja com todos vocês!

    ResponderExcluir
  23. Oi Odele. Só agora conheci seu blog. Lembro do acidente de Flávia pelos noticiarios. Hoje sou mãe de três crianças que tem acesso a piscina. Obrigada por estar nos alertando do perigo que pode estar no ralo da piscina. Antes só me preocupava com o fato de que eles soubessem nadar. Agora vou ficar mais alerta. Que Deus abençoe a você e sua familia. Beijos...

    ResponderExcluir
  24. Voltei para agradecer-lhes pelas palavras de afeto e tanto carinho. Quero que saiba da minha preocupação com sua família, com Flávia, em especial e que estamos juntos nesta luta por justiça! Aproveito para informar-lhes que a carta que escrevi foi republicada no blog http://evr.russo.blog.uol.com.br/ . Um carinhoso abraço a você Odele e um beijo especial na alma de Flávia!

    ResponderExcluir
  25. Odele,novamente venho deixar meu abraço a vc e sua família,para mesmo cansada,q nao perca a fé,nunca,
    desejo q Luz Divina,lhe conceda ainda a graça de ver Flavia melhor,q seu coração possa suportar,e continuar vivendo com essa clareza,q só uma mãe pode ter,eu estou muito triste com td isso,me revolto e sempre q puder,divulgarei e falarei com pais,sobre o perigo dos ralos!!
    obrigada por ,em meio a tanta dor,vc possa ainda ajudar as pessoas!!bj no seu coração e no de Flavia!!fiquem com Deus!

    ResponderExcluir
  26. Olá, Flávia.
    Hoje venho contar-te um facto, penso eu! Pois nunca ouvi isto da boca de ninguém.
    A praia é um lugar estático. Sem vida.
    Só a areia, a água e as pessoas é que mexem. A praia não.
    Quero com isto dizer - embora saiba que não vais gostar - mas o ser humana é uma atoarda. Porque se não chamavam as coisas pelos seus verdadeiros nomes.
    - Lá estás tu, David -, já não sei como emendar-te.
    Eu já sabia que não ias reagir muito bem, mas é assim que eu penso!
    - Bem, pensando bem no que tu pensas - não são poucas as vezes que falas com muita lógica.
    Então, muito obrigado, Flavia. Pois nem tudo o que te digo vai ao encontro do teu desagrado.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  27. Odele querida, estou muito feliz, pois a Letícia Capozzi, da cidade de Vinhedo, adicionou carinhosamente em seu blog nos amigos o blog de Flavia. Visite-o, quando for possível. Ela é uma mãe batalhadora, com uma linda família, e tem sua história no Cadê Papai. O endereço é www.titacapozzi.zip.net Beijos carinhosos à Flavia e você!!! Eliana - Mogi Guaçu -SP

    ResponderExcluir
  28. Oi, Odele. Primeiramente, obrigada pela visita ao meu blog, gostei muito. Há tempos, a Elianinha me passou o endereço do seu blog e, devagar, fui lendo o caso. Muito triste, alarmante! Fiquei embasbacada com tamanha injustiça diante de um caso desses, por isso coloquei o blog entre os amigos e, no dia da blogagem coletiva, também participei.
    Querida, você é uma mulher/mamãe espetacular, que transmite força e determinação; continue assim.
    Fique com Deus!
    Forte abraço!

    ResponderExcluir
  29. Excelente entrevista querida Odele!
    Big Kiss

    ResponderExcluir
  30. Odele, Amiga :D

    A tua entrevista focou o que realmente importa..... Parabéns

    Uma coisa é certa, com o blog da Flávia este caso passou fronteiras... hoje, muitos são os que estão de mãos dadas contigo nesta "luta" pacifica, Odele, e de coração unido à jovem Flávia....

    Amo vocês

    Flor emocionada deixa beijinhos com sabor a gomas e algodão doce....

    ResponderExcluir
  31. Ana Daniela24 janeiro, 2008

    Odele, vc já pensou em procurar a Rádio Bandeirantes? Pq eles possuem uma coluna que se chama "A Bandeirantes não Esquece"... acho que seria uma boa... as pessoas precisam saber que um ralo de piscina não é simplesmente um ralo de piscina, até pq se acontece o que aconteceu com a Flávia, a justiça não julga, ou julga mal... e tudo fica por isso mesmo... acaba em pizza.
    beijão

    ResponderExcluir
  32. OI AMIGA!!

    COMO ESTÃO?
    ACREDITO QUE VOCÊ ESTA ATAREFADA DEPOIS QUE ESSE ANO VIROU NÉ?
    NUNCA MAIS LI NENHUM DE SEUS COMENTARIOS....... MAS NÃO ESTOU RECLAMANDO QUANDO VOCÊ TEM TEMPO SEI QUE SEMPRE FALA COMIGO!!
    ESPERO QUE ESSE QUE VIROU TRAGA COISAS NOVAS E BOAS PRA VCS!!
    SEMPRE VENHO AKI E SEMPRE LEIO TUDO QUE VOCÊ POSTA... IMAGINO COMO QUE É PRA VOCÊ MINHA AMIGA TODO ESSE SOFRIMENTO!!
    ESPERO QUE ESSE ANO VOCÊS CONSIGAM ALGUMA RESPOSTA DESSE JUSTIÇA INJUSTA!!

    UM ENORME ABRAÇO NA FLAVIA
    SUPER BJO PRA VC KRIDA!!

    ResponderExcluir
  33. Olá Odele.
    É a primeira vez que entro em seu blog, o qual descobri por acaso. E esttou te escrevendo simplismente pra lhe dar meus parabéns! Você é uma lutadora! Uma guerreira! Me emocionei lendo suas palavras, e te digo que elas me inspiraram de uma forma como há muito não acontecia!
    A partir de hoje, há pelo menos mais uma pessoa que mandará, pelo menos em pensamentos, boas energias pra vc, pra sua filha Flávia e sua família. E claro, boa sorte em sua busca.
    O que for possível, gostaria tb de poder ajudar! meu e-mail é: carol@carpetexpress.com.br
    Um beijo
    Carol

    ResponderExcluir
  34. Odele,

    mais uma vez me comovi lendo a sua entrevista, realmente é uma mulher como poucas, apenas consigo dizer que a admiro imenso, e sei que Flávia sente a maravilhosa mãe que tem, um dia ela irá lhe dizer isso mesmo. Como amigo digo, que mão maravilhosa que é.
    Obrigado por ser como é.
    Bjocas grandes amiga
    Nuno

    ResponderExcluir
  35. Olá!
    Antes de mais, quero enviar-lhe um abraço de luz, pela sua força, e luta!
    Trabalho na àrea espiritual, e gostava imenso de poder ajudar a Flávia, no que poder! Sem qualquer interesse, aliás nem podia!Para saber mais sobre o meu trabalho, pode visitar o meu blog, e se achar, contacte-me! Muita luz, e fé no Mestre Jesus!
    JC

    ResponderExcluir
  36. O meu blog actual é: http://universoespiritodeluz.blogspot.com

    ResponderExcluir
  37. Odele e Flavia

    Infelizmente nesse país ninguém assume nada.É o país das injustiças sociais.
    Quando eu tinha 12 anos,estava aprendendo a nadar,e um amigo engraçadinho me empurrou no lado mais fundo da piscina de um clube,tb fui sugada pelo ralo,mas um amigo que sabia que eu não sabia nadar,pulou e me puxou,fiquei com vergões na barriga,mas graças a Deus ele me salvou.Quando me retirou da piscina eu estava roxa,bebi muita água,mas sobrevivi.Nunca mais consegui nadar,quando entro nágua tenho cãimbras horríveis,tenho pavor de água.
    Então,cara Odele posso imaginar o seu drama,tendo que conviver com esse absurdo.
    Meu Deus,vou rezar para sua filhinha,vou pedir à Nossa Sra. que faça-a voltar a realidade,porque prá Deus nada é impossível.Tenha fé...quem sabe um dia ela abrirá os olhos e volte à vida.
    Tenho uma amiga de Piracicaba,que viveu um problema semelhante.Caiu de uma escada e entrou em coma.Ficou um mês em coma profundo,um dia abriu os olhos e acordou para vida.Isso porque a equipe médica do Hospital,já tinham dito que o caso dela era irreversível...não perca a fé,querida,vou divulgar o problema dela no meu blog e enviar e-mails para meus amigos.
    Escrevo histórias,vividas por mim.Leia para Flavinha quem sabe ela gostará.
    Um grande beijo no coração de voces e que Deus proteja voces.
    Com carinho...
    Sonia Novaes

    ResponderExcluir
  38. Bon día Odele!!!, excelente la entrevista...cariño mi deseo de una semana tranquila. Muchos beijos para los tres.

    ResponderExcluir
  39. Odele
    Esta é uma entrevista muito bem conseguida, com ideias precisas e bem arrumadas.
    Uma ida à piscina não pode ser um motivo de tensão, a justiça é lenta e beneficia os infractores, os media tradicionais não cumprem o seu papel de denúncia.
    Apesar de tudo isto, Odele, o caso Flávia está a ter uma visibilidade crescente e eu acredito que essa visibilidade funcionará simultaneamente como alerta e como forma de pressão relativamente à falta de celeridade da justiça.

    abraço

    ResponderExcluir
  40. Aquele abraço minha amiga...a tua entrevista está óptima!Quem ainda não conhece fica com uma ideia muito clara da situação...beijos (também para Flávia)...

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails