Este blog, criado em janeiro de 2007, é dedicado à minha filha Flavia e sua luta pela vida. Flavia vive em coma vigil desde que, em 06 de janeiro de 1998, aos 10 anos de idade, teve seus cabelos sugados pelo sistema de sucção da piscina do prédio onde morávamos em Moema - São Paulo. O objetivo deste blog é alertar para o perigo existente nos ralos de piscinas e ser um meio de luta constante e incansável por uma Lei Federal a fim de tornar mais seguras as piscinas do Brasil.

20.DIA DE UTI - RECEBENDO SANGUE.

- 10 de fevereiro de 2007
Ao chegar ao hospital nesse vigésimo dia em que Flavia estava na UTI, a enfermeira, ao abrir a porta foi logo me dizendo que Flavia estava muito mal e precisando urgentemente de uma transfusão de sangue, pois o nível de plaquetas no organismo dela havia caído drasticamente. Muito aflita saí pelos corredores do hospital à procura do banco de sangue para que tirassem de mim o sangue necessário à Flavia, mas me disseram que eu não poderia doar sangue para ninguém por estar tomando antibiótico devido à fratura no braço. Além disso, pediam a doação de sangue de pelo menos 10 pessoas. Telefonei então para a HP e falei com Golbert. O assunto foi para o RH da empresa e rapidamente surgiram voluntários para doar o sangue de que Flavia precisava. Amigos e conhecidos de fora da HP também compareceram ao hospital e em pouco tempo o sangue doado ultrapassava em muito o solicitado. O hospital acabou agradecendo pois o sangue que sobrasse seria usado por outros pacientes.

Ao voltar para casa à noite para fazer companhia à Fernando e descansar, me peguei pensando no quão forte é o amor que as mulheres têm por seus filhos. Este amor é mesmo o laço de afeto mais forte que temos com a vida. Me veio então à mente uma frase de uma mulher de nome Elizabeth Stone, que diz:

"A decisão de ter um filho é muito séria.
É decidir ter, para sempre,
o coração fora do corpo"

Meu nome não é Odete, como algumas pessoas escrevem nos comentários, é Odele, com L e não com T.
Obrigada.

Um comentário

  1. Odele, teclei, deletei, tentei nada me vem à mente, só posso dizer que se estou tentando transmitir algo, quiçá não há como ser expressada, é algo que transcende, se sente é o amor, este sentimento que une as pessoas, espero sinceramente que consigas vencer não só a batalha judicial, mas, também, a fadiga, o desânimo que porventura lhe apoderar, que possas sempre continuar lutando, batalhando e acreditando na Vida. abraços

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails